17/03/2018

Monte Santo terá curso de atualização de regras de futebol

 

O curso será realizado nos dias 21 e 22 de março com uma parte teórica e outra prática. As aulas serão ministradas pela Associação de Árbitros de Euclides da Cunha com o Instrutor Bel° Dhon Erick, árbitro da Federação Baiana de Futebol.

Para o prefeito da cidade, Vando, esta é uma grande oportunidade para quem deseja atuar na área.

"Estamos oferecendo este curso para aquelas pessoas que desejam ser juizes de futebol. Mas, aqueles que já são, podem fazer o curso e aproveitar a oportunidade de se atualizar", afirmou Vando.

Os interessados devem procurar a Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer para ter acesso a mais informações.

Segundo o Secretário Municipal de Turismo, Esporte e Lazer, Ângelo Dias, este curso será oferecidos para suprir a necessidade de profissionais nesta área.

"Temos a preocupação em oferecer qualificação para todos os segmentos em nosso município e, vimos a oportunidade de qualificar ainda mais os árbitros que já atuam em nossa cidade além de oferecer oportunidade a quem tem interesse de atuar nesta área. Além do conhecimento, os participantes irão receber o certificado de 10 horas pra comprovar que participou do treinamento", declarou Ângelo.

Monte Santo se mobiliza para elaboração do Plano Municipal de Coleta Seletiva e Destinação de Resíduos Sólidos e Líquidos

Na quarta (14/03) a Equipe Mista da Prefeitura Municipal de Monte Santo e Câmara de Vereadores recebeu os Profissionais da Consisal - Consórcio Público de Desenvolvimento Sustentável do Território do Sisal, que vieram para uma reunião que seria o primeiro contato onde encontravam-se 17 (dezessete) pessoas: José Edson Tolentino da Silva, representando o Gabinete do Prefeito; Gilmar Ferreira Passos, Presidente da Câmara; José Moisés Teixeira – Assessoria Jurídica;  Joselma Paiva – Secretaria de Assistência Social; Anonieta Costa – Secretaria Municipal de Saúde; Marcely Macedo Matos – Consisal; Zeliomar Almeida Volta – Secretaria de Meio Ambiente; Edico Oliveira Gomes – Consisal; Daniel Alves Ferreira – Secretário da Câmara de Vereadores; Josimar Coelho de Araújo – Assessor Legislativo; Aroldo Salgado – Secretário Municipal de Assistência Social; Antonio Tolentino da Silva Dantas – Engenheiro Civil; Anderson dos Santos Bispo – Engenheiro; Livia Mascarenhas Vasconcelos; Izabelle Ladeia – Arquiteta; Ricardo Augusto Santos Silva – Engenheiro e Elvys Carlos dos Santos Leite, para uma série de outras reuniões cada vez maiores e com ampla participação da sociedade civil de todo o Município de Monte Santo.

Trata-se do “pontapé inicial” para elaboração de um Plano muito abrangente e peculiar para o Município de Monte Santo no tocante à destinação de Resíduos Sólidos, drenagem Urbana, Esgotamento Sanitário e Saneamento Básico que ainda poderá estender-se na questão da mobilização Urbana.

A abertura se deu pelo Senhor Edson Tolentino da Silva – Chefe de Gabinete do Prefeito Municipal de Monte Santo que passou a palavra à Senhora Marcely Macedo Matos – Consisal que explanou sobre esse primeiro momento onde 14 Municípios da Região Sisaleira estão envolvidos no Projeto do Consórcio do Consisal, num convênio que iniciou-se em meados de 2017. Pela Lei o Plano já deveria estar pronto para todos os Municípios do país no final do ano em curso, porém foi prorrogado para 2019 já que o número de Planos concluídos é muito pouco diante das necessidades do país. A necessidade de formação de Consórcios com parceria Município/Consórcio viabiliza a elaboração do Plano com participação ampla da sociedade e uma Equipe multidisciplinar com profissionais do próprio Municipio já que, embora seja possível a contratação de uma Equipe privada para a elaboração do Plano de forma particular isso pode encarecer bastante, citando o exemplo do Município de Itiúba.

Em seguida o Senhor Édico – Engenheiro Sanitário deixou claro a importância de uma Equipe multidisciplinar formada por Engenheiros, Assistentes Sociais, entre outros profissionais disponíveis do quadro de Servidores do Município, uma vez que a contratação de profissionais avulsos sairia muito caro, além do mais há que se levar em conta o conhecimento desses profissionais no tocante às peculiaridades do Município. Mencionou ainda que trata-se de um trabalho extenso e metódico que provavelmente conterá em torno de 900 a 1.200 páginas entre relatórios, gráficos, fotos, mas que certamente traduzirá num grande instrumento para execução dos fins propostos.

