27/03/2018

Feira: Vereador acusa obras do prefeito de eleitoreiras

 

O vereador Zé Filé (PROS), durante pronunciamento na tribuna da Casa da Cidadania, na sessão desta segunda-feira (26), denunciou os transtornos enfrentados pelos moradores da rua Adriano Araújo, no bairro Panorama, durante o período de chuvas. De acordo com o edil, as residências são invadidas pelas águas das chuvas em consequência do desnivelamento da via ocasionado pela pavimentação realizada pela Prefeitura Municipal.

Para o edil, as obras são realizadas sem estudo prévio. “Infelizmente, as obras do prefeito são eleitoreiras, feitas sem estudo e organização. Os moradores da rua Adriano Araújo são obrigados a construir barreiras para evitar a invasão da água quando chove”, denunciou, exibindo fotografias feitas no local.

Zé Filé afirmou que um morador foi destratado pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho ao reivindicar solução para o problema. “Um morador foi escorraçado pelo prefeito, no último sábado, quando tentou falar sobre os transtornos que os moradores vêm enfrentando. Os moradores estão perdendo seus móveis com os alagamentos”, afirmou.

Em aparte, o vereador e líder governista Luiz Augusto de Jesus- Lulinha (DEM), explicou que as residências foram construídas sem estudo prévio do nível da rua. “Muitos moradores constroem sem averiguar o nível da rua e quando a pavimentação é realizada ocorre o desnível, por isso a água invade as casas”, disse.

Feira: MP faz recomendações para garantir direitos de crianças e adolescentes durante a Micareta

O Ministério Público estadual apresentou e entregou ontem, dia 22, notificações recomendatórias aos representantes de blocos e camarotes da Micareta de Feira Santana, que ocorrerá entre 18 e 22 de abril. As recomendações têm o objetivo de coibir a venda de bebida alcoólica a menores de 18 anos, o trabalho infantil e a violência sexual de crianças e adolescentes durante a festa. Elas foram entregues durante reunião realizada pela tarde no auditório da promotoria de Justiça de Feira de Santana, com a participação de mais de 20 pessoas. Na ocasião, também foram apresentadas notificações do Ministério Público do Trabalho (MPT) para coibição do trabalho infantil e cumprimento das normas de segurança e de saúde dos trabalhadores.

Foi recomendado aos proprietários e dirigentes de blocos e camarotes, ou de quaisquer outros estabelecimentos onde haja comercialização de bebida alcoólica, que a venda não seja realizada a menores e que haja rigoroso controle do acesso aos locais, mediante apresentação dos documentos de identidade. Crianças e adolescentes somente podem adentrar e permanecer em blocos e camarotes acompanhados dos pais ou responsáveis. Os estabelecimentos foram orientados também a fixar cartazes e outros informativos sobre a proibição da venda, alertando que se trata de um crime. Além disso, foi recomendado que deve ser assegurado o acesso livre aos representantes do Conselho Tutelar, do MP, do Poder Judiciário e dos órgãos de segurança pública.

Já à prefeitura de Feira de Santana, foi recomendado que seja intensificada a fiscalização de ambulantes licenciados, estabelecimentos comerciais, blocos e camarotes, durante o período que antecede a micareta e, principalmente, nos dias da festa. O conteúdo das recomendações foi explicado pela promotora de Justiça Idelzuith Freitas, que tirou as dúvidas sobre as responsabilizações no âmbito civil e penal. A promotora informou também sobre a atuação do MP durante a micareta em esquema de plantão 24h. Participaram da reunião as procuradoras do Trabalho Annelise Fonseca Pereira e Sílvia Siqueira Valença e Rosineide Mendonça Moura; o secretário municipal de Cultura, Edson Gomes; o auditor fiscal do Trabalho Wagner Almeida; representantes da OAB, Conselho Tutelar, Policiais Militares e vereadores.

Com número recorde de inscrições, pré-seleção para majestades da Micareta é nesta quarta

As inscrições para o concurso de rainha da Micareta de Feira de Santana deste ano foi recorde. A coroa e o centro serão disputados por 41 jovens – nove a mais do que em 2016, quando foi registrado um recorde. A pré-seleção das candidatas será realizada nesta quarta-feira, 28, às 14h, no Teatro Margarida Ribeiro.

Entretanto, o número de candidatos ao posto de rei Momo não registrou o mesmo desempenho para o concurso feminino. Apenas quatro gorduchos e simpáticos rapazes se inscreveram para a disputa da coroa e da Chave da Cidade.

Outro fato que despertou a atenção da comissão encarregada pelas inscrições e da realização do concurso foi a quantidade de meninas que moram nos distritos e que irão participar da seletiva: seis são de Humildes e uma da Matinha. Entre os homens, um mora em Humildes.

