23/02/2018

Feira: HM aplica protocolo internacional de triagem

 

As pacientes que chegam à emergência e urgência do Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, contam com o serviço que garante acesso rápido ao atendimento de saúde através de protocolo internacional denominado como Triagem de Manchester, ou acolhimento com Classificação de Risco.

Priorizando o atendimento de acordo com os sinais e sintomas apresentados pela grávida após a avaliação clínica, o setor de classificação de risco do HIPS, equipamento da Prefeitura de Feira de Santana, que funciona 24 horas desde o final de 2015, selecionou no ano de 2017 aproximadamente 36.585 pacientes com maior prioridade de atendimento, representando uma média de até 100 grávidas por dia.

Esse sistema da área de saúde, criado em 1994 como forma de estabelecer consenso entre médicos e enfermeiros dos serviços de urgência, determina o atendimento de acordo com a gravidade clínica de cada paciente identificada por cinco categorias existentes com nomes, cor, definições específicas e não por ordem de chegada, norteando a tomada de decisão ao avaliar o quadro clínico.

O processo de triagem e acolhimento com Classificação de Risco é uma ação de caráter interdisciplinar e envolve diversos profissionais, a exemplo de enfermeiros e médicos obstetras. Esses profissionais acolhem as gestantes e seus familiares de forma humanizada com qualidade, compromisso, ética e eficiência seguindo protocolo do Ministério da Saúde.

Pulseiras de cor sinalizam classificação de risco

A classificação de risco é sinalizada após a avaliação feita na paciente por pulseiras de cor vermelha (emergência), laranja (muito urgente), amarela (urgente), verde (pouco urgente) ou azul (não urgente). Pacientes classificadas com a cor vermelha (emergência) necessitam de atendimento médico imediato. A classificação laranja (muito urgente) é quando o atendimento deve ser realizado em até 15 minutos. A amarela (urgente) quando o atendimento deve ser feito em até 30 minutos. A classificação verde (pouco urgente) em até 120 minutos, pois são pacientes sem risco de agravo. Já a pulseira azul estabelece que o atendimento não é prioritário ou é solicitado o encaminhamento da gestante para um Centro de Saúde.

Informações da paciente e avaliação médica definem prioridade

“Colhemos as informações das pacientes juntamente com a avaliação do profissional, o exame físico, para classificar o atendimento. Em seguida, avaliamos se ela precisa de atendimento imediato ou se é um atendimento que pode ser postergado um pouco”, afirma a enfermeira do setor, Lícia Barbosa Lopes (foto).

Em uma sala estruturada na emergência da unidade hospitalar, a enfermeira faz o acolhimento, avalia os sintomas apresentados pela gestante, afere a pressão arterial, avalia o batimento cardíaco do bebê e realiza, quando necessário, o exame do toque para saber a dilatação.

Após avaliação, a gestante recebe orientações de acordo com seu caso e se há necessidade do retorno para a unidade de atenção básica ou se a mesma necessita ser encaminhada para o atendimento médico do hospital.

Triagem proporciona resultado em tempo menor

“Seguimos um protocolo de acolhimento e de atendimentos, no qual conseguimos triar as gestantes que são prioridades para o atendimento de emergência”, ratifica a presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (órgão mantenedor do Hospital da Mulher), Gilberte Lucas (foto). Segundo ela, através do protocolo internacional, é possível dar um resultado em um tempo mais curto e uma melhor assistência para as gestantes.

Hipertensa, gestante de 20 anos foi logo internada

A dona de casa Rosineide Pinto de Souza, 20 anos, chegou ao HIPS devido as 41 semanas de gestação. Ela, que recebeu a pulseira amarela (quadro classificado como urgente), é hipertensa e será mãe pela primeira vez de um menino. “Cheguei aqui porque já vou ter o neném, mas não senti dor nenhuma. A enfermeira viu que estou com pressão alta, avaliou os batimentos cardíacos do meu filho e me encaminhou para o atendimento médico para eu ser internada”, disse.

Pulseira verde para paciente pós-aborto, sem hemorragia

Outro exemplo de atendimento priorizado pelo setor de Emergência do Hospital da Mulher, Tayná de Oliveira de Jesus, de 22 anos, deu entrada após abortar com 3 meses de gestação. “Já passei pelo médico, vou tomar os medicamentos e fazer a curetagem”. A paciente como não teve hemorragia e estava com o colo do útero fechado, recebeu a pulseira verde (pouco urgente).

Iniciadas as aulas no CEU Jardim Acácia, ainda há vagas para várias atividades

As atividades de 2018 já foram abertas, mas ainda há vagas, para quem tem interesse em participar dos projetos desenvolvidos no Centro de Esportes e Artes Unificados (CEU) Jardim Acácia. A cerimônia de abertura aconteceu na segunda-feira, 19, com a presença do presidente da Fundação Egberto Costa, Antônio Carlos Coelho (o órgão é responsável, através da Prefeitura Municipal, pela gestão dos CEUs) e do coordenador do equipamento, Hemérito Neto.

No local são oferecidas atividades esportivas, oficinas do Programa Arte de Viver e do Programa Corra para o Abraço, esse último realizado pelo Governo do Estado da Bahia. Ainda há vagas disponíveis para karatê (todas as idades), karatê para deficientes, capoeira e pintura em tela.

