06/02/2018

Após requalificação, Hospital Geral de Itaparica é entregue

 

Mais de 65 mil baianos de Itaparica e Vera Cruz estão com a saúde mais protegida a partir desta segunda-feira (5), com a inauguração da sala de estabilização do Hospital Geral de Itaparica, entregue pelo governador Rui Costa. A unidade passou por uma reforma que incluiu as duas recepções, revisão da cobertura, pintura, pavimentação externa, limpeza da rede de esgoto, readequação do consultório pediátrico e outras intervenções. Rui também entregou uma ambulância para o hospital e visitou a Feira de Saúde, na porta da unidade, que atende à população até esta terça-feira (6).

“Estamos hoje simbolicamente sacramentando uma nova era do Hospital de Itaparica, com a nova administração contratada da Fundação José Silveira. Esta é a primeira etapa, ainda há muito que ser feito nessa unidade e nós vamos fazer. Vamos seguir reformando o hospital inteiro”, afirmou o governador.

De acordo com a diretora-geral do hospital, Catarina Carreiro, no verão, o investimento de R$ 338 mil reais reforça também a qualidade do atendimento aos turistas, garantindo um atendimento melhor para cerca de 100 mil pessoas, entre moradores da ilha e visitantes. “Essa nova sala de estabilização melhora porque tem todos os recursos e novos aparelhos para o atendimento de emergência do paciente super-grave, com parada cardíaca”.

Regionalização da saúde

Rui aproveitou o evento para conscientizar os prefeitos sobre a importância de se revolucionar a saúde pública no estado da Bahia, por meio da regionalização. Segundo Rui, o modelo de saúde adotado no Brasil, e com mais força no Nordeste do País, multiplicou o número de hospitais, que funcionavam como grandes postos de saúde.

“Com isso, temos praticamente 300 hospitais públicos na Bahia, entre estaduais e municipais. E aconteceu algo engraçado aqui, os grandes municípios não construíram hospitais. Salvador não tem sequer uma casa de parto, uma maternidade. Feira de Santana também não. Por outro lado, todos os pequenos e médios têm hospitais, mas com baixíssima resolutividade, portanto não resolve o problema das pessoas, mas consome grande parte do dinheiro da arrecadação”, afirmou o governador.

O governador destacou que, em outros países, como na Alemanha, que ele visitou acompanhado do secretário Fábio Vilas-Boas, a regionalização da saúde já oferece um atendimento de muito mais qualidade para a população. “A gente tem que unir os municípios, precisamos configurar cada unidade hospitalar com um perfil que evite concorrência. Esta é a filosofia que nós estamos tentando implantar. Não quero fechar as unidades, mas temos que racionalizar custos e definir um perfil para que uma não concorra, mas complemente o serviço da outra para atender melhor e mais barato à população”.

Rui informou que a implantação de policlínicas em todas as regiões do Estado também segue essa filosofia. “Estamos inaugurando agora, neste primeiro semestre, mais duas policlínicas, uma em Santo Antônio de Jesus e outra em Valença, com tomógrafo, ressonância magnética, equipamentos para realizar todos os exames pelo SUS. É preciso que os prefeitos façam logo a reunião e decidam de qual consórcio vão fazer parte para que possamos começar logo a atender a toda a população”.

Feira de Saúde

Coordenadora geral da Feira de Saúde, Edna Ramos, informa que serão atendidas mais de 1,2 mil pessoas nas especialidades de oftalmologia, cardiologia, clínica médica, urologia, pediatria, prevenção de câncer de colo uterino e odontologia, entre outras. Ela destaca que é preciso apresentar a documentação e o cartão do SUS. Para a ultrassonografia é necessário também a requisição médica. No caso do diagnóstico de alguma doença, a pessoa será encaminhada para o tratamento.

A aposentada Maria Rita dos Santos, 72 anos, fez exame de vista e descobriu cataratas nos dois olhos. Ela diz o que, se não fosse a Feira de Saúde, seria necessário. “Dinheiro. Para fazer o exame e o tratamento, eu precisaria de dinheiro talvez até para ir para outra cidade. E com a Feira de Saúde, eu posso fazer todos os exames de graça. E vou fazer o tratamento com urgência, porque eu não quero ficar cega. Eu quero continuar vendo tudo que posso ver, fazendo tudo o que posso fazer”.

Hospital da Mulher estará de prontidão no Carnaval

Um lugar para ser acolhida e receber todo o suporte necessário em casos de violência sexual. O Serviço AME, localizado no Hospital da Mulher, no Largo de Roma, em Salvador, acolhe integralmente as mulheres adultas e adolescentes a partir dos 12 anos que forem expostas a situações de abusos e violência sexual. Composto por equipe multiprofissional, o serviço é formado por médicos ginecologistas, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogas e farmacêuticas, com funcionamento nas 24horas, todos os dias da semana, incluindo finais de semana, Carnaval, feriados e demais datas comemorativas.

Em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado (SPM) o Serviço AME estará com unidade móvel desta quinta a terça-feira de Carnaval (8 a 13), no circuito Dodô, orientando e encaminhando, quando necessário, para o Hospital da Mulher. A ação é uma pactuação com representantes de diversos órgãos da Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres a festa, em Salvador, com o objetivo de oferecer mais proteção às baianas e turistas. Desde o ano passado, o AME é referência em acolhimento no período do Carnaval.

Na unidade, o Serviço AME recebe mulheres por demanda espontânea – também chamada porta aberta – sem necessidade de agendamento prévio e podem ser encaminhadas pela rede de enfrentamento à violência contra a mulher, por meio de órgão judicial e policial, Instituto Médico Legal (IML), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Delegacia Especial de Atenção à Mulher (DEAN’s), Unidade de Pronto Atendimento (UPA’s) e Central Estadual de Regulação da Bahia (CER-BA).

