17/03/2018

Salvador: Casa Preta recebe o espetáculo Siré Obá - A Festa do Rei

 

Depois de cinco anos fora dos palcos, o espetáculo Siré Obá – A Festa do Rei, do Núcleo Afro-Brasileiro de Teatro de Alagoinhas (NATA), com direção de Fernanda Júlia Onisajé, fará uma curta temporada, entre os dias 22 e 25, às 20h, na Casa Preta, localizada na Rua do Areal de Cima, no bairro Dois de Julho, em Salvador. Os ingressos custam R$ 20 e R$10.

As apresentações fazem parte do projeto OROAFROBUMERANGUE, que conta com o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, aprovado no Edital de Apoio a Grupos e Coletivos Culturais da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

O espetáculo inspira-se nos orikis (poesia em exaltação aos Orixás) para mostrar a beleza e a filosofia do culto às divindades africanas, tendo como objetivo desmitificar preconceitos e combater a intolerância religiosa. Unindo religião e arte, a peça é uma grande festa/Siré e segue a sequência das músicas cantadas e tocadas para os Orixás nos rituais do Candomblé, celebrando junto com o espectador os feitos dessas divindades.

Em 2009, ano de sua estréia, Siré Obá recebeu três indicações ao Prêmio Braskem de Teatro: Melhor Espetáculo, Revelação (para a então estreante diretora Fernanda Júlia) e Especial (pela direção musical de Jarbas Biittencourt), categoria da qual saiu vencedor.

Siré Obá é o próprio encontro do indivíduo com o Orixá por parte de cada integrante do NATA. Foi o encontro de Nando Zâmbia com Oxum, de Fabiola Nansurê com Nanã, de Antônio Marcelo com Xangô, de Daniel Arcades com Logunedé e de Thiago Romero com Oxumaré. No entanto que, um ano depois de estrear Siré Obá, Romero se inicia no Ilê Axê Oyá L’adê Inan como yawô.

É um espetáculo potente, pois existe nele uma verdade muito profunda, que causou conflito nas pessoas. “Uma coisa é você dizer que é preto, outra coisa é ser confrontado com o universo cosmogônico dessa herança cultural africana, presente no candomblé, que é um patrimônio cultural brasileiro”, provoca a diretora.

O conflito está justamente no desconhecimento desse universo e demonizá-lo. “Compreendemos que todo intolerante desconhece o que ignora. O NATA entende que deve contribuir na luta contra a intolerância religiosa pelo viés revolucionário da arte, da beleza e da poesia. O Candomblé é uma expressão religiosa de uma beleza e contribuições profundas para a construção do Brasil. Um dos responsáveis por salvaguardar a herança ancestral africana e, por isso, urge ser divulgado, valorizado e legitimado”.

Para Onisajé, Siré Obá combate a intolerância por que atravessa, toca o sensorial, revela a beleza do Candomblé e convoca as pessoas para uma reflexão sinestésica, sinergética da grandiosidade da cultura negra no Brasil.

  • Serviço

Siré Obá – A Festa do Rei

Onde: Casa Preta – Rua Areal de Cima, bairro Dois de Julho

Quando: 22 a 25 de março, às 20h

Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Espaços Culturais da SecultBA continuam celebrando o Mês do Teatro e do Circo

O mês de março continua agitado nos Espaços Culturais da SecultBA! Ainda tem muitos espetáculos, oficinas formativas e exposições esperando por você. Não fique de fora, Ocupe Seu Espaço!

A Cia. de Teatro Quimera se apresenta no Teatro Dona Canô com o espetáculo “Orixás – Guardiões que compõem cabeças” no sábado (17), às 20h. A peça traz a história de Malena, uma mulher vítima da intolerância religiosa por estar conectada ao mundo dos deuses africanos e carregada de histórias e heranças espirituais. A moça é julgada por toda sua família pelo fato de não entenderem a sua necessidade de cuidados espirituais e acreditam que ela possui doenças mentais. Os ingressos custam R$20 (inteira) e R$ 10 (meia), com classificação livre.

No domingo (18), às 17h, acontece a 11ª Edição do concurso Miss Salvador Gay no palco do Centro Cultural Plataforma. O concurso irá escolher a mais bela transformista da cidade de Salvador, além de promover uma homenagem ao aniversário da cidade, celebrado no dia 29 de março. A ganhadora terá vaga garantida para o Miss Bahia Gay. Os ingressos custam R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) ou R$ 5 + 1kg de alimento não perecível. A classificação é livre.

E no começo da semana, dia 19 (segunda-feira), o Cine Teatro Solar Boa Vista recebe a oficina “Pesquisa e Treino de Dança Contemporânea e Urbana”. A proposta é fazer uma residência artística no espaço cultural, desenvolvendo um trabalho de treino, ensaio, laboratório de pesquisa e composição coreográfica. O enfoque está na sistematização da pesquisa de danças urbanas e técnicas contemporâneas. As aulas acontecem durante todo o mês de março sempre às segundas, quartas e sextas-feiras. A inscrição é gratuita e a classificação é 16 anos.

Na terça-feira (20), às 20h, estreia no palco do Centro de Cultura de Alagoinhas o espetáculo “Sob mulher”. Aprovado na convocatória Ocupe Seu Espaço, a peça é um solo de improvisação que busca levantar questões sobre o universo feminino e a desmistificação de estereótipos sobre a mulher. O ingresso faz parte do projeto “Quanto Vale o Show”, em que o público paga o valor de acordo quanto acha que o espetáculo merece. A classificação é livre.

