13/01/2018

Vera Cruz é município com menor índice de eleitores biometrizados

 

Dos 51 municípios baianos onde o recadastramento biométrico passa a ser obrigatório em 2018, Vera Cruz é o que possui o menor índice de eleitores biometrizados.

A exatos 19 dias do fim do prazo, apenas 44,31% dos habitantes aptos já realizaram o serviço.

Para os eleitores da cidade, o recadastramento pode ser feito na subprefeitura, que fica no distrito de Gamaleira, e também no Fórum Eleitoral de Itaparica, na Avenida Dr. Antônio Calmon, no Centro.

Em ambos os locais, o atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Outro município em situação crítica é Camaçari.

De acordo com dados atualizados na última segunda (8), dos 168.350 mil eleitores da cidade, 55,27% realizaram o procedimento.

Somado a isso, uma instabilidade no sistema do Fórum Eleitoral resultou em transtornos para quem tentou realizar a biometria no início desta semana.

Em Salvador, o quadro também é de longas filas e demora nos postos. Com atendimento sendo feito em diversos locais – Prefeituras-Bairro, Assembleia Legislativa (AL-BA), Câmara Municipal (CMS), Tribunal de Justiça (TJ-BA), sede do próprio TRE e outros pontos –, cerca de 57,04% dos 2.000.902 eleitores da capital baiana se recadastraram.

Por outro lado, os destaques entre as cidades baianas com mais pessoas recadastradas são Candiba, onde 89,74% dos 10.360 eleitores já estão regularizados, e Ipacaetá, onde 84,86% dos 14.046 eleitores já fizeram o procedimento.

No geral, até o momento, o Estado só recadastrou 63,01% dos 4.367.442 eleitores dos municípios obrigatórios.

Mas, apesar do quadro, o TRE ressalta que não vai prorrogar o prazo para o recadastramento.

Os eleitores que não regularizarem a situação até o dia 31 de janeiro terão o título de eleitor cancelado. Só após a conclusão dos trabalhos, no fim do mês, a Corte Eleitoral baiana vai definir os procedimentos para os eleitores irregulares.

Biometria valerá para 2018 mesmo que meta de 80% não seja alcançada

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) informou nesta sexta-feira (12) que a homologação do recadastramento biométrico não será vinculada à meta estabelecida pela Corte para o procedimento, de 80%.

O comunicado foi emitido após circular nas redes sociais a informação de que caso o TRE não conseguisse bater a meta, o recadastramento seria cancelado – o que favoreceria as pessoas que ainda não conseguiram cadastrar suas impressões digitais.

“O esclarecimento ocorre em resposta a mensagens falsas que, desde o início da semana, estão sendo divulgadas por meio das redes sociais com a informação equivocada de que 'caso o procedimento não atinja 80% do eleitorado, a biometria não será válida para as Eleições 2018'”, afirma o TRE.

Em uma das mensagens, que está sendo divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário da Bahia (Sindijufe-Bahia), além da informação sobre o cancelamento do recadastramento, a data final do procedimento como 9 de maio também está errada - na verdade, o prazo termina no dia 31 de janeiro.

De acordo com o tribunal, 60% dos eleitores soteropolitanos já cadastraram seus dados biométricos.

“No entanto, a biometria continua sendo obrigatória para as eleições do próximo mês de outubro e não deverá haver prorrogação do prazo, conforme vem sendo afirmado reiteradas vezes pela Presidência do Órgão. Os eleitores que não atenderem a convocação da Justiça Eleitoral até 31 de janeiro terão seus títulos cancelados”, afirma o TRE.

Até agora, cerca de 800 mil eleitores correm o risco de ter seus títulos cancelados.

Presidente do TRE-BA descarta prorrogação

Enquanto os eleitores soteropolitanos enfrentam longas filas para realizar o recadastramento biométrico, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), desembargador José Rotondano, confirmou nesta quinta-feira, 11, ao A TARDE que o órgão não prorrogará o prazo de encerramento da atualização, previsto para o dia 31 deste mês.

Ele, que falará oficialmente à imprensa nesta sexta, 12, isentou a autonomia do TRE quanto à prorrogação do prazo. “Há uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinando que o prazo de revisão eleitoral (biometria) será até o dia 31 de janeiro de 2018”, justificou o presidente do TRE baiano.

