28/02/2018

Juazeiro: Paciente aprovam melhorias no Hospital Regional

 

O Hospital Regional de Juazeiro,  (HRJ), que integra a rede estadual de saúde da Bahia está passando por  ações de melhorias, tanto na estrutura física, como na assistência prestada aos pacientes. A equipe está  trabalhando de maneira intensa para ampliar a qualidade do atendimento, tudo norteado pelo respeito aos valores humanos como a humanização e  atenção aos pacientes.

As ações de melhorias  iniciadas há quase um mês, que tem como desafio,  mostrar que o hospital do  SUS funciona bem, está sendo alcançado, isso porque pacientes atendidos no HRJ aprovam as mudanças e garantem que estão tendo atendimento de qualidade.

É o caso da paciente Helenita de Castro Lima que deu entrada no hospital dia 19 de fevereiro, após sentir fortes dores no joelho.  Ele afirma que estava com receio de procurar um hospital público, no entanto, o HRJ superou suas expectativas. “Estava com dores  no joelho e procurei atendimento aqui no hospital, admito que estava com um pouco de receio, mas desde que cheguei aqui fiquei impressionada com o excelente atendimento. Fui avaliada pelo especialista, realizei vários  de exames aqui mesmo e já estou fazendo o tratamento. O corpo técnico de profissionais daqui é excelente, estou muito satisfeita com o atendimento desse hospital e só tenho a agradecer”.

Clésio Rômulo Teófilo tem  mesma opinião. Ele reconhece a qualidade no atendimento e diz que é um alívio fazer o tratamento perto de casa  "Quando cheguei aqui, vi um hospital organizado com profissionais atenciosos. É confortante saber que não preciso ir para outra cidade buscar atendimento. Estar dentro de um hospital, já é um momento difícil e ficar longe da família, seria pior.  Aqui no HRJ encontrei equipe empenhada com a recuperação do paciente, todos são comprometidos, dos médicos, passando pelos enfermeiros e até os funcionários da limpeza e pessoal do setor de exames. Essa atenção da equipe faz toda diferença no tratamento”, disse.

Outro motivo de  satisfação dos pacientes é a realização de  mutirões de pequenas cirurgias que acontecem periodicamente no Hospital Regional de Juazeiro, os quais,  estão dando resolutividade e diminuindo consideravelmente a demanda de procedimentos cirúrgicos.

Joanderson da Cruz foi um dos pacientes que aproveitou a agilidade do mutirão para buscar atendimento médico. “Eu já estava com um cisto na pele me incomodando há algum tempo, mas sempre adiava a ida ao médico porque seria particular. Ao saber do mutirão aqui no HRJ, que é público, aproveitei para fazer a consulta e já estou com a cirurgia marcada para proxima semana. Não imaginei que fosse ser tão prático e rápido”, comemorou.

José Vieira Neto também aproveitou o sábado de mutirão para saber como estava a saúde. “Ouvi o repórter Geraldo José dizendo no programa de rádio que o hospital estava fazendo mutirão, então,  corri pra cá. Cheguei e foi rapidinho, o médico me atendeu, passou exames e agora estou aguardando o resultado para ver se estou bem, ou se vou precisar de algo mais. O bom é que tudo é feito aqui mesmo no Hospital de Juazeiro”.

JUSTIÇA BLOQUEIA MEIO MILHÃO DE REAIS DO EX-PREFEITO DE CASA NOVA, ORLANDO XAVIER

A 1ª Vara do Tribunal Regional Federal da Primeira Região decretou a indisponibilidade de bens do ex-prefeito de Casa Nova, Orlando Nunes Xavier, que governou a cidade do norte da Bahia entre 2009 e 2012. O bloqueio atinge outras pessoas físicas e empresas e visa ressarcimento futuro no valor de R$ 554.465,28 devido a pagamentos considerados irregulares direcionados a fornecedores do município. A decisão é de 19 de dezembro, assinada pela juíza Andrea Márcia Vieira de Almeida, no processo nº 0003316-39.2017.4.01.3305.

Movida pelo Ministério Público Federal (MPF) em Juazeiro, a ação civil pública pede punição por improbidade administrativa para o ex-prefeito, dois ex-auxiliares, além das empresas Distribuidora do Vale, Distribuidora Ipupiara, Distribuidora Senhor do Bomfim, TMS Soares Restaurante Me, União Material de Construção Mercantil Ltda., e Jozamar Cícero De Souza E Companhia Ltda.

