11/04/2018

Oficina aborda diálogo entre Músicas Eletrônica e Acústica

 

O Coletivo Invisível, grupo que realiza música a partir da elaboração, transformação e utilização de elementos de música eletrônica e acústica em ambientes de imersão sonora a visual, ocupará o Lálá Multiespaço com a oficina “Construção e improvisação: diálogos entre as músicas eletrônica e acústica”, no sábado (14), das 10h às 18h. Gratuita e voltada para pessoas que trabalhem com música acústica ou eletrônica, a ação será finalizada com uma jam session aberta ao público, às 19h.

A atividade faz parte do projeto LáláB – Pague Minha Pauta, que realizará 40 shows e quatro oficinas entre os meses de janeiro e abril, no espaço cultural no Rio Vermelho. Com o apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo de fomento das secretarias da Fazenda e de Cultura do Estado da Bahia, por meio do Edital de Dinamização de Espaços Culturais, executado pela Diretoria de Espaços Culturais (DEC), as ações têm realização do Lálá com produção da Maré Produções Culturais.

A oficina propõe uma vivência de formação e compartilhamento para músicos, DJs e produtores musicais. Uma experiência tanto técnica quanto criativa, de encontro entre a música eletrônica e acústica, passando por técnicas específicas, aspectos de criação coletiva, improvisação e experimentalismo. Sem pretensão de métodos definitivos, a ideia é fazer um processo de compartilhamento de conhecimentos e referências, culminado por criação e experimentação musical. A atividade parte da experiência de mais de dez anos do Coletivo Invisível e passa por uma dinâmica de troca das experiências de todos os presentes, atingindo algo sintético que possa se traduzir na apresentação de finalização da oficina.

A atividade terá seis horas de duração, com um intervalo para almoço, e as 15 vagas serão distribuídas de acordo com as afinidades dos inscritos com o tema. Os interessados devem se inscrever através do e-mail contato@mareproducoesculturais.com.br, enviando nome, idade, breve currículo apresentando sua trajetória e referências musicais, bem como descrever seu interesse pelo tema da oficina (apenas um parágrafo cada). As inscrições podem ser feitas até dia 12 de abril, às 12h. Os selecionados receberão confirmação através do e-mail.

SERVIÇO

Oficina “Construção e improvisação: diálogos entre as músicas eletrônica e acústica”

Quem: Coletivo Invisível

Quando: 14 deabril (sábado), das 10h às 18h

Quanto: Gratuito

Onde: Lálá Multiespaço - Rua da Paciência, 329, Rio Vermelho.

Inscrições: Enviando nome, idade, breve currículo apresentando trajetória e referências musicais e descrevendo seu interesse pelo tema da oficina (apenas um parágrafo cada), para o e-mail contato@mareproducoesculturais.com.br

Quarteto de Cordas da Osba é atração do Projeto Brasil Orquestral

O projeto Brasil Orquestral, em seu 3º ano, recebe o Quarteto de Cordas formado por integrantes da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) para três apresentações nos dias 13, 14 e 15 de abril, sendo às 20h, na sexta (13) e no sábado (14), e às 19h, no domingo (15), na Caixa Cultural Salvador. Neste encontro especial, o quarteto formado por Priscila Plata Rato (violino), Francisco Roa (violino), Serghei Iurcik (viola) e Luiz Daniel Sales (violoncelo) se une ao músico Eduardo Torres, pianista da OSBA. As apresentações contam com ingressos a preços populares, .

Nesta edição, o grupo de câmara formado por músicos da Sinfônica da Bahia interpreta duas obras do compositor checo Antonín Dvorák (1841-1904): o Quarteto de cordas nº 12, Op.96, composto em 1893 e também conhecido como Quarteto Americano, a obra de música de câmara mais popular e indissociável da igualmente célebre Sinfonia nº 9 do compositor. Completa o programa a obra Bagatelas Op. 47 do mesmo autor.

O projeto Brasil Orquestral é uma iniciativa coordenada pelo Maestro Carlos Prazeres, regente-titular e diretor artístico da OSBA desde 2011. Com curadoria do diretor teatral e dramaturgo Gil Vicente Tavares, o projeto chega em 2018 ao terceiro ano consecutivo de realização na CAIXA Cultural Salvador.

