07/02/2018

Itapé: Barragem do Rio Colônia realiza testes finais

 

O fechamento de Galeria e a realização dos testes de reservação de água marcam a etapa final das obras da Barragem do Rio Colônia, em Itapé, no Sul da Bahia. Executada pelo Governo do Estado, a barragem, que tem investimentos de R$ 109 milhões, vai beneficiar mais de 350 mil moradores de Itabuna e cidades vizinhas, além de possibilitar a atração de novos empreendimentos e normalizar a vazão do Rio Cachoeira. Durante visita a Itabuna, o governador Rui Costa anunciou a inauguração da barragem para o mês de abril.

A obra, que está com 97% dos trabalhos concluídos, é considerada fundamental para garantir o abastecimento de água em Itabuna, que nos últimos anos enfrentou uma das piores crises de abastecimento de sua história. A barragem possui eixo com comprimento de 195 metros e altura de 21,4 metros e quando atingir o nível mais alto de acumulação possuirá volume total de 62 milhões de metros cúbicos de água.

O empreendimento inclui ainda a mudança do traçado da Rodovia BA-120, que liga Itapé a Itajú do Colônia, relocação de linhas de energia e construção de casas para as famílias que ocupam a área que formará o espelho d´água, ações já em fase de execução, além da mitigação dos impactos ambientais.

O trabalhador rural Antônio de Jesus Barbosa destaca que “essa é uma obra importante pra toda região, porque a gente não vai mais sofrer com a falta de água”. Para a dona de casa Joana Pereira da Conceição, “Itabuna e Itapé vão ganhar um grande presente com a barragem. É uma conquista para todos nós”. “A barragem vai garantir o abastecimento e contribuir para o desenvolvimento de Itabuna, porque água é um fator primordial para atrair novas empresas”, diz o comerciário Felipe Barreto.

Ilhéus: Aberta inscrição para o Concurso de Poesia Castro Alves

A Secretaria de Cultura da Ilhéus abre nesta sexta-feira (9) a inscrição para o Concurso de Poesia Estudantil Castro Alves. Podem participar estudantes do ensino fundamental e médio com idade entre 12 e 17 anos. Com tema livre, cada autor só pode inscrever um trabalho com limite de 30 versos/linhas em papel ofício A-4, em língua portuguesa, de autoria própria. Não serão aceitos manuscritos, vocabulário chulo ou plágio. A inscrição se estende até o dia 9 de março.

O trabalho deve ser apresentado com pseudônimo, em três vias, colocado em envelope tamanho ofício, juntamente com outro envelope pequeno fechado, onde deve estar a ficha de inscrição preenchida com letra de forma e entregue pessoalmente na sede da secretaria, em horário comercial, com a etiqueta “Concurso de Poesia Castro Alves, Secretaria Municipal da Cultura, Rua Jorge Amado, 21, Cep 45.653.200, Ilhéus”.

No remetente o autor deve colocar pseudônimo e o nome da escola que estuda. Sem ela a inscrição será invalidada. A Secretaria da Cultura se reserva no direito de divulgar os trabalhos sem autorização dos autores. Não haverá apelação nas decisões do júri. A inscrição implica na total aceitação do regulamento. Os trabalhos em desacordo com o regulamento serão desclassificados. A ficha de inscrição pode ser solicitada pelo email cultura@ilheus.ba.gov.br ou retirada na sede da secretaria. Nela deve conter o carimbo da escola com a assinatura do diretor ou coordenador escolar.

Entrega dos prêmios

A avaliação será feita por jurados que vão escolher três trabalhos para a entrega de diplomas de mérito literário do 1º ao 3° lugares e kit com 20 livros para cada colocação.  A entrega de premiação será na Praça Castro Alves, próximo ao busto do poeta, no dia 15 de março, às 16 horas, no dia do seu aniversário. O concurso é em parceria da Prefeitura de Ilhéus com a Fundação Pedro Calmon e Academia de Letras de Ilhéus.

