13/03/2018

Feira está esquecida pelo Governo do Estado, acusa vereador

 

No uso da tribuna, na sessão ordinária desta segunda-feira (12), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Cadmiel Pereira (PSC) critica violência em Feira de Santana e afirma que Governo do Estado não apresenta propostas para a cidade.

“Conseguimos ver em Feira um grande trabalho do Governo Municipal, mas do Governo do Estado a situação é vexatória. A cidade já parou no Jornal da Manhã, da Rede Globo, mostrando ser uma das cidades com maior índice de violência do país. Já estamos batendo recorde de homicídios, feminicídios, latrocínios e mais. Quando o cidadão não encontra segurança pública, ele investe na privada e muitos optam por morar em condomínio por conta da insegurança”, relatou.

E continuou. “O Jornal Folha do Estado trouxe em sua manchete uma operação da Polícia Militar em um condomínio no bairro Vila olimpia Isso mostra que a insegurança já chegou até mesmo nos condomínios fechados.  Imagine como está vivendo as pessoas que moram em periferias. A insegurança já assolou também os distritos, isso porque a PM recebe pouco combustível para desempenhar a segurança de qualidade na zona rural”, pontuou.

Ainda no uso da tribuna Cadmiel fez questionamentos e observações. “Quem é o grupo que está gerindo o Governo do Estado? Na cultura temos um Centro de Convenções que está parado há 14 anos e por isso perdemos de realizar grandes eventos. Temos a Usina de Algodão, na Avenida Senador Quintino, abandonada há muitos anos. Para que serve aquela usina?”, questionou.

Cadmiel lembrou mais que a população paga tributos, mas não enxergar propostas do Governo do Estado. “Enquanto todos os dias acompanhamos anúncio e início de obras por parte do Governo Municipal.  Não temos obras do Governo do Estado, não temos ampliação do aeroporto, não temos  a construção do novo hospital e ninguém diz nada”, lamentou.

Em aparte, o vereador Isaías de Diogo (PSC) questionou sobre o Casarão dos Olhos D’Água, que hoje é administrado pela família Pedra. “Hoje está fechado. Antes o Governo do Estado tivesse desapropriado e reformado”, analisou.

Reunião esclarece situação das empresas terceirizadas que prestam serviços à Uefs

Prestar esclarecimentos acerca da atual situação das empresas terceirizadas que prestam serviços para a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) foi o intuito da reunião promovida pela Administração Central da Universidade, no último sábado (10).  Centenas de trabalhadores terceirizados participaram do evento que ocorreu no hall do Auditório Central e contou com a presença do reitor da Uefs, professor Evandro do Nascimento, e do chefe da Unidade de Insfraestrutura e Serviços (Uninfra), Saulo José Rocha.

De acordo com o reitor, os atrasos salariais estão ocorrendo por falhas das próprias empresas terceirizadas. “Enfatizamos que a Uefs tem condições financeiras de pagar às empresas, mas estas não estão com a documentação regularizada, e descumprem os contratos. Por isso, mudanças serão feitas e novas empresas serão contratadas em caráter emergencial. As empresas atuais serão penalizadas administrativamente dentro do que permite a legislação estadual”, explicou.

Participaram da reunião, que foi dividida em dois momentos, trabalhadores da segurança, da limpeza, carga e descarga, telefonia, jardinagem, creche e manutenção predial. Na oportunidade, o chefe da Uninfra, Saulo Rocha, detalhou a situação específica de cada empresa responsável por categoria de serviço.

No decorrer do diálogo, os terceirizados tiveram a oportunidade de tirar dúvidas e aprovaram a iniciativa da Administração Central da Uefs. “Achei muito proveitosa a reunião, tudo ficou esclarecido e, por isso, agora me sinto mais segura. A gente estava precisando de um momento como esse”, declarou Marizete Sena, que atua na segurança. Já para Edilson Santos, trabalhador da manutenção, “a reunião mostrou que eles estão preocupados com a gente e não estão escondendo nada do que está acontecendo”.

O reitor da Universidade destacou ainda que a intenção em realizar a reunião foi a de tratar com respeito e transparência os trabalhadores terceirizados. “A Administração da Universidade se solidariza com nossos trabalhadores terceirizados e envidará todos os esforços para superar esse quadro atual”, completou.

Vereador quer devolução de dinheiro destinado à Associação Zenza

O vereador Edvaldo Lima (PP), durante discurso na tribuna da Casa da Cidadania, denunciou que a Associação Cultural e Bloco Afro Carnavalesco Zenza não realizou a prestação de contas do patrocínio da ordem de R$ 230 mil repassado pela Prefeitura de Feira de Santana para divisão entre os blocos na Micareta no ano de 2017.

De acordo com o edil, a procuradoria do Município acionou o Ministério Público para que as providências sejam adotadas. “A Associação Zenza recebeu R$ 230 mil do Município na Micareta 2017 para dividir com os blocos que iriam desfilar na festa. Mas, não houve divisão e o governo pediu a prestação de contas e ao constatar que também não foi realizada, o procurador Cleudson Almeida acionou o Ministério Público para que haja a devolução do dinheiro”, denunciou.

