13/03/2018

Osba abre temporada 2018 com 'Série Jorge Amado' no TCA

 

A Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) retoma a Série Jorge Amado para abrir oficialmente a Temporada 2018 em concerto no próximo dia 22, às 20h, na Sala Principal do Teatro Castro Alves. Os ingressos para esta apresentação custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e já podem ser adquiridos nas bilheterias do TCA, nos postos de vendas dos SAC’s do shopping Barra e shopping Bela Vista ou pelo site da Ingresso Rápido. https://goo.gl/2b6PCj

Com curadoria artística e regência do maestro Carlos Prazeres, o concerto apresenta um repertório de alto nível sinfônico, com interpretações da ‘Sinfonia n° 5’, do compositor checo Gustav Mahler (1860-1911) e do ‘Concerto para Violino em Ré Maior’, do compositor austríaco Erich Korngold (1897-1957). Esta tem a participação especial do violinista Carmelo de Los Santos como solista convidado.

De acordo com a maestro Carlos Prazeres, com a escolha da Sinfonia n° 5 de Mahler, a Osba inicia oficialmente a sua temporada artística de 2018 com o pé direito. Lembrado por conectar a música do século 19 ao período moderno, as sinfonias de Mahler são um desafio a ser conquistado por grandes orquestras do mundo A presença de uma obra sua no repertório da Sinfônica da Bahia é muito simbólica, pois representa a consolidação dessa sua nova fase desde sua publicização, em abril de 2017, com a contratação de novos músicos e com sua programação artística intensificada.

Solista

O violinista Carmelo de Los Santos ganhou projeção nacional aos 16 anos quando foi o mais jovem vencedor do importante concurso brasileiro de música erudita, o ‘VII Prêmio Eldorado de Música. Já se apresentou em mais de 40 orquestras pelo mundo e trabalhou com renomados maestros como Michael Tilson Thomas e Alejandro Posada, tendo, em 2002, realizado sua estreia na cidade de Nova York, como solista e regente, no prestigiado Weill Recital Hall, do Carnegie Hall.

Museu Tempostal exibe o filme 'Estrelas Além do Tempo' nesta terça-feira

‘Estrelas Além do Tempo’ será o próximo filme exibido pelo apresentado pelo projeto ‘Tem Cine no Tempostal’, que o Museu Tempostal, localizado na Rua Gregório de Mattos, 33, no Pelourinho/Centro Histórico de Salvador, realiza desde fevereiro. Será nesta terça-feira (13), às 14h, gratuita e aberta para o público em geral, com disponibilização de 20 vagas, em decorrência da limitação do espaço.

O projeto faz parte da iniciativa ‘Circuito de Cinema nos Museus Dimus’, da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/Ipac), vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (Secult). Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail servicoeducativo.tempostal@gmail.com ou telefone (71) 3117-6383.

Hidden Figures (no Brasil, Estrelas Além do Tempo) é um filme de drama biográfico dos Estados Unidos de 2016 que conta a história de três matemáticas da Nasa - Katherine Johnson, Dorothy Vaughn e Mary Jackson. Dirigido e escrito por Theodore Melfi, baseado no livro homônimo de Margot Lee Shetterly. Estrelado por Taraji P. Henson, Octavia Spencer, Janelle Monáe, Kevin Costner, Kirsten Dunst e Jim Parsons.

O museu vem exibindo filmes educativos, relacionados a vários temas, como história, cultura, identitários e referentes a memória cultural”, informa a coordenadora do museu, Luzia Ventura, salientando que o projeto está sendo realizado também nos museus Udo Knoff, Centro Cultural Solar Ferrão e LabDimus, “como parte da programação de verão”.

O Museu

O acervo do Museu Tempostal é composto por postais, estampas e fotografias, em sua maioria, procedentes da coleção de Antônio Marcelino do Nascimento. As peças, datadas do final do século 19 e meados do século 20, representam imagens de valor histórico, artístico e documental da Bahia, do Brasil e diversos países do mundo, sobre as mais variadas temáticas. Integra os espaços administrados pelo Ipac. A visitação pode ser feita de terça-feira a sábado, das 13 às 17h, com entrada grátis.