A interiorização do concurso vem sendo registrada há alguns anos. Mas não com o crescimento verificado para esta Micareta, que vai acontecer de 19 a 22 de abril.

Decano na organização do concurso, Edson Baptista disse que o número elevado – e em ascensão a cada ano, mostra a importância deste evento para as jovens. “Sabem que a vitória no concurso pode abrir-lhes muitas portas”.

Trabalho desenvolvido na UTI do HGCA é destaque em Simpósio Internacional realizado na Bélgica

O coordenador da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana, Lucio Couto, participou na categoria pôster, do 38º Simpósio Internacional de Cuidados Intensivos e Medicina de Emergência (ISICEM), realizado em Bruxelas, na Bélgica. O congresso é organizado anualmente pelo departamento de Medicina Intensiva de Emergência do Hospital Universitário Erasme, Université Libre de Bruxelles, em associação com a Sociedade Belga de Terapia Intensiva e Medicina de Emergência.

De acordo com Lucio Couto, trata-se de uma grande oportunidade de aprendizagem e interação profissional. “Foi uma experiência muito interessante, uma vez que grandes cientistas e pesquisadores palestraram no ISICEM. Estes profissionais publicam as condutas que seguimos em nosso cotidiano. No congresso tivemos a satisfação de trocar experiências e falar com pessoas que norteiam a ação técnica diária em terapia intensiva “, afirmou o médico.

Ainda segundo o ele, o trabalho desenvolvido na UTI do HGCA, através da implantação de um programa de processamento de dados, foi apresentado na categoria pôster. “Falamos do impacto positivo que o Hospital Clériston Andrade alcançou com a implantação do Software Epimed Monitor. A partir desta ferramenta foi possível obter dados que são indicadores para uma gestão mais efetiva e de qualidade. Os números não mentem e mostram efetivamente onde nosso foco de ação deve estar, tanto do ponto de vista de intervenção técnica, quanto de recursos humanos e também de condução do dia-a-dia do hospital”, concluiu Lucio. O HGCA está utilizando o Epimed desde junho de 2016, gratuitamente, por intermédio da Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

O 38º ISICEM foi realizado entre os dias 20 e 23 de março de 2018 e reuniu médicos intensivistas, enfermeiros, fisioterapeutas e profissionais relacionados à área da saúde, incluindo formadores de opinião e líderes universitários e de instituições privadas do Brasil e da América Latina. O objetivo deste simpósio de quatro dias é fornecer aos participantes uma revisão atualizada dos desenvolvimentos mais recentes, clinicamente relevantes, na pesquisa, na terapia e no manejo dos pacientes em estado crítico. Este ano o congresso reuniu mais de 5 mil profissionais de saúde do mundo inteiro.

Simpósio sobre Autismo acontece na Uefs

A Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis (PROPAAE) da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) promove nos dias 2 e 3 de abril o 2º Simpósio Sobre Autismo.

O Simpósio, que tem como subtema “Para conhecer, compreender e amar”, vai abordar questões como traços, características e sinais do TEA, os direitos da pessoa com TEA e a prática da inclusão nas escolas de Feira de Santana, entre outros tópicos importantes acerca do assunto.

O autismo é um transtorno que atinge vários indivíduos no Brasil e no mundo, que tem demandado esforços diversos para que a sociedade reconheça suas particularidades e implemente ações para uma convivência de respeito às diferenças.

Visando uma maior colaboração ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, instituído pela ONU no dia 2 de abril, o evento realizará palestras, mesas redondas e debates para aqueles que vivenciam na ambiência familiar e profissional as experiências do ser e do tratar da pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). A abertura do evento está programada no Auditório Central, a partir das 8h.

A inscrição, gratuita, poderá ser feita pelo Site do Evento, onde também é possível conferir toda a programação do evento.

Uefs divulga edital de isenção para candidatos indígenas e quilombolas

A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) publicou edital para candidatos membros de grupos indígenas e de comunidades quilombolas no programa de isenção total da taxa de inscrição do Processo Seletivo de Acesso ao Ensino Superior (Prosel 2018.2).

De acordo com o edital, o candidato deve realizar a inscrição no Vestibular pela internet, em formulário disponível na home page, na área “Serviços”, opção ProSel/Vestibular, até o dia 9 de abril. Depois de efetuada a inscrição, o candidato terá que apresentar documentação específica caso esteja no grupo indígena ou na comunidade quilombola, descritos no edital, até o dia 9 de abril.