O secretário da Cultura, Pawlo Cidade, disse que o concurso de poesia é apenas a porta de entrada para uma série de ações literárias e de estímulo ao livro e à leitura que serão desenvolvidas ao longo do ano. Um dos objetivos é estimular a criatividade e revelar novos valores literários nas escolas das redes pública e privada de Ilhéus.

Itabuna: Câmara veta aumento de R$ 0,45 na tarifa de ônibus

Uma sessão especial na Câmara de Vereadores de Itabuna, região sul da Bahia, vetou o aumento de passagens de ônibus que entraria em vigor na cidade esta semana.

Na segunda-feira (5), por causa da insatisfação popular, a Câmara decidiu interromper o recesso para analisar o reajuste da tarifa do transporte coletivo.

Pelo decreto assinado pelo prefeito, o valor iria de R$ 2,85 para R$ 3,30 a partir do próximo dia 8 de fevereiro.

Durante a sessão, houve protesto. Um grupo se manifestou contra o aumento e cobrou mais transparência do Conselho Municipal de Transporte, entidade responsável por aprovar o reajuste.

“A grande intenção do movimento é abrir essa caixa do transporte público de Itabuna, que pouco se sabe, e que só chega à população, de fato, com o aumento da tarifa do transporte coletivo urbano”, criticou o estudante Davidson Brito.

Após ser analisada nas comissões permanentes, a Câmara identificou que o aumento é abusivo e votou um projeto de suspensão do decreto.

Por unanimidade, os vereadores derrubaram o aumento nas passagens do transporte público do município. Agora, o decreto municipal perde efeito e a passagem permanece custando R$ 2,85.

“As empresas de transporte entraram ano passado, e teve um aumento em 2017. Então, por que esse aumento abusivo para R$ 3,30? O que há de novo?”, questionou o presidente da Câmara, vereador Chico Reis.

O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Itabuna na manhã desta terça-feira (6), e aguarda posicionamento da gestão municipal sobre o veto.

Acordo entre Bamin e chineses permite início de cronograma para implantar Porto Sul

Já estão em andamento no sul da Bahia diversas ações para a construção do Porto Sul na localidade de Aritaguá, Litoral Norte de Ilhéus. Nesta terça-feira (6) mais um passo para a viabilização do empreendimento foi dado com a assinatura, por representantes de três empresas chinesas e da Bahia Mineração (Bamin), de documento que permitirá que as instituições discutam os negócios do projeto para a formação de uma futura joint venture, aliança entre empresas para realização de atividade econômica em comum.

Em dezembro passado, o Governo do Estado e a Bamin firmaram acordo na China com o cronograma de atividades iniciais para as obras do Porto Sul, que já possui todas as licenças necessárias para início da construção.

Para Rui, o acordo é o segundo grande passo para viabilizar definitivamente a mineração, a ferrovia e o porto aqui na Bahia. “O primeiro passo foi em Pequim, com a assinatura de um documento na presença do presidente chinês, e hoje a gente consolida esse consórcio de empresas chinesas junto com a Bamin, para a realização dos investimentos. Ficamos felizes porque finalmente chegou-se a um entendimento de composição de todos os interessados nesses três projetos, o que viabiliza os investimentos. Nós sempre insistimos que não existe porto sem ferrovia, nem mineração que não tenha um porto e uma ferrovia. Portanto, compartilhando os resultados desses três projetos, nós obtemos um resultado positivo para cada ator econômico e garantimos a principal obra para o desenvolvimento da Bahia para os próximos anos”.

Para o presidente da Bamin, Eduardo Ledshaw o passo dado nesta terça-feira é extremamente importante. “Uma parceria que espera consolidar a construção do Porto Sul e abrir o canal para a Fiol e para a mineração. A nossa expectativa é que este ano a gente avance ainda mais para que no ano que vem comecemos as obras tanto do Porto Sul como da mineração. A parceria com o Governo do Estado é fundamental, a gente já começou este ano. Não há outra forma de alcançar o sucesso em um projeto desse porte”.

