08/02/2018

Bahia: Rui diz que não antecipará formação de chapa

 

Após sucessivas declarações do deputado federal Marcelo Nilo (PSL) em defesa da senadora Lídice da Mata (PSB) na majoritária, o governador Rui Costa (PT) disse, na manhã desta quarta-feira (07), que não antecipará formação de chapa. Segundo o petista, o prazo é a convenção que ocorrerá no mês de junho. “Vou conversar com todos os partidos, vou conversar com Otto Alencar, com Cacá Leão, Roberto Muniz...”, declarou em entrevista à rádio Metrópole.

De malas prontas para o PSB, Nilo publicou um vídeo nas redes sociais reiterando a candidatura de Lídice ao Senado. Caso isso se concretize, o parlamentar terá menos dificuldade para disputar a Câmara dos Deputados pela sigla socialista.

Ainda na entrevista, Rui voltou a falar sobre a disseminação de notícias falsas. "Quem está no desespero de viabilizar essa ou aquela candidatura começa a fabricar notícias falsas e enganar a população. Muita gente recebe a informação no Whatsapp e não sabe se é verdade ou não", pontuou.

De malas prontas para o PSB, Nilo reitera desejo de ver Lídice na chapa de Rui

O deputado estadual Marcelo Nilo (PSL) ainda não se filiou ao PSB da senadora Lídice da Mata, mas tem feito defesas publicamente pela participação da socialista na chapa do governador Rui Costa (PT).

O nome da senadora tem sido colocado em banho-maria na discussão da formação da chapa majoritária do petista. Com um cenário em que as quatro vagas são dadas já como preenchidas por Rui, João Leão (PP), Jaques Wagner (PT) e PSD, Lídice ficaria sem vaga na chapa para tentar renovar seu mandato.

"Eu não vejo uma chapa encabeçada pelo companheiro Rui Costa sem a presença da senadora Lídice da Mata, que tem um currículo invejável", disse o deputado estadual em vídeo feito para as redes sociais.

"Defendo a chapa com Rui Costa governador e os dois senadores Jaques Wagner e Lídice da Mata. Esta é a chapa para a vitória", cravou.

Bebeto nega plano de controlar Solidariedade na Bahia

Voltou a circular no meio político a informação de que o deputado federal Bebeto Galvão (PSB) quer migrar para uma nova legenda.  Ontem, o site Política Livre publicou que o parlamentar tinha marcado um jantar em Brasília com o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, para decidir seu ingresso na agremiação. Seu plano seria assumir o controle do Solidariedade na Bahia.  A condição, no entanto, segundo a publicação é que Paulinho lhe assegure que poderá marchar com a candidatura à reeleição do governador Rui Costa (PT), que já apoia. O Solidariedade no Estado é simpático à candidatura ao governo do prefeito ACM Neto (DEM), com quem, aliás, Bebeto vinha conversando desde o ano passado, por meio de interlocutores.

Ainda segundo o site, a decisão de deixar o PSB foi acelerada com o anúncio do ingresso no partido do deputado estadual Marcelo Nilo (sem partido), que deve sair candidato à Câmara Federal, e provável decisão da senadora Lídice da Mata de também concorrer ao cargo de deputada federal, situação que deve prejudicar imensamente a tentativa de reeleição de Bebeto no partido. Direto de Brasília, Bebeto conversou com a Tribuna por telefone e negou as informações. “O pessoal fica insistindo nesse negócio, né? Isso não procede. Insistem sobre isso e eu já estou me esquivando de falar dessas coisas. Eu já dei diversas declarações sobre isso. Qualquer coisa que eu tenha que fazer, se for relacionada a minha vida política, eu serei o primeiro a colocar publicamente o que fiz. Não preciso que ninguém fale por mim”.

Ele também negou qualquer problema com a chegada de Nilo na legenda. “Já dei declarações sobre isso também, felicitando a vinda do próprio Marcelo. Qualquer partido que deseja aumentar a sua densidade eleitoral, construir projetos de futuro, precisa incorporar as grandes lideranças do estado de modo que aumente o seu poder político. Isso não causa dificuldade a ninguém. Marcelo concorrerá como qualquer outro candidato, seja no PSB ou fora do PSB”, disse. Em audiência realizada ontem, também na capital federal, Bebeto cobrou da Azul Linhas Aéreas, uma rápida solução para que sejam mantidos os voos Salvador – Ilhéus, que estão na iminência de serem suspensos. O parlamentar lembrou que o Governo do Estado da Bahia reduziu a alíquota de ICMS de 18% para 7% com o objetivo de permanência dos voos.  A Azul comprometeu-se a apresentar uma alternativa para o deputado Bebeto e a Secretaria de Turismo da Bahia até a próxima sexta-feira.

Nilo aguarda janela partidária para entrar no PSB

Conforme noticiamos, o ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo (PSL), decidiu qual rumo vai tomar após meses de negociação com a senadora Lídice da Mata (PSB), presidente da legenda na Bahia. Na bagagem, Nilo deve levar consigo vários correligionários e fortalecer bastante a legenda socialista – que pleiteia uma vaga na chapa majoritária do governador Rui Costa (PT).  Ele aguarda a janela partidária para migrar, mas já participa de articulações do PSB ao lado de Lídice.

