14/03/2018

Turismo doméstico na Bahia cresce após alta estação

 

Após a alta estação, cresce o turismo doméstico na Bahia, proveniente de Salvador e de municípios baianos como Feira de Santana e Vitória da Conquista. Nessa época, cerca de 70% dos turistas são baianos e de Estados vizinhos, como Alagoas, Pernambuco e Sergipe. Isto porque, com preços mais baixos e aeroportos menos disputados, os turistas nacionais descobriram a vantagem de viajar na baixa temporada. De acordo com o Ministério do Turismo, em 2017, o Nordeste foi o destino mais escolhido pela maioria dos brasileiros.

Na Bahia, Morro de São Paulo e Boipeba são as localidades mais procuradas. Entre os atrativos da região estão as belas paisagens, os esportes radicais, a visitação às baleias, os manguezais, as trilhas e o turismo histórico na sede Cairu. Em Morro de São Paulo, destaque para recém-inaugurada Fortaleza do Morro, atração que valoriza a história de ocupação do lugar visando a preservação do patrimônio e a sua sustentabilidade.

Além das praias, outro atrativo são os esportes radicais na Primeira Praia, que conta com a maior tirolesa da América Latina: mais de 700 metros de queda livre e área para mergulho. Na Terceira e Quarta Praia, a atração é a gastronomia dos bares e restaurantes.

Outra pedida são os passeios de barco pelas piscinas naturais nas ilhas Boipeba, Garapuá e Moreré. A programação abarca ainda esportes náuticos nas praias da Gamboa. Quem prefere curtir badalação e festas as melhores opções da programação noturna estão na Vila. Após o por do sol, bares, restaurantes, lojinhas e feira de artesanatos são um convite para iniciar a noite.

Morro de São Paulo e Boipeba são boas opções para o feriado da Semana Santa

As praias de Morro de São Paulo, Boipeba, Garapuá e Moreré são opções para quem procura por águas mornas e claras, belas paisagens, tranquilidade e também aventuras e esportes radicais. Após a alta estação, o turismo doméstico é maior, cresce o fluxo de turistas provenientes de Salvador e das grandes cidades baianas como Feira de Santana e Vitória da Conquista. Nessa época cerca de 70% dos turistas são baianos e de estados  vizinhos como Alagoas, Pernambuco e Sergipe.

Com preços mais baixos e aeroportos menos disputados, os turistas nacionais descobriram a vantagem de viajar na baixa temporada. De acordo com o Ministério do Turismo, em 2017, o nordeste foi o destino mais escolhido pela maioria dos brasileiros. Na Bahia, Morro de São Paulo e Boipeba são os mais procurados.

O que fazer na ilha

Entre os atrativos da região, além das águas claras e mornas, estão as belas paisagens, esportes radicais, visitação as baleias, manguezais, trilhas e o turismo histórico na sede Cairu. Em Morro de São Paulo também é possível aproveitar o turismo local, a Fortaleza do Morro recentemente reinaugurada, é um grande atrativo para o turista, muito conhecido pela sua história, a Fortaleza valoriza a história de ocupação do lugar visando a preservação do patrimônio e a sua sustentabilidade.

Durante o dia, a agenda preferida será de praia e sol. Quem prefere esportes, ainda mais radicais, a Primeira Praia, conta com a maior tirolesa da América Latina – mais de 700 metros de queda livre e área para mergulho. Na Terceira e Quarta Praia, a atração é a gastronomia dos bares e restaurantes.

Uma ótima pedida também são os passeios de barco pelas piscinas naturais nas ilhas Boipeba, Garapuá e Moreré. A programação abarca ainda esportes náuticos nas praias da Gamboa.

Quem prefere curtir badalação e festas as melhores opções da programação noturna estão na Vila. Após o pôr do sol, bares, restaurantes, lojinhas e uma feira de artesanatos, anima o início da noite.

A vantagem para curtir o primeiro feriado após o Carnaval em um lugar paradisíaco, é o baixo custo. Fizemos duas simulações com preços acessíveis para o turista aproveitar a oportunidade e correr para  Morro de São Paulo. A ilha que pertence ao município de Cairu, tem grandes atrativos locais e no seu entorno.

