07/02/2018

Carnaval no Pelô homenageia 220 anos da Revolta dos Búzios

 

O movimento encabeçado por filhos e netos de pardos, negros e mulatos que, em 1798, rebelou-se contra a Coroa Portuguesa e lutou pela liberdade da Capitania Bahia, foi homenageado pela decoração do Carnaval do Pelourinho 2018, no Centro Histórico de Salvador. Trazendo o tema ‘220 anos da Revolta dos Búzios - Igualdade e Liberdade’, a ornamentação especial já pode ser conferida por turistas e baianos que circulam pelo local.

Itens como bonecos gigantes, mãos que simbolizam resistência, mandalas trazendo a figura dos protagonistas do movimento, tecidos com estampa afro, búzios e as características máscaras de Carnaval enfeitam as ruas do Pelô, desde antes do início oficial da folia até o final da festa.

O administrador curitibano Giovani Morais está pela primeira vez em Salvador e acho tudo “bem diferente e com muita cor”. Mãe e filha, as cariocas Aline e Yasmin Costa também estreiam no Carnaval baiano e estão encantadas com o colorido e vivacidade da decoração: “É tudo muito lindo. Fala do nosso antepassado. A gente fica imaginando tudo que se passou até chegar os dias de hoje. É como se a gente estivesse em uma máquina do tempo”, diz Aline.

A Revolta dos Búzios foi decisiva para o futuro do estado, mas acabou de forma trágica, com a morte dos líderes do movimento, que foram enforcados e esquartejados. “A minha maior dificuldade foi passar um momento triste da história para uma festa tão alegre quanto o Carnaval. Então, usei elementos que trouxessem a reflexão de forma bonita e leve. A mão da resistência, por exemplo, é uma peça forte, que está em vários tons para lembrar que não importa a cor”, explica a responsável pela decoração do Carnaval do Pelourinho 2018, a artista plástica baiana Telma Calheira.

Liderada pelos soldados Lucas Dantas e Luís Gonzaga e pelos alfaiates Manuel Fastino e João de Deus, a Revolta dos Búzios, conhecida por outros nomes, inclusive Conjuração Baiana, é um capítulo importante da história da Bahia, ilustrado em livros didáticos usados em todo o País. “Mortos e esquartejados, os quatro homens deram a própria vida pela nossa liberdade. Então, acho absolutamente adequado que, em meio à reflexão, alegria e entusiasmo do Carnaval, a gente possa também aproveitar para aprender um pouco da história do Brasil e da Bahia, através desses personagens”, afirma o historiador Jaime Sodré.

Além da decoração, que é uma atração à parte, o Pelourinho reserva uma programação caprichada nos cinco os dias da folia momesca. O chamado Circuito Batatinha é famoso por levar ao Centro Histórico de Salvador um público cativo, que deseja reviver o tradicional Carnaval. Ao todo, 73 artistas se revezam entre os diversos palcos nos largos e praças para fazer a alegria do folião. A programação completa pode ser conferida pelo site do Carnaval da Bahia.

Lavagem Cultural da Funceb dá início aos festejos de Carnaval no Centro Histórico

A folia no Centro Histórico de Salvador começa nesta quarta-feira (7), às 15h, quando servidores e funcionários da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), realizam a 28ª edição da Lavagem Cultural da unidade, que é vinculada à Secretaria de Cultura (Secult). O evento faz parte do calendário oficial carnavalesco do Governo do Estado e reúne carros alegóricos, afoxés, funcionários, turistas e a população em geral.

Na ocasião serão coroados o Rei e a Rainha da festa - Xandy Avião e Paula Sanffer – cantora da Timbalada. Outra convidada especial é a Deusa do Ébano do Ilê Aiyê, Jéssica Almeida dos Santos, 19 anos, coroada na 39ª edição da Noite da Beleza Negra, na Senzala do Barro Preto, em Salvador.

O evento proporciona um momento de confraternização e integração entre os funcionários da Funceb, baianos e turistas que queiram dançar ao som do axé e demais ritmos carnavalescos. O cortejo sairá do Palácio do Rio Branco, na Rua Chile, ao Largo Pedro Arcanjo, no Pelourinho, e seguirá animado ao som do sopro e percussão da Orquestra do Maestro Reginaldo Xangô.

