22/02/2018

Feira vai elaborar catálogo de benzedeiras do município

 

Quem são, onde estão, quantas ou quantos são. A Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico quer conhecer e identificar e, a partir daí, fazer um catálogo com os nomes de benzedeiros e benzedeiras de Feira de Santana. Para tanto, eles e elas devem procurar a Diretoria de Turismo, no mezanino do MAP (Mercado de Arte Popular), onde as inscrições estão sendo feitas.

São nas casas das benzedeiras que crianças e adultos encontram o alivio esperado. “Estas mulheres e homens são um importante traço na nossa cultura religiosa e, por que não, na cura de doenças que a medicina tradicional não conseguiu. Isto para quem acredita”, afirma a diretora do Departamento de Turismo, Graça Cordeiro, que acredita existir muitas destas pessoas em Feira de Santana.

De acordo com a diretora, eles poderão participar do curso de qualificação de turismo étnico-afro, que será realizado através da Oficina de Construção de Redes II - Entrega e Ajuste do Diagnóstico Participativo - em parceria com a Secretaria de Turismo da Bahia, no dia 2 de março, das 13h30 as 17h30, no auditório do Mercado de Arte. Os interessados deverão apresentar documentação pessoal e comprovante de residência.

Em Feira os terreiros do povo de axé já estão sendo devidamente catalogados. Conhecedoras de orações medicinais, as benzedeiras tem um grande poder de transformar dor em esperança, quando sacodem com suas mãos santas galhos verdes de um lado para o outro. Houve uma época que benzedeiras davam expediente em unidades de saúde no Ceará. Atualmente, em três cidades do Paraná, as benzedeiras possuem credenciamento expedido pelas respectivas secretarias de Saúde. Os índices de mortalidade infantil caíram, devido a intervenção delas, e dos pediatras.

Feira: Prefeito diz que 'não há discriminação' sobre Vittar, Daniela e Kannário em micareta

O prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), disse que não há haverá boicote caso sejam contratados Pabllo Vittar, Daniela Mercury e Igor Kannário para a micareta da cidade, em abril.

Um vereador da cidade chegou a pedir nesta segunda-feira (19) a não contratação dos três artistas (ver aqui). O argumento é que eles seriam contra "a família brasileira", fazendo a referência às cidades míticas de Sodoma e Gomorra, que, segundo o Antigo Testamento da Bíblia, foram destruídas por Deus porque praticavam atos imorais.

Em entrevista ao Bahia Notícias, o prefeito  feirense disse que não compartilha do mesmo pensamento do edil e afirmou que todas as contratações para o evento partirão de um grupo de pessoas e que não tem discriminação por artista A ou B.

"Nós não temos discriminação contra ninguém. A festa é de todos. Eu não posso fazer a escolha de nomes por uma questão individual. Nós estamos analisando as questões burocráticas e vendo preços para fechar a programação", disse Ronaldo ao BN. A Micareta de Feira ocorre entre os dias 19 e 22 de abril.

Câmara aprova lei que prioriza matrícula de aluno com deficiência locomotora na rede municipal de ensino

Na manhã desta quarta-feira (21), a Câmara Municipal  aprovou, em segunda discussão e por unanimidade dos presentes, o Projeto de Lei de nº 228/2017, de autoria do vereador Isaías de Diogo (PSC), que assegura ao aluno com deficiência permanente prioridade na matrícula em escola municipal mais próxima de sua residência no âmbito de Feira de Santana.

Para os efeitos desta Lei, considerar-se deficiente locomotor a pessoa com disfunção física ou motora permanente, de caráter congênito ou adquirido, ao nível dos membros superiores, inferiores que dificulte sua locomoção.

O aluno com deficiência locomotora permanente, pessoalmente ou por representante legal, apresentará documento comprobatório de residência no Município no ato de sua matrícula.

A escola solicitará atestado médico para comprovar a deficiência alegada, quando o aluno estiver presente no ato da matrícula.

As escolas garantirão a permanência de alunos com deficiência locomotora permanente, promovendo a adequação dos seus espaços físicos para o devido acolhimento. 

Unamacs discute ações e calendário de cursos para 2018 

Técnicos em meio-ambiente e em agronomia, um apicultor e estudante de pedagogia se encontraram na manhã desta terça-feira, 20, para discutir ações socioambientais. A Reunião de Planejamento Participativo ocorreu na sede da Unamacs (Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cidadania Sustentável), localizada no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho, no conjunto Feira VII.  