Débitos

Em 2016, o Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM) divulgou a relação dos gestores e ex-gestores que mais deviam multas e ressarcimentos aos cofres de suas cidades. À época, o ex-prefeito Orlando Nunes aparecia no topo dessa lista, já tendo sido obrigado a devolver R$2.216.562,23 motivado por irregularidades no uso de verbas públicas em diversas áreas da administração.

Ex – prefeito se diz surpreso com decisão da justiça

Ouvindo o ex - gestor Orlando Xavier, ele disse que foi surpreendido, no dia de hoje (27/02), com a forma que a notícia foi veiculada pela imprensa e nas redes sociais,  sobre a decisão proferida no processo nº 0003316-39.2017.4.01.3305,  na Justiça Federal - Subseção Judiciária de Juazeiro/BA, uma vez que não foi intimado ou teve acesso aos autos.  Ele esclarece que, no momento oportuno exercerá o direito de defesa e responderá todos os questionamentos.

Blitzes alertam para aumento do tráfego de veículos de grande porte em Umburanas

A Engie realizou na última quinta-feira (22), uma blitz educativa na cidade de Umburanas para alertar a população sobre o aumento do tráfego de veículos de grande porte na via de acesso externo dos Complexos Eólicos Campo Largo e Umburanas. Uma nova ação foi realizada nesta segunda-feira (26) no Posto da Policia Rodoviária Estadual, em Jacobina.

Durante a ação, a equipe distribuiu panfletos com informações sobre o horário de passagem dos veículos e medidas preventivas que garantem a segurança de todos no trânsito. “A blitz foi mais uma oportunidade de informar, esclarecer dúvidas, recolher sugestões e críticas e alertar para que sejam cumpridas as medidas de segurança, como respeito aos batedores, velocidade adequada, além do cuidado nas ultrapassagens, que reduzem os riscos de acidente”, afirmou o gerente da obra, Murilo Boselli.

 O trabalho de conscientização também será realizado nas comunidades afetadas diretamente pelos empreendimentos; Federal, Rodoleiro, Barriguda da Brasília, entre outras, no Município de Umburanas. O transporte dos equipamentos acontece de segunda à sábado, das 9h às 18h. Mais informações podem ser obtidas  na ouvidoria, através do telefone (74) 3528-1252, do email: ouvidoria.cecl.brenergia@engie.com ou no endereço: Praça Florisvaldo Carneiro, 4 - Centro – Umburanas (BA).

Sobre a ENGIE

A ENGIE está comprometida com um crescimento sustentável a fim de enfrentar os grandes desafios da transição energética na direção de um mundo mais descarbonizado, descentralizado e digitalizado. O Grupo tem por objetivo tornar-se o líder desse novo mundo da energia ao focar em três atividades-chave para o futuro: baixa produção de carbono, especialmente a partir do gás natural e energias renováveis, infraestruturas energéticas e soluções eficientes adaptadas para as necessidades de todos os seus clientes (pessoas, empresase regiões). A satisfação dos clientes, a inovação e as soluções digitais são os princípios orientadores do desenvolvimento da ENGIE.

Presente em cerca de 70 países, a ENGIE conta com 150.000 colaboradores em todo o mundo e obteve receitas de € 66,6 bilhões em 2016. Cotado nas bolsas de Paris e Bruxelas (ENGI), o Grupo está representado nos principais índices financeiros (CAC 40, BEL 20, DJ Euro Stoxx 50, Euronext 100, FTSE Eurotop 100, MSCI Europe) e não financeiros (DJSI World, DJSI Europe e Euronext Vigeo Eiris - World120, Eurozone 120, Europe 120, France 20, CAC 40 Governance).

Sobre a ENGIE Brasil

No Brasil, a ENGIE é a maior produtora privada de energia elétrica no País, operando uma capacidade instalada de 10.898,8 MW em 31 usinas em todo o Brasil, o que representa cerca de 6% da capacidade do País. O Grupo possui 90%de sua capacidade instalada no Brasil proveniente de fontes limpas, renováveis e com baixas emissões de gases de efeito estufa, posição que tem sido reforçada pela construção de novas eólicas no Nordeste e por uma das maiores hidrelétricas do País, Jirau (3.750 MW), localizada no rio Madeira, da qual a ENGIE detém participação de 40%.

