27/02/2018

Feira: Município convoca organizações para firmar parcerias

 

Organizações da Sociedade Civil (associações, fundações etc) interessadas em firmar parceria com o Município, em projeto de cunho esportivo, em qualquer modalidade, já pode apresentar proposta preliminar na Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. O prazo vai até o dia 20 de março. Só podem participar da convocação entidades com pelo menos três anos de constituídas. Os projetos devem conter valor proposto, período e local de realização e tabela.

Os projetos preliminares objetivam dar conhecimento ao Município da demanda desses eventos para fins de futuro Chamamento Público e devem cumprir o que estabelece o Decreto Nº 10.166/17 e Lei Federal nº 13.019/14. Serão selecionados aqueles que “atendam às necessidades do Município”.

Não precisam ser apresentados projetos baseados em emendas legislativas de Subvenção Social. Somente as entidades que apresentarem propostas em atendimento a esta convocação estarão aptas para o futuro Chamamento Público e para firmar parcerias de cunho esportivo com o Município no exercício 2018.

Operação retira lixo domiciliar, entulho e até animais mortos em canais de drenagem

A Prefeitura de Feira de Santana vem intensificando os serviços de limpeza e obstrução de drenagem e córregos do município, para o escoamento das águas pluviais. As ações estão sendo desenvolvidas por equipes do Departamento de Limpeza Pública da Secretaria Municipal de Serviços Públicos (SESP), por meio de trabalho mecanizado e manual.

Uma grande quantidade de resíduos sólidos, entulho, animais mortos e outros materiais inservíveis são despejados nesses locais, comprometendo a saúde pública, o bem-estar social e o meio ambiente.  Além de ligações clandestinas de esgotos lançados nos canais.

Segundo o órgão, somente este ano, já foram contemplados os canais do loteamento Tropical, no bairro Calumbi, assim como o da avenida Canal e uma grande parte dos canais situados nos bairros Feira V e Parque Ipê. Atualmente, estão sendo concluídos os serviços de limpeza no loteamento Parque Brasil, no bairro Conceição I.

Meta é fazer a limpeza de todos os canais e córregos com problemas

De acordo com o diretor do Departamento de Limpeza Pública do Município, Antônio Rosa (foto), o objetivo da operação é que todos os canais e córregos, existentes na cidade de Feira de Santana, e que apresentam problemas - a exemplo da vegetação alta e acúmulo de lixo - passem pela manutenção, que é praxe na ação deste órgão, periodicamente.

Por causa da prática de algumas pessoas, toda a população sofre riscos

O secretário de Serviços Públicos, Justiniano França, disse que o descarte irregular do lixo chama atenção nos canais de Feira de Santana. “A população precisa contribuir com a limpeza dos canais e córregos, evitando jogar nesses locais toda sorte de lixo e objetos, além de animais mortos”, conclama. Afinal, diz ele, a insistência de algumas pessoas, em praticar esse tipo de crime ambiental, é um dos principais fatores de risco para ocorrências como infestações de pragas e proliferação de doenças.

Muladeiros de várias cidades mostraram belos animais em encontro

Grandes, pequenos, claros, escuros. Bem arreados – selas de primeira, peitorais e rédeas brilhando. Burros de várias cidades baianas e de outros estados mostraram o que se aproxima de melhor há na raça durante o 9ª Encontro de Muares de Feira de Santana. Os conjuntos percorreram as principais ruas e avenidas do centro.

E os muladeiros, apaixonados pela raça, montam orgulhosamente seus animais e percorrem longas distâncias para participar destes eventos. Exibem as ditas “mulas de patrão”, aquelas de passadas macias que são montadas em eventos especiais. E o encontro de Feira de Santana é um dos maiores da Bahia – se não o maior deles.

Seguiram aboiadores, que estavam em um minitrio. Os burros e mulas, resultado híbrido do cruzamento de um jumento com uma égua, é uma raça com predominância nordestina, que detém 36% de todo o rebanho nacional. E a Bahia é destacada neste setor, não apenas pela quantidade destes animais, mas pela qualidade genética deles.

Bons animais não são colocados a venda, diz criador

Há mais de 40 anos no ramo, Renato Alencar, de Santo Amaro, disse que criar estes animais não é uma ciência exata. “Necessariamente um animal bonito vai gerar descendentes semelhantes”, ensina. O segredo está no estudo da genealogia. “Um jumento não muito bonito pode gerar bons filhos marchadores”. Outro conselho: “não se compra mula que lhe é oferecida”. Bons animais, diz o criador, não são colocados à venda.

Segundo ele, entre as mulas há uma predominância baiana, mas alguns estados, como Minas Gerais, tem mais tradição na criação destes animais. O cruzamento com campolina, dizem especialistas, produz animais grandes, bonitos; com mangalarga saem animais de pista e  machadeiras, e cruzamento com quarto de milha produz animais usados em vaquejada.

Feira: Vereador com posições homofóbicas se diz perseguido pelos fãs de Daniela Mercury

O vereador Edvaldo Lima (PP), durante pronunciamento na sessão desta segunda-feira (26), na Casa da Cidadania, afirmou está sendo perseguido por fãs da cantora Daniela Mercury. A perseguição e ameaças, segundo o vereador, tiveram início após ele ter afirmado que a artista não deve ser contratada pelo Município para animar a Micareta de Feira de Santana.