“Estou migrando para o PSB. Em março vou para o PSB, dentro da janela partidária. Sou amigo pessoal de Lídice e o PSB é o partido que tem ideologia mais próxima a mim. Vou sair candidato a deputado federal”, afirmou Nilo à Tribuna, no final de janeiro. Conforme já informado, essa janela partidária prevista para os próximos meses deve promover uma verdadeira “dança das cadeiras” entre os deputados baianos.

Em novembro do ano passado,  a senadora chegou a declarar que “a vinda de Marcelo Nilo é uma coisa que alegra o PSB”. “Ele é um grande amigo do partido de muitos anos e nós consideramos que é um parlamentar que tem uma posição historicamente definida na política baiana”, pontuou.

Processo contra Prisco no TJ-BA por falsidade ideológica entra em segredo de Justiça

A ação penal apresentada no Tribunal de Justiça da Bahia pelo Ministério Público Estadual (MP) contra o deputado soldado Marco Prisco (PPS) em janeiro deste ano entrou em segredo de Justiça. Prisco e o diretor da Associação dos Policiais e Bombeiros e de seus Familiares (Aspra), Fábio Brito, foram denunciados por falsidade ideológica.

A denúncia foi feita ao MP pelo policial militar do Batalhão de Guarda, Evaldo Silva Santos. O denunciante informou que havia “fortes indícios" de que parte do valor arrecadado pela Aspra estava sendo "desviado ilegalmente pela administração da referida associação", tendo se instalado na entidade “um esquema fraudulento, arbitrário e ilegal voltado para a lavagem de dinheiro e sonegação fiscal”. Contra a gestão da associação também pesa a acusação de fraude nas eleições da diretoria.

O sigilo do processo foi decretado pelo desembargador Abelardo Paulo da Matta Neto. "Após exame detido dos autos, vislumbra-se que, pela própria natureza do pleito, este deve tramitar em segredo de justiça, diante da necessidade de preservação de provas e com intuito de não prejudicar as investigações", argumentou.

Juiz vê indícios de fraude na licitação das obras da Barra, mas afasta envolvimento de Neto

O delator e ex-executivo da Odebrecht, André Vital de Melo, afirma que houve combinação entre a Odebrecht, a Queiroz Galvão e a Andrade Gutierrez na licitação para as obras de requalificação da orla da Barra, em Salvador, para que sua companhia sagrasse vencedora no certame.

O caso foi remetido pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), para a 17ª Vara da Justiça Federal na Bahia. Aqui, a relatoria do processo ficou com o juiz federal Antônio Oswaldo Scarpa. Em seus despachos, o magistrado afastou a responsabilidade do prefeito ACM Neto no caso após analisar os autos. No entanto, ressaltou que se surgir novidades que apontem para o envolvimento do democrata no caso, o processo deverá ser remetido para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1).

A princípio, o Ministério Público Federal (MPF) apontava que o delator André Vital de Melo relatou o possível envolvimento ou "ao menos conivência do atual prefeito do município de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, em suposta simulação de processo licitatório e direcionamento de contratação em favor da empresa representada pelo colaborador". Mas Oswaldo Scarpa não chegou à mesma conclusão. "As supostas ilicitudes ali noticiadas dizem respeito à realização do procedimento licitatório com vistas à execução de obras de requalificação da Barra", aponta o juiz.

"Especificamente quanto ao prefeito de Salvador, o colaborador André Vital afirmou que, na condição de executivo do grupo Odebrecht, solicitou audiência [...] entre abril e maio de 2013 com a intenção de pedir autorização para estudar uma operação urbana consorciada para a cidade de Salvador", menciona o magistrado em despacho ao qual o BNews teve acesso.

No depoimento ao MPF, Vital relata que ACM Neto informou que a prefeitura estaria preparando uma licitação da obra de requalificação da Barra e que seria um projeto muito importante voltado para a Copa do Mundo. O gestor também ressaltou que parte da obra teria que ficar pronta em fevereiro de 2014 para o carnaval. Segundo Scarpa, essa reunião de negócios foi a única citação feita em referência ao gestor da cidade.

"Das tratativas narradas pelo colaborador com executivos de empresas concorrentes (Queiroz Galvão e Andrade Gutierrez) acerca do processo licitatório em que a Odebrecht sagrou-se vencedora, no qual "teria havido ajuste ou combinação, frustrando o caráter competitivo do certame". Neste âmbito, não há menção a eventual participação do prefeito ou de outro agente público", destacou o relator do processo.

Sobre o processo licitatório que culminou na escolha da construtora Odebrecht para executar a obra, a prefeitura informou que atendeu aos requisitos legais, na modalidade RDC (Regime Diferenciado de Contratação) Integrado. O edital foi publicado no dia 26 de julho de 2013, e as propostas foram abertas em 12 de setembro do mesmo ano.

Segundo a prefeitura, a construtora Odebrecht foi a que apresentou o menor preço (R$ 57.705.106,00), seguida da Queiroz Galvão (R$ 59.050.000,00), Andrade Gutierrez (R$ 59.500.000,00) e do consórcio Terrabras/BSM/SETA (R$ 67.183.426,00). A homologação do resultado foi feita no dia 20 de setembro de 2013.

Na época em que a delação do ex-executivo veio à tona, a prefeitura de Salvador defendeu a regularidade da licitação. “A construtora foi a proponente que apresentou menor preço (R$ 57.705.106,00), seguida da Queiroz Galvão (R$ 59.050.000,00), Andrade Gutierrez (R$ 59.500.000,00) e do consórcio Terrabras/BSM/SETA (R$67.183.426,00)”, detalhou.

 

Fonte: Tribuna/BNews/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!