Em três anos, já foram abrigadas no projeto mais de 24 apresentações realizadas e a reunião de grupos fundamentais da música erudita produzida no Brasil hoje, sempre acompanhadas das intervenções didáticas do maestro e com coreografias criadas e executadas pela bailarina Bárbara Barbará. O projeto segue apostando em garantir diversidade e o alto nível dos grupos de música de câmara, em uma proposta que torna mais acessível à música erudita.

SERVIÇO:

Brasil Orquestral 2018 – Quarteto de Cordas da OSBA

Período: 13 e 14 de abril (sexta e sábado), às 20h e 15 de abril (domingo), às 19h

Local: CAIXA Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador)

Ingressos: R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia entrada) – vendidos na bilheteria da CAIXA Cultural, a partir das 09h00 do dia 13/04/2018

Estacionamento gratuito ao lado

OSBA realiza nova edição da "Série Jorge Amado" no TCA

A Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) realiza a 2ª edição da ‘Série Jorge Amado 2018’ em concerto na quinta-feira (12), às 20h, na Sala Principal do Teatro Castro Alves. A apresentação desta vez conta com regência de José Maurício Brandão, maestro titular da Orquestra Sinfônica da UFBA, e traz como solista o músico paraibano Thomaz Rodrigues, atual chefe de naipe dos violoncelos da OSBA. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e estão à venda nas bilheterias do TCA, nos postos de vendas dos SAC’s dos shoppings Barra e Bela Vista ou ainda através do site Ingresso Rápido.

A apresentação conta com repertório de alto nível sinfônico, com interpretações do ‘Concerto para violoncelo em Mi menor, Op. 85’ do compositor britânico Edward Elgar (1857-1934), peça que será solada por Thomaz Rodrigues, atual chefe de naipe de violoncelos da OSBA. Completa o programa a belíssima 'Sinfonia nº 5 em Mi Menor Op. 64' do compositor russo Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893).

JOSÉ MAURÍCIO BRANDÃO (REGENTE) – Graduado em Instrumento/Piano (UFBA, 1993), Mestre em Música, em Regência Orquestral (UFBA, 1999), Doutor em Música, em Regência Orquestral e Operística (UFBA, 2009), e Doutor em Música em Regência Orquestral e Musicologia (Louisiana State University, EUA, 2011). Atualmente é Professor Adjunto de Regência na UFBA, onde exerce também as funções de Diretor da Escola de Música e Coordenador Artístico da Orquestra Sinfônica e Madrigal da UFBA. Tem regido concertos com as orquestras da UFBA, UFRJ e LSU, além de trabalhos como maestro convidado da Orquestra Sinfônica da Bahia, da Louisiana Youth Orchestra, e em outras cidades americanas como Baltimore, Scranton e New York, paralelamente às suas atividades como instrumentista de câmara, ao piano, órgão e especialmente ao cravo.

THOMAZ RODRIGUES (SOLISTA) – O músico paraibano é chefe de naipe dos violoncelos da Orquestra Sinfônica da Bahia desde agosto de 2017. Antes disso, atuou em diversas orquestras no Brasil, Chile e EUA, além de um extenso trabalho como músico de câmara. Thomaz foi violoncelista do Quinteto da Paraíba, com o qual realizou turnês pelo Brasil e pela Europa. Além de recitais e concertos do repertório clássico, também participou de grupos dos mais variados estilos, desde música antiga com o grupo chileno Ensemble Chromatique, até música contemporânea e experimental com o grupo Sonantis e o projeto Artesanato Furioso. Estudou em sua cidade natal com Felipe Avellar de Aquino, com Francisco Pino Kokisch no Chile, e com Dennis Parker nos EUA.

OSBA - Após a consolidação do processo de publicização, a Associação de Amigos do Teatro Castro Alves (ATCA), Organização Social sem fins lucrativos, se torna responsável pela gestão da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA). Neste novo modelo de gestão, a OSBA passa a fazer parte do Programa Estadual de Organizações Sociais, mas permanece como patrimônio público, sendo ainda subsidiada pelo Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura (SECULT-BA).

