12/04/2018

Bahia recebe edição especial do maior evento Hacker da AL

 

O Roadsec, maior evento de hacking, segurança e tecnologia da América Latina vai desembarcar em Salvador no sábado, dia 14 de abril, para fazer da cidade um dos pontos das comemorações de 5 anos do fomento da comunidade e cultura hacker no país promovida pelo festival.

Com uma programação especial e ampliada com um dia inteiro de atividades, o evento vai promover a troca de conhecimento entre os hackers e profissionais de segurança da informação mais qualificados da Bahia e os especialistas de maior renome nacional e internacional, em palestras interativas para o público de todos os níveis. Simultaneamente, o público - que é formado por pessoas de todas as idades e gêneros, leigos ou não - poderá interagir com equipamentos de tecnologia de ponta, como óculos de realidade virtual, pilotagem de drones por smartphone, montagem de circuitos de robótica, caneta 3D e muito mais.

Os baianos, além de poderem aproveitar o conteúdo rico e as atividades interativas, poderão acompanhar ao vivo a etapa regional do Hackaflag, o Campeonato Brasileiro de Hacking, que revelará o hacker que representará a Bahia na final nacional em novembro, em São Paulo.

O evento também é o principal espaço onde os talentos locais podem se revelar para o mercado e profissionais já consolidados podem investir no networking. "O Roadsec por anos foi a única e mais importante ferramenta para fomentar a cultura hacker pelo Brasil e descobrir novos talentos para a Segurança da Informação. Neste ano vivemos um momento de consolidação e a Bahia é um polo fundamental para esse setor.", destaca Anderson Ramos, criador do Roadsec.

São esperados mais de 500 participantes entre hackers, estudantes, profissionais e empresas de segurança da informação e T.I. O Roadsec acontece no Fiesta Bahia Hotel, das 9h30 às 18h.

Georgia Weidman

Georgia Weidman é empreendedora, palestrante, instrutora, pesquisadora em segurança e autora do livro Testes de Invasão: Uma introdução prática ao hacking. Recebeu o prêmio Women's Society of CyberJutsu Pentest Ninja em 2015 e possui mestrado em Ciências da Computação. Também é fundadora da Bulb Security LLC, empresa de consultoria da área de segurança e testes de invasão. Mais informações e ingressos: http://roadsec.com.br/salvador2018.

Aulas com tecnologia digital empolgam estudantes da rede estadual

Uma sala de aula contextualizada no século 21, na qual o conteúdo pedagógico é associado à tecnologia digital, por meio de chromebooks conectados à internet de alta velocidade. Esta tem sido a realidade dos estudantes da Escola Professor Luiz Fernando Macedo Costa, no bairro de Águas Claras, em Salvador, que já estão assistindo aulas com o uso de tecnologias digitais graças ao projeto e-Nova Educação, lançado no dia 4 deste mês, resultado de uma parceria da Secretaria de Educação do Estado com o Google for Education.

“Esta tecnologia é uma ferramenta que vem fortalecer o eixo pedagógico das escolas, pois o pedagógico é o objetivo central e o tecnológico é o auxiliar. O resultado desta parceria com o Google é a plataforma, a forma como você se interliga, acessa e pratica, mas o conteúdo é, inclusive, de baianos e baianas. No ano passado, nós lançamos a nossa plataforma com 6.580 conteúdos e, agora, por exemplo, estamos vendo várias escolas que têm experiências que são gestadas a partir da criatividade, do envolvimento e, principalmente, da inter-relação e esta parceria é para permitir isso”, afirma secretárioestadual da Educação, Walter Pinheiro.

Em fase piloto desde 2017, o projeto e-Nova Educação faz parte do dia a dia de estudantes e professores de 20 escolas de Ensino Médio de 11 municípios baianos – Salvador, Feira de Santana, Mata de São João, Camaçari, Lauro de Freitas, Jequié, Vitória da Conquista, Ilhéus, Itabuna, Senhor do Bonfim e Luís Eduardo Magalhães, nas mais variadas modalidades de ensino. Até o mês de julho, a meta é chegar a 536 unidades escolares. O conteúdo, aplicado de forma diversa, é acessado por meio de chromebooks, aparelho semelhante a um notebook, criado pelo Google, que funciona totalmente baseado na WEB.