O Grupo também atua na área geração solar distribuída e oferece serviços relacionados à energia, engenharia e integração de sistemas, atuando no desenvolvimento de sistemas de telecomunicação e segurança, iluminação pública e mobilidade urbana para cidades inteligentes, infraestruturas e a indústria de óleo e gás. Contando com 2.100 colaboradores, a ENGIE teve no Brasil em 2017 um faturamento de R$ 7 bilhões.

NOVA SEDE DA PGE É INAUGURADA EM JUAZEIRO

A Procuradoria Geral do Estado da Bahia (PGE) inaugurou, na noite de segunda (26), as novas instalações do seu núcleo regional no município de Juazeiro. A construção faz parte do programa de reestruturação do órgão e visa oferecer aos servidores e procuradores que lá atuam melhores condições de trabalho. A solenidade, que foi presidida pela procuradora geral adjunta, Luciane Rosa Croda, acompanhada do  procurador chefe da Procuradoria Fiscal, Nilton Gonçalves de Almeida Filho, contou com a presença de servidores, procuradores, autoridades e convidados.

“Esse é um momento emblemático para essa gestão, diante o fortalecimento da Advocacia Pública no interior do Estado. A ideia é fortalecer o nosso trabalho nessas regiões para que com isso o serviço público possa chegar e ser mais efetivo na prestação das suas atividades. É o Estado saindo da capital e vindo para o interior”, declarou a procuradora geral adjunta.

Com a reforma,a unidade, que atende a cerca de 58 municípios baianos, passa a contar com 04 postos de trabalho para procuradores do Estado, espaço para reunião, sala técnica, arquivo e 17 postos de apoio administrativo/estágio. Além da parte de infraestrutura, foram feitos investimentos também na compra de móveis e equipamentos e na ampliação da rede de internet, além da copa, banheiros e fachada. Os serviços foram executados em 90 dias em parceria com a Superintendência de Patrimônio da Secretaria de Administração do Estado da Bahia – SUPAT.

Há 17 anos na função, o procurador André Ângelo Ramos Coelho Mororó revelou que a reforma representa um ganho muito positivo para todos os servidores. “Nesses 4 anos da gestão do procurador geral, Paulo Moreno Carvalho, acompanhamos um grande avanço na gestão da PGE, tanto na capital quanto no interior, com destaque para a criação da Procuradoria do Interior, que na verdade foi recriada, justamente para termos mais autonomia, mais peso dentro da PGE. A medida que o Estado nomeia mais procuradores, que melhora as instalações, as condições de trabalho das procuradorias, ele tem a certeza de que isso vai trazer um retorno positivo para o Estado”, observou o procurador.

Representando o prefeito do município de Juazeiro, o procurador geral, Eduardo Fernandes, ressaltou que a mensagem era de alegria e de felicidade por ver uma nova realidade no âmbito da PGE. “Testemunhamos todo o empenho do procurador geral Paulo Moreno para trazer mais pessoal para essa Procuradoria e para melhorar a estrutura, porque uma advocacia forte é significado de atos mais firmes, sustentáveis e inabaláveis. Por isso aqui é um momento de agradecer e dizer que a PGE é uma grande parceira nossa, um exemplo de que devemos continuar obstinados em melhorar as condições do serviço público”, pontuou.

Projetos combatem a escassez hídrica na Bacia do Rio São Francisco

O município de Glaucilândia, no Território Norte, tem apenas 3 mil habitantes. Apesar de pequena, a cidade tem se destacado no combate à escassez hídrica na Bacia do Rio Francisco em Minas Gerais.

O Plano de Recuperação de Áreas de Preservação Permanente - Projeto Nascentes do Rio Verde Grande, desenvolvido por uma associação de agricultores familiares da região, tem ajudado a recuperar e a preservar nascentes desse rio, que é braço do Rio das Pedras, afluente do Velho Chico.

O trabalho conferiu à Associação dos Agricultores Familiares de Cava do Curral o 1º lugar do I Prêmio de Boas Práticas “Salve o Rio São Francisco”, na categoria Cidadão e OSC.

A premiação, ocorrida no último mês de novembro, foi promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) e também contemplou iniciativas de empresas e órgãos públicos.

