14/01/2018

Feira: Selo Qualytáxi e uso de aplicativo garantem melhor serviço

 

Usuários de táxis de Feira de Santana passam a contar a partir de agora com um serviço diferenciado, mais eficiente e com preço justo. A Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), instituiu a Certificação Qualytáxi (Portaria nº 007/2018) e regulamentou o uso da Modalidade App (aplicativo) para permissionários do Serviço de Transporte Individual de Passageiros por Táxi (STIP) no município (conforme decreto nº 10.576, 29/12/17).

A medida, lançada em ato público na última quarta-feira, 10, põe passageiros e condutores profissionais devidamente regulamentados em contato, e segue a tendência de grandes cidades do país, bem como o poder público municipal torna-se pioneiro na solução para a concorrência deste tipo de prestação de serviço com uso de novas tecnologias na área do transporte privado urbano.

Segundo o secretário de Transportes e Trânsito Saulo Figueiredo [foto acima], o acesso ao selo Qualytáxi depende de pré-requisitos que tornem o permissionário apto a ofertar qualidade no atendimento e de forma legal.

“O taxista precisa passar por cursos de requalificação junto a órgãos especializados [neste caso SEST SENAT], estar cadastrado em aplicativo, nos moldes do decreto, possuir automóvel com ano de fabricação não inferior a 2013, além das vistorias programadas nos últimos três anos”, explica.

Profissional deve atender exigências do mercado, observa diretor do SEST SENAT

Segundo o diretor do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SEST SENAT) no município, Daniel Correia, o cenário de crise exige um profissional taxista preparado a atender às exigências tanto da Prefeitura quanto do mercado, driblando assim a concorrência.

“Somos facilitadores desse processo e priorizamos o desenvolvimento profissional. Dessa forma, capacitamos cada taxista para receber a certificação com 37 horas de curso”, explica. Segundo Correia, a parceria da SMTT oportunizou aos permissionários ter acesso a conteúdos que visa padrão de qualidade, como: ‘Capacitação para Taxista’, ‘Postura Profissional: como se comportar no momento de crise’ e ‘Motorista amigo do ciclista’.

Instrumento inovador, considera prefeito

Para o prefeito José Ronaldo, a ideia de apoiar a categoria partiu da necessidade da gestão municipal possibilitar aos taxistas acesso a um novo instrumento inovador e legal, presente em diversos locais do país e até fora do Brasil.

“Estamos estimulando e apoiando a classe para que possam usufruir da melhor forma as vantagens das novas tecnologias de mobilidade. Ganha o taxista e a comunidade feirense que sempre exige um serviço de excelência”.

A renovação da certificação ocorrerá no período de vistoria anual obrigatória do modal STIP mediante a apresentação de documentação comprobatória na SMTT.

Na oportunidade, o presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários de Feira de Santana (SINCAVER), Liomar Ferreira, acompanhado do presidente da Associação dos Taxistas de Feira de Santana (Astafs), Sargento Joel, entregou documento nas mãos do prefeito José Ronaldo sugerindo a ideia de um projeto de parceria entre a Prefeitura e a categoria. A proposta é viabilizar um projeto de transporte de servidores públicos durantes as atividades da administração direta e indireta por taxistas da cidade.

Segundo o gestor municipal, a Prefeitura já tomou conhecimento e a proposta encontra-se em estudo na Secretaria de Administração. Ele também ressaltou que “havendo viabilidade, a medida será implementada no município”.

App

As vantagens são inúmeras para quem utiliza um App no chamado de um táxi. Entre as diversas opções, o aplicativo Táxi Fsa, por exemplo, oferece tarifas com preços menores com até 40% em dias úteis (bandeira 1) e, ainda, pode custar metade do preço aos finais de semana (bandeira 2).

Um dos idealizadores do aplicativo, o taxista Fábio Vaccarezza Júnior, também presidente de uma entidade de classe (Fonetáxi), explica que o usuário pode baixar gratuitamente o APP em qualquer smartphone com sistema operacional Android, através do Google Play, ou IOS, via App Store (neste caso digitar Taxi Cidade).

“O passageiro realiza previamente um cadastro eletrônico na plataforma do aplicativo, escolhe o destino e o valor a ser pago por meio de cartão de crédito, débito ou dinheiro. Ao final do trajeto, a prestação do serviço ocorrerá com total qualidade, preço justo e sem nenhuma surpresa desagradável”, ressalta.

Atualmente, a frota de táxis de Feira de Santana atinge 1.350 veículos cadastrados. Segundo o taxista, a expectativa é oferecer ao usuário embarcado em um veículo novo uma experiência diferente, segura, com ar condicionado e total higiene, internet sem fio (wi-fi), água mineral, biscoitos e barras de cereais, balas e até sucos.

Outro taxista e também pioneiro no uso de novas tecnologias em modais, Fernando Silveira, relata que foi um “oxigênio” importante para a categoria, principalmente neste início de ano.

“Ficamos muito honrados com a iniciativa, pois valoriza a categoria e entendemos que somos parceiros nesta causa. Precisamos trabalhar mesmo e com competividade”, ressalta.

