10/02/2018

Eunício questiona 'emocional' de Bolsonaro para cargo de presidente

 

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), questionou nesta quinta-feira, 8, em café da manhã com jornalistas, o "emocional" do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para ser presidente do Brasil a partir de 2019. Eunício disse que o parlamentar "pode até ganhar", mas colocou em dúvida o "dia seguinte" do País.

"Imagina o que estamos vivendo. Bolsonaro aplaudido de pé dentro do BTG", disse ao se referir a evento no qual o parlamentar participou, na terça-feira, junto à elite do mercado financeiro. "E a estrutura emocional dele? Pode até ganhar a eleição, mas eu quero saber o dia seguinte", afirmou.

Eunício também opinou sobre outra possível candidatura considerada outsider: a do apresentador da TV Globo Luciano Huck O presidente do Senado elogiou o discurso do apresentador. "Ele tem um papel equilibrado. Fez um discurso bem arrumado politicamente", resumiu antes de compará-lo ao juiz Sérgio Moro. "Huck se afirmou muito mais do que o próprio juiz, que tem popularidade muito maior que a dele", acrescentou.

Ao opinar sobre o cenário eleitoral, o emedebista comentou ainda a pré-candidatura do governador Geraldo Alckmin à Presidência da República. Na opinião de Eunício, Alckmin ainda não se firmou como o candidato de centro porque está sendo questionado dentro do próprio PSDB. "Alckmin pode ser a opção de centro e o PSDB inventa de fazer prévias com o (Arthur) Virgílio."

Eunício: Reforma da Previdência foi “mal vendida”

Durante café da manhã com jornalistas, nesta quinta-feira (08), o presidente do Senado, Eunício Oliveira, disse que a Reforma da Previdência foi “mal vendida” pela equipe econômica do governo. Ele ponderou que se a proposta fosse mais enxuta, poderia ter sido aprovada junto com a Reforma Trabalhista.

“A Reforma foi colocada com duzentos penduricalhos. As informações são tantas que ficaram contraditórias”, atacou o senador. Ele disse que se o projeto não for aprovado, considerando um cenário para os próximos três anos, não será uma catástrofe. Mas haverá um problema que terá que ser resolvido pelos candidatos à Presidência da República.

Para ele, a Reforma em seu estágio atual está “micro ou defeituosa” e que se ela chegar ao Senado ainda este ano, terá que ser debatida e passar pela Comissão de Assuntos Econômicos da Casa antes de ir a plenário.

Neto enaltece Huck, mas aponta especulações e condiciona apoio 'caso ele mude de ideia'

Em meio a uma suposta candidatura de Luciano Huck à Presidência da República, o prefeito ACM Neto prega cautela em um eventual apoio do DEM. Para o chefe do Executivo municipal, que ressalta ter boa relação com o global, até então, tudo não passa de especulação, diante das negativas do apresentador.

 "O Luciano é um quadro extraordinário, é uma figura fantástica, que tem, eu diria, um força muito grande, não apenas pela sua capacidade de comunicação, mas por sua sensibilidade e conhecimento do país, mas este tipo de coisa a gente não pode especular. Ou é, ou não é. Então, ele tem dito que não é candidato, estas têm sido as declarações dele, caso ele mude de ideia e altere a sua decisão, a gente comenta a partir de uma decisão, não a partir de uma especulação", avaliou, na manhã desta sexta-feira (9), no Campo Grande.

PPS quer filiar Luciano Huck no dia 7 de abril para candidatura à presidência

Luciano Huck deve mesmo se candidatar à Presidência da República. Pelo menos é o que se diz entre os auxiliares do presidente Michel Temer. De acordo com a coluna “Painel”, da “Folha de São Paulo”, no Partido Popular Socialista (PPS), que negocia com Huck, a filiação do apresentador é especulada para o dia 7 abril.

Ainda de acordo com a publicação, a Rede Globo, onde ele trabalha, espera que o fim do impasse se dê o quanto antes. A emissora já declarou que, caso Luciano seja mesmo candidato, Angélica, sua esposa, também terá que sair do ar. Executivos da televisão têm feito questão de demonstrar insatisfação e afirmam ter deixado claro a Huck que não querem ser levados para o debate eleitoral.

Já entre os tucanos o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, informa ainda a “Painel”, o clima é descrença no preparo do apresentador para enfrentar a disputa.

