31/01/2018

Feira: Novembro Negro terá novidades em 2018

 

A Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer está elaborando um novo projeto para o Novembro Negro, objetivando uma programação de maior impacto perante o público. O assunto foi um dos temas tratados durante reunião com representantes do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento das Comunidades Negras e Indígenas (COMDECINI), ocorrida nesta segunda-feira, 29, na sede da Secel. Os detalhes do novo projeto ainda não foram revelados.

Na oportunidade o Conselho apresentou algumas demandas ao secretário Edson Borges. Dentre elas, a realização de mais seminários no decorrer do ano. Segundo a presidente do Conselho, Lourdes Santana, há uma carência de conhecimento do povo negro feirense sobre sua própria historicidade e a realização de mais eventos voltados para a vertente afro se fazem necessárias para sanar esta lacuna.

O secretário se mostrou aberto a novas reuniões para discutir realização desses seminários. Diversas pautas foram discutidas, como a possibilidade de aprimoramento do segmento afro no conselho de cultura, solicitação de camarim das atrações do palco quilombola na micareta, ambulância no local do palco, etc.

Também participaram da reunião o diretor Financeiro do COMDECNI, Ezequiel da Silva; a conselheira e suplente da presidente, Geovana Silva; a chefe da Divisão de Promoção da Igualdade Racial da Sedeso, Faraildes Ribeiro; conselheira e suplente da 2ª secretária, Lidiane Almeida; o primeiro secretário do Conselho e representante da Secel, José Fernando; o representante da capoeira, Antônio de Almeid; e Antônio Campos, funcionário terceirizado do setor de projetos da Secretaria de Cultura.

Estrada da Serra de São José, local para prática do voo livre, será concluída em dois meses

Os adeptos do voo livre na Bahia já estão usando automóvel para cumprir parte do percurso até a Serra de São José, local no distrito Maria Quitéria, em Feira de Santana, bastante frequentado pelos praticantes de voo livre - parapente, paramotor e asa delta. A estrada que está sendo feita pela Prefeitura Municipal está 70 por cento concluída.

A empresa Solidez, responsável pelo trabalho, por contrato deve entrega-la totalmente pronta em maio, mas existe a possibilidade de que isto aconteça em dois meses. As pessoas já estão usando o trecho pronto da estrada.

Na manhã de domingo (28), o prefeito em exercício de Feira de Santana, Colbert Martins Filho, esteve visitando a Serra de São José, para verificar o andamento da obra, em companhia do secretário municipal de Gestão e Convênios, Ozeny Moraes

São quase cinco quilômetros de extensão. De carro o trajeto vai ser feito em 10 minutos. As pessoas vão ficar a apenas 70 metros da “rampa natural”, um lajedo usado para decolagem.

Após a obra da estrada, a Prefeitura vai iniciar obras de melhorias no alto da Serra de São José. Quiosques, sanitários e estacionamento vão ser construídos no local. Em uma próxima etapa do projeto de qualificação da pista de voo feirense, está previsto erguer ali um mirante.

Investimento vai colocar Feira no circuito nacional de competições

“Esta estrada vai colocar Feira de Santana em competições importantes de voos livres, tanto em termos regionais como nacionais”, afirmou o prefeito em exercício, Colbert Filho. Segundo ele, a nova estrutura que está sendo adequada, com a estrada, os quiosques, sanitários e estacionamento vão estimular os desportistas a frequentar mais o local e utiliza-lo para disputas de alto nível.

Para Colbert, o investimento do Município no espaço vai dar retorno turístico para Feira de Santana. “O local dispõe das condições climáticas ideais, que são fatores importantes para atrair os praticantes destes esportes. O topo da serra está a cerca de 500 metros do nível do mar. As bolhas de ar quente que existem nesta região são consideradas favoráveis para manter os esportistas voando por mais tempo”.

Fim de caminhada de duas horas, com equipamentos às costas

Quem também esteve visitando a Serra de São José neste fim de semana foi o presidente da Associação do Voo Livre e Paramotor da Regiao Metropolitana de Salvador, Paulo Guimarães (foto). Ele está entusiasmado com as perspectivas que se abrem a partir da construção da estrada: “Vai facilitar enormemente o acesso ao topo da serra”.

A estrada significa o fim da caminhada de aproximadamente duas horas, com equipamentos às costas, para os esportistas que se dirigiam ao topo da serra. “A gente chegava lá cansado”, observa Guimarães, se referindo a dificuldade do percurso a pé para chegar ao topo. Ele destacou a qualidade da pista de voo. “Temos uma das melhores pistas de toda a Bahia, e agora, com estrutura para sediar grandes eventos”.

Local deve se tornar opção turística no município

A estrada, que está sendo finalizada, mais a construção de quiosques, sanitários e estacionamento no alto da Serra de São José pode abrir caminho para um processo de valorização das terras naquela região, prevê o secretário de Gestão e Convênios, Ozeny Morais. “Aquela área, no futuro, deverá se tornar espaço de pousadas e restaurantes. Será uma opção turística no município”, estima. O secretário observa que esta é uma primeira etapa do projeto.

Segundo ele, na estrada, em locais para onde a água da chuva converge serão colocadas manilhas que garantirão o trânsito dos veículos, além de mata-burro nos pontos da estrada que dividem propriedades – maneira de impedir que animais passem de um lado para o outro.

