25/01/2018

Feira: Lançamento do projeto A Memória Cantada, nesta quinta

 

Acontece nesta quinta-feira, 25 de janeiro, o lançamento do projeto A Memória Cantada, que será realizado no espaço Cidade da Cultura, em Feira de Santana, ao longo do primeiro semestre do ano. O evento é gratuito e começa às 20h com a apresentação musical do mestre Asa Filho e a presença da museóloga Lise Marcelino Souza.

O projeto tem duração até junho, com shows mensais e exposições que visam preservar e fortalecer importantes manifestações culturais no interior da Bahia, como o artesanato, a capoeira e o cordel. Entre os artistas que irão se apresentar no palco da Cidade da Cultura ao longo desses seis meses estão a banda Escola Pública, os grupos Quaternária e Psicordélico, Neném do Acordeon, e o Terceto de Pau e Corda, além de grupos de Ternos de Reis da região. Como parte da programação, a artesã Marilene Bonequeira e o folheteiro e cordelista Jurivaldo Alves são alguns dos convidados a expor durante a realização do projeto, que conta com a produção audiovisual do cineasta Ícaro de Oliveira.

Realizado em um espaço que contribui para preservação da memória da cultura sertaneja, mantendo vivos elementos característicos da região e da história da cidade de Feira de Santana, A Memória Cantada é um projeto financiado pelo Governo do Estado através do Fundo de Cultura e do Edital de Dinamização de Espaços Culturais, promovido pela Secretaria da Fazenda e pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Por isso, com as apresentações artísticas, o projeto visa contribuir para a dinamização da Cidade da Cultura, fomentando a manutenção de um ambiente que dialoga com a memória da região e seus símbolos.

  • Serviço

Lançamento do Projeto A Memória Cantada

Quando: Quinta-feira, 25 de janeiro, às 20h.

Onde: Espaço Cidade da Cultura

Endereço: Rua H, Conjunto João Paulo II, Feira de Santana – BA.

Mais informações: facebook.com/amemoriacantada

Feira: União é condenada a indenizar mulher por emitir CPF a homônima

A União foi condenada a pagar indenização de R$ 10 mil a uma mulher, por danos morais, por expedir uma segunda via de CPF, de forma errada, a uma pessoa com o mesmo nome que o dela.

A expedição da segunda vida do CPF da autora da ação ocasionou diversos prejuízos a ela, como inclusão em rol de maus pagadores e concessão de benefício previdenciário à pessoa homônima.

A 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) confirmou sentença da 1ª Vara da Subseção Judiciária de Feira de Santana.

A União havia recorrido da decisão de 1º Grau, afirmando a autora possui duas homônimas, com mesma data de nascimento, todas com número próprio de CPF, mas que nenhuma delas requereu emissão de segunda via de seu documento.

A apelante sustentou ainda que não restou demonstrado qual seria o dano moral sofrido pela autora, havendo, na espécie, mero aborrecimento.

De acordo com o relator do caso, desembargador federal Jirair Aram Meguerian, esclareceu que os documentos apresentados nos autos do processo demonstram que uma pessoa homônima à apelada, residindo em localidade distinta, teve acesso a documento com CPF da mulher emitido pela Receita Federal.

“Assim, tenho que a existência de equívoco na emissão do CPF da autora restou induvidosa”, afirmou o relator.

O magistrado salientou ainda que a mera inscrição indevida em rol de maus pagadores, por si só, é hábil a causar violação ao direito da personalidade, mais especificamente no que diz respeito à honra objetiva e à boa fama.

Por isso, o desembargador entendeu que não merece prosperar os argumentos da União de inocorrência de danos morais, pois nesse caso os danos são presumíveis.

FPI avalia proposta de fiscalização a trio elétrico antes de entrar no circuito, na Micareta 2018

Os trios elétricos devem ser submetidos a uma fiscalização antes de entrar na avenida, durante a Micareta 2018, que acontece em Feira de Santana no período de 18 a 21 de abril. A proposta foi apresentada em reunião da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI), pelo representante, no órgão, da 3ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), José Bezerra. O encontro, realizado na terça-feira, 23, foi o primeiro da FPI visando a festa popular deste ano.

Convocada pelo secretário de Cultura, Esporte e Lazer do município, Edson Borges, a reunião realizada no auditório da Secretaria Municipal de Saúde contou com as presenças de dirigentes da Superintendência Municipal de Transito (SMT), Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Secretaria de Saúde, Desenvolvimento Social, de Desenvolvimento Urbano, Administração, Serviços Públicos, Meio Ambiente, Bombeiros, SAMU, Departamento de Polícia Técnica, Polícia Militar, Coelba e Defesa Civil e Secretaria de Comunicação Social.