História

A primeira Lavagem Cultural da Funceb aconteceu em 1989, quando unidade, hoje localizada no Centro Histórico, ainda funcionava na Biblioteca Pública do Estado da Bahia, no bairro dos Barris. De lá para cá, prosseguiu apoiada pela comunidade, funcionários, familiares, convidados e celebridades como Ivete Sangalo, Regina Dourado, Daniela Mercury, Gilmelândia, Carlinhos Brown, Armandinho, Elba Ramalho, Preta Gil, Licia Fabio, Tatau, Levi Lima, Denny, Alinne Rosa, Ana Mametto, entre muitos outros.

Apoiado pelo Governo, Bell Marques abre o Carnaval da Bahia na Barra

O cantor e compositor Bell Marques vai desfilar na quinta-feira (8), no circuito Dodô (Barra/Ondina). O artista se apresenta dentro da programação do Carnaval da Bahia, promovido pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa). A noite ainda contará com a apresentação da banda Babado Novo.

Conhecido pelo carisma, irreverência e forte presença de palco, em menos de um ano Bell já vendeu mais de 300 mil cópias de seu primeiro álbum em carreira solo, intitulado "Vumbora?!", que estreou entre os dez mais da loja brasileira do iTunes. “Sabemos da importância de Bell para a folia baiana, por isso decidimos que ele seria um grande nome para abrir a festa. É um artista que agrada sempre tanto os baianos como os inúmeros fãs que tem por todo o Brasil”, disse o superintende da Bahiatursa, Diogo Medrado.

Sua primeira atuação em cima de um trio elétrico aconteceu em 1979, tocando no bloco Traz os Montes, no Trio Tapajós. Em 1980, Bell passou a integrar a banda Scorpius, que em apenas um ano mudou para Chiclete com Banana. Os inúmeros troféus concedidos em sua carreira fizeram de Bell um dos artistas mais premiados do Brasil.

Em 2014, começou a carreira solo. No palco, apresenta músicas do Chiclete com Banana e sucessos de outros grandes nome, além de canções autorais como Nicolau, Amor Bacana, Louco Amor e Vumbora Vumbora. No trio vai apresentar um show em que cantará sucessos que marcaram época. Big Band é como foi batizada a banda que acompanha Bell em carreira solo. Em cima do palco, ele e seus dez músicos mesclam os clássicos entoados por sua voz com novos elementos.

Barca da Folia faz ensaios pré-carnaval no Pelourinho

O grupo Barca da Folia, que já participou do carnaval de Salvador por quatro anos, finaliza a temporada de ensaios pré-carnaval nesta quarta-feira (7). Com apoio da Superintendência de Fomento ao Turismo do Estado da Bahia (Bahiatursa), a Barca da Folia se apresenta no Largo Tereza Batista, no Pelourinho, às 20h, com entrada gratuita.

A Barca da Folia realizou ensaios desde 24 de janeiro, sempre às quartas-feiras, com um repertório que busca mostrar a riqueza da diversidade musical existente na Bahia através de artistas de significativa expressão e personalidade dentro do universo da música.

Neste ano, o projeto conta com o músico cubano multi-instrumentista e cantor, Mel Semé, como voz principal, com a banda que será arregimentada e dirigida pelo maestro, pianista, compositor, arranjador e produtor musical, Marco de Carvalho, composta pelos músicos Ldson Galter (contrabaixo elétrico); Daniela Penna (percussão); Marcos Santos (bateria); Israel Ramos e Edecarlos (vocais); Marco De Carvalho (teclado); Jurandir Santana (guitarra).

Carnaval: segurança recebe reforço tecnológico com câmeras acopladas às fardas da PM

O reforço da tecnologia é o destaque da Operação Carnaval 2018, da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), que envolve investimentos de R$ 45 milhões, 25 mil policiais e foi apresentada nesta quarta-feira (6), no Hotel Fiesta, em Salvador. Câmeras acopladas ao fardamento de policiais e oito drones serão utilizados pela SSP para acompanhar os foliões nos pontos mais movimentados do Carnaval, que deve reunir dois milhões de pessoas nas ruas da capital baiana.

