07/04/2018

Salvador tem um carro para cada três habitantes

 

Diariamente no trecho que vai do Acesso Norte até a entrada do bairro de Águas Claras, na BR-324, principal acesso para quem chega e sai de Salvador, forma-se longos congestionamentos nos finais de tarde e início da manhã que duram em média 30 minutos. Os engarrafamentos se refletem nos acessos ao Porto Seco Pirajá, Estrada de Campinas, acesso à Estação Pirajá e bairros de Pau da Lima e Castelo Branco.

Com um aumento progressivo na frota de veículos as principais vias de escoamento do tráfego permanecem boa parte do dia congestionadas. Por conta disso, Salvador é hoje considerada a terceira capital em congestionamentos de trânsito, conforme pesquisa recente feita pelo Aplicativo 99, empresa brasileira de mobilidade urbana fundada em 2012,  que mostra que a capital baiana está atrás somente de Recife e Porto Alegre, respectivamente. As cidades de São Paulo e Rio de Janeiro ocupam a quarta e quinta colocações, respectivamente.

Dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) revelam que a frota de veículos de Salvador mais que dobrou em 10 anos, passando de 477.402 veículos em 2007, para 959.448 em dezembro do ano passado. Hoje a capital baiana só perde em quantidade de veículos registrados para São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Goiânia e Fortaleza. Contudo, em Salvador parte dos veículos registrados em cidades da Região Metropolitana, como Camaçari, Lauro de Freitas e Simões Filho, circulam na capital, onde costumam residir seus proprietários.

Segundo a pesquisa, realizada em outubro do ano passado, feita com base no número de corridas de taxis usando o aplicativo 99, as viagens em Salvador nos horários de pico levam, em média 71% a mais de tempo do que aquelas em situação de tráfego livre. No ano passado, numa outra pesquisa, da Consultoria GPS e Telemetria TomTom, empresa holandesa líder mundial em start-up, criada em 1991, Salvador ocupava o 9º lugar.

Intervenções

Segundo o Denatran, em novembro do ano passado o Brasil tinha uma frota de 96.790.495 veículos. Em 2007 a frota era de 45.914.225. Na Bahia, de 3.947.974 veículos, 959.448 estavam registrados em Salvador. A capital baiana aparece como a sexta maior frota de veículos no Brasil e em dois anos, de 2015 a 2017, teve um acréscimo de 38.994  de novos veículos.

A Transalvador, autarquia municipal responsável pelo gerenciamento do trânsito na capital, diz que monitora em tempo real o tráfego de veículo pelas principais ruas e avenidas da cidade. Através do Núcleo de Operações Assistidas (NOA), não só identifica os principais pontos de congestionamentos, para intervenções imediatas, como utiliza as informações para planejamento do gerenciamento do trânsito.

Por meio de equipamentos, e mão de obra qualificada, o órgão diz que tem sido possível criar estruturas capazes de orientar, planejar e auxiliar o acompanhamento das ações do órgão. Em termos práticos, o núcleo de operações Na prática, o NOA faz a seleção dos pontos da cidade em que intervenções são mais necessárias, e de que forma devem ser as atuações e quantidade de agentes de trânsito e equipamentos. “Assim, permitiremos ações mais efetivas, atendendo com mais eficácia e maior mobilidade no trânsito da cidade,”, diz Fabrizzio Muller, superintendente da Transalvador.

A Transalvador destaca que algumas intervenções no sistema viário da cidade melhoraram a fluidez do trânsito e permitiram maior mobilidade urbana, diminuindo, por sua vez, os congestionamentos, a exemplo da região do Iguatemi, mas também na Baixa do fiscal, no Subúrbio Ferroviário, e na região de Cajazeiras, com obras de infraestrutura.

Em nota, a autarquia municipal destacou como uma das intervenções mais importantes a que foi realizada na região do Iguatemi. Ali, foram investidos  R$ 6,5 milhões , entre obras e aquisição de equipamentos modernos que permitem o sincronismo semafórico e controladores novos, com GPS para ajuste de hora, e GPRS, que possibilitam a comunicação entre as sinaleiras.

Já na Avenida Suburbana, foi implantado 10 retornos e sinalização, alargamento da via. Já em Cajazeiras, foi construída a ligação entre as Cajazeiras VIII e X com aproximadamente 700m de extensão, que reduziu o tempo de deslocamento, pondo um fim nos congestionamentos da região.

Novas avenidas minimizam problema

A implantação do metrô melhorou a forma de deslocamento da população de Salvador em dois eixos do sistema viário: o corredor da BR-324 em direção a Cajazeiras, e o corredor da Paralela, em direção ao Litoral Norte. Paralelo ao sistema de transportes, as estações de  integração metrô-ônibus de Pituaçu, Acesso Norte e Retiro, retiram das ruas do centro parte da frota de ônibus intermunicipal e redirecionou várias linhas dos ônibus urbanos.

A cidade conta ainda com obras realizadas pelo Governo do Estado, algumas em andamento, como as avenidas 29 de Março e Gal Costa, que vão ligar a Orla à BR-324 e serão interligadas com o Subúrbio Ferroviário, criando um novo sistema de tráfego que tem como meta desafogar os atuais corredores de tráfego.  Conforme a Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Sedur), o metrô se tornou a mais importante obra de mobilidade da capital.

