21/01/2018

Feira: Reajuste da tarifa de ônibus é maior que Salvador

 

Apesar do serviço de péssima qualidade, o reajuste da tarifa de ônibus em Feira de Santana foi publicado no Diário Oficial do Município neste sábado (20). Usuários que pagam em dinheiro desembolsarão R$ 3,80. O valor é superior ao da capital baiana, que custa R$ 3,70. Quem utiliza o sistema de cartão Via Feira pagarão apenas R$ 3,48. O aumento passa a valer a partir de sexta-feira (26).

O prefeito José Ronaldo (DEM) seguiu a proposta do Conselho Municipal de Transportes e Trânsito de Feira de Santana que se reuniu esta semana para definir a nova tarifa, que teve aumento de 5,05%.

De acordo com o secretário municipal de Transportes e Trânsito, Saulo Figueiredo, informou que o cálculo para definição do reajuste é feito por meio de uma fórmula estabelecida no contrato firmado entre a Prefeitura e as empresas de ônibus, que leva em consideração o preço médio do combustível em 2017 (113%), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), 1,83%; e o reajuste salarial dos trabalhadores rodoviários (5%).

Tarifas

Para os distritos de Jaíba, Maria Quitéria, Matinha, Governador João Durval Carneiro e Humildes a tarifa passa a ser R$3,48 para os usuários no cartão e R$3,80 para passageiros pagantes em espécie.

Para os distritos de Bonfim de Feira, Jaguara e Tiquaruçu o valor será de R$4,30. Na aquisição de passe estudantil, as tarifas estabelecidas nos artigos anteriores sofrerão uma redução de 50%. O passe estudantil na sede do município de Feira de Santana e nos distritos de Jaíba, Maria Quitéria, Matinha e Governador João Durval Caerneiro e Humildes terá o valor de R$1,74. O passe estudantil para os distritos de Bonfim de Feira, Jaguara e Tiquaruçu será de R$ 2,15.

Aos domingos e feriados, a meia passagem será cobrada apenas para os usuários que optarem pelo pagamento via utilização do cartão social do Sistema de bilhetagem. Além disso, os vales transportes em uso terão validade de 30 (trinta dias) a contar da data de vigência da nova tarifa.

Ronaldo viaja aos EUA e Colbert assume prefeitura de Feira

Em ato bastante concorrido realizado no Paço Municipal Maria Quitéria, na manhã deste sábado, 20, o vice-prefeito Colbert Martins Filho assumiu interinamente o cargo de prefeito, transmitido pelo titular da função, José Ronaldo de Carvalho. O chefe do Poder Executivo Municipal fará uma viagem de cunho pessoal aos Estados Unidos.

O retorno de José Ronaldo ao país está previsto para o dia 4 de fevereiro. O afastamento foi autorizado pela Câmara Municipal, através do Projeto de Decreto Legislativo de nº 073/2017, de autoria da Mesa Diretiva. O ato foi conduzido pelo procurador geral do Município, Cleudson Almeida.

O prefeito José Ronaldo lembrou que já realizou a transmissão de cargo para o vice-prefeito em outras duas oportunidades em governos anteriores, quando tinha na função Antônio Carlos Borges Júnior e Luciano Ribeiro.

Estiveram presentes a cerimônia, além da esposa do prefeito em exercício, a médica Adenilda Martins, os deputados feirenses Carlos Geilson, José de Arimateia e Targino Machado, vereadores, secretários e várias lideranças comunitárias.

Prefeito interino lembra o pai, que governou Feira em dois mandatos

Em breve discurso após a cerimônia, o prefeito em exercício Colbert Martins Filho ressaltou o sentimento de honra e gratificação. "O prefeito José Ronaldo precisará se ausentar, mas peço a Deus que me dê todas as condições de estar a altura dessa missão e dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelo nosso Governo". Ele também salientou a satisfação de ocupar, mesmo que temporariamente, a função que foi desempenhada pelo seu pai, o ex-prefeito Colbert Martins, durante muitos anos. 

Arquivo Público de Feira completa 30 anos

O Arquivo Público de Feira de Santana, órgão da Prefeitura vinculado a Secretaria de Administração, completou, em 27 de dezembro do ano passado, 30 anos de existência. Engana-se, porém, quem imagina que data de apenas três décadas o acervo do equipamento, responsável pelo acervo histórico relacionado a administração pública local.

Na realidade, em suas prateleiras repousam milhares de documentos, que se dividem entre importantes e extremamente importantes. Todos imprescindíveis para que o município seja compreendido em vários contextos.

Criado na segunda gestão do prefeito José Falcão da Silva, sob a lei 1077, publicada precisamente em 27 de dezembro de 1987, o Arquivo Público Municipal substituiu o Arquivo Geral da época. A lei que lhe deu origem descreve a sua finalidade: desempenhar atividades referentes ao recolhimento, guarda, preservação e conservação de documentos que evidenciem a memória histórica, geográfica, administrativa, técnica, legislativa e jurídica do Município de Feira de Santana.