Cava do Curral é uma comunidade na zona rural de Glaucilândia. Com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Codema) e de técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Minas Gerais (Emater-MG), agricultores locais conseguiram cercar quatro nascentes localizadas na cabeceira do Rio das Pedras.

“O turismo e a agricultura são as principais atividades econômicas da cidade. Com a falta de recursos hídricos, a economia do município foi prejudicada. A união da sociedade e do poder público permitiu que realizássemos as primeiras ações. O próximo passo é cercar o Rio das Pedras em Cava do Rural”, diz o secretário municipal de Meio Ambiente de Glaúcilândia, Cleidson Carpeggiane.

Segundo o secretário, para isso, são necessários recursos e de mão de obra. “O prêmio é uma forma de valorizar nosso trabalho e conseguir novos parceiros para dar continuidade ao projeto”, afirma Carpeggiane.

“Tivemos mais de 40 inscritos em cada categoria. Como 2018 é o Ano das Águas, este número deve aumentar ainda mais na próxima edição”, ressalta Ana Paula Aleixo Alves, responsável pela Comissão Gestora do Programa Ambientação da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam).

Educação ambiental

A Prefeitura de Contagem, no  Território Metropolitano, também tem se destacado com o projeto “Contagem das Nascentes”, por meio da recuperação de nascentes que fazem parte da Bacia do Rio São Francisco.

A medida é uma forma de preservar a estabilidade geológica, a biodiversidade e proteção do solo. A iniciativa conquistou o 1º lugar na categoria Órgão Público.

De acordo com o diretor de Planejamento Ambiental e Fiscalização de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Contagem, Eric Alves Machado, o projeto consiste na contagem, preservação e recuperação das nascentes, aliadas à monitoração e fiscalização constantes e também à educação ambiental.

“A comunidade participa efetivamente. Temos chamado as lideranças comunitárias para caminhar conosco e nos mostrar onde estão essas nascentes e como elas são utilizadas. Também é uma forma de resgatar a história e a memória dessas comunidades”, assinala Machado.

“Até o momento já catalogamos 100 nascentes, mas acreditamos que esse número deve passar de 4 mil. Queremos mostrar que a nascente não é apenas um ponto. Ela faz parte do São Francisco. Vamos criar um banco de dados que irá mudar o mapa hídrico de Contagem para dar essa dimensão”, diz o diretor.

Tecnologia

No universo corporativo também há projetos que utilizam a tecnologia para reduzir a captação de água proveniente de lagos, rios e do lençol freático na fabricação de produtos. É o caso da unidade da Nestlé Waters Brasil Bebidas e Alimentos de Montes Claros, no Território Norte, vencedora do prêmio do Sisema na categoria Empresas.

Desde 2011 a companhia tem investido na aquisição de equipamentos de última geração para reaproveitar a água evaporada no processo industrial de fabricação de leite condensado.

Segundo o gerente técnico da Nestlé em Minas Gerais, Ramon Pinheiro Cordeiro, a iniciativa é parte do compromisso global da multinacional de reduzir 35% da água gasta para cada tonelada de produtos fabricados.

Há dois anos a planta de Montes Claros foi ampliada para a instalação de uma fábrica de cápsulas de café. É a primeira unidade fabril da marca no mundo que não utiliza água potável retirada da natureza nos processos produtivos.

“A água extraída do leite condensado é suficiente para abastecer a indústria de cápsulas e ainda sobra para usar na fabricação de leite condensado. Em um ano, mais de 66 milhões de litros de água potável deixaram de ser retirados da natureza”, frisa Cordeiro.

Premiação

O Prêmio de Boas Práticas “Salve o Rio São Francisco” contemplou três categorias: melhor projeto ou prática de órgão público; melhor projeto ou prática de cidadão, grupo de cidadãos ou organização da sociedade civil, e melhor projeto ou prática de empresa.

Os trabalhos foram avaliados por uma comissão julgadora, que considerou os critérios de facilidade de replicação da prática, facilidade na conservação das águas da Bacia do Rio São Francisco, ganho na economia e no uso racional da água, originalidade e inovação, construção e participação coletiva, impactos positivos e benefícios para o meio ambiente e a sociedade e colaboração com a execução de políticas públicas.

 

Fonte: Ascon HRJ/BlogdoGeraldoJosé/Ascom Engie/Ascom PGE/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!