  • SERVIÇO

OSBA APRESENTA: SÉRIE JORGE AMADO II

Regência: José Maurício Brandão | Solista: Thomaz Rodrigues (violoncelo)

Local: Sala Principal do Teatro Castro Alves.

Data: 12 de abril (quinta-feira).

Horários: 20h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10

Vendas: A partir de 05 de abril nas bilheterias do TCA, SAC’s dos shoppings Barra e Bela Vista ou site Ingresso Rápido

Gilberto Gil, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz celebram a Música e os Direitos Humanos em Salvador

Um encontro histórico acontece no sábado (14), às 21h, no Teatro Castro Alves, quando o cantor e compositor Gilberto Gil sobe ao palco, acompanhado pelo Maestro Letieres Leite e a Orkestra Rumpilezz. O show, intitulado “Música e Direitos Humanos”, marca a quarta edição do projeto e o início das comemorações pelos 45 anos de fundação da CESE - Coordenadoria Ecumênica de Serviço, entidade baiana que já beneficiou mais de 11 milhões de pessoas de projetos sociais em todo o Brasil. Toda renda do espetáculo será revertida para os projetos sociais que a CESE apoia. O show tem o patrocínio da agência holandesa Wilde Ganzen e da Bahiagás.

As apresentações de Gil e da Orkestra Rumpilezz vão emocionar o público, ao mostrar o repertório de grandes sucessos que marcaram a carreira do artista aliado à genialidade do compositor e arranjador Letieres Leite, que criou a Rumpillezz em 2006. O grupo orquestral reúne percussão e sopros, dando protagonismo à música ancestral baiana, vindas dos terreiros de candomblé, acrescentando uma roupagem harmônica, sob influência do jazz moderno. Além de produzir composições primorosas, a Orkestra Rumpilezz trabalha ativamente na valorização da cultura afrobaiana e em ações sociais, criando o grupo Rumpilezzinho, especificamente voltando para inclusão sócia ativa de crianças e jovens, através da música.

Aos 74 anos de vida, Gilberto Gil permanece sendo um artista inovador e um grande pensador atuante em nossa sociedade. Já foi embaixador da ONU e Ministro da Cultura do Brasil e, em sua longeva e premiada carreira, defende diversas causas, dentre elas a do acesso à cultura, à alimentação e a liberdade. Será este o artista que dará rosto a mais uma causa, as dos direitos humanos. Em um mundo de turbulências e ressignificações, nem sempre positivas, é preciso dar uma pausa para refletir, para respirar e para conhecer um pouco mais do que guia a luta pelos direitos humanos essenciais a uma vida digna e plena de direitos.

A CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviço é uma entidade sem fins lucrativos que apoia projetos em várias partes do Brasil voltados para a melhoria de vida e pela garantia dos direitos humanos. Desde a sua fundação, em 1973, até hoje, a CESE contabiliza o apoio a mais de 10 mil projetos de organizações populares em todo o Brasil (cerca de 350 projetos apoiados por ano) beneficiando aproximadamente 11 milhões de pessoas. A CESE é uma ONG de credibilidade e que dispõe do apoio de várias organizações internacionais.

Para Leonardo Boff, teólogo, filósofo e escritor dos mais respeitados no Brasil e no exterior, a CESE mostrou fidelidade e continuidade ao longo de sua trajetória. “Fidelidade em apoiar os projetos da base, especialmente aqueles ligados aos Direitos Humanos, mas os Direitos Humanos na perspectiva dos pobres, que é o direito à vida”.

  • Serviço

Show “Música e Direitos Humanos” – 4ª EDIÇÃO

Local: Sala Principal do Teatro Castro Alves

Quando: Sábado, 14 de abril, 21h

Ingressos: de R$ 50,00 a R$ 200,00

Vendas: www.ingressorapido.com.br / Postos do SAC e na bilheteria do Teatro

 

Fonte: SecultBa/Ascom Osba/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!