Compete ao órgão, entre outras ações, promover intercâmbios com instituições congêneres, públicas e privadas, serviços e profissionais especializados, objetivando o desenvolvimento e aperfeiçoamento das ações em matéria de sua competência; executar convênios, acordos de cooperação técnica ou financeira, firmados pelo Município em matéria de sua competência; prestar assistência técnica aos diversos órgãos municipais e, também, identificar documentos privados para declaração de interesse público.

Estudantes e pesquisadores frequentam o acervo em busca da história local

As salas do Arquivo Público da Prefeitura de Feira de Santana são bastante frequentadas por estudantes das escolas públicas e particulares, que se aprofundam na história local, mas também por pesquisadores que lá buscam passagens para embasar suas teses de mestrado ou doutorado. É permitido o acesso a toda a documentação, desde que não seja a pessoal de servidores municipais, registrada desde os primórdios.

Nas suas mais de oito mil caixas podem ser encontradas as plantas de todos os prédios públicos construídos em Feira de Santana nas últimas décadas, que se constituem em importantes acervos para pesquisa. Deve ser considerado o guardião do patrimônio deste setor do município.

Documento que autoriza a construção do prédio, em 1917, é uma das relíquias

A Chefe da Divisão de Arquivo, Gleide Maria Bastos Figueiredo (foto), à frente do Arquivo Municipal há quatro anos, diz que uma das relíquias guardadas ali é o documento assinado pelo intendente (cargo equivalente a prefeito) da época, Agostinho Fróes da Motta e o coronel José Paulino de Carvalho autorizando a obra do prédio onde se encontra hoje instalado o órgão – em sua origem, a construção sediou uma unidade de ensino, a Escola João Florêncio. Uma placa à entrada informa que o imóvel foi inaugurado em 1917.

Os documentos estão catalogados para facilitar a busca por parte dos interessados. “Temos um cuidado extremo com a sua preservação”, informa Gleide, que deixa transbordar em seus olhos a emoção por estar à frente de missão tão nobre, como ela mesma considera. Ela é ocupante de cargo de confiança, de provimento temporário, mas seu cuidado com os documentos sob sua responsabilidade impressiona a quem visita o local.

Guarda, também, fichas funcionais antigas, dos servidores concursados – as dos nomeados ficam no Departamento de Recursos Humanos, e livros contábeis com décadas de existência. “O Arquivo Público preserva a memória e a cultura do município”, diz a chefe do local.

Recuperada, Fonte dos Milagres volta a ser área de lazer

Houve uma época em que a Fonte dos Milagres era um dos principais pontos de lazer para famílias residentes no bairro Gabriela e localidades próximas. Mas devido a precária infra-estrutura, há alguns anos o equipamento deixou de ser um atrativo. Realidade que começou a mudar com a revitalização do local e a construção de uma nova praça. Na noite desta quinta-feira, 18, a Fonte dos Milagres passou a ser vista como nos velhos tempos.

O equipamento foi entregue pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho, que estava acompanhado pelo vice-prefeito, Colbert Filho. “Estive aqui algumas vezes e fui cobrado para que a Fonte dos Milagres fosse reurbanizada. E assim o fizemos por entender a sua importância histórica e de lazer para toda esta região, bem como meio usado por famílias para ganhar os seus sustentos com a venda de bebida e comida para os visitantes”, afirmou o prefeito.

José Ronaldo também pediu aos moradores que cuidassem no novo espaço, evitando depredações, e determinou ao Departamento de Áreas Verdes, responsável pela obra, que coloque equipamentos em todo o local, como mesas, onde moradores e visitantes disputem partidas de jogos de salão.

O secretário de Meio Ambiente, Sérgio Carneiro, disse que, sobretudo, José Ronaldo vem se destacando nas ações realizadas na defesa e preservação da natureza, com ações nas lagoas e nascentes, principalmente.

O presidente da Associação dos Moradores da Gabriela, Adriano Rangel, afirmou que o local antes esquecido foi renovado pelo poder público. “A Fonte não mais está abandonada”. O pastor Davi, que prega no bairro, comentou que a obra atende a vontade dos moradores e que vinha sendo pedida há anos.

Área de Proteção Permanente

A fonte passou por um amplo processo de reestruturação, que vai garantir a sua revitalização. Em março de 2017 foi o local escolhido para o plantio de árvores pela Rede Internacional de Plantio Global.

 A reestruturação da APP (Área de Proteção Permanente), localizada entre as ruas Pantanal e Flamengo e a Travessa Casarão levou a Prefeitura a tomar medidas legais que garantirão a preservação da fonte como espaço de uso comum, como a recuperação de áreas da APP que estavam invadidas.

Fonte ganhou uma moderna e aconchegante praça

Além da recuperação dos dutos por onde a água corre, a fonte ganhou uma moderna e aconchegante praça, a primeira do bairro. A praça oferece opções de barras e prancha para os adultos se exercitarem. Também é dotada de parque infantil, bancos de madeira à sua volta.

As crianças não esperaram que a praça e a nova Fonte dos Milagres fossem oficialmente entregues para brincar no parque infantil. Ocuparam o balanço, escorregadeira e a gangorra.

 

Fonte: BNews/Secom PMFS//Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!