Nesse primeiro contato entre os representantes do Consisal e os representantes do Município/Câmara onde se falou na necessidade de formação de Equipe multidisciplinar, formação de Comitês, designação de coordenadores, publicação de Decreto e a partir daí as atividades tanto na área pública quanto em contato com a sociedade em geral, considerações sobre a grande extensão do Município e a necessidade de divisão por áreas administrativas ou setores onde reuniões deverão acontecer, enfim já foi possível perceber que os temas envolvendo Saneamento Básico e a destinação de resíduos sólidos e líquidos vão proporcionar calorosos debates de forma positiva e abrangente.

Certamente a população montesantense estará sempre informada e engajada nos assuntos a serem debatidos para a formação do Grande Plano uma vez que não se trata de interesses políticos propriamente ditos, mas de uma política de necessidade de abrirmos a visão para  cuidarmos do nosso planeta, bastante doente pelas ações danosas do homem.

O Plano é uma obrigação de cada Município do Brasil então faremos a nossa parte, executando cada ação numa cadeia sucessiva visando o bem comum e uma qualidade de vida para o momento presente e para as gerações futuras.

Jaguarari: Argumentos do MP são ‘inconsistentes’, diz defesa de prefeito

O advogado responsável pela defesa de Everton Rocha (PSDB), prefeito acusado de realizar contratações irregulares no São João em Jaguarari, declarou que a decisão da juíza que bloqueou os bens do gestor não confirmou da ação do Ministério Público sobre os investimentos da prefeitura no São João.

"Foi apenas uma cautela caso houvesse ao final da instrução do processo o reconhecimento de que houve tal improbidade", explicou o advogado Francisco Grisi Júnior.

Everton Carvalho Rocha (PSDB), e mais três pessoas, além de uma empresa [T N Vieira Entretenimentos-ME], tiveram as contas e bens bloqueados no total de R$ 3,9 milhões.

Ainda de acordo com Grisi, os argumentos utilizados pelo Ministério Público são inconsistentes. "A documentação mostra a lisura de todo o processo e de todo o ato que foi realizado em relação a contratação do evento junino e a empresa", finalizou.

FÓSSEIS DA “ERA DOS DINOSSAUROS” SÃO ENCONTRADOS NO NORDESTE BAIANO EM ATIVIDADE DE CAMPO DA UNIVASF

Pesquisadores da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e de outras instituições de ensino encontraram, no meio do sertão baiano, diversos fósseis de animais e plantas, incluindo formas aquáticas, que remeteriam ao ambiente marinho. A descoberta é fruto de uma atividade de campo realizada pelo projeto de pesquisa “Fósseis do nordeste baiano: aspectos sistemáticos e paleoecológicos de uma fauna pretérita”, coordenada pelo professor Estevan Eltink, do Colegiado de Ecologia do Campus Senhor do Bonfim. Entre as descobertas estão fósseis de peixes, insetos, crustáceos, restos de crocodilos e até dentes de tubarão que datam dos Períodos Jurássico e Cretáceo.

O trabalho de campo foi realizado no período de 21 a 27 de fevereiro deste ano, na Bacia Sedimentar Tucano, que fica localizada nos municípios de Euclides da Cunha, Tucano e Araci, região norte da Bahia. A pesquisa teve como objetivo a prospecção da área e a coleta de material fóssil de vertebrados da Era Mesozóica, conhecida como a “Era dos Dinossauros”.

A atividade de campo envolveu equipes de diferentes campi da Univasf e de universidades paulistas, relacionadas aos projetos de pesquisa "Paleontologia e Evolução de Vertebrados Mesozóicos", coordenado pelo professor Marco Aurélio Gallo de França, do Colegiado de Ciências Biológicas da Univasf, e "A origem e irradiação dos dinossauros no Gondwana (Neotriássico - Eojurássico)", coordenado pelo professor Max Cardoso Langer, da Universidade de São Paulo (USP). De acordo com Estevan Eltink, os três projetos têm o objetivo comum de coletar materiais fósseis de vertebrados do Mesozóico.

Também participaram da iniciativa os estudantes da Univasf Diego Leal Abreu e Iasmim Soares dos Santos, discentes voluntários de iniciação científica (Pivic) do professor Eltink; os doutorandos Thiago Schneider Facchini e Silvio Onary, do Programa de Pós-Graduação em Biologia Comparada da USP; e o professor Felipe C. Montefeltro, da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Os fósseis encontrados serão estudados como parte do projeto de pesquisa e farão parte da coleção didático-científica do Campus Senhor do Bonfim da Univasf. Segundo Eltink, na próxima etapa da pesquisa será feita a identificação e descrição dos materiais coletados, o que permitirá descobrir quais são as espécies e de que época elas provêm, mais precisamente.

“Queremos, com essas descobertas, entender a biodiversidade que existiu na região, compreender como a bacia sedimentar foi formada e qual a relação dela com o ambiente marinho. A partir desse material, serão produzidos resumos e artigos científicos, para que possamos apresentar nossos resultados à comunidade científica, assim como à população, para que as pessoas conheçam a história da região em que vivem”, afirma o professor.

 

Fonte: Ascom PMMS/i9 Comunicação/MonteSanto.net/BN/Ascom Univasf/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!