Quanto às longas filas formadas nos pontos de biometria, Rotodano associou o transtorno ao costume da população de deixar a revisão eleitoral para a última hora. “O TRE vem, desde 2016, se esforçando para chamar a população a comparecer aos postos de biometria”, argumentou o presidente.

Questionado a respeito da reclamação de alguns funcionários do tribunal pela sobrecarga de trabalho diante da alta demanda, o desembargador disse não estar sabendo disso e que o TRE acertou com o sindicato da categoria formas de compensar o trabalho extra.

Paciência

Mesmo no dia da festa do Bonfim, a fila de eleitores para fazer o recadastramento biométrico, na tarde desta quinta, beirava a saída do estacionamento do TRE, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

O tempo de espera, segundo relatos de pessoas que estavam na fila, era de mais de seis horas. A balconista Ivomeire Silva chegou às 5h30 para conseguir atendimento no período da tarde. “Acho uma falta de respeito fazer isso com as pessoas”, reclamou Ivomeire sobre o transtorno das filas do TRE.

A sujeira dos seis banheiros químicos disponíveis à população irritou a doméstica Ilza Cristina.

Sobre a higiene dos sanitários, a assessoria de comunicação do TRE informou que alertará a empresa responsável pela limpeza. Segundo o TRE, pouco mais da metade dos eleitores fizeram a biometria.

Filas quilométricas no TRE nos últimos dias de cadastramento

Nem todos os caminhos levaram os baianos à Colina Sagrada. Enquanto milhares de pessoas seguiam o cortejo da Lavagem do Bonfim, outra multidão foi ao Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) para realizar o recadastramento da biometria. O prazo termina dia 31 de janeiro, mas somente 57% do total de eleitores de Salvador quitaram suas pendências eleitorais.

Como muita gente deixou para última hora, a entidade iniciou, no último sábado (6), uma operação especial para atender a grande demanda, inclusive aos finais de semana, sempre das 8h as 18h. Com sede localizada na 1ª Avenida do Centro Administrativo da Bahia (CAB), n° 150, o órgão está atendendo diariamente cerca de cinco mil pessoas.

As filas são tão gigantescas comerciantes aproveitaram para alugar bancos para as pessoas que esperam na fila. No entorno do CAB, por onde passa o alinhamento de eleitores, são vendidos lanches, águas, cervejas e até consórcio de veículos. Nesses últimos dias, a espera para realizar o recadastramento dura em torno de quatro a dez horas.

Já imaginando a quantidade de pessoas que encontraria, a fotógrafa Priscila Seijo, 37, chegou à sede do órgão com uma cadeira de praia. “As pessoas estão fazendo isso porque está uma fila desumana. Infelizmente, demorei a vir, porque fiquei adiando e acabei enrolando. Mas não imaginava que encontraria uma fila tão grande”, afirmou. “Isso é desumano”, desabafou a pensionista Adriana Silva, 50, que reclamava da falta de prioridade para pessoas com mobilidade reduzida.

Dona Adenilde Miranda, 56, fez a reavaliação da biometria há cerca de 15 dias. O que ela não esperava era que, dias depois, precisaria enfrentar mais horas de espera para acompanhar a filha, Viviane Silva, 22. “Ela deixou para última hora, agora vale tudo, até alugar banco. É sofrido”, explicou. “Não tive tempo de vir antes”, alegou a filha. Os bancos estavam sendo oferecidos por R$ 5.

Em entrevista à Tribuna da Bahia, o presidente do TRE-BA, desembargador José Edivaldo Rocha Rotondono, lamentou que os baianos tenham deixado para procurar o serviço próximo ao encerramento do prazo e convocou a população que possui pendências para comparecer aos postos de atendimento. Além disso, ele anunciou que não haverá mais abertura de novos postos. Atualmente há 26 pontos de atendimento em Salvador.

“Estamos fazendo tudo ao nosso alcance para facilitar o recadastramento. Não temos como abrir mais postos porque não temos equipamentos. Alguns shoppings chegaram a oferecer o espaço, mas não temos mais materiais que possibilitam fazer a biometria. Fomos à mídia praticamente implorando para que as pessoas não deixassem para a última hora, principalmente porque, com muita demanda de uma só vez, chega uma hora que o sistema não aguenta”, explicou.

 

Fonte: BN/A Tarde/Tribuna/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!