17/03/2018

Belo Campo recebe o Rastreamento do Câncer de Mama

 

Começa nesta segunda-feira (19), no município de Belo Campo, na Região de Vitória da Conquista (sudoeste baiano), a ação do Saúde sem Fronteiras Rastreamento do Câncer de Mama, programa itinerante da Secretária da Saúde do Estado (Sesab) que vai realizar mamografia, exame que detecta precocemente casos da doença, em 1.246 mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos.

A unidade móvel, dotada de mamógrafos de última geração, estará estacionada na Praça São João Ferreira, mais conhecida como Praça da Ceasa, até o próximo dia 27. Para ser atendida, a mulher deve levar um documento de identidade, o Cartão do SUS e um comprovante de endereço. O atendimento será das 7 às 18h.

O Saúde sem Fronteiras tem como diferencial o acompanhamento das mulheres com mamografias inconclusivas, com a oferta de exames complementares para o diagnóstico e o encaminhamento ao tratamento, visando à integralidade do atendimento. Para as mulheres com diagnóstico positivo, o tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico será realizado em unidades de alta complexidade em oncologia.

Rio do Antônio: Filha do prefeito aciona Justiça para ter aumento de salário

A filha do prefeito de Rio do Antônio, no Sertão Produtivo, sudoeste, José Souza Alves (PSD), a nutricionista Samara Leite Alves, acionou a Justiça contra a prefeitura para conseguir aumento de salário.

Segundo o site Achei Sudoeste, Samara quer que o salário dela passe de cerca de R$ 1,2 mil para R$ 3,4 mil.

A nutricionista foi admitida em 2011 em concurso público, com salário previsto de R$ 920, passando a R$ 1,2 mil.

Na ação, Samara Ales disse que, durante todo o vínculo empregatício, a prefeitura sempre pagou um valor inferior ao mínimo legal estabelecido, que seria, segundo o Conselho Regional de Nutricionistas da 5ª Região (CRN -5), para a jornada de 40h semanais, o valor de R$ 3.422,59.

Outro site, o Informe Bahia apontou que, supostamente, o prefeito teria pressionado o setor jurídico da prefeitura para fazer um acordo para que Samara tenha o aumento exigido.

Recentemente, alegando crise financeira, o prefeito retirou 5% do salário dos professores. A prefeitura ainda não se manifestou sobre o caso.

Rio de Contas: Nível da Barragem Luiz Vieira sobe para 24,9 milhões de metros cúbicos

A Barragem Luiz Vieira, localizada no município de Rio de Contas, a 78 km de Brumado, possui 24.987.000 m³, mas ainda está muito longe de atingir pelo menos a metade de sua capacidade.

O volume corresponde a 23.79% de sua capacidade total, que é de 105 milhões de metros cúbicos de água.

Além de atender a demanda de Rio de Contas, o reservatório também atende os municípios de Livramento de Nossa Senhora e Dom Basílio.

De acordo com o L12, a barragem foi construída com o objetivo de garantir o abastecimento de água nos períodos de estiagem. Recentemente, o açude chegou a um dos menores volumes já registrados desde a sua inauguração, com apenas 15% de sua capacidade.

A situação gerou enormes alterações no cenário econômico do município. A expectativa é que o volume continue aumentando com as chuvas deste mês de março.

Com tomógrafo em operação, Hospital Municipal de Brumado ganha status de base regional

Com as equipes de operação capacitadas, o tomógrafo do Hospital Municipal Professor Magalhães Neto já se encontra em pleno funcionamento.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde, o aparelho foi doado pelo Estado para suprir os atendimentos emergenciais da unidade.

Para receber o equipamento, a prefeitura remodelou uma ala dentro das especificações de segurança da saúde.

No momento, devido a alguns trâmites burocráticos, os atendimentos de tomografia no hospital estão sendo disponibilizados apenas ao público interno, porém em breve a oferta será estendida para pacientes das outras localidades assistidas pela unidade.

Diante do cenário, o hospital vem ganhando status de Base Regional, pois conta com duas Unidades de Terapia Intensiva, um arco cirúrgico, uma das maiores maternidades do estado e agora um tomógrafo.

Apesar disso, o secretário municipal de saúde e o prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB) não sustentam a ideia de ostentar a unidade como uma base regional.

Opiniões à parte, o que se observa é que, com o tomógrafo, a saúde pública de Brumado passa a ofertar atendimentos com imagens mais precisas, detectando alterações muito pequenas em ossos, tecidos, órgãos e outras estruturas do corpo.