Térmicas locais favorecem a voos de longa distância

Uma das pioneiras na prática de voo na serra, Karoline Oliveira analisa um futuro melhor para este esporte em Feira de Santana, principalmente no tocante a eventos e competições importantes, a partir das melhorias que estão sendo realizadas pela Prefeitura Municipal na estrutura da Serra de São José. “As térmicas locais são as melhores para os voos de longa distância, quando são percorridas centenas de quilômetros. São ideais para a quebra de recordes”.

Armadilha para pegar mosquito é instalada em fazenda onde jovem morreu de leishimaniose

A comunidade Fazenda Agua Grande, distrito Maria Quitéria, onde residia o agente de portaria Antonio Cesar da Silva, 34 anos, que morreu vítima de leishimaniose na semana passada, recebeu nesta segunda-feira (29) a visita de profissionais da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde. O local está sendo alvo de ações preventivas por parte do órgão.

A bióloga Rosemeire Dourado e o gerente de endemias, Edvaldo Correia, conversaram com familiares da vítima, para orienta-los sobre formas de prevenção contra o mosquito transmissor da doença – o inseto é infectado ao picar cães contaminados, principalmente.

No local foram instaladas armadilhas denominadas CDC, uma espécie de coletor luminoso que atrai mosquitos. Quando o inseto tem contato com o equipamento, em funcionamento durante a noite. Nesta terça, o objeto vai ser recolhido, para análise dos mosquitos capturados. O objetivo é prender a espécie conhecida como mosquito palha, transmissor da leishimaniose. A identificação é feita no laboratório de entomologia, no Centro de zoonoses.

A comunidade também foi orientada a observar sobre sintomas característicos de calazar nos cães (perda de peso acentuada, feridas no focinho ou orelhas, sangue nas fezes crescimento acentuado das unhas).

Cães da região vão ser examinados nos próximos dias

Além da captura de mosquitos, a Vigilância Epidemiológica também pretende realizar, na comunidade onde residia o agente de portaria morto por leishimaniose, um inquérito canino. É um trabalho que consiste na realização de teste rápido em cães. Material colhido nos animais é encaminhado ao Lacen, que examina e informa se estão infectados pelo inseto.

Segundo a diretora da Vigilância Epidemiológica, Francisca Lúcia de Oliveira (foto), nesta terça-feira ela vai manter contato com o Núcleo Regional de Saúde (antiga Dires), órgão estadual responsável pelo fornecimento de kits para realização do inquérito canino.

Tio da vítima diz usar repelente “dia e noite”

Amilton Santana, pedreiro, tio da vítima Antonio César da Silva, disse que a presença da equipe da Secretaria Municipal de Saúde é algo tranquilizador para a família. “Essa ação nos deixa mais sossegados. Queremos saber se esse inseto continua presente aqui na região e com o coletor que está sendo instalado teremos a resposta”, diz ele, que garante estar usando repelente dia e noite para se proteger.

Casa a casa, agentes vão borrifar inseticida em áreas de risco

O gerente de endemias da Secretaria Municipal de Saúde, Edvaldo Correia (foto), esteve presente na Fazenda Água Grande para auxiliar na ação do Departamento de Vigilância Epidemiológica, prevenindo a comunidade contra o mosquito palha, transmissor da leishimaniose. Ele disse que o combate ao inseto em Maria Quitéria é feito desde 2016. Nos próximos dias, assinalou, um trabalho de borrifação de inseticida acontecerá “casa a casa” em áreas consideradas de risco no distrito.

Paredes do pavimento térreo do novo CMDI já foram levantadas

A nova sede do Centro Municipal de Diagnóstico por Imagem (CMDI) Dr. Eugênio Laurine, que está sendo construída pela Prefeitura de Feira de Santana, no bairro Baraúnas, deverá estar pronta dentro de seis meses. Atualmente os trabalhos estão concentrados na armação das vigas e da laje, para que em breve sejam iniciados os serviços no pavimento superior. Todas as paredes do térreo já foram levantadas.

A unidade será composta de três pavimentos. Terá uma estrutura moderna e ampla, com elevador e ambiente totalmente climatizado, para proporcionar conforto aos seus usuários. O engenheiro da Construtora Simões Estrela, empresa responsável pela obra, Hannockeff Boness, informa que as instalações hidráulicas do térreo também já foram concluídas. 

Salas de raio-X terão revestimento com bário

As salas de exames de imagem – Raio X, mamografia e tomografia – onde ficarão os equipamentos que emitem radiação, terão revestimento baritado (mistura de argamassa e bário), que é ideal para proteção radiológica. O equipamento vai funcionar como uma clínica multiuso, onde deverão ser ofertadas algumas especialidades médicas, a exemplo de neurologia, urologia e cardiologia. 

O espaço contará com quatro salas de ultrassom, uma sala de Raio X, uma de mamografia, uma de densitometria, dois consultórios médicos, uma sala de endoscopia, uma sala de recuperação pós-anestésico, uma sala de ecocardiograma, uma sala de eletrocardiograma, espaço para guardar objetos, almoxarifado, dois sanitários no térreo, laboratório de processamento de filmes. O investimento envolve recursos da ordem de R$ 1.061.137,37 mi.

Mais de 75 mil exames realizados em 2017

A construção da sede própria do CMDI representa um grande avanço para a saúde de Fera de Santana. Atualmente o equipamento, que é administrado pela Fundação Hospitalar de Feira de Santana, funciona num prédio alugado na avenida Maria Quitéria. Somente no ano passado realizou 75.225 exames, como ultrassonografia, mamografia, eletrocardiograma e Raio X.

 

Fonte: Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!