Acordo em Pequim

Em setembro de 2017, o governador Rui Costa assinou, em Pequim, acordo com empresas chinesas e o Eurasian Resources Group, acionista da Bahia Mineração, para financiamento do projeto do Porto Sul, da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) e da mina de Pedra de Ferro, localizada em Caetité-Bahia. O documento estabelece que as partes desejam cooperar para o desenvolvimento totalmente integrado do Porto Sul, da Fiol e da mina, já que os três projetos estão interligados.

O Porto Sul tem investimento total previsto de R$ 2,7 bilhões e será construído na localidade de Aritaguá, no litoral norte de Ilhéus. Pelo porto será escoado, principalmente, o minério de ferro extraído pela Bahia Mineração no município de Caetité. A previsão é que cerca de 20 milhões de toneladas ao ano de minério de ferro de alta qualidade sejam escoados pelo prazo de até 30 anos. O minério sairá de Caetité e chegará ao porto, em Ilhéus, através da Ferrovia Oeste-Leste que terá extensão de 1.527 km, sendo 1.100 km no estado da Bahia. A ferrovia terá capacidade para transporte 60 milhões de toneladas por ano.

Ilhéus: Lideranças trabalham pela manutenção dos voos da Azul

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre Sousa, e o governador Rui Costa, voltam a dialogar hoje (6), em Salvador, sobre a importância da manutenção dos voos da Companhia Azul que fazem a rota Ilhéus - Salvador e que estão previstos para ser suspensos a partir do próximo dia 19, por opção da companhia. De acordo com a Azul, a extinção dos horários é devido a um ajuste de malha e os voos atingidos pela medida são os que saem de Ilhéus, no sul da Bahia, de segunda a sexta, às 13h40, e os que saem aos sábados e domingos, às 10h05.

“A manutenção destes voos é importante para a região e o governador tem atuado fortemente ao lado do secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, e dos deputados Ângela Sousa (estadual), Paulo Magalhães e Bebeto Galvão (federal) no sentido de garantir a sua permanência na malha”, disse o prefeito.

Hoje, além de mais um encontro com o governador para debater a situação, Mário Alexandre também garantiu que o deputado federal Bebeto Galvão vai estar reunido, em Brasília, com a direção da companhia. “Estamos todos somando esforços para preservar esta conquista da população de Ilhéus e de toda a região”, afirmou. Também participará deste encontro, o secretário estadual de Turismo, José Alves. “O estado está aberto à negociação positiva, com a disposição de novos investimentos em marketing e negociação de impostos, a depender da contrapartida da empresa. A proposta é de ampliar a oferta ao invés de cancelar”, assegura o secretário

Transferência

Mário lembra que o governador Rui Costa já assinou o contrato de delegação do Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus, para o Governo da Bahia. Boa parte dos turistas que visitam a Bahia chega por Ilhéus, onde fica um dos mais antigos aeroportos do estado e o terceiro maior em número de passageiros. Em 2016, o Jorge Amado recebeu mais de 550 mil pessoas. Até abril de 2017, 190 mil viajantes passaram pelo equipamento.

Com a responsabilidade nas mãos do Estado, a programação é lançar licitação para que empresas de aviação civil disputem a gestão. De acordo com o secretário Marcus Cavalcanti, quem ganhar a licitação, além de ampliar o terminal de passageiros, realizar obra de recuperação da pista e a obra de tráfego aéreo, terá como obrigação fazer o estudo de localização, o projeto e o licenciamento ambiental para o novo aeroporto de Ilhéus. "Nós estamos dando o primeiro passo e estamos tendo condição de fazer um investimento pelo setor privado na melhoria de condição daquele aeroporto para atrair mais voos", enfatizou Cavalcanti.

 

Fonte: Seco Bahia/Jornal Bahia Online/G1/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!