10/02/2018

Feira: HM aguarda do MS reposição em estoque de vacina BCG

 

Com o estoque encerrado desde o dia 18 de janeiro, a vacina BCG (que protege os bebês contra as formas mais graves de tuberculose) está em falta no Hospital Inácia Pinto dos Santos (HIPS), o Hospital da Mulher, devido a situação de desabastecimento.

O quadro é nacional e foi informado pela Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana (SMS) mediante nota técnica do Ministério da Saúde (MS). A justificativa do órgão federal, responsável pela compra, prevê que os estoques estejam repostos logo após o carnaval.

O ministério informou que a BCG está sendo distribuída aos estados ‘em quantitativo reduzido’, mas a normalização da oferta deve ocorrer ‘ainda em fevereiro’. A explicação é que o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde ainda não autorizou a distribuição e a aquisição em outro laboratório demanda apenas trâmites alfandegários e do controle de qualidade. O governo federal tem 3 milhões de doses à disposição.

Mães são orientadas a cumprir calendário de vacina nas unidades de saúde

“Estamos orientando as mães que, após a alta, se dirija ao posto de saúde para dar continuidade ao calendário de vacina e também verificar se a vacina BCG já está disponível”, pontua a enfermeira da unidade hospitalar, Neilde Lima Ribeiro.

Servindo para criar imunidade e agir contra as infecções, a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin) é a principal responsável pela defesa do corpo contra a tuberculose (doença infectocontagiosa causada pelo Mycobacterium bovis ou pelo Bacilo de Koch). A tuberculose ataca os pulmões e pode causar infecções nos ossos, rins e meninges (as membranas que envolvem o cérebro).

Obrigatória para todas as crianças que tem acima de 2kg, a BCG é ministrada em dose única, ou seja, imunizando a criança para toda a vida. A aplicação é realizada logo após o seu nascimento - se caso não for possível, ela deve ser ministrada após, no máximo, o primeiro mês de vida.

Rotina de vacinação no HIPS

Quando estava em estoque no Hospital da Mulher, a vacina BCG era aplicada em até 20 recém-nascidos diariamente. Atualmente, a única vacina disponível no HIPS para os recém-nascidos é a da Hepatite B.

“A vacina é essencial para os recém-nascidos. Infelizmente por esse desabastecimento nacional, o estoque do Hospital da Mulher encontra-se zerado. Estamos torcendo para que seja regularizado de imediato pelo Ministério da Saúde”, explica a presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas.

Confira locais e dias do esquema de vacinação BCG em cinco unidades do município

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Cassa (situada no bairro Capuchinhos), Caseb I, Jardim Cruzeiro, Serraria Brasil e CSU (no bairro Cidade Nova) estão fornecendo a vacina BCG (que protege os bebês contra as formas mais graves de tuberculose) na rede municipal de Feira de Santana. Os locais foram definidos a partir de uma estratégia elaborada pela Secretaria de Saúde para atender a população diante da redução do fornecimento da vacina por parte do Ministério da Saúde. 

O município costuma receber uma média de 2 mil doses, mas em janeiro, devido ao desabastecimento no laboratório do Ministério da Saúde, foram enviadas apenas 150 doses do imunizante.

Segundo o enfermeiro e referência técnica da Rede de Frio, Carlos Henrique Valverde, cada frasco do imunizante equivale a dez doses, com validade de seis horas após aberto. “Dinamizar a distribuição da vacina é uma maneira de suprir essa redução significativa e evitar o desperdício”, afirma. A estratégia segue até o reabastecimento do estoque.

  • Confira abaixo dias e locais da distribuição:

UBS CASSA - Segunda e quarta-feira

UBS Caseb I - Quarta e Sexta-feira

UBS Jardim Cruzeiro - Terça e Quinta-feira

UBS Serraria Brasil - Terça e Quinta-feira

UBS CSU –  Segunda e Sexta-feira

Em Feira, entulho descartado indevidamente enche 20 caçambas todo dia

Mais de 20 caçambas cheias, diariamente. Essa é a média do entulho recolhido em Feira de Santana em locais onde o material é descartado indevidamente. Há ocasiões em que esse número chega a 30 veículos. A informação é do diretor do Departamento de Limpeza Pública da Prefeitura, órgão da Secretaria de Serviços Públicos (Sesp), Antônio Rosa.

“Recolher resíduos de materiais de construção nas vias públicas é um trabalho de rotina, que é feito de segunda-feira a sábado. Em um único terreno, por exemplo, chegamos a fazer até duas vezes por semana o serviço de limpeza”, diz o diretor.