  • Segue nossa dica:

Como Chegar

- 1ª Opção:

Travessia de ferry até Bom Despacho, sai por R$ 5 (dia de semana) e R$ 6,70 (final de semana), a passagem por pessoa. Chegando no Terminal Rodoviário de Bom Despacho, pegar um ônibus até Valença, sai por R$ 30. De lá pega um barco por R$12  (viagem dura em torno de 1h30). Se optar por lancha, a travessia fica por R$ 25 (40 min de viagem).

- 2ª opção:

Se a opção for atravessar de ferry e com carro pequeno, a passagem fica R$ 45 (dia de semana) e R$ 63 (final de semana). De lá segue até valença, deixa o carro no estacionamento do atracadouro Bom Jardim, que custa R$15 (por data) e lá tem a opção de ir de barco por R$ 12 (viagem dura em torno de 1h30) ou por lancha, que custa R$ 25 (40 min de viagem).

Chegando em Morro de São Paulo, todo turista precisa pagar uma tarifa no valor de R$ 15, por todo o período que ficar no local. A Tarifa por Uso do Patrimônio do Arquipélago (TUPA) tem o objetivo de assegurar a manutenção, restauração, e preservação do patrimônio histórico, cultural, ambiental e estrutural do arquipélago, bem como as condições ambientais e ecológicas da APA Tinharé. O valor pode ser pago em espécie e cartão de débito.

A dica também é sempre pesquisar a hospedagem antes e escolher aquela pousada com conforto, comodidade e preço baixo.  Durante a baixa estação, o valor da hospedagem fica em torno de R$250 a diária do casal.

Apontado como o terceiro destino turístico da Bahia, o Morro de São Paulo é um recanto de beleza exuberante, praias, manguezais, restinga e mata atlântica. Recebe aproximadamente 200 mil turistas ao ano. Do total 85% de turistas ficam em Morro, 15% vão para as outras praias da região, como Boipeba e Moreré.

De acordo com a Secretaria de Turismo, o município de Cairu conta com aproximadamente 11 mil leitos em hotéis em mais de 3% dos leitos são em pousadas, hostels e campings.

Bahiatursa divulga zonas turísticas baianas na Abav de Minas Gerais

A musicalidade, as praias, as cachoeiras e a hospitalidade baiana sempre atraíram o mineiro. Com o objetivo de estreitar ainda mais esses laços, a Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa) participa do 12º Salão de Turismo da Abav/MG, em Belo Horizonte, um dos principais eventos do setor turístico mineiro, na próxima sexta-feira (16).

Com estande próprio, a superintendência vai realizar ações promocionais com a presença de uma baiana tipicamente trajada, recepcionando os visitantes no estande e entregando fitinhas do Bonfim. No local será feita a distribuição de material com informação das 13 zonas turísticas, roteiros, segmentos, produtos e serviços turísticos, além da capacitação e contatos com as operadoras de turismo presentes no evento, em busca de parcerias e futuros relacionamentos.

“Minas Gerais é um dos maiores emissores de turistas para a Bahia. A participação no evento é uma oportunidade de promoção da Bahia a um público bastante receptivo ao nosso estado, que adere à maioria das ações realizadas”, afirma o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado.

De acordo com Medrado, Minas Gerais é um dos estados que mais investe em promoções e anúncios com pacotes de vendas para a Bahia, sendo uma referência. “A nossa participação é de grande importância para mantermos essa fatia de mercado e ampliarmos nossas parcerias, buscando o incremento de vendas de pacotes de viagem para o nosso Estado”, completa.

Segundo o Cadastur (MTUR 2017) são 1540 agências de viagens em atividade no estado de Minas Gerais, sendo 635 na capital. Estima-se um público de mais de 1 mil visitantes na 12º Salão de Turismo da Abav/MG, entre agentes de viagens, operadoras de turismo, jornalistas do setor e formadores de opinião.

