21/02/2018

Monte Santo: Fábrica de armas artesanais é encontrada

 

Policiais militares da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Nordeste desarticularam uma fábrica clandestina de armas de fogo na zona rural de Monte Santo, a 364 quilômetros da capital baiana, na noite de segunda-feira (19).

A ação da PM ocorreu por volta das 22h30 após receber a denúncia de que uma serralheria no povoado Lagoa do Saco estava sendo utilizada como fábrica clandestina de armas de fogo. Ao chegarem no local os policiais militares apreenderam quatro espingardas, uma pistola, munições de calibres diversos (32 e 36), bem como máquinas, materiais e peças para fabricação de armas de fogo e munição.

Foram encontrados ainda 22 canos, uma armação de madeira, um ferrolho, seis coronhas de madeira; uma vareta de limpeza, duas caixas com chumbo 5.5, um recipiente contendo espoletas; máquina de solda, torno, furadeira industrial, cilindro para arma de pressão e recipiente com pólvora.

Também foram apreendidos na serralheria molde para corte de coronha, mini retífica elétrica, furadeira, lixadeira, duas gandolas de camuflagem, uma calça e dois chapéus do Exército.

A guarnição realizou diligências, mas o proprietário do estabelecimento não foi localizado. “É de extrema importância a população denunciar práticas ilícitas, pois tem contribuído com o nosso trabalho. Com bases em outras denúncias recebidas já fizemos várias prisões na região. A PM continua intensificando as ações na zona rural e realizando operações para localizar o proprietário do local”, destaca o major PM Wellington Morais dos Santos, comandante da Cipe Nordeste. Todo o material apreendido foi apresentado na delegacia da cidade de Euclides da Cunha.

Contas da Prefeitura de Antas são aprovadas com ressalvas

O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta terça-feira (20/02), concedeu provimento parcial ao pedido de reconsideração referente às contas do ex-prefeito de Antas, Wanderlei dos Santos Santana, relativas ao exercício de 2016, para emitir novo parecer prévio, desta vez recomendando aprovação com ressalvas das contas. O relator, conselheiro substituto Ronaldo Nascimento de Sant’Anna, também reduziu a multa aplicada de R$6 mil para R$3 mil e determinou a exclusão do ressarcimento aos cofres municipais da quantia de R$200.992,20, em razão da apresentação dos processos de pagamentos pendentes.

O gestor aproveitou o recurso para encaminhar nova documentação ao TCM, sanando a irregularidade relativa aos processos de pagamentos de nºs 3538, 4331, 4370, 4476, 4620, 4653 e 4694 e ao processo licitatório PP 016-2016, não encaminhados anteriormente à Inspetoria Regional de Controle Externo. Em relação ao não pagamento de multas imputadas em processos anteriores, o prefeito encaminhou para exame e verificação da sua autenticidade dois comprovantes.

O Ministério Público de Contas, através de parecer do procurador Guilherme Costa Macedo, adotou entendimento semelhante ao do relator e pugnou pelo provimento parcial do presente recurso.

Beneficiamento de pescado no terminal de Sobradinho cresce 25%

O Terminal Pesqueiro da Bahia Pesca em Sobradinho, no norte da Bahia, alcançou a marca de 129 toneladas de pescado beneficiados em janeiro. O número é 25% maior que o obtido no mesmo período de 2017. O beneficiamento – realizado por 20 mulheres da Cooperativa de Produção e Comercialização dos Derivados de Peixes de Sobradinho – agrega valor ao produto da pesca que, ao invés de ser vendido ao natural, passa por um processo de refrigeração, evisceração e descamação para aumentar a vida útil e realçar as partes nobres dos produtos.

“As próprias pescadoras ficam com a renda obtida com o beneficiamento. Com muito trabalho duro, elas ganharam, em janeiro, quase R$ 13 mil, graças ao trabalho realizado no terminal, cedido a elas pela Bahia Pesca”, explica o presidente da empresa, Dernival Oliveira Júnior.

A estrutura beneficiou também cerca de 100 piscicultores do lago de Sobradinho, que utilizam os serviços do terminal. “O Terminal de Sobradinho atende toda a cadeia produtiva da pesca na região, sendo o suporte dos piscicultores, que deixam de tratar o pescado na beira do lago. Desta forma, o terminal aumenta a receita dos piscicultores, gera emprego para as pescadoras da cooperativa e diminuem o impacto ambiental da atividade”, afirma o gerente de assistência técnica, Eduardo Rodrigues.