"LáláB – Pague Minha Pauta" traz shows de Marcela Bellas com Daniel Cohen

Marcela Bellas e Daniel Cohen se apresentam nessa quinta (15) e sexta-feira (16), às 21h, no Lálá Multiespaço, como parte da programação do projeto LáláB – Pague Minha Pauta. O show traz músicas do novo trabalho que os artistas lançam em 2018, "Acorda", e outras que marcaram a carreira da cantora, como "Me Leve", "Por Outro Lado" e "Onde Foi Parar", além de regravações de sucesso da dupla, como "Além do que se vê" (Los Hermanos) e "A Palo Seco" (Belchior). Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5.

“Acorda” terá 12 faixas, todas produzidas pelo músico paulistano Daniel Cohen, com quem a cantora lançou em 2010 o disco COHEN & MARCELA, considerado o melhor disco do ano pelo site da UOL. “Sempre estive à frente do meu trabalho, com grandes parceiros ao meu lado. Cohen me conhece totalmente, pessoal e musicalmente é a pessoa certa para produzir e traduzir esse meu novo momento”, conta Marcela.

Além dos shows, os artistas participam de um bate-papo aberto ao público sobre seus processos de produção, distribuição e circulação da música na quinta-feira (15), às 22h, com entrada franca.

LáláB – Pague Minha Pauta

As apresentações fazem parte do projeto LáláB – Pague Minha Pauta, que realizará 40 shows e quatro oficinas entre os meses de janeiro e abril, no espaço cultural no Rio Vermelho. Com o apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo de fomento das secretarias da Fazenda e de Cultura do Estado da Bahia, por meio do Edital de Dinamização de Espaços Culturais, executado pela Diretoria de Espaços Culturais (DEC), as ações têm realização do Lálá com produção da Maré Produções Culturais.

  • SERVIÇO

SHOWS / LÁLÁB – PAGUE MINHA PAUTA

Quem: Marcela Bellas com Cohen

Quando: 15 e 16 de março, às 21h

Quanto: R$10 e R$5 (meia)

Onde: Lálá Multiespaço - Rua da Paciência, 329, Rio Vermelho.

Posse de conselheiros ocorrerá em meio a participação do CEC no Fórum Social Mundial

O Dia Mundial do Teatro ganha comemoração na próximo dia 27, mas para os integrantes do Teatro Griô, a festa já começa com a apresentação do espetáculo teatral “Minha Aldeia – Sessão de Histórias e Cantigas do Teatro Griô”. O espetáculo foi contemplado pelo Kit Difusão do Teatro da Bahia da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBA), programa que promove a memória e propagação de peças teatrais do estado.

A montagem dirigida por Rafael Morais terá apresentação única neste sábado (10), às 16h, no Cine Teatro Sesc Senac Pelourinho, a preços populares de R$ 10,00 (meia) e R$ 20,00 (inteira). O espetáculo, para todas as idades, consegue unir histórias densas e leves, engraçadas e líricas, que levam a refletir sobre nós mesmos, nosso olhar, nossa vivência em comunidade e nossa presença no mundo.

A peça traz mitos e contos populares de tradições africanas, afro-brasileiras, indígenas e ibéricas, entremeadas de cantigas. Muitas destas cantigas interagem diretamente na trama dessas narrativas. Algumas dessas histórias continuam vivas na tradição oral por conta das cantigas que as acompanham e possibilitaram a sua memória através dos tempos.

O Conselho Estadual de Cultura (CEC) está entre as diversas entidades que participarão do Fórum Social Mundial que acontece na capital baiana entre os dias 13 a 17 de março. A agenda de atividades em que está envolvida o Conselho se dá entre os dias 14 a 16 de março. A posse dos novos conselheiros de cultura, recentemente eleitos (confira aqui), acontecerá como uma mesa durante o evento no dia 14 (quarta-feira) no Museu de Arte da Bahia.