“O objetivo é ouvir a comunidade para agregar as opiniões ao calendário de atividades que serão realizadas pela Unamacs, neste ano”, afirmou a educadora ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), Elisângela Lucena. Ela observa que “todos devem ter uma responsabilidade compartilhada com as questões ambientais”.

O calendário de atividades da Unamacs teve início no último sábado, 17, com a realização do Whorkshop Orientação na Bahia – Curso de Mapeadores Ambientais, no Parque da Lagoa Radialista Erivaldo Cerqueira. “Foi um encontro muito proveitoso, onde contamos com a participação de representantes de outras cidades baianas e do Rio Grande do Sul, que abordaram o esporte de orientação e a questão ambiental”.

Já nesta quinta-feira, 22, e na sexta-feira, 23, será promovido o Curso de Sustentabilidade na Escola, das 8h às 17h, destinado aos professores da rede municipal de ensino. Ainda neste mês, no dia 27, será realizada a Reunião de Formação do Colegiado do Fórum de Desenvolvimento Sustentável, das 8h às 12h.

A Unamacs é a primeira Universidade Aberta do Meio Ambiente da Bahia e do Norte e Nordeste neste formato, para capacitação de cursos e de educação informal, a terceira do Brasil, acompanhada da UMAPAZ (em São Paulo) e a Unilivre (em Curitiba) e a sétima no mundo. Mais informações: (75) 3322-9318.

Prefeitura confirma que Centro Comercial Popular será inaugurado em setembro

Em ritmo acelerado, as obras do Centro Comercial Popular, que vêm sendo executadas no Centro de Abastecimento, através de uma Parceria Público-Privada, deverão ser entregues à comunidade em setembro. Orçada em 50 milhões, a iniciativa é resultado de incessantes discussões que envolveram todos os segmentos organizados do Comércio da cidade.

Em visita técnica realizada ao canteiro de obras do equipamento, na manhã desta terça-feira, 20, o secretário do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior, acompanhou a implantação da fundação da estrutura metálica, etapa que será sequenciada pela colocação do piso.

Estacionamento terá capacidade para 600 veículos

Acompanhado dos coordenadores técnicos do projeto arquitetônico, ele também visitou o estacionamento que vem sendo construídos no piso superior do entreposto comercial, numa área de 23 mil metros quadrados, com capacidade para receber 600 veículos, com uma área exclusiva para carga e descarga de caminhões.

Pacto da Feira

A construção do Centro Comercial Popular é resultado de uma Parceria Público-Privada (PPP) entre o Consórcio Feira Popular S/A e a Prefeitura de Feira de Santana.

Denominado de Pacto da Feira, este projeto busca organizar e requalificar o comércio ambulante das ruas centrais da cidade e vai abrigar cerca de dois mil trabalhadores informais em boxes individualizados, dentro de um complexo arquitetônico dotado de conforto e moderna infraestrutura.

“Pela complexidade deste empreendimento e pelo seu alcance socioeconômico, o Centro Comercial Popular se inclui entre as maiores obras em execução em nosso Estado, e vai impulsionar significativamente a Economia do nosso Município”, ponderou Borges Júnior.

Lei municipal obriga farmácias afixarem de cartazes com informações sobre unidades de saúde

A Câmara de Vereadores de Feira de Santana, na manhã desta quarta-feira (21), aprovou em segunda discussão e por unanimidade dos presentes, o Projeto de Lei de nº 196/2017, de autoria do Cadmiel Pereira (PSC), que institui a política de afixação de cartazes indicativos de localização de hospitais, postos de saúde e atendimentos emergenciais próximos a farmácias e drogarias situadas no âmbito do município.

De acordo com da proposição, para fins de aplicação desta Lei, os cartazes deverão conter os nomes dos hospitais, postos de saúde e/ou atendimentos de emergência, com seus respectivos endereços e telefones.

O cartaz deverá ser afixado em local de fácil visualização, escrito de forma clara, precisa, ostensiva e em língua portuguesa, de modo a assegurar o atendimento do cidadão.

Os hospitais, postos de saúde e/ou atendimentos de emergência, cujas informações deverão estar contidas nos cartazes, são os mais próximos às respectivas farmácias e drogarias.

O Poder Executivo regulamentará esta Lei em até 90 dias, contados a partir da data da publicação.

Na hipótese de descumprimento do quanto estabelecido, a unidade de farmácia ou drogaria será autuada pelos órgãos de proteção ao consumidor e pagará multa no valor de cinco salários mínimos, cujo valor será revertido em favor do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

 

Fonte: Secom PMFS/BN/Ascom CMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!