O custo de tanto trabalho não é pequeno, ao contribuinte. São R$ 75 mil por mês ou algo em torno de 900 mil por ano, pagos pelo serviço de coleta do entulho descartado em locais não permitidos, na cidade e também na zona rural.

Quase 800 pessoas multadas pela infração, em 2017

O descarte irregular de entulhos em vias públicas é crime previsto na lei municipal de nº 1.613/92, adverte o diretor do Departamento de Limpeza Pública do Município, Antonio Rosa (foto). A infração para quem for flagrado pode gerar uma multa de R$ 159,20. Somente em 2017, 789 pessoas foram multadas no município por esse motivo. Os moradores podem denunciar o descarte de lixo em local inapropriado através do número (75) 3602- 8113. Já a lei municipal 3.245/11 estabelece que os proprietários de terreno devem mantê-lo limpo, murado e construir o passeio. Também estão sujeitos ao pagamento de multas de até dois salários mínimos, caso não cumpram o que determina a lei.

Carroceiro é quem mais joga entulho em via pública

Os carroceiros são apontados como os principais responsáveis pelo descarte aleatório de entulho em vias públicas, de acordo com levantamento do Departamento de Limpeza da Secretaria de Serviços Públicos.

“Os orientadores ambientais, vinculados ao departamento, fazem rotineiramente um trabalho de conscientização com os carroceiros, bem como com os moradores, para que estes coloquem os resíduos sólidos à sua porta, no dia da coleta. No entanto, o descarte irregular é muito frequente”, lamenta o diretor de Limpeza Pública, Antonio Rosa.

Oitenta por cento dos usuários do transporte coletivo utilizam o cartão eletrônico, em Feira

A Prefeitura Municipal vai empreender uma campanha, no interior dos ônibus que operam no sistema de transporte público da cidade, com vistas a ampliar o número de usuários que utilizam o cartão Eletrônico Via Feira.

A medida foi anunciada pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho, em entrevista concedida na manhã desta sexta-feira, 9, ao Programa Levante a Voz, da Rádio Sociedade, ancorado pelo radialista Luiz Santos.

A portabilidade do cartão, que atualmente já é utilizado por 80% dos usuários deste modal de transporte, e fixa a passagem em R$ 3,48, representa uma economia de R$ 0,32, para quem o usufrui; enquanto os 20% dos passageiros que ainda não disponibilizam deste recurso, são obrigados a pagar a tarifa cheia, atualmente estipulada em R$ 3,80.

José Ronaldo acredita que a falta de informação, por parte minoritária dos usuários, pode ser o motivo de ainda não terem adquirido o cartão Eletrônico, ao justificar a campanha que irá colocar em prática no interior do ônibus, com vistas a incentiva esta demanda a adquirir o Via Feira: “É um processo legítimo, legal, e que dá oportunidade do cidadão pagar menos pela passagem”, disse o prefeito.

Cristina Souza, da banda Clã, é a convidada dos Ensaios da Micareta este sábado no MAP

A cantora Cristina Souza, da Banda Clã, será a convidada deste sábado na segunda edição do projeto “Ensaios da Micareta”, que tem à frente o cantor Djalma Ferreira e vai acontecer no palco do MAP (Mercado de Arte Popular), a partir das 11h.

No repertório da dupla, antigas e inesquecíveis marchinhas que animaram carnavais e micaretas de décadas atrás e que anima os saudosistas foliões daquela época. Mas não vai faltar o axé dos anos 80 e 90, como promete o cantor.

“É uma mistura de ritmos que vai agradar a todos os presentes”, diz Djalma Ferreira. Vai misturar “Cabeleira do Zezé”, “Alalaô”, “Colombina”, com “Freicote” (Nega do cabelo duro), de Luiz Caldas, mais músicas de Margareth Menezes, Chiclete com Banana, bandas Mel e Reflexu´s e Olodum.

O que se pretende, com o repertório e a alegria dos foliões, é que o espaço se transforme num grande e animado salão onde todos se divirtam. E foi o que aconteceu na primeira edição do projeto.

No dia 17, o cantor vai dividir o palco com o grupo “Outros baianos” e no dia 24, todos os convidados se apresentarão. O projeto é realizado pela Fundação Cultural Egberto Costa com apoio das secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico – por meio do Departamento de Turismo, e a Cultura, Esporte e Lazer.

 

Fonte: Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!