04/07/2012

NACIONAL: Petrobrás revê critérios de patrocinio

 

A Petrobras negou ontem que a presidente da companhia, Graça Foster, tenha determinado a revisão de patrocínios culturais da empresa.

Segundo a estatal, a revisão dos patrocínios culturais é um procedimento anual padrão e de responsabilidade do gerente-executivo de Comunicação Institucional, Wilson Santarosa.

Reportagem publicada ontem pela Folha mostra que a seleção de projetos para o Programa Petrobras Cultural está atrasada. Normalmente lançado entre março e abril, o edital deste ano ainda não foi divulgado.

A reportagem questionara a Petrobras sobre o prazo para abertura do processo há duas semanas, sem obter resposta. Ontem, em e-mail à Folha, a empresa afirmou que a seleção terá início na segunda quinzena de agosto.

Outro evento patrocinado pela estatal, o Cine Fest Petrobras, que seria realizado em junho em Nova York, teve sua décima edição cancelada por não ter recebido recursos da empresa.

A estatal disse que em 2012 destinará aos patrocínios culturais valor próximo ao de 2011, cerca de R$ 170 milhões.

A Petrobras contestou também a informação de que tenha dispensado empresas terceirizadas que participam da seleção dos projetos, informando que o contrato havia terminado e que haverá um novo processo licitatório, sem informar a data.

Segundo a Petrobras, a participação de empresas terceirizadas na seleção dos projetos será mantida, "pois é uma necessidade do processo de seleção".

PLANO DE NEGÓCIOS

Graça Foster assumiu a empresa em fevereiro deste ano, no lugar de José Sergio Gabrielli, e desde então trocou vários diretores e gerentes da gestão anterior.

Foster lançou um Programa de Otimização de Custos inserido no Plano de Negócios da companhia para o período 2012-2016, o qual prevê investimentos de pelo menos US$ 208,7 bilhões.

O programa para reduzir gastos tem implantação prevista para este ano, mas não tem uma meta definida.

A Petrobras negou ter afastado a ex-gerente de patrocínios Eliane Costa. Segundo a estatal, ela se aposentou voluntariamente em maio.

A possibilidade de a Petrobras cortar verbas de patrocínio preocupou produtores.

O presidente do Fórum Nacional dos Organizadores de Festivais Audiovisuais Brasileiros, Francisco Cesar Filho, disse que, para não deixar de existir, alguns festivais estão sendo realizados com verba reduzida, diante da demora do lançamento do Programa Petrobras Cultural.

Fonte: Jornal A Folha

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!