Edvaldo voltou a defender que não haja liberação de dinheiro público para patrocínio de festas. O edil lembrou que não votou a favor da liberação do recurso. “Dinheiro público não é para fazer festa. Quero parabenizar o procurador geral do Município, o secretário de Cultura, Edson Borges, e o prefeito José Ronaldo de Carvalho pela atitude. Dinheiro público é para ser investido em educação, saúde e segurança pública”, concluiu.

Nery denuncia abuso de empresas de transporte coletivo

O vereador Alberto Nery denunciou os abusos praticados pela empresa de transportes Juju Transporte, que faz linha para as comunidades dos povoados de Casa Nova, Lagoa da Camisa Varinhas, Fazenda Rumo e Água Grande, na zona rural do município de Feira de Santana.

“Em visita ao gabinete do nosso mandato, representantes dessas comunidades reclamaram e pediram providências para resolver e coibir a prática que está sendo utilizada pela empresa Juju Transportes. Segundo relato dos moradores, os ônibus que fazem essas linhas estão constantemente sujos, com as cadeiras sem condições de uso, cobram passagem aos idosos desrespeitando a lei do passe livre, cobram mercadorias dos passageiros sem observar critérios de tamanho ou peso, aplicando valores absurdos”, denunciou.

Ainda segundo o edil, os usuários do serviço afirmaram que não há fiscalização dos prepostos da Secretaria Municipal de Transporte. “Os passageiros reclamaram, ainda, que é cobrada passagem aos cadeirantes, não há cumprimento de horário e não param no ponto para o passageiro que tem direito ao passe livre”, completou.

Nery cobrou providências. “O governo fez licitação para regulamentar o serviço de transporte no município e, recentemente, promoveu licitação o sistema de vans do município. Mas, essas empresas continuam operando no sistema. A quem essa secretaria está servindo?”, questionou.

“A Lagoa Grande está servindo de sanitário para despejo de esgoto”, denuncia vereador

O vereador João Bililiu (PPS), em pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, voltou a cobrar do Governo do Estado a conclusão dos serviços de esgotamento sanitário do entorno da Lagoa Grande. Exibindo fotografias feitas no local, o edil afirmou que os moradores estão enfrentando transtornos com o esgoto que corre a céu aberto nas ruas dos bairros vizinhos à Lagoa.

“Quero lamentar, mais uma vez, o descaso do Governo do Estado com as obras da Lagoa Grande. Na quarta-feira estive no local e percebi a precariedade do esgotamento sanitário naquele local. A Lagoa Grande, quem dizem que está sendo revitalizada, está servindo de sanitário para despejo de esgoto. Os moradores estão sofrendo com essa situação”, afirmou.

Bililiu convocou o secretário municipal de Meio Ambiente, Sergio Carneiro, para visitar o local e conferir de perto a situação.”O Ministério Público precisa ser acionado para que as devidas providências sejam tomadas. Essa situação é um descaso com os moradores dos bairros vizinhos aquela Lagoa”, protestou.

O vereador Cadmiel Pereira (PSC) parabenizou o colega pelo discurso. “Quero parabenizar o vereador Bililiu pela coragem de trazer, mais uma vez, esse problema para o conhecimento desta Casa. Só de olhar estas fotos já percebemos que isso é uma questão de falta de vergonha na cara. O Governo do Estado queria empurrar para o Município uma obra inacabada. Cadê a grande obra da Lagoa Grande?”, questionou.

Para a vereadora Gerusa Sampaio (DEM) e o vereador Carlito do Peixe (DEM), a população precisa ter consciência que as obras de esgotamento sanitário são de competência do governo estadual. “A comunidade ainda acredita que é o Município que está em falta com ela. Mas, é preciso entender que a responsabilidade de resolver esse problema é do Governo do Estado”, ressaltou Gerusa.

OPOSIÇÃO

O vereador Alberto Nery (PT) lamentou que os colegas não reconheçam o benefício que o governo do estado fez na Lagoa. “Não reconhecer o benefício feito pelo Estado naquele equipamento é ingratidão. O Município deveria ter feito o plano de saneamento básico para realização do serviço de esgotamento sanitário, mas não fez. Por isso, a obra ainda não foi concluída”, informou.

Ensaio traz clima de Micareta e agita o MAP

A contagem regressiva para o primeiro e maior Carnaval fora de época do Brasil já começou e tem como palco principal o Mercado de Arte Popular (MAP), onde o ensaio da Micareta vem ocorrendo todos os sábados. E neste fim de semana não foi diferente, com a animação puxada pelo grupo Outros Baianos, que atraiu público recorde, ao ritmo de muito samba e axé.

A iniciativa faz parte do projeto Ensaio de Micareta, patrocinado pela Fundação Cultural Egberto Tavares Costa. “Visa apoio à Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer, que é encarregada por promover a Micareta”, explica o superintendente Antônio Carlos Coelho.

Os ensaios foram iniciados em fevereiro e abertos por Djalma Ferreira e seus convidados, que retornarão na semana que antecedem a Micareta, possivelmente também com as participações de J.Veloso, Márcia Porto e Mano Gavazza.

Além do MAP, o projeto também já foi levado para a Mangabeira e o Parque da Lagoa Erivaldo Cerqueira. E este mês segue sob o comando do grupo Os Outros, que está comemorando 10 anos de formado e que trouxe ao palco neste sábado, 10, os cantores Janno Carvalho e Tanny Brasil, além da convidada especial Cris Souza, da banda Balada Clã.

 

 

Fonte: Ascom CMFS/Ascom UEFS/Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!