04/02/2018

Evangelista Nick Vujicic critica a Teologia da Prosperidade

 

Nick Vujicic é conhecido no mundo inteiro. Seus inúmeros vídeos, onde aparece realizando tarefas inimagináveis para quem nasceu praticamente sem os dois braços e as duas pernas, chamam atenção pela forma como esse “grande pequeno homem” encara às suas limitações físicas.

Porém, uma coisa explica a forma como Nick Vujicic lida com essas dificuldades. É a sua enorme fé em Jesus Cristo. Enquanto alguns o conhecem como “palestrante motivacional”, outros sabem que Vujicic, na verdade, é um evangelista e missionário comprometido com a pregação do evangelho cristão.

Em uma pregação no último domingo (28) na Igreja Shepherd’s Grove, na Califórnia (EUA), Vujicic falou sobre como a Teologia da Prosperidade têm prejudicado as regiões menos desenvolvidas do mundo: “O evangelho da prosperidade invalidou dois continentes como nós falamos, África e América Latina”, disse ele ao The Christian Post, se referindo ao conteúdo dessa corrente teológica.

Vujicic explicou que ao pregar o evangelho da prosperidade, os líderes deixam de ensinar o que a Bíblia realmente orienta, o que ocasiona uma espécie de fé imatura e sem fundamentação doutrinária: “É momento de voltarmos para o básico”, disse ele.

A razão de regiões como a África e a América Latina serem os mais prejudicados se deve ao maior número de pobreza. Pessoas mais carentes, ou de pouco conhecimento, leigas, ao ouvirem promessas de “riqueza” e “prosperidade”, são seduzidas com mais facilidade pelo desejo de se tornarem financeiramente prósperas. Todavia, isso não significa relacionamento com Deus, muito menos o objetivo principal do evangelho.

“De acordo com as Escrituras, todo seguidor de Cristo deve estar pronto para dar conta do por quê você acredita no que acredita”, disse Vujicic. “Quero que as pessoas sejam salvas e transformadas, mas como elas serão transformadas sem ouvirem o Evangelho, e como irão ouvir o Evangelho sem alguém pregá-lo?”, questiona o evangelista.

Nick Vujicic nasceu sem pernas e braços devido a rara síndrome Tetra-amelia. Aos dezessete anos, Vujicic iniciou sua própria organização sem fins lucrativos chamada Life Without Limbs (em português: Vida sem Membros), onde através dela já ajudou milhares de pessoas ao redor do mundo.

Mercado gospel movimenta R$ 21,5 bilhões e gera 2 milhões de empregos

O crescimento do número de evangélicos no país está impactando não apenas a cultura e a política, mas também o grande mercado financeiro. Com a expectativa de somarem 55 milhões de pessoas nos próximos anos, segundo o IBGE, o segmento é uma oportunidade de empreendimento para grandes e pequenos investidores.

“Estimamos que os evangélicos movimentem cerca de R$ 21,5 bilhões por ano. É um público com bom poder de consumo, pois vive uma vida mais regrada e não gasta com bebida, cigarro ou balada”, disse Marcelo Rebello ao Terra, presidente da Abrepe (Associação Brasileira de Empresas e Profissionais Evangélicos), que também estima haver cerca de 2 milhões de empregos gerados por esse segmento.

A costureira Zilda, ou “Senhorita Z”, como é conhecida nas redes, é um exemplo desse mercado que reflete a necessidade de um público cada vez mais voltado para sua cultura e valores. Residente em Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, Zilda fabrica cerca de 300 peças de roupas por mês, atendendo clientes de várias partes do Brasil e até do exterior.

“Já me procuraram do México, da Colômbia e de vários Estados brasileiros (…), quem tem um Deus grande precisa sonhar grande. Ninguém explica o que ele faz”, disse ela ao Jornal do Comércio.

Com mais de 55 mil seguidores do Instagram, ela tem a meta de criar uma coleção exclusiva, criar uma loja virtual para venda em atacado e alcançar 100 mil seguidores.

Outra grande representante do mercado gospel é a livraria Luz e Vida, uma rede de livros paranaense que encontrou seu maior sucesso no Estado de Pernambuco, onde possui oito lojas e planeja abrir mais duas.

“Hoje as livrarias precisam oferecer mais do que produtos aos clientes, por isso nossa proposta é oferecer uma experiência. O projeto das novas lojas conta com auditórios para realizar palestras e projetos culturais junto à comunidade”, disse o gerente nacional da empresa, pastor Glevison Soares.

Por fim, além dos produtos físicos, o mercado evangélico cresce também nas plataformas virtuais, com investimentos em aplicativos, redes sociais, games, além de filmes e desenhos voltados para a população cristã. É um setor que está se mostrando promissor para muitos empreendedores e a expectativa é que se mantenha sustentável por muito tempo.

Ministério Diante do Trono completa 20 anos de existência e celebração ao Senhor

Considerada uma das maiores referências da música gospel nacional, o Ministério Diante do Trono completou na última quarta-feira (31) nada mais, nada menos, do que 20 anos de existência. Suas músicas já ultrapassaram as fronteiras do Brasil e hoje são reconhecida em várias partes do mundo, confirmando a trajetória de vitórias e bençãos trazidas por Deus ao grupo.

Já são vinte álbuns ao vivo, nove álbuns infantis e quatro álbuns de estúdio, além de vários trabalhos na TV e mídias digitais. O Ministério Diante do Trono surpreende não apenas pela forma como Deus falou ao coração de milhões de pessoas ao longo desses vinte anos, por meio das músicas e ministrações, mas também pelos números.

O primeiro CD, gravado em 1998 na própria Igreja Batista da Lagoinha, berço do Ministério, não fazia alusão ao que se tornaria pouco tempo depois o grupo. A intenção na primeira gravação foi arrecadar recursos para um projeto missionário, alvo do DT até hoje. Desde então, ano após ano, o DT continuou gravando CDs e os números não paravam de crescer.

Já no terceiro álbum, “Preciso de Ti”, gravado em 2001 no estádio Mineirão, em BH, ou seja, pouco mais de três anos após o primeiro CD, mais de 210 mil pessoas compareceram ao evento.

Um salto surpreendente de público aconteceu em 2003, quando 2 milhões de pessoas compareceram na gravação do CD “Quero me Apaixonar”, no Aeroporto Campo de Marte, em São Paulo.

De lá para cá o Ministério Diante do Trono ingressou no cenário nacional, não apenas evangélico, mas também secular. Suas músicas de adoração ao Senhor Jesus Cristo passaram a fazer parte da lista de louvor congregacional da maioria das igrejas.

Os trabalhos mais recentes, “A Canção do Amor” (2008), “Tua Visão (2009), “Aleluia” (2010), “Sol da Justiça” (2011), “Creio” (2012), “Renovo” (2013), Tu Reinas (2014), “Tetelestai” (2015), “Imersão” (2016) e “Deserto de Revelação” (2017), inauguraram uma fase nova para o grupo, com gravações fora do país, nas regiões bíblicas de Israel. Torcemos para que esse marco signifique o início de mais 20 anos de carreira.

 

Fonte: Gospel+/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!