O Cine Teatro Solar Boa Vista recebe a 4ª edição do P.H.I.A. (Programa de Habilidades em Iluminação e Áudio) durante todo o mês de março. No dia 21 (quarta-feira), acontece o curso de Iluminação, às 14h, com a instrutora Maria Carla. O P.H.I.A é um curso livre que visa expandir e formalizar o conhecimento básico em iluminação e sonorização, instrumentalizando os participantes para o entendimento e manipulação dos equipamentos voltados para as tecnologias do espetáculo, disponíveis nos espaços teatrais. A inscrição é gratuita e deve ser feita no Solar, a classificação é de 16 anos.

Com realização do grupo cultural Quilombo Andante, o espetáculo “Desmanchando o Conto”, acontece no dia 22 de março (quinta-feira), às 15h, no Centro de Cultura de Alagoinhas. Também contemplado pela convocatória Ocupe Seu Espaço, a montagem propõe uma releitura do conto de Chapeuzinho Vermelho, através do diálogo com outras versões da obra, além de referenciar narrativas consagradas do gênero infanto-juvenil. O objetivo da dramaturgia é contar histórias resignificando e desconstruindo aspectos comuns presentes nesse tipo de narrativa, demonstrando um linguajar atualizado, que seja facilmente identificado pelo público infantil. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) com classificação livre.

Durante toda semana, continua aberta para visitação a Exposição “Navio Negreiro”, que apresenta obras de Hansen Bahia, inspirado pelo poema Navio Negreiro de Castro Alves no Centro de Cultura de Porto Seguro. A mostra é composta por vinte xilogravuras e promove um encontro entre a obra do artista e o poema de Castro Alves, proporcionando a sensação de que a escrita e a imagem se completam, e retrata a dramaticidade social sentida na pele dos escravos. A entrada é gratuita e a classificação é livre.

Exposição “A Vastidão dos Mapas” entra em cartaz no Palacete das Artes

A exposição A Vastidão dos Mapas será aberta em Salvador,na próxima terça-feira (20), no Palacete das Artes – espaço vinculado ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultura/Secretaria de Cultura da Bahia – apresentada pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet e com curadoria de Agnaldo Farias. A mostra traz um conjunto de mapas originais dos séculos XVI ao XVIII do núcleo de cartografia da Coleção Santander Brasil, num diálogo instigante com obras contemporâneas que se relacionam com questões como o mapeamento do espaço, das fronteiras, dos deslocamentos e fluxos territoriais, econômicos, culturais e subjetivos. A exposição tem entrada gratuita e estará aberta à visitação até o dia 20 de maio, após esse período, embarcará para Uberlândia (MG).

São 29 artistas convidados como Adolfo Montejo Navas, Alex Flemming, Angelo Venosa, Anna Bella Geiger, Bartolomeo Gelpi, Carmela Gross, Chang Chi Chai, Cristina Barroso, Feco Hamburger, Fernando Zarif, Gal Oppido, Guga Szabzon, Humberto Guimarães, Júlio Villani, Lina Kim, Luiz Sôlha, Manoel Veiga, Marcelo Brodsky, Marcius Galan, Nelson Leirner, Pedro David, Penna Prearo, Rafael Assef, Rodrigo Torres, Rogério Barbosa, Sylvia Amelia, Tuca Reinés, Tuca Vieira, e Vik Muniz.

A mostra apresenta mais de 80 obras, sendo 15 mapas pertencentes à Coleção Santander Brasil, correspondentes aos artistas Arnoldus Montanus, Giacomo Gastaldi, Henricus Hondius, Jodocus Hondius, Johannes Janssonius, Joan Blae, Johannes Covens, Cornelis Mortier e Justus Danckerts.

A exposição ressalta o valor desse conjunto único da cartografia que integra a coleção, ao mesmo tempo em que revela um olhar em sintonia com o contemporâneo. A cartografia dos séculos XVI a XVIII teve um papel fundamental para o conhecimento e domínio do território, bem como para difundir a imagem do Novo Mundo por toda a Europa. Hoje, é a arte contemporânea que dissemina, de modo poético e crítico, múltiplas ideias, visões e interpretações sobre o nosso país e nosso tempo.

Para o curador Agnaldo Farias “o conjunto de mapas da Coleção Santander Brasil são verdadeiras preciosidades, sendo o recorte composto por antigos mapas do Brasil, do continente americano, das suas linhas de tangência, que mostram as bordas visíveis de vastas extensões de terra em cujo interior vêm assinaladas as assim chamadas terras não descobertas, terras de sonhos, de toda sorte de projeções e fantasias por parte dos que se punham a descobri-las. Partindo desse núcleo fundado parte na realidade, parte na imaginação, a exposição espraia-se por uma surpreendente gama de especulações dos artistas sobre o tema. O conjunto desses trabalhos oferece ao público um outro mapeamento, o da maleabilidade da linguagem.“

SOBRE O PALACETE DAS ARTES

O Palacete das Artes é um espaço vinculado ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC)/Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult-BA). Funciona de terça a sexta, das 13h às 19h, e sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h.

SERVIÇO

A VASTIDÃO DOS MAPAS

Arte contemporânea em diálogo com mapas da Coleção Santander Brasil

Dia: 20 de março até20 de maio 2018

Local: Palacete das Artes

Endereço: Rua da Graça, 289 – Graça - Salvador, Bahia Tel.: (71) 3117-6987 / (71) 3117-6910

Visitação: De terças às sextas-feiras, das 13 às 19h; Sábados, domingos e feriados, das 14 às 19h. Entrada gratuita

Mais informações: http://www.palacetedasartes.ba.gov.br/

 

Fonte: SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!