O titular da SSP, Maurício Barbosa, destacou que a segurança tem sido reconhecida como o melhor serviço público do Carnaval nos últimos anos. “E não é à toa. A Segurança Pública é a área que recebe maior investimento nas atividades de Carnaval. Se compararmos as festas dos últimos dez anos, vamos observar um Carnaval mais seguro, com uma grande experiência adquirida pelas polícias Militar, Civil e Técnica, mais a utilização dessas tecnologias”.

Barbosa informou que, este ano, além dos 25 mil homens e mulheres, haverá um aporte maior de tecnologia. “São 230 câmeras espalhadas pelos circuitos, teremos câmeras acopladas às patrulhas, mandando imagens para o nosso Centro de Operações. Este ano também teremos uma unidade destacada de drones ajudando as polícias Militar, Civil e os serviços de inteligência”.

Ainda segundo o secretário, as câmeras acopladas à farda dos policiais já foram utilizadas na Lavagem do Bonfim e outras festas. “Mas a transmissão é o ponto forte deste teste do Carnaval, devido ao grande número de veículos de comunicação utilizando as redes de transmissão. As imagens serão lançadas para os centros de Comando e Controle e de Comando Móvel”.

Carnaval no interior e nos bairros

Barbosa garantiu que o planejamento não se resume apenas aos circuitos oficiais, mas aos nove bairros da capital onde há folia e aos 39 municípios no interior onde são realizadas festas tradicionais. “Não adianta todo esse preparo se o folião não for para a festa com o espírito de brincar, de paz. É isso que a gente pede, as forças de segurança e os foliões é que fazem, juntos, um Carnaval de paz.

Polícia Militar

O comandante-geral da PM, coronel Anselmo Brandão, anunciou outra novidade nos 42 portais da festa. “Nós iremos utilizar cães farejadores, para identificar drogas que não são percebidas na revista manual”. Segundo ele, desde a implantação dos portais, o número de registros de problemas com armas e lesões corporais vem sendo reduzido nos últimos anos. “Em 2015, tivemos 25 pessoas feridas nos três circuitos. De 2016 até agora, houve apenas uma pessoa baleada, e mesmo assim fora do circuito”.

Brandão disse que, desde dezembro, a PM já está trabalhando no clima de Carnaval. “Até o momento, em todas as festas, não tivemos nenhum registro de lesão corporal. Essa é uma prova de que a prevenção, a utilização de tecnologia e o policiamento nas ruas, inclusive com abordagens, têm reduzido as ocorrências”. O comandante informou ainda que a PM tem um grupo de apoio no aeroporto, com policiais bilíngues, que acompanham a chegada de turistas e fazem toda a orientação. “Tivemos neste verão uma temporada de navios e não houve um único registro envolvendo turistas. Então a prevenção está sendo bem aplicada”.

Polícia Civil

De acordo com o delegado-chefe da Polícia Civil, Bernardino Brito, serão 2,5 mil policiais civis em todo o circuito, realizando atividades diversas. “Teremos policiais infiltrados nos camarotes, nos blocos e na pipoca, para identificarem pessoas portando armas, vendendo ou usando entorpecentes. Também alertamos foliões que tenham o número do IMEI [número de identificação global e único para cada telefone celular], para que, caso sejam furtados, nós possamos bloquear o aparelho”.

Brito informa que a Delegacia Digital deve ser acessada para roubos, furtos e extravio de documentos. “Se for uma situação em que a pessoa precise ter algum fato investigado ou realizar perícia, ela deve procurar uma delegacia. Nós teremos os postos policiais integrados no circuito, que farão os registros diversos e, se houver a necessidade da formalização de algum fato, a pessoa será encaminhada para uma das sete Centrais de Flagrantes, quatro no circuito Dodô e três no circuito Osmar. Também temos as Delegacias Especializadas, para atender turistas ou qualquer cidadão”.

Outra ação da Polícia Civil, segundo Bernardino Brito, é o cumprimento de mandados de prisão. “Hoje estamos realizando uma operação com 50 mandados de prisão, estamos dando cumprimento a todos os nossos mandados em aberto, para tirar de circulação aquelas pessoas que têm pendências com a justiça”.