O aparelho ajuda a investigar nódulos ou tumores e também vasos pulmonares e cerebrais, o que não era disponibilizado na microrregião.

Com os investimentos nos últimos anos, Brumado vem conseguindo centralizar os atendimentos de vários procedimentos, desafogando, dessa forma, a saúde pública ofertada na cidade de Vitória da Conquista e Guanambi, para onde se dirigiam os pacientes dos municípios da microrregião.

Prefeitura licita aparelhos para equipar UPA 24 Horas de Brumado

O prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB) abriu a licitação para adquirir os aparelhos para equipar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 Horas), localizada entre os Bairros São Félix e Malhada Branca, em Brumado.

Com a aquisição dos equipamentos, a prefeitura programa inaugurar a unidade em breve. A mesma terá caráter de atendimento emergencial, uma vez que, após a inauguração das UTIs, o Hospital Municipal Professor Magalhães Neto expandiu seus atendimentos para região, recebendo pacientes até mesmo de outras bases regionais do estado.

A prefeitura também já sinalizou que realizará algumas melhorias no espaço físico da UPA, a começar pela ampliação da recepção. A expectativa é de que a unidade esteja em funcionamento antes do término deste primeiro semestre.

Previsão de boa safra eleva a expectativa de bons negócios na Bahia Farm Show 2018

Os produtores rurais do oeste da Bahia já iniciaram a colheita de grãos, e o prognóstico de uma super safra enche a categoria de otimismo. Os resultados desta colheita recorde devem alavancar a economia da região, movimentando bilhões dentro e fora do campo. O cenário é animador para os expositores da Bahia Farm Show, que esperam que a principal feira agrícola do Norte e Nordeste do País mantenha a tradição de fechar bons negócios. Durante cinco dias, entre 29 de maio e 2 de junho, o município de Luís Eduardo Magalhães se tornará a principal vitrina do segmento, atraindo o olhar de consumidores em busca de maquinário e equipamentos agrícolas, sementes, defensivos e fertilizantes, veículos, software, tecnologia de irrigação, entre outros produtos e serviços ao alcance dos investidores.

O presidente da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), entidade realizadora da Bahia Farm Show, Celestino Zanella, comemora o “bom tempo”, tanto climático quanto econômico. Ele aposta no fortalecimento do setor agrícola da Bahia e dos estados vizinhos – Goiás, Maranhão, Tocantins, Piauí e o Distrito Federal –. “Mais do que o número de comercialização, a feira deste ano vem para mostrar o fortalecimento do produtor, independente da escala do seu negócio, seja pequeno, médio ou grande. Todos passamos, nos últimos cinco anos, por uma recessão financeira e hídrica que poderia ter derrubado a agricultura, mas nos reinventamos e investimos em tecnologia e capacitação para plantar mais com menos, e seguimos convictos da nossa importância como motores do desenvolvimento econômico-social”, afirma.

Com chuvas bem distribuídas no ciclo 2017/18, o levantamento preliminar da Aiba prevê, para o oeste da Bahia, uma produção de 5,3 milhões de toneladas de soja, a maior dos últimos sete anos. No caso do algodão, a expectativa é de uma safra de 1,209 milhão de arrobas, com uma produtividade média de 310 arrobas de pluma por hectare. A cultura teve um incremento de 32,5% da área plantada em relação à última safra. No caso do milho, a produtividade deve chegar a 165 sacas por hectare, bem maior do que as 130 sacas da última safra, atingindo uma produção de 1,386 milhão de toneladas.

“Quando a safra vai bem interfere diretamente no comércio. O dinheiro circula mais, o poder de liquidez é maior, as vendas aumentam e, com elas, a geração de mais postos de trabalho, ou seja, o agronegócio impulsiona a economia do oeste baiano. A Bahia Farm Show vem para coroar essa realidade, pois reúne todos os atores envolvidos nessa cadeia”, ressaltou a coordenadora do evento, Rosi Cerrato.

O presidente da Associação de Máquinas e Implementos Agrícolas da Bahia (Assomiba), Rogério Rodrigues, também acredita em um bom momento do agronegócio no oeste baiano, o que deve se traduzir em boas vendas durante a feira. “A Bahia Farm já está consolidada, o que atrai todos os anos um público médio de 75 mil pessoas. Para as empresas do setor agrícola, a feira é também um importante canal de relacionamento e integração com o cliente, que possibilita a mostra de lançamentos e tecnologias. Depois de alguns anos com safras abaixo da média, este é o momento de investimento por parte do agricultor, portanto, estamos otimistas quanto às vendas”, afirma, ao apontar a Bahia Farm como o local certo para fechar negócios.