Na Escola Professor Luiz Fernando Macedo Costa, o e-Nova Educação está empolgando professores e estudantes. Na aula de Língua Inglesa, por exemplo, com o uso dos chromebooks, os conteúdos são trabalhados de forma mais dinâmica, por meio de vídeos, filme, música e textos. As estudantes Andressa Figueiredo e Beatriz Lima, ambas com 12 anos e cursando o 8º ano, falam sobre a nova motivação em sala de aula. “Estou achando muito legal esta experiência de estudar com o auxílio do chromebook, porque a gente pesquisa os conteúdos de forma mais curiosa e pode aprofundar nos assuntos pelos vídeos e outros textos”, diz Andressa. Já Beatriz  afirma estar "achando tudo muito interessante, mais estimulante porque os assuntos que os professores abordam a gente pode pesquisar, com a ajuda de outros textos, além de vídeos e fotos”.

Também animada com as novas possibilidades de aprendizado, Helenice Santos Reis, 11, 6º ano, ressalta que o chromebook é uma maneira lúdica de aprender. “Estou achando muito bom esse projeto, porque a gente absorve os conteúdos de uma forma mais divertida. Com isso, sinto mais empolgação para fazer as atividades escolares”.

O professor de Língua Inglesa, Arleme Muniz Cotrim, considera que o e-Nova chega para revolucionar o processo de ensino e aprendizagem em sala de aula.

“O projeto oportuniza mais facilidade no acesso aos conteúdos pedagógicos, contribuindo para melhorar a qualidade de ensino. Usamos os chromebooks não somente para executar atividades escolares, a exemplo de trabalhar a pronúncia das palavras através de um vídeo, mas também como uma ferramenta recreativa, a exemplo de jogos por meio dos quais determinado conteúdo é abordado de forma lúdica. Percebo que o interesse dos alunos pelas aulas aumentou em 80%”, enfatiza o docente.

Projeto Escolas Culturais capacita coordenadores de todo o estado

Durante quatro dias, 85 coordenadores culturais passarão por uma capacitação, que começou na tarde desta terça-feira (10), no Hotel Sol Vitória Marina, no Corredor da Vitória, em Salvador. Eles foram selecionados por meio de edital para execução do Projeto Escolas Culturais. Idealizada pelo governador Rui Costa, a iniciativa busca promover o intercâmbio entre a cultura das comunidades e a arte produzida no ambiente escolar.

A secretária estadual de Cultura, Arany Santana, participou da mesa de abertura. “Hoje é um dia muito especial para este projeto tão sonhado pelo nosso governador. Agora nós partimos para uma etapa fundamental, que é a capacitação dos coordenadores culturais, que estarão lá na ponta, em cada território, fazendo essa dinamização artística com as escolas culturais”, afirmou.

A diretora institucional do Instituto Ação Social pela Música (IASPM), instituição parceira na execução do projeto, Beth Ponte, explicou a natureza do encontro. “Essa capacitação é o primeiro encontro dos 85 coordenadores que vão atuar nas Escolas Culturais em todo o estado. Então, esse é o primeiro momento onde eles todos vão se encontrar, se conhecer e trocar experiências para gerir esse programa da melhor forma possível”.

Da cidade de Cachoeira, a coordenadora cultural Gisele Oliveira destacou a chance de ajudar a promover a cultura do município. “Para mim, é uma oportunidade ímpar. Dentro da minha comunidade, eu já participo desde criança das manifestações culturais, promovendo também eventos e agora, com apoio deste projeto, vou desenvolver muito mais”, declarou.

O projeto é desenvolvido transversalmente pelas secretarias de Cultura (Secult), da Educação e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). Segundo a coordenadora do Escolas Culturais na Secretaria da Educação, Francine Costa, até sexta (13) serão apresentadas "atividades ligadas às três secretarias envolvidas. Cada secretaria vai pontuar de que forma suas ações vão participar desse projeto e de que forma os coordenadores vão precisar atuar na rede".

Secretaria da Educação do Estado promove Encontro sobre o Programa Formação pela Escola

A Secretaria da Educação do Estado realizou nesta quarta-feira (11), no auditório do órgão no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador, o Encontro de Alinhamento com os Multiplicadores do Programa Formação pela Escola (FPE). Com a participação de 21 educadores, o objetivo foi apresentar as ações desenvolvidas em 2017, além debater o planejamento para 2018 e socializar novas estratégias do programa. Neste ano, 323 municípios aderiram ao FPE e 100 novos tutores serão formados, a partir desta quinta-feira (12).

A coordenadora de Projetos Especiais da Secretaria da Educação, Elenir Alves, destacou o objetivo das formações e o papel do Estado para o fortalecimento dos programas. “Todos os programas que trabalhamos são de assistência técnica de apoio pedagógico às redes municipais. Então, a nossa ação, em regime de cooperação, é de fortalecimento do comitê gestor local. Esse comitê é instituído pelo município e nosso papel é a formação, acompanhamento e monitoramento deste comitê. E para otimizarmos ainda mais nossa atuação, nós realizamos a formação de multiplicadores nos Programas Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e Formação pela Escola (FPE) para trabalhar tudo isso de forma convergente, e não de forma separada”, contou.