“A posse dos novos conselheiros no contexto da programação de que participará o CEC no Fórum Social Mundial é uma oportunidade de maior visibilidade e de ensejo para um processo formativo para o conjunto dos conselheiros. É um evento singular para todos os segmentos culturais no Estado, porque se trata de um amplo debate sobre temas que mesmo quando não sejam exclusivos das políticas públicas da cultura, dialogam enormemente com as questões sócio-econômicas-culturais e ambientais”, ressaltou o presidente do CEC, Emílio Tapioca.

O evento, de caráter mundial, acontece em diferentes partes do mundo desde 2001 quando teve sua primeira edição realizada na cidade de Porto Alegre. Desde então, o lema do encontro que congrega centenas de entidades e movimentos sociais é a construção de “um outro mundo possível. Este ano, a palavra de ordem que vem se somar é: “resistir é criar, resistir é transformar”. A expectativa é de que sejam debatidos e construídos consensos sobre temas globais e urgentes enfrentados em todo o planeta.

Formando o Comitê de Políticas Culturais que tem a participação do Movimento Social dos Povos Brasileiros, da Organização Filhos do Mundo, da TV Kirimurê, do Instituto Hori, da Rede Colaborativa de Cultura, Arte e Informação (ITEA), da Comissão Estadual dos Pontos de Cultura, do Fórum de Cultura da Bahia, do Movimento Verdetrem do Subúrbio Ferroviário de Salvador, da Associação dos Dirigentes Municipais de Cultura, da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias, o CEC procurará fortalecer a articulação com e entre os agentes culturais presentes e advindos de todo Estado.

O tema prioritário das mesas e atividades do Comitê serão as políticas públicas de cultura, com foco em identidade e territorialidade, além da questão da censura sobre a criação e a expressão artístico-cultural em tempos de avanço de agendas que visam intimidar a liberdade criativa.

“A participação de conselheiros estaduais, municipais e nacionais, dentro do Fórum, é importante porque as demandas que um Conselho deve assumir na perspectiva da criação de políticas públicas é pautada ainda mais pela sociedade civil. Nesse sentido, organizar e refletir os Conselhos nesse espaço é importante para acolher essas pautas”, afirmou Ana Vaneska, vice-presidente do CEC.

AGENDA DE PARTICIPAÇÃO DO CEC DURANTE O FÓRUM:

13 de MARÇO

17h | Marcha de Abertura do Fórum Social Mundial (Concentração no Campo Grande)

14 de MARÇO

Horário: 8h – 11h | MESA: Análise de Conjuntura da Situação do Brasil à luz das Políticas Públicas de Cultura

Convidados:

Juca Ferreira – Ex-Ministro da Cultura e atual Secretário de Cultura de Belo Horizonte

Albino Rubin – Professor titula da UFBA e ex-secretário de Cultura da Bahia

Mediador:

Emílio Tapioca – Presidente do Conselho Estadual de Cultura da Bahia

Local: Museu de Arte da Bahia (Avenida Sete de Setembro, n° 2340, Corredor da Vitória)

Horário: 11h15 – 12h | EXPOSIÇÃO E CONVERSA COM ARTISTA: “A peleja da Galera Omô Loldô contra o Condado Brasiliense” de Renato da Silveira

Local: Museu de Arte da Bahia

Horário: 14h | Plenária de posse de conselheiros e conselheiras estaduais da Bahia – Eleições 2018

Abertura da sessão:

Fala da secretária de Cultura da Bahia, Arany Santana

Fala da mesa diretora do CEC: Emílio Tapioca (presidente) e Ana Vaneska (vice-presidente)

Apresentação: Projeto Cultura Legal

Fala do Conselheiro Estadual de Cultura e promotor do Ministério Público da Bahia, Edvaldo Vivas

Apresentação: “220 anos da Revolta de Búzios”

Fala do Conselheiro Estadual de Cultura e Diretor Geral da Fundação Pedro Calmon (FPC), Zulú Araújo

Apresentação: Setorial das Artes, Planos Setoriais

Fala da Conselheira Estadual de Cultura e Diretora da Fundação Cultural do Estado da Bahia, Renata Dias

