06/02/2018

Bahia: Aprovados em concurso da Assembleia convocam protesto

 

Candidatos aprovados em concurso da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) convocaram uma manifestação para esta terça-feira (6), no Centro Administrativo da Bahia, para cobrar o cumprimento de decisão judicial que obriga a Casa a nomear os selecionados no certame e desligamento do mesmo número de contratados temporários pelo Regime Especial de Direito Administrativo (Reda).

Na última semana, o presidente da AL-BA, Ângelo Coronel (PSD), tratou a ordem da Justiça como uma “interferência” do Judiciário no Legislativo e ironizou a reivindicação do grupo, ao sugerir que é preciso “estudar mais” para o próximo concurso.

No último dia 22 de janeiro, o juiz Glauco Dainese de Campos, da 7ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, chegou a determinar o bloqueio de R$ 10 milhões da Assembleia até que a decisão fosse cumprida, inclusive com a apresentação de uma lista dos Redas.

Quatro dias depois, o valor foi desbloqueado pela desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, à época ainda presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

MP-BA abre investigação contra delegado-geral da Polícia Civil

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) abriu um procedimento de investigação preliminar (que antecede o inquérito civil) contra o delegado-geral da Polícia Civil, Bernardino Brito Filho, após denúncias da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado da Bahia (Adpeb/Sindicato). A informação consta no Diário Oficial da Justiça desta segunda-feira (5).

Bernardino Filho, que assumiu o posto em fevereiro de 2015, é suspeito de praticar atos de improbidade administrativa. Segundo o presidente Adpeb, Fabio Lordello, o delegado-geral fez “constantes remoções injustificadas”.

“Como operadores do Direto sabemos que a remoção de ofício ocorre por iniciativa da administração, porém, o mesmo deve obedecer aos princípios da legalidade, moralidade, publicidade, impessoalidade e eficiência. Porém esses atos vêm, continuamente, sendo publicados no Diário Oficial sem a devida motivação, gerando demandas judiciais desnecessárias”, disse, ao ressaltar que as remoções provocam prejuízos “morais e financeiros”.

'Meramente político', diz defesa de mulher acusada de racismo contra Olivia Santana

A defesa de Neilda Giroldelli afirma que o episódio do último sábado (3) envolvendo a secretária Estadual de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Olivia Santana, foi "meramente político".

A mulher é acusada de racismo, depois de ter dito que Olivia era uma "comunista" e por isso deveria voltar para favela, conforme relato de Olivia em seu perfil no Facebook.

O caso aconteceu no Hotel Catussaba, durante evento 'Folia do Batom'.

Neilda foi levada para a Central de Flagrantes, onde um boletim de ocorrência foi registrado. Ela foi liberada após pagar fiança, cujo valor não foi revelado pela defesa. "O caso não é de racismo, é convicção política. Não há racismo ou injúria quando a pessoa não é ofendida. De mais a mais, minha cliente também é negra. Crime de injúria está associado a palavras depreciativas, e não foi usado em nenhum momento palavras depreciativas", disse Cibele Soares, em contato com o Bahia Notícias por telefone.

A advogada disse que, na visão de sua cliente, o socialismo é "pessoas pobres que vivem em comunidade", "que não era pra estar numa festa de pessoas capitalistas", "que deveria estar no guetto".

Neilda responderá processo por injúria racial, mas, segundo Clarice, ela deverá ser inocentada. "Acho que não cabe esse crime pra ela, tendo em vista que ela não usou palavras depreciativas nenhuma contra a secretária", reforçou.

'Não respondo a este tabloide', diz Rui, após rumores de saída de Barbosa

O governador Rui Costa comentou o rumor de que o secretário de Segurança Pública do Estado (SSP-BA), Maurício Barbosa, deixaria o governo após o Carnaval, conforme divulgado pela coluna Satélite, do jornal Correio.

“Aquilo não é um jornal, aquilo é um tabloide de uma família, então normalmente não respondo a este tabloide. Não é um jornal, é um veículo de comunicação de uma pessoa que controla o jornal”, em menção indireta ao prefeito ACM Neto, seu adversário político.

A afirmação aconteceu no último sábado (3), durante coletiva em Santa Maria da Vitória. Barbosa está à frente da SSP desde janeiro de 2011.

Nas versões apontadas pela Satélite, o próprio secretário teria pedido a exoneração, por cansaço da longa passagem pelo cargo. Outra versão dá conta de que sua saída esteja relacionada a supostas denúncias que atingem policiais escolhidos para compor um grupo de elite na SSP.