Durante a feira, os agentes financeiros públicos e privados estarão presentes com financiamentos e linhas de crédito específicas para o setor agropecuário, taxas de juros convidativas, além de condições elásticas e facilitadas de pagamento.

Estudantes do ensino médio desenvolvem método para purificar água no semi-árido

Um grupo de estudantes de Campinas, no interior paulista, desenvolveu um método de baixo custo para tratar água de cisternas no semi-árido brasileiro. O sistema, desenvolvido por três alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) Bento Quirino, produz cloro a partir da eletrólise – processo químico feito com eletricidade – de uma solução de água com sal. O protótipo prevê ainda o uso de energia solar para o processo, contemplando comunidades que não só dependem da água da chuva, mas que também não tem acesso ao fornecimento de eletricidade.

A ideia foi premiada, no ano passado, pelo Prêmio Jovem da Água de Estocolmo, levando Beatriz Ruscetto da Silva, Matheus Henrique Cezar da Silva e Gabriel Gertrudes Trindade para conhecer a capital da Suécia. Lá, eles tiveram a oportunidade de conhecer projetos semelhantes de todo o mundo, além de ouvir opiniões qualificadas sobre a própria proposta. “Foi surreal, até hoje parece que foi só um sonho. Nenhum de nós três já tinha viajado de avião e nessa viagem ficamos mais de 10 horas no avião. O pessoal da organização do prêmio nos tratou muito bem, com muito amor e até hoje somos amigos desse pessoal”, lembra Beatriz sobre a experiência.

Durante a viagem, o grupo teve a oportunidade de conhecer projetos de outros países e se impressionou com o que foi desenvolvido pelos norte-americanos Ryan Thorpe e Rachel Chang. O sistema elaborado pelos estudantes identifica na água as bactérias sighella, da cólera e da salmonela, mais rápido do que os métodos convencionais e também permite a eliminação imediata dos micro-organismos.

Foi o contato com outro projeto, de um colega de classe, que deu início ao desenvolvimento do STAC-IBR, que ganhou o prêmio sueco. “A ideia nasceu graças ao projeto do nosso amigo Lucas Gabriel: ele fazia eletrólise mas descartava o gás cloro. Pensamos logo em como utilizar o cloro da eletrólise. A primeira ideia foi em tratar água. A partir daqui começamos a pesquisar como isso seria feito e para quem seria feito”, conta a estudante.

Desafios

Para conseguir desenvolver o protótipo, os estudantes do curso técnico em eletrônica tiveram que investir em conhecimentos fora das disciplinas convencionais. “Não foi nada fácil”, enfatiza Beatriz. “Tivemos que aprender química em pouco tempo. Antes do projeto nunca havíamos entrado em um laboratório de química, aprendemos muito”.

O novo desafio envolveu também o estudo das condições atmosféricas. “Tivemos dificuldade nos testes porque não chovia muito e precisávamos da água da chuva. Outra dificuldade foi estar em São Paulo e fazer um projeto inteiramente dedicado ao Nordeste brasileiro”, comenta.

Apesar da premiação, o projeto ainda precisa ser testado no local para passar pelos ajustes necessários à implantação. Segundo Beatriz, seria importante, por exemplo, verificar a fixação do equipamento no solo. “E se as altas temperaturas influenciariam muito no processo e, principalmente, como a população se adaptaria”, enumera.

Mas agora que deixaram o ensino médio e entraram no superior, os estudantes têm menos tempo para dedicar ao projeto e tentar viabilizar o uso prático do equipamento. “Como o projeto começou durante o ensino médio, ficávamos o dia todo juntos. Agora cada um está em uma universidade diferente, atrás de trabalho. Os encontros diminuíram”, conta Beatriz, que agora estuda na Faculdade de Química na Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Prêmio em 2018

Para a edição deste ano do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo, está aberta até 20 de março a votação popular para selecionar o melhor trabalho brasileiro. Qualquer pessoa pode votar, acessando a página do prêmio no Brasil.

Os representantes do Brasil serão conhecidos na manhã da próxima quarta-feira (21), na Vila Cidadã do 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília.

 

Fonte: BN/Achei Sudoeste/NovaFronteira/Agencia Brasil/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!