Fala do Conselheiro Estadual de Cultura da Bahia, Fernando Teixeira

Local: Museu de Arte da Bahia

15 de MARÇO

Horário: 9h – 11h30 | Mesa: Os desafios da Lei Cultura Viva

Mediação: Helder Bonfim - Fórum de Cultura da Bahia

Convidados:

Lula Dantas – Comissão Nacional dos Pontos de Cultura

Pedro Jatobá - Rede Colaborativa de Cultura, Arte e Informação (ITEIA)

Local: Museu de Arte da Bahia

Horário: 13h | MESA: O Papel dos Conselhos de Cultura

Apresentação: Emílio Tapioca - Presidente do Conselho Estadual de Cultura da Bahia

Convidados:

Pawlo Cidade – Secretário de Cultura de Ilhéus.

Aurélio Schommer– Conselheiro Estadual de Cultura da Bahia

Mestre Paulão – Conselheiro Nacional de Política Cultural (CNPC)

Mediação:

Ana Vaneska - Vice-presidente do Conselho Estadual de Cultura da Bahia seguido de:

Horário: 15h | Apresentação: Dança e Identidade

Alunos da Escola de Dança da FUNCEB-

Apresentação de 4 (quatro) performance

Bate papo

Horário: 16h | Projeto Fala Sociedade:

Rede Nacional das Bibliotecas Comunitárias -

Pedra de Bendegó – Conselheiro Estadual de Cultura - Carlos Silva

Verde Trem – Gilson Jesus Vieira

Boca de Brasa – Douglas Almeida / Edilson Dias

Local: Museu de Arte da Bahia

16 de MARÇO

Horário: 9h - 12h | Assembleia das Mulheres

Local: Pavilhão de Aulas Reitor Felipe Serpa - Universidade Federal da Bahia

Horário: 13h | MESA: Patrimônio em movimento

Apresentação: Ana Vaneska - Vice Presidente do Conselho Estadual de Cultura da Bahia

Convidados:

Eugenio Lins – Arquiteto, Doutor em História das Artes pela universidade do Porto/Portugal

João Carlos Cruz de Oliveira – Conselheiro Estadual de Cultura da Bahia e Diretor Geral do IPAC – Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia

Mediador:

Mateus Torres – Conselheiro Estadual de Cultura da Bahia e Coordenador de Preservação e Fomento do CCPI – Centro de Culturas Populares e Identitárias

Horário: 15h | Povos e Comunidades Tradicionais – Educação Anti-racista

Convidado:

Francisco Nascimento - Conselheiro Estadual de Cultura e Mestrando em Ensino e Relações Étnico – Raciais - UFSB, membro do Terreiro Bantu/Indígena Caxuté -

Mediadora:

Suely Mello – Conselheira Estadual de Cultura da Bahia e representante da Comissão Estadual dos Pontos de Cultura

Horário: 16h | Capoeira e Gestão Sócio Cultural - Roda de Conversa

Convidados:

Mestre Balão - Mestre de Capoeira e empreendedor sócio, cultural e esportivo. Fundador de Presidente do Instituto CTE Capoeiragem

Lucas Seara - Advogado e Mestre em Desenvolvimento e Gestão Social pela UFBA

Mediadora:

Maria Paula Fernandes Adinolfi – Antropóloga do IPHAN / Coordenadora da Salvaguarda da Capoeira na Bahia

Horário: 17h | MESA: Porque o Samba nasceu foi na Bahia

Convidados:

Rosildo Rosário – Membro fundador do Grupo Cultural Chegança Fragata Brasileira da cidade de Saubara

Alexnaldo dos Santos - Coordenador geral da ASSEBA (Associação dos Sambadores e Sambadeiras do Estado da Bahia)

Mediador:

Cristiano Pedreira – Representante do Instituto Hori e da Associação Comunitária e Recreativa do Afoxé Filhos do Congo

Local: Museu de Arte da Bahia

 

Fonte: Ascom Osba/Dimus – Ipac/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!