Na Unidade Móvel, assistentes sociais estarão de plantão na unidade móvel também no mesmo período, no circuito Dodô, em Ondina, próximo às esculturas “das gordinhas” esclarecendo dúvidas e realizando o encaminhamento para o Hospital da Mulher, adolescentes e mulheres expostas à violência sexual para o atendimento médico e psicossocial necessário à sua saúde física e mental.

O Serviço AME orienta que o atendimento de emergência – primeiro atendimento – seja realizado em até 72 horas da violência para um melhor prognóstico. A paciente dando entrada na unidade realiza exames laboratoriais sorológicos, profilaxia para HIV e DST's, contracepção de emergência, além de, quando necessário e desejo da mulher, dispõe de acompanhamento a delegacia especializada para registro da ocorrência e exame médico pericial em parceria com o IML. “Embora os atendimentos aconteçam com ou sem o registro do Boletim de Ocorrência (B.O.), a notificação através do documento é importante para maior precisão e eficácia das políticas de reparação”, esclarece a coordenadora do AME, Jamile Martins.

Além do atendimento de emergência, o AME realiza consultas de seguimento multiprofissional por no mínimo seis meses. O Serviço desenvolve cuidado diferenciado às mulheres em situação de violência sexual e em caso de dúvidas e encaminhamentos o contato é pelo telefone (71) 4141-6520 ou e-mail servicoame@gmail.com. Denúncias de violência sexual podem ser feitas pelo Disque 180.

Hospital Regional de Juazeiro realiza mutirão de cirurgias por videolaparoscopia

O Hospital Regional de Juazeiro conta com um dos mais modernos sistemas de cirurgias por videolaparoscopia, procedimento minimamente evasivo, que garante um salto de modernidade na ala cirúrgica da unidade.

Os procedimentos através de videolaparoscopia foram realizados neste sábado (3), com um mutirão, e assegurou diversos benefícios para os pacientes, entre eles: a diminuição de quase 50% no tempo de cirurgia, a possibilidade de recuperação mais rápida do paciente e, consequentemente, a redução do tempo de internação.

Moradora do Distrito de Juremal, Nadja Santana, afirma que procurou o Hospital Regional de Juazeiro porque já esteve na unidade e confia em toda equipe. “Quando soube do mutirão vim imediatamente, recebi todas as orientações, realizei exames e estou muito satisfeita e feliz porque vai agilizar minha cirurgia e de outros pacientes que necessitam”.

Outra paciente atendida neste sábado, Alaíde Alves, do município de Petrolina, avaliou o atendimento como positivo. “Ontem estive aqui no HRJ para realizar uma consulta e nem esperava que seria marcada minha cirurgia para hoje, quando recebi a notícia não acreditei que minha espera acabaria. Esse mutirão é excelente porque beneficia muitos pacientes e acaba com a fila dos que aguardam a bastante tempo “.

Para a direção do HRJ, o serviço por vídeo para a realização das cirurgias, melhora o atendimento do hospital na busca por melhor qualidade dos serviços aos usuários.

A cirurgia por videolaparoscopia apresenta ainda, outras vantagens, em relação ao método convencional. Os principais benefícios são: redução do tempo no pós operatório, recuperação mais rápido do paciente, alta hospitalar que cai de 72 horas para aproximadamente 12 horas. Além disso, pacientes tem menor trauma cirúrgico, baixo risco de infecção e retornam mais rápido para sua rotina.

Produção de insulina de parceira da Bahiafarma é certificada pela Anvisa

O Diário Oficial da União desta segunda-feira (05) traz a publicação do Certificado de Boas Práticas de Fabricação (CBPF) da Indar, parceira ucraniana da Bahiafarma no projeto de produção de Insulinas em território nacional para abastecer o Sistema Único de Saúde (SUS). A certificação, solicitada pela própria Bahiafarma à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), marca mais uma etapa no desenvolvimento da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) entre as empresas, para transferência de tecnologia da produção de insulinas para o Brasil.

O diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, destaca a importância do documento. “Além de eliminar qualquer dúvida que houvesse sobre a qualidade e a seriedade do trabalho da Indar, o CBPF corrobora os acertos tanto do Ministério da Saúde, ao promover novas Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDPs) no Brasil para a produção local de insulina, como forma de estabilizar o fornecimento e os preços do medicamento no País, quanto do Governo da Bahia e da Bahiafarma, ao tornar real o projeto de transferência de tecnologia entre a parceira ucraniana e o laboratório baiano”, afirma.

O acordo tem a perspectiva de beneficiar diretamente milhões de brasileiros que dependem de Insulina para combater o Diabetes, além de promover uma revolução tecnológica e produtiva no Norte-Nordeste brasileiro, ao trazer para a Região a produção do medicamento, que requer uma tecnologia que poucos países no mundo detêm.

A parceria entre Bahiafarma e Indar prevê a instalação da fábrica de insulinas na planta da Bahiafarma em Simões Filho (BA), na região metropolitana de Salvador. “Uma fábrica de insulinas é uma unidade de alta tecnologia e estamos dando todos os passos para atingir a excelência na instalação desta unidade”, afirma Ronaldo Dias. “A Indar tem todo o know-how para nos auxiliar neste processo, que vai resultar na mudança de patamar da indústria farmacêutica no Norte-Nordeste brasileiro, com atração e formação de mão-de-obra altamente qualificada.”

 

 

Fonte: Secom Bahia/Ascom Sesab/Bahiafarma/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!