Cármen: ‘Brasileiro está cansado da ineficiência de serviços públicos’

“O Brasil vive condições precaríssimas do sistema prisional”, declarou na manhã desta sexta-feira (9), a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, durante a inauguração do novo presídio de Formosa (GO). No evento, ela afirmou que as instituições devem acentuar o empenho para que medidas como as que vêm sendo tomadas recentemente no Estado melhorem a situação dos presídios e da segurança dos brasileiros.

Cármen destacou ainda que o cidadão está cansado de “tanta ineficiência” dos serviços públicos e “cansado inclusive de nós do Sistema Judiciário”. A cerimônia de inauguração do presídio começou por volta das 8h, com uma visita da ministra ao local, acompanhada do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB).

Goiás terá cinco presídios de segurança máxima, alguns para abrigar facções do crime organizado. “Boa parte dos recursos já está assegurada para que as obras sejam iniciadas imediatamente”, afirmou o governador. Perillo disse ainda que Cármen será informada “dos muitos avanços” e do cumprimento de uma “boa agenda” feitos desde a ida da ministra a Goiânia, quando se reuniu com o governador e autoridades do Judiciário sete dias após um confronto entre detentos do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, que deixou nove mortos.

Jutahy desconversa sobre DEM na vice de Alckmin: precisamos aguardar a prévia

O deputado federal Jutahy Magalhães Jr (PSDB) desconversou , na manhã desta sexta-feira (9), sobre a notícia de que a sigla sonda o DEM na Bahia à procura de um nome para ocupar a vice dê Geraldo Alckmin (PSDB) na disputa pelo Planalto. Embora não tenha negado, o tucano disse que é necessário aguardar a prévia da sigla, marcada para 11 de março.

“Votarei em Geraldo Alckmin, acho que ele será nosso candidato. Mas o primeiro momento é a prévia. Primeiro temos que ter a prévia e buscar a unidade. Vamos ter uma campanha semelhante à de 1989, com dezenas de candidatos, e espero que um desses nomes seja do PSDB”, disse o tucano durante o lançamento da sala de imprensa da prefeitura, no Campo Grande.

Jutahy fala sobre permanência de Imbassahy no PSDB: ‘Cabe a ele decidir’

Presente no Campo Grande, na tarde desta sexta-feira (9), o deputado Jutahy Magalhães (PSDB), que já declarou que quer ser candidato ao Senado, neste ano, na chapa do prefeito ACM Neto (DEM), comentou a situação do também deputado Antonio Imbassahy (PSDB).

Ao bahia.ba, Jutahy avaliou que cabe somente a Imbassahy a decisão de permanecer ou deixar o partido.

“Eu desejo com toda a sinceridade que o deputado continue no PSDB, mas essa é uma decisão que cabe a ele tomar. Teremos uma janela partidária em março. Cada um fará uma avaliação pessoal. Nós desejamos a manutenção do Imbassahy dentro do PSDB”, disse.

Jutahy ainda pontuou que não acredita que exista um isolamento de Imbassahy dentro do PSDB baiano, mas sinalizou que causou desconforto quando votou a favor da continuidade da denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer (PMDB) no momento em que o correligionário era ministro do governo.

“Não. Tivemos um momento muito difícil dentro do partido que foi durante a votação em relação ao presidente Michel Temer. Eu e João Gualberto votamos pela continuidade do processo e o Imbassahy naquele momento era ministro, então houve uma divisão nítida. Quando no momento você não tem solução, você joga para o futuro. Eu sempre achei que quando o PSDB construísse uma candidatura própria, o partido iria se unir”, falou.

Sobre a reforma da previdência, o tucano disse que só irá declarar o voto no dia da votação, mas que a “decisão já está tomada”.

”Não vou antecipar sem saber se haverá votação. Preciso também do texto completo, já que cada dia muda o texto. Hoje [o Governo] não tem voto pra aprovar”, completou.

Bruno Reis não descarta saída do MDB e diz que defende renovação

O vice-prefeito Bruno Reis (MDB) afirmou, nesta sexta-feira (9), que “defende uma renovação do MDB”, e não descartou uma possível saída do partido, no segundo dia oficial de carnaval, no Circuito Osmar, no Campo Grande.

Em conversa com o bahia.ba, o emedebista disse que qualquer decisão que for tomada, terá sido antes dialogado com o amigo ACM Neto. Caso haja uma mudança de rumos em 2018, acontecerá “dentro de um processo de amadurecimento”, “e com todo o nosso grupo político”.

“No passar do Carnaval, dentro de um processo de reflexão da conjuntura política do Brasil e da Bahia, vamos tomar uma decisão”, destacou.

 

Fonte: Correio/BNews/Bahia.ba/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!