Corpo de Bombeiros

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Francisco Telles, afirmou que a instituição começou a atuar muito antes do Carnaval, fazendo análise técnica de projetos de segurança contra incêndio, pânico e emergência e de todas as estruturas que têm relação com o Carnaval, como camarotes, hotéis, bares e restaurantes que ficam no circuito. “Este ano tivemos como inovação a pesagem de trios elétricos. Também temos nossas patrulhas de bombeiros que ficam nos postos elevados e conduzem as ocorrências às unidades de saúde mais próximas ou aos hospitais de referência, se for preciso”.

Segundo o comandante, 350 bombeiros foram deslocados do interior, de cidades onde não há Carnaval, para reforçar a operação em Salvador. “Em todos os postos nós teremos guarda-vidas, que não atuam apenas no mar. No ano passado, foram realizados dois partos no circuito e quem chegou primeiro foram justamente os guarda-vidas, pois eles têm preparação para o atendimento pré-hospitalar, o que possibilitou salvar a vida dos bebês e das mães”.

Telles destacou outra inovação para proteger os bairros. “Este ano temos como inovação um grande cinturão com viaturas próximas aos carnavais de bairros, para evitar incêndios ou, caso haja, estejamos próximos para resolver o problema”.

Polícia Técnica

O diretor-geral do Departamento de Polícia Técnica, Elson Jeffeson, informa que o DPT completa sete anos atuando nas ruas durante o Carnaval. “O DPT é a polícia técnica pioneira em ir para a rua, porque aumenta a eficiência das outras polícias. Em 2018, serão 345 peritos, distribuídos em três postos integrados no Laboratório de Polícia Técnica, no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues e no Instituto de Identificação Pedro de Melo. Serão também três unidades móveis de perícia e três equipes prontas de resposta”.

Guias e Monitores passam por treinamento para receber turistas no Carnaval

Oferecer informações turísticas e atendimento de qualidade para quem visita a Bahia durante o Carnaval é a atribuição dos 225 profissionais que integram o programa Guias e Monitores, realizado pela Secretaria do Turismo da Bahia (Setur). O trabalho começa nesta quinta-feira (8) e prossegue até o último dia da festa, quarta-feira (14), em Salvador, Porto Seguro, Ilhéus e Praia do Forte.

A preparação deste receptivo especial aos visitantes incluiu treinamento para guias de turismo profissionais e monitores bilíngues, realizado nesta terça-feira (6), no Museu de Arte da Bahia, no Corredor da Vitória, em Salvador. Presente à abertura dos trabalhos, o secretário estadual do Turismo, José Alves, destacou a importância da oferta de serviços de qualidade.

“Este receptivo é como um cartão de visitas da Bahia para o mundo. Vamos receber bem os nossos turistas e mostrar que sabemos oferecer serviços turísticos de excelência”, recomendou José Alves, acrescentando a previsão da chegada de 650 mil turistas a Salvador para o Carnaval.

Durante toda tarde, temas como atendimento ao turista, apresentação pessoal, postura profissional, além dos atrativos das zonas turísticas da Bahia, foram apresentados pela equipe técnica da Setur. O atendimento ao turista será prestado pelos guias e monitores em sete idiomas como inglês, espanhol, italiano e francês, além do português e da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Na capital, os guias e monitores vão atuar nos principais portões de entrada da cidade, a exemplo do aeroporto e rodoviária, além dos circuitos Dodô (Barra/Ondina), Osmar (Campo Grande) e Batatinha (Centro Histórico) e hotéis. No interior, eles estarão próximos aos locais de festa e/ou atrativos turísticos.

Parcerias

O comandante do Batalhão de Polícia Turística (Beptur), tenente-coronel Josehilton Martins, e a secretária de Políticas para as Mulheres (SPM), Julieta Palmeira, participaram do treinamento. O primeiro explicou procedimentos relacionados a possíveis ocorrências policiais envolvendo turistas. A titular da SPM falou sobre a campanha “Respeita as Mina”, que envolve a prevenção à violência e exploração sexual contra as mulheres.

 

Fonte: SecultBa/Funceb/Secom Bahia/Setur/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!