23/01/2018

Salvador: Sarau du Brown recebe Ana Vitória no Museu du Ritmo

 

Há 11 anos quando Carlinhos Brown anunciou a primeira edição do Sarau du Brown nascia em Salvador um novo conceito para os ensaios de verão na capital baiana. Música, poesia, teatro, dança, artes plásticas e moda reunidos em um só espetáculo com a participação de grandes artistas da música baiana e nacional. Em 2018 não será diferente. Com edição única, o cacique irá receber a dupla AnaVitória e a banda Didá, no próximo domingo, 28, no Museu du Ritmo, a partir das 18h, com a promessa de um show surpreendente e cheio de energia, próprio das apresentações do anfitrião. A abertura da festa ficará por conta da banda Electrotimba.

Essa não será a primeira vez que Carlinhos Brown dividirá o palco com AnaVitória. A parceria com a dupla teve início no ano passado durante o festival Combina MPB, em uma apresentação que arrancou aplausos e lágrimas do público presente. Para o Sarau du Brown, a expectativa é de um reencontro ainda mais emocionante e animado com as jovens tocantinenses que são um verdadeiro sucesso em todo país. Na ocasião, as artistas vão interpretar os seus maiores hits como “Trevo (Tu)”, “Agora eu quero ir” e “Dengo”, além de repetir a dobradinha com Carlinhos Brown nas canções do artista como “Tantinho” e “Já sei namorar”.

“São duas jovens incríveis, super talentosas, que já nasceram como um mega clássico da MPB.  As canções que elas fazem realmente tocam na alma e já marcaram, inclusive, minha vida familiar. Tenho certeza que será um belíssimo reencontro”, ressaltou o mestre sobre as suas convidadas. Lembrando que foi a música Trevo (Tu), da dupla tocantinense, que fez Carlinhos Brown se emocionar durante o primeiro dia de audições às cegas do The Voice Kids 2018.

A 11ª edição do Sarau du Brown também reserva espaço para o ineditismo. É por lá que o mestre Carlinhos Brown irá apresentar pela primeira vez em Salvador canções do seu mais novo CD, intitulado “Semelhantes”. As recém lançadas “Deus Mestiço”, “Sacrilégio”, “Ilustres” e “Derivado Petrolífero” estarão presentes no repertório do artista, bem como alguns dos seus maiores sucessos carnavalescos, como  “Ashansú”, “Faraó e “Água Mineral”, além das clássicas “ VC, O Amor e Eu” e “Carnavália”.

Baby do Brasil é atração do Sarau du Brown neste domingo (28)

Neste domingo (28), todos os caminhos levam ao Museu du Ritmo. É lá que acontece, a partir das 18h, a edição única do Sarau du Brown neste Verão de 2018. Apenas pelo show do anfitrião Carlinhos Brown, o evento já seria uma explosão. Mas o cacique ainda caprichou nos convidados. De um lado, as jovens tocantinenses da dupla AnaVitoria, que é um verdadeiro sucesso em todo país. Do outro, a grandiosa Baby do Brasil, que dispensa apresentações. A abertura será ao som dos ritmos dançantes da Electrotimba. A percussão feminina da Banda Didá encerra a noite.

Os sucessos que marcam a carreira de Baby do Brasil já explicam porque seus shows e aparições são tão arrebatadores, Voz marcante na música brasileira, Baby do Brasil eternizou canções como Sem Pecado e Sem Juízo, Cósmica, Telúrica , e músicas de outros grandes compositores como Brasileirinho, A menina dança, Menino do Rio e Todo Dia Era Dia de Índio - as três últimas compostas exclusivamente para ela.

Com AnaVitoria, não será a primeira vez que Carlinhos Brown dividirá o palco. A parceria com a dupla teve início no ano passado durante o festival Combina MPB, em uma apresentação que arrancou aplausos e lágrimas do público. É grande a expectativa para a interpretação dos maiores hits da dupla, como Trevo (Tu), Agora eu quero ir e Dengo, além de dobradinhas com Carlinhos Brown em canções como Tantinho e Já sei namorar.

Brown trás inéditas

A 11ª edição do Sarau du Brown também reserva espaço para o ineditismo. É por lá que o mestre Carlinhos Brown irá apresentar pela primeira vez em Salvador canções do seu mais novo CD, intitulado Semelhantes. As recém lançadas Deus Mestiço, Sacrilégio, Ilustres e Derivado Petrolífero estarão presentes no repertório do artista, bem como alguns dos seus maiores sucessos carnavalescos, como  Ashansú, Faraó e “Água Mineral, além das clássicas VC, O Amor e Eu” e “Carnavália.

O início da noite já será de suar a camisa. A Electrotimba, uma das idealizações mais recentes do mestre Brown, abre a noite em alto estilo. Tendo à frente o dominicano - segundo ele já quase baiano - Oscar Dominic, o grupo mostra composições inéditas, sucessos do momento e surpreende com canções que sãohits do Carnaval baiano, agora cantados em espanhol, misturando timbaus e ritmos latinos como bachata e reggaeton. A banda ainda é formada por duas dançarinas, dois percussionistas e um DJ.

A freqüência se mantém em alta até o último minuto da festa, que será encerrada pela percussão feminina da Banda Didá, primeira banda de mulheres a tocar samba reggae.