A coordenadora estadual do FPE, Graciene Guimarães, explicou como acontece o processo de formação para o programa. “A formação é uma rede. Começamos com os multiplicadores que fazem parte do Estado. Eles formam os tutores indicados pelos municípios e depois a formação chega aos cursistas, que participam de turmas, que em média possuem de 25 a 40 participantes. São nove cursos oferecidos que esclarecem sobre a gestão escolar, como transporte, merenda e censo. Podem participar desde educadores até membros da sociedade civil. Para se ter uma ideia conseguimos formar 51.834 cursistas, em 2017”, disse.

A professora Darly Moreno, responsável pelas ações do FPE no Núcleo Territorial de Educação (NTE 11) de Barreiras, na região do Oeste Baiano, falou como é atuação dos multiplicadores no programa. “Eu realizo o acompanhamento e formação dos tutores neste processo formativo e a gente já percebe diversos avanços nos municípios. Por exemplo, dos 14 municípios da região, 13 são adidos à ação e atualmente neste bimestre, março e abril, possuímos 781 cursistas participando de cursos que abordam temas como o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), transporte, censo e livro didático. E esse processo formativo tem contribuído muito para as regionais”, afirmou. 

Sediado na Bahia, Virtual Educa lança programa sobre economia sustentável do mar

Entre os dias 4 e 8 de junho, Salvador irá receber um dos maiores encontros internacionais de educação da América Latina, o Virtual Educa. Nessa segunda-feira (9), na sala de reuniões da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia, (CAB), o governador Rui Costa participou da apresentação oficial do evento, que irá envolver professores da rede estadual de ensino em palestras, debates e oficinas com educadores e representantes de outros estados brasileiros e de países da América Latina, Caribe e África.

Nesta décima nona edição do encontro, será lançado o programa Think Blue, do Banco Mundial, que visa estabelecer um marco mundial sobre a economia do mar, com foco na sustentabilidade e na economia sustentável. No ano passado, o evento reuniu mais de 29 mil pessoas em Bogotá, na Colômbia.

Para o secretário estadual da Educação, Walter Pinheiro, o objetivo do Virtual Educa é desenvolver a educação com práticas inovadoras e promover o desenvolvimento social através da tecnologia. “Esse é um evento que já acontece há 18 anos no mundo e agora vem com força para a Bahia. Queremos trabalhar em duas frentes, do ponto de vista acadêmico e do ponto de vista da troca de experiências, com o Fórum Global - realizado no Porto de Salvador -, gerando debates sobre o que é possível juntar, conhecer e expor, e utilizar esse conhecimento para superar as barreiras e estimular a educação”.

De acordo com secretário geral do Virtual Educa, José María Antón, o projeto do evento permite a incorporação e o desenvolvimento cooperativo de diversos setores que promovem as transformações sociais. “A educação é muito importante, através dela as sociedades podem evoluir. A Bahia será palco de um grande intercâmbio de ideias entre professores, estudantes e administradores de escolas. Vamos promover um fórum de cooperação em que os representantes de governos poderão trocar ideias, com objetivo de transformar a Bahia numa referência em projetos em colaboração com a África”.

Novo Espaço

O encontro acadêmico será realizado no novo Centro de Formação e Eventos, antigo Instituto Central de Educação Isaías Alves (Iceia), que está passando por uma reforma para receber o evento. Possui, atualmente, 70 salas e um teatro com capacidade para mais de 1.000 lugares. Após a conclusão das reformas, prevista para maio de 2018, o espaço receberá cobertura total de internet e terá dez salas com capacidade média de 100 lugares, 26 salas com capacidade de 50 lugares e duas salas com capacidade de 150 lugares cada.

“Será um espaço aglutinador, um grande centro de eventos, numa escola de formação, mas também um grande palco, com a retomada de seu teatro e criando toda uma expectativa que o Iceia volte a ser o centro formador que foi no passado, agora para um novo período, para uma educação para transformar e uma educação para o futuro”, destacou Walter Pinheiro.

Virtual Educa

O Encontro Internacional Virtual Educa opera por meio de uma aliança de organizações internacionais, agências multilaterais e instituições públicas e privadas, que reúne os setores público, empresarial, acadêmico e da sociedade civil.

 

Fonte: Tribuna/Ascom Educação/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!