O edital completo está disponível aqui. Outras informações podem ser obtidas na Coordenação de Seleção e Admissão (CSA), através dos telefones (75) 3161-8224 / 3161-8030.

Mulheres não participavam da Procissão do Fogaréu em Feira de Santana. Por Adilson Simas

Este é o momento oportuno para lembrar como era em Feira de Santana, em tempos idos, a Procissão do Fogaréu que acontecia nas quintas-feiras da Semana Santa. Os mais antigos são unânimes em afirmar que a fé tem sido a mesma durante a procissão, que, no entanto muito tem perdido em afluência e solenidade. Vale a pena, pois, lembrar a Procissão do Fogaréu de antigamente, conforme editorial da Folha do Norte de abril de 1997. (Adilson Simas).

A PROCISSÃO DO FOGARÉU EM FEIRA

A procissão, que ficou em nossa memória, era majestosa. À frente, com seu porte marcial, andar  pausado, o Coronel Álvaro Simões Ferreira, levando a imagem do Crucificado, seguido da irmandade da Santa Casa de Misericórdia, encapuzada, numerosa e dividida em duas alas, a conduzir tochas.

Em seguida vinha o Padre Mário Pessoa, a puxar a ladainha com voz  suave mas audível à distância, tal o pesado silêncio que se fazia.

Surgia, depois, a matraca, tangida, nos intervalos, por Claudio “Macaca Fêmea”, e o bombardino, tocado por Oscar Bombardino, que dava, ao cortejo, tom lúgubre e cerimonioso. Só depois aparecia o povão, tomando toda a largura da rua, mas respeitando o espaço das principais figuras da procissão.

O cortejo saia da Matriz, entrava na Marechal Deodoro pela Travessa de Santana, ganhava a Praça João Pedreira, na direção da Prefeitura e entrava na Avenida Senhor dos Passos em cuja igreja fazia a primeira parada, seguindo pelo Beco do França, detendo-se na Igreja dos Remédios e subindo a Rua Conselheiro Franco, parava na Capela de São Vicente, desaparecida como o prédio da Pensão Universal, com a construção do Mandacaru, recolhendo à Matriz a cuja porta, todos de joelhos, contritos, entoavam  o “Senhor Deus”.

Ninguém jamais conseguiu substituir o Padre Mário na ladainha e no “Senhor Deus” da Procissão de Fogaréus cuja melodia, no decorrer do tempo, foi sendo alterada até se tornar quase irreconhecível.

Naqueles tempos mulheres não entravam na Procissão, que simbolizava a prisão e a condenação de Jesus Cristo ao martírio, fatos de que mulheres não participaram. Ficavam, elas, em grandes grupos, nas esquinas, nos passeios, precipitando-se de uma rua para outra só para ver passar aquela enorme massa de homens contritos a entoar o “ora por nobis” nas pouco iluminadas e quase desertas ruas da nossa cidade, que davam à Procissão, aspecto  fantasmagóricos.

Contava-se, na época, que em tempos anteriores e mais ignários, frades estrangeiros, vermelhões de vinhaça, afastavam as mulheres da Procissão com poderosos e certeiros golpes dos pesados cordões das sotainas. Já naquela época as mulheres queriam se meter em tudo.

A procissão atraia notáveis tipos populares. Para Claudio “Macaca Fêmea”, que tocava a matraca, nas ruas, durante toda a Semana Santa, a grande glória era a de participar, de balandrau roxo, da Procissão de Fogaréus, o que também acontecia com Oscar “Bombardino”, que se preparava durante todo dia, para a Procissão, mandando às goelas boas doses de cana para temperar o sopro, que sempre saia suava e contido, como a ocasião exigia.

No meio da massa humana, que acompanhava a Procissão, entretanto, há que se destacar o grande número de cantores de todas as escalas e de todos os timbres, que ensaiava o “ora pro nobis” nas vendas, nos botecos, nos bares, reforçando as cordas vocais com aguardentes variadas, mas, principalmente com os produtos do alambique da Lapa, aproveitando o meio feriado de quinta-feira de trevas (a tarde não se trabalhava), para expandir a voz na Procissão.

O mais importante deles talvez tenha sido Euclides Alves Mascarenhas, escriturário da Prefeitura, ator do grupo teatral “Taborda”, tenor  dramático e notável intérprete de “O Ébrio” de Vicente Celestino.

As transformações sofridas por Feira de Santana têm sido profundas, radicais. Tudo aqui muda rapidamente. Hábitos, costumes, trajetos, crenças, aspectos e cacoetes. Mas, nem sempre para melhor.

 

Fonte: Cecom MP/Secom PMFS/Ascom CMFS/Ascom HGCA/Ascom UEFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!