Gestores discutem ações para fortalecimento de Zonas Turísticas

Reunidos na Secretaria do Turismo do Estado da Bahia (Setur), os coordenadores das Instâncias de Governança das Zonas Turísticas discutiram, nesta terça-feira (13), ações para o fortalecimento do setor. A formalização dos meios de hospedagem foi uma das medidas sugeridas aos representantes dos municípios.

As Instâncias de Governança Regional são as Câmaras Técnicas encarregadas da coordenação, acompanhamento e gestão das regiões turísticas da Bahia, afinadas com os programas da Secretaria do Turismo do Estado. São coordenadas por representantes voluntários da iniciativa privada.

Durante a abertura dos trabalhos, o secretário estadual José Alves (Turismo) recomendou a formalização dos meios de hospedagem, observando as vantagens de o município avançar nas categorias do Mapa Turístico, ao mesmo tempo em que o turista ganha qualidade, contratando um prestador de serviço regularizado.

José Alves também apresentou uma síntese dos mais recentes resultados obtidos com a política de ampliação da malha aérea. A Latam, por exemplo, colocará em operação o voo Miami-Salvador.

A partir de junho, a Gol vai oferecer o voo Rosário (Argentina)-Salvador. A Cabo Verde Airlines pretende lançar em abril novas frequências para a Bahia, com perspectiva de operação a partir de junho. Em julho, será iniciado o voo Panamá-Salvador, da Copa Airlines. “Essa logística é fundamental para que possamos ampliar o fluxo de turistas”, afirmou o secretário José Alves.

Em seguida, o representante do Batalhão Especializado de Polícia Turística (Beptur), comandante Josehilton Martins dos Santos, fez uma explanação sobre o trabalho da corporação.

Articulada pela Superintendência de Serviços Turísticos da Setur, a reunião teve a presença dos coordenadores da Costa dos Coqueiros, Costa do Cacau, Vale do São Francisco, Costa do Dendê, Baía de Todos-os-Santos, Caminhos do Sudoeste, Caminhos do Oeste, Costa das Baleias, e das subzonas da Chapada Diamantina (Circuito do Ouro, Circuito do Diamante, Chapada Nova e Chapada Velha).

Ministério do Turismo e Setur fiscalizam hotéis em Salvador

Fiscais do Ministério do Turismo e técnicos da Secretaria Estadual do Turismo vão atuar em parceria para vistoriar meios de hospedagem na capital baiana, com o objetivo sensibilizar os proprietários de estabelecimentos sobre a importância da formalização do setor. Uma das metas é a de ampliar o número de pessoas físicas e jurídicas no cadastro de prestadores de serviços turísticos: o Cadastur.

Com esta operação, denominada ‘Verão Legal 2018’, o MTur já percorreu várias capitais (Brasília, Rio de Janeiro e Boa Vista, dentre outras) desde setembro do ano passado. A ação produziu os primeiros resultados. Em dezembro de 2017, foi identificado um crescimento de 14% dos cadastrados, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Na capital baiana, os técnicos do MTur e Setur planejam percorrer, entre os dias 21 e 23 de março, cerca de 80 estabelecimentos que não estão regularizados no Cadastur. Detalhes da operação e do Cadastur 3.0 serão discutidos em reunião programada para o dia 20, às 15h, na sede da Setur (Avenida Tancredo Neves), com a participação da coordenadora Geral de Cadastro e Fiscalização do Ministério do Turismo, Tamara Galvão Veiga Barros.

O secretário do Turismo, José Alves, afirma que a fiscalização tem caráter educativo, com o propósito de formalizar os empreendimentos do setor. Quem está na legalidade tem acesso às linhas de crédito especiais do turismo e pode participar de licitação, dentre outras vantagens. “O turista também ganha qualidade e segurança ao contratar um prestador de serviço regularizado e que atua em conformidade com o que diz a legislação”, disse o secretário.

Cadastro

Além da formalização de meios de hospedagem, o cadastro é obrigatório para seis outras categorias: agências de turismo; parques temáticos; acampamentos turísticos; organizadoras de eventos; guias de turismo e transportadoras turísticas.

 

Fonte: A Tarde/Ascom Bahiatursa/Ascom Setur/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!