O representante da Ciretran justificou a necessidade de uma fiscalização momentos antes dos trios elétricos adentrarem o circuito Maneca Ferreira - mesmo havendo rigorosa vistoria desses veículos, por equipes especializadas, dias antes da festa, para que possam ser liberados ao evento: “É devido a defeitos observados com alguns trios no ano passado, durante o trajeto”.

José Bezerra também considera importante, e fez nova sugestão neste primeiro encontro da FPI em 2018, que aconteça uma “fiscalização de pista”, que previne a ingestão de bebidas alcóolicas por motoristas, durante o trajeto. As propostas devem ser avaliadas pela cúpula da Fiscalização Integrada.

A FPI é uma ação de cunho institucional e fiscalizatório, desenvolvida em conjunto com diversos órgãos para executar uma fiscalização específica em um segmento do mercado, uma atividade econômica ou em alguma outra área de interesse da sociedade.

Foliões e pessoas que trabalham na festa são alvo da segurança

O secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, analisa que o encontro foi positivo, tendo como base a quantidade de informações levantadas pelos presentes. “A nossa maior preocupação é com a segurança dos foliões e das pessoas que trabalham durante a Micareta”.

Segundo o secretário, à medida que o início da festa se aproxima, outras reuniões acontecerão. No ano passado foram realizadas três. “Dúvidas e soluções para os problemas que aparecerão durante este processo serão esclarecidas nestes encontros”.

Feirense que venceu o Hackathon Salvador organiza evento local

O feirense Jonata Weber, um dos integrantes da Ragatanga, equipe vencedora do Hackathon na Campus Party realizada em Salvador em 2017 na categoria Mobilidade Urbana, será um dos organizadores do evento em Feira de Santana, uma realização da Prefeitura Municipal através da Fundação Egberto Costa.

O Hackathon local acontece nesta sexta (26) e sábado, nas dependências do Sesi, localizado no Alto do Cruzeiro, tendo como foco soluções em tecnologia para a área de Segurança Pública. É uma maratona de 48 horas entre programadores e produtores de softwares que, em grupo, buscam as melhores soluções para determinadas problemáticas.

Às vésperas do esperado encontro de tecnologia, Weber participou, esta semana, de uma reunião no gabinete do prefeito em exercício, Colbert Martins Filho, em que participaram também o secretário de Turismo, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Antonio Carlos Borges Júnior; o secretário de Prevenção a Violência, Pablo Roberto; o representante da Fundação Egberto Costa, Basílio Fernandez; e representantes da Polícia Militar. O objetivo foi discutir os detalhes logísticos do encontro.

De acordo com a organização, o Hackathon Feira de Santana terá 63 participantes inscritos. O contingente é dividido em 14 equipes, sendo 10 com cinco membros; 2 com 4; uma com três integrantes e um outro com apenas dois.

Aplicativo sobre itinerário dos ônibus, a ideia premiada na capital

A solução apresentada pelo grupo do qual fez parte o feirense Jonata Weber [na foto acima], no Hackathon Salvador, para vencer a competição, foi um aplicativo que permite ao passageiro, saber o itinerário dos ônibus de uma maneira diferente. “Ao invés de ter um GPS em cada veículo, nós criamos uma aplicativo que permite ao próprio passageiro compartilhar a sua localização”, diz ele.

Do outro lado, acrescenta, alguém que estivesse esperando um ônibus saberia quanto tempo o ônibus demoraria para chegar até o ponto. Mas, segundo ele, o que o garantiu o prêmio foi um outro diferencial. “Nós também desenvolvemos uma plataforma. Um painel que permite ao governo saber, por exemplo, qual o fluxo de deslocamento de pessoas dentro da cidade”.

Ele explica a praticidade, com um exemplo: “Quantas pessoas passam pela Getúlio Vargas em um determinado intervalo de tempo? É possível saber através desse compartilhamento de localização. Isso é interessante pra eles por que pode ajudar no planejamento e tomadas de decisões de logística urbana”.

Jonata ganhou ingressos para a Campus Party 2018 como prêmio por ter vencido a Hackathon em 2017 e segue para São Paulo na semana que vem, juntamente com sua equipe.

 

Fonte: SecultBa/BN/Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!