A entrega do metrô veio acompanhada de obras que modificaram a infraestrutura viária do município, como o Complexo Viário Imbuí-Narandiba, além das chamadas Linha Azul e Linha Vermelha. Um trecho da Linha Azul, que vai ligar a orla de Salvador ao Subúrbio Ferroviário, entre a Avenida Pinto de Aguiar e a Avenida Gal Costa, com dois túneis, já está pronto . A obra tem investimento de R$ de R$ 647 milhões. Já a Linha Vermelha, com 20 quilômetros de extensão, vai ligar Paripe a Piatã e tem investimento de R$ 250 milhões.

Mortes violentas fecham trimestre com queda de 22,3% em Salvador

Os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que abrangem homicídio, latrocínio e lesão corporal dolosa seguida de morte, recuaram, no primeiro trimestre deste ano, 22,3% em Salvador, 27,1% na Região Metropolitana e 9,8% no interior. Em todo o estado a redução ficou em 14,7%. Os dados foram comparados ao mesmo período de 2017.

Na capital baiana, em 2018 a polícia computou 285 casos, contra 367 no ano anterior. A RMS, por sua vez, teve 175 ocorrências este ano, contra 240 em 2017 e o interior do estado contabilizou neste trimestre 1.065, enquanto em 2017 tinham sido 1.181 registros. No total foram preservadas 236 vidas, na Bahia, na comparação em números absolutos.

“Este é o resultado do esforço de cada policial que trabalha 24h pensando no melhor para a população, de alguns segmentos da iniciativa privada que apoia nossas ações sociais em Bases Comunitárias e no investimento feito na contratação de novos policiais, construção de novas estruturas e aquisição de equipamentos”, declarou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

Estudantes desenvolvem projeto que alia meio ambiente e valorização do patrimônio escolar

Os estudantes do Colégio Estadual Renan Baleeiro, localizado no bairro de Águas Claras, em Salvador, estão desenvolvendo um projeto denominado 'Minha escola é uma limpeza', que alia práticas de conservação do meio ambiente e de valorização do patrimônio escolar. A atividade envolve toda a comunidade escolar em ações pedagógicas que embelezam a escola, tornam o ambiente mais agradável e acolhedor, além de promover o pertencimento da escola como um bem público e patrimônio de todos.

Nesta terceira edição, os estudantes montam um jardim na entrada do colégio com pneus coloridos, que servirá de área de convivência da comunidade escolar. Com a participação de alunos dos Ensinos Fundamental e Médio, nos três turnos, a atividade prática foi iniciada na quinta-feira (5) e tem adesão total dos alunos na limpeza da área externa da escola e na pintura dos pneus com tinta óleo de diversas cores.

“O lugar onde a gente estuda é a nossa segunda casa. É aqui que passamos a maior parte do nosso dia. Então, temos que cuidar dele para que seja um ambiente agradável, bonito e de bom convívio”, afirma João Vitor Conceição, 15 anos, aluno do 1º ano, membro do Colegiado Escolar e integrante do Grupo Amigos da Escola.

A professora responsável pela ação pedagógica, Cris Ellen Miller, explica as etapas do projeto. “Fizemos uma ação educativa com moradores do entorno para mostrar que o lixo precisa ter uma destinação correta e que se descartado inadequadamente prejudica a saúde e o bem-estar de todos. Em sala de aula, trabalhamos temas como tratamento do resíduo sólido, energia limpa e suja, construção de hortas ecológicas, cuidado com o patrimônio público e utilização dos 3 Rs da Sustentabilidade [Redução, Reutilização e Reciclagem], que serão apresentados na culminância do projeto, no dia 4 de maio”.

Professores dinamizam ambiente escolar com arte e cultura aos sábados letivos

Para tornar os sábados letivos, propostos no calendário escolar, mais atrativos, professores do Colégio Estadual Daniel Lisboa, no bairro de Pau da Lima, em Salvador, estão promovendo atividades lúdicas e incentivando o protagonismo estudantil por meio de projetos de arte e cultura. A iniciativa tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento dos alunos, por meio do entretenimento, potencializando o processo de ensino e aprendizagem, além da criatividade. Na programação, constam diversas ações, como exibição de filmes, rodas de capoeira, samba de roda, dinâmicas de grupo, oficinas de mosaico e pintura em tela.

A atividade mobiliza toda a comunidade escolar. De acordo com a coordenadora pedagógica, Ana Maria Sampaio, a ação é realizada de maneira interdisciplinar. “Estamos elaborando a programação para tornar esse dia mais leve e prazeroso.

Nada de sala de aula. Buscamos trabalhar com arte e a criatividade deles, claro que sempre dando enfoque no tema de cada unidade e eles gostaram muito”, relatou.

Os estudantes estão aprovando a dinâmica implementada. “Fiquei surpreso quando cheguei na escola e percebi que a aula não seria na sala com a professora explicando algum assunto no quadro. Gostei muito das brincadeiras”, afirmou Bruno Xavier, 11, 6º ano. A colega Maria Vitória Gomes, também de 11 anos, do 6º ano, disse que a metodologia deixa os sábados letivos mais divertidos. “É uma forma diferente e atrativa de trazer os alunos para a escola no sábado. Eu gostei”, pontuou Vitória.

 

 

Fonte: A Tarde/Ascom SSP/Ascom Educação/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!