Silveira acrescenta que, somente no mês de dezembro do ano passado, foram realizados mais de 15 mil atendimentos através do App Táxi Fsa, com uma rentabilidade média de 80 ‘corridas’ para cada taxista cadastrado no aplicativo.

Em reforma, laboratório do Hospital da Mulher atende em novo local

Desde a última quinta-feira, 11, o laboratório de análises clínicas do Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, passou a atender, provisoriamente, a comunidade em novo endereço, na Rua Paulo Afonso, nº 495, em frente à sede da unidade que passa por reformas de ampliação e restruturação.

Todos os dias, de segunda a sexta, das 7h às 17h, técnicos do HIPS atendem pacientes para exames laboratoriais como hemograma (exame de sangue), exame parasitológico de fezes, urina, microbiologia, imunologia, bioquímica e hormônios.

Procedimentos realizados no Hospital serão mantidos

Já os procedimentos realizados no próprio Hospital da Mulher, a exemplo de teste do pezinho, não sofrerão alteração de local de atendimento. “As pessoas atendidas nos consultórios terão os exames realizados por técnicos do ambulatório do HIPS”, explica Gilberte Lucas [foto acima], presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana.

Ela acrescenta ainda que exames de pacientes internados no Hospital da Mulher serão analisados laboratorialmente na sala do antigo Banco de Leite Humano (BLH), espaço que passou por total adaptação para funcionamento.

Reforma

A ordem de serviço para execução da obra foi dada no final do mês de novembro do ano passado pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho.

Instalado há 26 anos, o equipamento é responsável pela realização de mais de 300 mil atendimentos ao ano. A reforma vai consumir recursos da ordem de R$ 149.632 mil, oriundos dos cofres do Município.

Consta do projeto de reforma a ampliação da recepção e das salas de bioquímica e hematologia, bem como do setor onde funciona o corpo administrativo. As redes elétrica e hidráulica serão substituídas, além das esquadrias (portas e janelas). Parte da calha do telhado também será trocada.

O equipamento vai receber uma nova pintura, e as paredes internas do laboratório serão revestidas com pastilhas e as externas com cerâmica. Será implantado um piso de alta resistência, uma rede logística (novos telefones e computadores), bem como luminárias de emergência e extintores de incêndio.

Ruas do centro de Feira de Santana alagam em poucos minutos de chuva

Poucos minutos de chuva foram suficientes para alagar várias ruas do centro da cidade de Feira de Santana na tarde desta quarta-feira (10). Diversos veículos ficaram ilhados e o trânsito ficou bastante lento. Também ficou difícil transitar a pé pelo local.

A proprietária de um veículo que estava estacionado na Rua Leonídio Rocha tomou um susto quando se deparou com água na altura da porta do carro. Ela disse que não foi possível entrar no veículo.

“Não consegui entrar. A água subiu, passou da porta, um rapaz que estava aqui antes disse que a água já abaixou seis dedos e ainda tá ali onde está. Então, deve ter molhado tudo lá dentro. Vou ter que esperar a água abaixar”, lamentou em entrevista ao repórter Paulo José.

Alagamento no centro de Feira de Santana é por falta de drenagem, afirma secretário

Poucos minutos de chuva foram suficientes para alagar diversas ruas, principalmente no centro de centro de Feira de Santana, na última quarta-feira (10). O secretário de Desenvolvimento Urbano, José Pinheiro, afirmou que as ruas ficaram ilhadas devido a falta de drenagem.

“As ruas que mais alagam ficam no centro velho de Feira de Santana, onde está sendo resolvido com a construção do túnel linear. A rede é antiga e tenho certeza que com o túnel linear pronto, esse problema será resolvido na Castro Alves, Barão do Rio Branco, Georgina Erismann”, disse.

O secretário ainda falou sobre outros locais da cidade que alagam com facilidade. Segundo ele, isso ocorre nas partes mais baixas da cidade, como na região dos bairros Parque Getúlio Vargas e Rocinha.

“Temos conhecimento que esses locais alagam e sempre estamos em alerta quando chove. Foi uma chuva pequena e se chover mais, a coisa complica. Então as pessoas têm que ter consciência que construíram no local errado e que no período de chuva enche. Ali é uma bacia formada pela própria natureza”, afirmou.

José Pinheiro ainda falou sobre o número de bueiros existentes na cidade, que, segundo ele, são suficientes para a drenagem atual que existe, mas ressaltou que a drenagem não é suficiente para a quantidade de lixo que são jogadas nos bueiros.

“Fizemos uma limpeza nos bueiros antes das chuvas e na primeira chuva alagou tudo. Temos equipes envolvendo 30 pessoas para o trabalho de desobstrução da rede pluvial. Se não fosse a quantidade de lixo sobre a rede, seria mais fácil o trabalho. É difícil, porque as pessoas jogam muito lixo na rua”, disse.

OBSERVAÇÃO: Importante esclarecer que o secretário em questão é titular da referida secretaria a cerca de 17 anos, de forma ininterrupta e, que ao longo de sua gestão o problema tem se repetido continuamente, sem que seja dada uma solução para o problema. Entra chuva e sai chuva e o problema sempre se repete, sem que nada seja feito para acabar com o problema.

 

Fonte: Secom PMFS/Acorda Cidade/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!