  • Serviço

O quê: Sarau du Brown 2018

Quando: Domingo (28/01), às 18h

Convidados: Baby do Brasil, AnaVitória e Banda Didá

Show de abertura: Electrotimba

Local: Museu du Ritmo (Comércio)

Ingressos: R$ 80

Espaço Cultural da Barroquinha recebe mostra Orixás da Bahia

Como parte da programação do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, celebrado no dia 21 de janeiro, o Espaço Cultural da Barroquinha reinaugurou neste domingo a Fonte de Oxum e a exposição Orixás da Bahia. Abertas à visitação gratuita, sempre de quarta a domingo, das 14h às 19h, tanto a exposição quanto a fonte poderão ser visitasas por período ainda indefinido. As iniciativas buscam o fortalecimento cultural e religioso das religiões de matriz africana em Salvador.

A exposição Orixás da Bahia é uma mostra composta por 16 estátuas confeccionadas em papel marchê e em tamanho natural de divindades africanas, esculpidas pelo já falecido artista plástico Alecy Azevedo. As obras integram o acervo do Museu da Cidade e ficarão expostas na Galeria Juarez Paraíso. Na década de 70, a Iyalorixá Mãe Menininha do Gantois foi responsável por vestir os orixás que integram a Orixás da Bahia, quando a mostra foi apresentada pela primeira vez.

O trabalho de restauração das vestimentas, adereços e ferramentas usadas pelas divindades representadas na mostra foi projetado e executado por Maurício Martins (aderecista e figurinista), Jane Palma (gerente de Biblioteca, Livro e Leitura da FGM) e pelas costureiras Joselita França, Alzedite Santos e Jucélia Santos.

Já a Fonte de Oxum, localizada na lateral externa do Espaço Cultural da Barroquinha, foi totalmente reformada e contou com projeto de restauro completo desenvolvido através do Studio Argolo, além do amparo espiritual do sacerdote do Terreiro Kwe Vodun Zo, Doté Amilton.

Festival do Alerta Geral celebra raízes do samba e revela finalistas

O Largo Quincas Berro D’Água, no Pelourinho, recebeu a primeira noite do 2º Festival de Samba do Bloco Alerta Geral, neste domingo (22). Na ocasião, foi realizada a semifinal do concurso que elegerá a melhor composição de samba. Entre os 20 na disputa, 10 foram escolhidos para seguir às finais, nesta terça (23), no mesmo espaço.

“Nosso objetivo é dar oportunidades aos novos compositores e também à velha guarda de colocar os seus sambas na rua. A Bahia tinha uma tradição muito forte de festivais, que com o tempo acabou se perdendo. Desde o ano passado, o Alerta Geral retoma esse tipo de festa, abrilhantada por músicas todas inéditas, aqui no Pelourinho, que dá um calor humano ainda maior pro samba”, explica o presidente do bloco Alerta Geral, Zé Arerê.

A produtora executiva Cris Santana revelou detalhes sobre a idealização do evento. “A conversa surgiu quando encontrei um livreto de 1973, do Alerta Mocidade, que foi um bloco que deu origem ao Alerta Geral, e fazia estes antigos festivais de samba. Apresentei a proposta à presidência do bloco e, a partir daí, fomos moldando e concebendo esse evento para revelar novos compositores e trazer a velha guarda do samba que tem muita coisa na gaveta”.

Como curiosidade, Cris conta que o vencedor do 1º Festival de Samba do Alerta Geral, Luiz Bacalhau, foi também vencedor no ano de 1974 do antigo festival do Alerta Mocidade. O Festival de Samba do Alerta Geral tem o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura (Secult).

Concurso

O júri foi formado por Henrique Negro, coordenador de alas de canto de antigos blocos de samba; Newton Dias, dirigente do Bloco Carnavalesco Reduto do Samba; Andrea Alves, cantora, professora de teoria musical, preparadora vocal e solista da Neojiba; Geraldo Lima, escritor, compositor premiado, autor do clássico 'Deusa do Ébano' e do livro 'Carnaval de Salvador e suas escolas de samba'; e Rubinho de Ávilla, professor de música, instrumentista, compositor, produtor musical com trilhas sonoras para teatro, cinema e TV.

Durante a contagem de votos, o Grupo Miudinho tomou conta da festa, apresentando composições autorais e grandes sucessos do samba. O show teve uma pausa para o anúncio dos dez compositores que disputarão a final nesta terça-feira (23), às 20h. Com ingressos a R$ 20 e R$ 10, além das apresentações das músicas em competição, a noite terá as participações do grupo Bambeia e do sambista carioca Délcio Luz.

  • Confira abaixo a relação das dez canções classificadas para a disputa final:

Cartão Postal (Marco Poca Olho, Alexandre Babilônia e Lito Pata Pata)

Chuva de Paixão (Firmino de Itapoan, Jorginho Pereira, Paulinho Rezende e Osmar Santos)

É Refresco (Antônio Reis Silva Almeida e Valney Sousa dos Santos)

Foi Assim (Elizangela da Cunha)

Juramento (Firmino Neto e Carmen Anunciação)

Me leva meu amor (Antônio José Marques e Ailton Muniz de Jesus)

O samba me chamou (Alfeu Neto)

Perfil de Cinderela (Sidnei Silva dos Santos, Ueldon Nascimento Pereira e Djavan do Carmo Santos)

Transbordando de emoção (Luiz Bacalhau)

Vontade de sambar (Francisco Alberto Ferreira Valadares)

 

Fonte: Bahia Já/Correio/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!