“Estou sendo perseguido pelos fãs de Daniela Mercury. Mas, não tenho medo de perseguidor. Respeito a cantora, mas defendo que ela não deve ser contratada pela prefeitura para cantar em Feira de Santana. Defendo a família, os valores e a moral. Não tenho medo de perseguição dos fãs que estão me ameaçando”, declarou o edil.

Edvaldo relembrou notícias veiculadas em diversos veículos de comunicação abordando o comportamento e a conduta da cantora durante o Carnaval. “Daniela faz gestos obscenos em cima do trio, xinga a polícia. Enfim, são várias matérias que denunciam a conduta deplorável dessa cantora no Carnaval”, afirmou.

FEIRA EM HISTÓRIA: Oscar Erudilho, um símbolo da Micareta Por Adilson Simas

Com todas as atenções da cidade já voltadas para mais uma micareta – sua maior festa popular, vale a pena lembrar artigo do falecido historiador Hugo Navarro, sobre a trajetória de Oscar Erudilho, considerado pelo cronista da Folha do Norte e por todos que o conheceram como “um dos mais importantes incentivadores e participantes da nossa grande festa de que é verdadeiro símbolo”.

- Oscar Erudilho da Silva Lima era filho do Major Juvêncio Erudilho da Silva Lima, prócer da “Soc. Filarmônica 25 de Março”, conselheiro municipal e destacado membro da comunidade, dono de chácara na rua que hoje tem o seu nome e vai da Barroquinha ao alto do Cruzeiro, antigamente simples vereda, local de aprazíveis e bucólicas caminhadas da gente da cidade. Ali, Oscar, ainda garoto, perdeu olho, atingido por inseto, o que o obrigou a usar artefato de vidro durante o resto da vida.

Ainda jovem Oscar mudou-se para o Rio de Janeiro, onde se tornou figura conhecida como nadador e ponta esquerda das divisões de base do C.R. do Flamengo e chegou a ser propagandista da cerveja “Cascatinha”.

De volta a Feira, deram-lhe o cargo de escrivão. Naquele tempo os processos eram manuscritos e Oscar tinha letra cheia de arabescos e enfeites, aprendidos certamente no Paleógrafo, que lhe dificultavam o entendimento. Na época, réus pobres eram defendidos, no Júri, por pessoas da comunidade, como Arnold Silva, Álvaro Silva Lima (Ioiô de Calú) e Áureo Filho.

Certa ocasião o Juiz, Joaquim Ferreira Coelho, entregou processo ao professor Áureo Filho para uma defesa. Áureo se esforçou para ler os depoimentos. Não conseguiu. Chamado, Oscar, depois de folhear os autos perguntou que diabo era aquilo. Teve que permutar o cargo com Gerolina Nunes Falcão, funcionária do Município.

Viu-se, de repente, transformado em tesoureiro da Prefeitura onde fez longa carreira como tesoureiro e secretário, espécie de imagem do governo municipal como homem da confiança de vários prefeitos, que representava em solenidades de toda ordem.

Não havia Semana da Pátria, enterro, inauguração ou Dia da Árvore onde não se encontrasse Oscar, gordo, roupa de linho branco, óculos escuros, sempre pronto para discurso e reclamando do calor (foi orador oficial da “25 de Março”). Discursava bem, na época em que se dava valor a esse tipo de habilidade.

Com o passar do tempo Oscar assenhoreou-se dos serviços municipais e de seus mecanismos, tornando-se indispensável a vários prefeitos que nada queriam com a administração, dando, a todos, ouvidos e explicações. Ao serviço nunca faltou e jamais chegou atrasado, pouco importando a farra da véspera.

Boêmio inveterado, autor de tiradas lembradas até hoje, quando certo prefeito, caçado por credores raivosos, ausentou-se da cidade (passou a residir em Salvador), Oscar portou-se heroicamente atendendo funcionários que lhe pediam o valor de “vales” e comerciantes a cobrar débitos diversos, puxando fumaça de cachimbo e explicando: meu querido (todo mundo para ele era “meu querido”) nem um tostão! Inventara maneira sucinta, mas definitiva, de dizer que o erário estava quebrado.

Vivendo no seio de sociedade fechada, preconceituosa, em grande parte hipócrita, a varrer defeitos e vícios para debaixo do tapete, como era a nossa, Oscar Erudilho resistiu o suficiente para farrear com representantes de várias gerações.

Morava na Rua da Aurora e durante algum tempo foi a mais importante figura daquele local. Sua casa ficava aberta durante todo o dia, frequentada por seus amigos, que podiam beber e comer, livremente, obedecendo apenas a uma proibição: ninguém ali poderia levar mulher para intimidades avançadas, prerrogativa apenas do dono da casa.

Oscar jactava-se de haver dançado, na inauguração do “Casino Irajá”, com bailarina que participou do show da festa. Era figura obrigatória na inauguração de todos os bares da cidade, não dispensava peru assado, com farofa e feijoada de feijão preto, aos domingos, e não faltava, com luzido séquito, às famosas matinées (que ocorriam nas tardes domingueiras) na “Euterpe Feirense”.

Agora, quando a Micareta volta a ser o assunto preferido da cidade, é justo relembrar Oscar Erudilho, um dos mais importantes incentivadores e participantes da nossa grande festa de que é verdadeiro símbolo.

 

 

Fonte: Secom PMFS/ Ascom CMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!