Rui e ACM Neto começam 2018 com discurso cansativo e concordam: Há muito a fazer por Fernando Duarte

A última semana foi marcada pela reabertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa da Bahia e da Câmara de Vereadores de Salvador.

Apesar de um evento dos legislativos, os protagonistas foram o governador Rui Costa e o prefeito ACM Neto, que apresentaram as conquistas dos últimos anos e as expectativas para o futuro.

Porém os discursos de ambos não foram empolgantes – para não dizer que foram, de algum forma, entediantes.

Ainda assim, registremos que o tom das falas reflete exatamente o comportamento dos gestores.

Enquanto Rui foi protocolar, ACM Neto conseguiu, ao menos, alfinetar politicamente os adversários.

Em "defesa" do governador, ao fim de três anos, as conquistas são muitas e elencá-las sem tornar o discurso chato seria uma tarefa difícil. Entretanto nada impede que houvesse ao menos um pouco mais de pimenta, principalmente contra o grupo político que apeou a presidente Dilma Rousseff do Palácio do Planalto, afinal Rui parte do pressuposto de que a aliada foi vítima de um “golpe”.

As reclamações contra um suposto “boicote” do governo federal ficaram tímidas e, diante de uma plateia de políticos, acabou frustrando quem gosta de assistir ao tensionamento entre situação e oposição – cuja bancada, inclusive, fez o único movimento evidentemente político na reabertura da Assembleia, ao deixar o plenário em um protesto invisível, e que só foi percebido após ser divulgado para a imprensa.

Já ACM Neto foi mais explícito como um político profissional. Provocou o governo do Estado, deu recados sobre o futuro nas eleições de 2018 – mesmo que tenha deixado em aberto o próprio futuro – e também fez um resumo das ações dos últimos anos. 

O prefeito teve a vantagem de fazer o discurso um dia depois de Rui e de ter ouvido o quanto o governador optou por um tom sóbrio e pouco provocativo do ponto de vista político.

Ainda assim é difícil acreditar que boa parte da mensagem de ACM Neto já não estava pronta antes do petista discursar.

Apesar das falas terem divergido no tom, houve algo que uniu bem os dois gestores. Governador e prefeito relataram que os moradores do estado e da cidade passaram a ter orgulho de serem baianos e soteropolitanos.

Sorte daqueles que podem, efetivamente, ter acesso aos projetos de ambos, pois Rui e ACM Neto concordaram também com outra questão: ainda há muito o que se fazer.

Rui reitera críticas à gestão ACM Neto: ‘Povo não tem posto de saúde’

O governador Rui Costa (PT) reiterou, na manhã desta segunda-feira (5), as suas críticas à administração do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM).

Em entrevista ao programa “Bahia no Ar”, da TV Record, o petista repetiu que a educação fundamental da capital baiana “tem a menor oferta” e que Salvador tem “a pior assistência básica de saúde” do país.

“O povo [de Salvador] não tem posto de saúde para ir e por isso acaba parando nas emergências dos nossos hospitais. Aí as emergências ficam lotadas com gente que poderia estar nos postos. Essa é uma dificuldade concentra”, criticou.

Rui Costa disse, ainda, que há um “excesso de política” na administração de Neto. “Gestão é uma coisa, política e partido político é outra”, salientou.

Ferraz diz que Geddel o enganou sobre ‘transporte de valores’

A defesa de Gustavo Ferraz alegou que o ex-diretor-geral da Defesa Civil de Salvador foi enganado por Geddel Vieira Lima, que teria usado o fato de comandar o MDB baiano para conseguir alguns favores.

A afirmação está no recurso dos advogados de Ferraz enviado ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), na quinta-feira (1º), para que ele fosse liberado da prisão domiciliar.

“Geddel Vieira Lima utilizou de sua autoridade no PMDB (hoje MDB) para requisitar Gustavo Ferraz fizesse o transporte dos valores, fazendo com que este acreditasse que estava prestando um serviço ao partido, quando, na verdade, tratava-se de interesse pessoal”, disse a defesa de Ferraz.

Na sexta-feira (02), Fachin atendeu ao pedido dos advogados do ex-diretor. Apesar disso, conforme noticiado pelo bahia.ba, ele ainda permanece em casa com sua tornozeleira porque nenhum dos órgãos notificados pelo ministro cumpriu o alvará de soltura.

Vale lembrar que Geddel continua preso no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal.

 

Fonte: Bahia.ba/BN/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!