2ª sessão do ‘First Friday’ abordará a participação de animais silvestres na febre maculosa

O Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), situado no Campus de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em seu projeto científico-cultural 'First Friday', convida a comunidade local e acadêmica para sua segunda sessão de 2018 às 16h no dia 02 de março, no auditório do Museu de Fauna da Caatinga. O tema proposto é "Participação de Animais Selvagens na Febre Maculosa Brasileira" a ser ministrado pelo professor permanente dos Cursos de Pós-graduação em Ciência Animal; e em Ciências Veterinárias no Semiárido (Univasf) e Professor colaborador do Curso de Pós-graduação em Ciência Animal Tropical (UFRPE),  Maurício Claudio Horta.

A Febre Maculosa é conhecida no Brasil e no mundo há mais de um século. Trata-se de uma enfermidade causada pela bactéria Rickettsia spp. e transmitida aos seres humanos por carrapatos, pulgas, piolhos e ácaros vetores. Ocorre em todas as regiões do Brasil e em algumas regiões apresenta altos índices de letalidade. No estado de São Paulo,por exemplo, entre os anos 1998 e 2013, foram notificados 521 casos da doença e em 2016 foram confirmadas três mortes por febre maculosa até setembro. A participação de alguns animais selvagens como capivaras e gambás assume grande importância na manutenção do agente na natureza.

First Friday

Uma vez por mês, o Museu de Fauna fica aberto até 18 horas para uma discussão científica emocionante seguida de happy hour e um passeio pelo Museu, onde a pessoa conhecerá o acervo de cerca de 40 peças de animais silvestres taxidermizados, todos do bioma Caatinga. Esse é um programa para um público de todas as idades interessado em discutir de forma dinâmica CIÊNCIA. Com início previsto para as 16 horas, as palestras têm duração mínima de 1 hora. A entrada é limitada em 100 participantes que devem realizar sua inscrição (informando seu nome completo, CPF, telefone e e-mail) no valor de R$ 15,00 até a quinta-feira que antecede o evento na recepção do CETAS Cemafauna.

A coordenação comunica ainda que para receber o certificado é preciso participar do primeiro ciclo das cinco sessões que acontecerão ao longo desse primeiro semestre. Aos participantes também será concedido o transporte para deslocamento do Cemafauna até a Univasf centro após o encerramento da sessão.

Sobre o palestrante

Graduação em Medicina Veterinária. Residência em Medicina Veterinária Preventiva. Mestrado, doutorado e pós-doutorado em Epidemiologia Experimental e Aplicada às Zoonoses. Professor na Univasf desde 2009. Professor permanente dos Cursos de Pós-graduação em Ciência Animal; e em Ciências Veterinárias no Semiárido (UNIVASF); Professor colaborador do Curso de Pós-graduação em Ciência Animal Tropical (UFRPE).

  • Serviço

First Friday - 2ª sessão de 2018

Tema - ' Participação de Animais Selvagens na Febre Maculosa Brasileira '

Data - 02/03/2018

Horário - 16h

Local - Auditório do Museu de Fauna da Caatinga, Campus de Ciências Agrárias da Univasf, BR 407, Km 12, lote 543, Projeto de Irrigação Nilo Coelho - S/N C1 em Petrolina-PE.

Outras informações - (87) 2101-4821

27ª Fenagri acontece de 11 a 14 de julho em Juazeiro

Com o objetivo de discutir a realização da XXVII edição da Feira Nacional da Agricultura Irrigada (Fenagri), que acontece de 11 a 14 de julho, na área externa no Juá Garden Shopping, em Juazeiro; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária, Tiano Felix, se reuniu na sede da ADEAP com a comissão organizadora do evento que tem como tema ‘Cultivando Sabores e Valores do Vale’.

Durante o encontro foram destacadas as oportunidades internas em termos de novas culturas e o que pode ser ofertado. “Temos que focar além do mercado de exportação, toda cadeia do agronegócio, em especial o produtor rural. Nós temos um grande potencial no município, como os projetos de irrigação, bem como o Mercado do Produtor, que possui um volume de negócio equiparado ao volume de exportação do país, algo que precisa ser melhor abordado”, observou um dos coordenadores da Feira, Voldi Silva Alves.

A Feira que tem seu lançamento pré-agendado para o dia 14 de março, na Orla II, de Juazeiro, pretende abordar as novas perspectivas do agronegócio, destacando o nível em que se encontra a cadeia produtiva e as novidades para o mercado interno e externo. “Estamos em um novo momento e as demandas são dinâmicas, se modificam. Acredito que seria interessante ajustar um novo modelo a uma nova proposta para a realização da feira, de acordo com o recurso que nós disponibilizamos”, observou o secretário Tiano Felix.

Durante o encontro também foram formadas comissões para dar andamento aos trabalhos, a exemplo da comissão técnico cientifica e a comissão institucional.

 

Fonte: Tribuna/TCM Bahia/Bahia Pesca/Ascom Cemafauna/Ascom Adeap/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!