As oficinas do Programa Arte de Viver, desenvolvidas nas praças do CEU e no Centro de Cultura Maestro Miro, também tem vagas disponíveis nos cursos:  canto coral, desenho em quadrinhos, street dance, violão, violino, teclado, teatro adulto, teatro adolescente, teatro infantil, teatro para melhor idade, pintura em tela, jazz, dança do ventre, dança popular, dança de salão, dança afro, e dança tribal. As maiores ofertas de vagas são para os cursos de teatro.

Os interessados podem entrar em contato pelo número (75) 3614-8410 e consultar as oficinas que há vagas. As atividades do Arte de Viver e as promovidas pelo CEU Jardim Acácia são gratuitas.

Mais de 300 alunos estão matriculados nos cursos

A professora de Educação Física, Micheline Castro (foto), disse que, atualmente, são cerca de 320 alunos matriculados nos diversos projetos. “Acredito que hoje são mais de 500 pessoas que transitam semanalmente no CEU”, estima. Ela registrou a parceria que existe com o CRAS na região e elogiou a coordenadora Vera Macedo: “extremamente atuante, ela nos abraça, abraça nossos projetos e eu abraço também os projetos que são parceiros do CRAS”. Ela também registrou a atuação do coordenador do CEU, Hemérito Neto, “que gerencia com eficiência todos os projetos e parcerias, apoiando sempre todos os profissionais que ministram oficinas e atividades aqui”.

Bailinho pré-carnaval anima retorno as atividades

Um bailinho pós-carnavalesco no Centro de Esportes e Artes Unificados (CEU) Jardim Acácia, animou o retorno as aulas dos projetos desenvolvidos para a comunidade do bairro. A diversão momesca aconteceu na quadra de esporte do CEU, com a entrada do grupo de percussão do Programa Corra para o Abraço. Depois foi a vez da fanfarra tocar e espalhar alegria e muita disposição na quadra.

TEATRO

Evento de abertura das atividades do CEU Jardim Acácia em 2018 também teve apresentação de teatro, para a alegria da comunidade presente.

Apoio da comunidade no Programa Corra para o Abraço

O Centro de Esportes e Artes Unificados (CEU) Jardim Acácia também oferece o Programa Corra para o Abraço, voltado para redução de danos e à promoção de direitos das pessoas em situação de rua. “Nós temos aqui a parceria da comunidade e isso tem sido bastante proveitoso”, disse Eliana Valadares (foto), arte-educadora do programa.

Cerca de 200 pessoas já adquiriram edital para licitação das barracas na Micareta

Aproximadamente 200 pessoas interessadas em montar ponto de venda de bebida e comida no circuito da Micareta 2018, na avenida Presidente Dutra, já adquiriram o edital da concorrência pública para buscar um espaço. A festa acontece de 19 a 22 de abril. A licitação, tipo maior preço, está marcada para o dia 21 de março. A entrega deste documento será feita até o dia 20 de março. Poderão participar do certame pessoas físicas e jurídicas.

Neste ano serão licitados 245 espaços padronizados e divididos em três lotes – 125 com 16 metros quadrados (lote I), para comida e bebidas, 150 com três metros quadrados (3), que serão destinadas exclusivamente para a venda de cerveja, água e refrigerantes. Os editais estão sendo entregues na Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, à rua Estados Unidos, 37, Kalilândia.

Outras 70 barracas, com quatro metros quadrados (2) de área coberta também serão licitadas. Destas, 30 serão disponibilizadas para a venda de capeta e 40 para a comercialização de lanches. O edital vem com os anexos que deverão ser preenchidos pelos concorrentes e todas as informações referentes ao processo.

Lance mínimo vai de R$ 100 a R$ 350, a depender do tamanho da barraca

O secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, disse que ao saber os valores mínimos a serem ofertados, os barraqueiros não enfrentarão problemas para traçar seus planos iniciais de trabalho durante a Micareta. “Acredito que teremos um certame licitatório sem problemas”. Para as barracas maiores, o lance mínimo será de R$ 350; as médias, R$ 200 e as menores, R$ 100. A entrega dos lotes acontecerá nos dias 7 de abril – os com 16 metros quadrados, e dia 8 os demais.

Projetada com quiosques e áreas de esporte e lazer, Prefeitura da início a mais uma praça

Consolidando a sua política urbanística de implantação de novos parques e jardins, dotando as áreas centrais e os bairros da cidade com modernos logradouros, voltados à estimular boas práticas de saúde e a convivência social, o Governo Municipal deu início, na manhã desta quinta-feira, 22, a construção de mais uma praça.

Localizada na confluência da avenida João Durval Carneiro com o início da rua Senador Quintino, entre a Rádio Subaé, o Colégio Polivalente e o Condomínio Parque dos Cajueiros, a nova praça está orçada em R$ 384 mil, e será entregue nos próximos seis meses.

O equipamento contará com um campo de areia com alambrado para futebol socyte, um parque infantil e um parque com aparelhos de exercícios apropriados para pessoas que se encontram na Terceira Idade; quiosques medindo 15 metros quadrados, torres de iluminação, áreas verdes e piso Inter travado.

Cuidados e manutenção

Isentos do pagamento de taxas pelo direito de explorar comercialmente os quiosques, em contrapartida, os permissionários destes estabelecimentos se comprometeram com a Prefeitura Municipal em zelar pelo equipamento.

Neste sentido, o projeto consta de um poço artesiano destinado a aguar as áreas verdes e a lavagem da praça, tarefas que ficarão sob a responsabilidade dos comerciantes.

 

Fonte: Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!