14/04/2018

Gualberto para se viabilizar, usará discurso anti-Lula e anti-Temer

 

Apesar de incipientes, os discursos dos pré-candidatos ao governo da Bahia da oposição começam a circular no grupo político. Um dos postulantes, o deputado federal João Gualberto (PSDB), tem dito interlocutores que vai apostar no discurso contra o PT e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, porém vai ampliar a crítica ao atual presidente Michel Temer (PMDB).

Gualberto faz parte da ala tucana do Congresso Nacional que buscou afastar a legenda do governo e chegou a assinar um dos pedidos de impeachment de Temer logo após o vazamento da conversa entre o presidente e o empresário Joesley Batista.

A estratégia é manter algum tipo de diferenciação com relação ao principal adversário na oposição, o ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM).

Enquanto o PSDB oficialmente não compõe o governo de Temer, o DEM permanece com postos e com vinculações constantes junto ao peemedebista. Como José Ronaldo também surfa na onda anti-Lula, a tentativa de distanciamento de Temer de Gualberto pode ser uma maneira de viabilizar a campanha do tucano ao Palácio de Ondina em detrimento ao projeto apoiado pelo prefeito de Salvador, ACM Neto, que apresentou o ex-gestor de Feira como opção de candidatura no núcleo de oposição ao postulante à reeleição no governo, Rui Costa (PT).

Após reunião com PSC, João Gualberto marca encontro com o Pros

O presidente estadual do PSDB, deputado federal João Gualberto, conversará com a cúpula do Pros, em Brasília, na próxima terça-feira (17), sobre a sua pré-candidatura ao governo do estado. Nesta quinta-feira (12), o tucano reuniu-se com o presidente do PSC na Bahia, Eliel Santana, e com os deputados estaduais Heber Santana (PSC) e Adolfo Viana (PSDB).

“Tenho que organizar os candidatos a deputados estaduais e federais na [coligação] proporcional. Temos que ir à guerra, avaliando as melhores condições e coligações”, disse Gualberto em entrevista ao BNews, nesta sexta-feira (13), acrescentando que tem conversado com o PTB, na figura do presidente da sigla, Benito Gama, e ainda vai procurar o Solidariedade (SD).

O parlamentar também se encontrou, nesta semana, com o prefeito ACM Neto (DEM), e com o pré-candidato à presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB). Gualberto, entretanto, desconversou ao ser questionado se teria a intenção de montar uma agenda com o paulistano na Bahia, frisando que não quer “desafiar o Democratas”.

A pré-candidatura tucana foi lançada logo após o prefeito ACM Neto (DEM) anunciar que não iria para a briga com o governador Rui Costa (PT) nas eleições de outubro. O tucano seria o vice na chapa oposicionista.

“Essa eleição vai ser do salve-se quem puder”, Lúcio Vieira Lima

O deputado federal Lúcio Vieira Lima tem planos ambiciosos para o MDB baiano em 2018, mesmo após a crise que quase implodiu a legenda após a Polícia Federal encontrar malas de dinheiro atribuídas ao irmão dele em um apartamento na capital baiana. O parlamentar reassumiu o comando do partido – que na última segunda-feira anunciou a pré-candidatura do ex-ministro João Santana ao governo do Estado. Agora, a oposição já conta com três candidaturas: além da de Santana, há a de João Gualberto (PSDB) e Zé Ronaldo (DEM). Lúcio, no entanto, indagado pela Tribuna, não aponta quais coligações podem ser seladas nas próximas semanas. No entanto, deixa implícito que a base não ficou nada satisfeita com a decisão de o prefeito ACM Neto (DEM) desistir do embate com o governador Rui Costa (PT). “Não posso adiantar [futuras coligações] porque essa campanha se caracterizou por algo diferente: todo mundo estava querendo o apoio dos partidos para depois dizer se era candidato ou não”, alfineta, fazendo alusão ao gestor democrata.

O parlamentar aponta que a indefinição do cenário nacional também é uma entrave para as negociações locais. “Nós precisamos eleger deputados federais e estaduais. Isso é muito importante: você ter um candidato a governador para ajudar um projeto de eleger parlamentares. Além do mais, nós temos que esperar a decisão se o MDB terá candidato a presidente. O PSDB quer fazer palanque para o Alckmin. O DEM quer fazer palanque para Rodrigo Maia. Então, é natural que o MDB queira fazer palanque para o seu candidato, que é o Henrique Meirelles”, analisa. Ele deixa claro que o MDB baiano deve apoiar qualquer nome nacional para a corrida presidencial: “Sou a favor que o MDB coloque uma candidatura. Sou a favor de qualquer candidatura do MDB. Agora, quem vai ser, vai depender de conversas internas. Primeiro, precisamos arrumar a casa internamente e depois partir para o debate com a sociedade”. Lúcio também revela os planos para a legenda baiana: “Nós pretendemos eleger, sem coligação, dois deputados federais e dois deputados estaduais. Se coligarmos com outro partido, a coligação elegerá três federais e três estaduais”. Segundo o site Política Livre, ele já reuniu 46 candidatos à Câmara dos Deputados na sigla e acredita que é possível chegar a 59, número máximo para disputar as eleições deste ano.

“Não temos problema nenhum com o DEM”

Ainda à Tribuna, Lúcio deixa claro que a desistência de Neto mudou completamente os planos da oposição. “Com essa saída de ACM Neto, nós vamos aguardar até o prazo das convenções conversando com todo mundo. Até porque, nenhum partido tem condições de dizer quem será candidato a deputado ou não. Logicamente, com a saída de ACM Neto, terminou a eleição de parlamentares ganhando uma grande importância. Então terminou que todos estão fazendo contas para eleger o maior número de deputados possíveis. Essa eleição é a eleição do salve-se quem puder”, crava.

O deputado não descarta continuar mantendo a aliança com o DEM no pleito: “Veja bem, nós estamos abertos ao diálogo. Não tem problema nenhum. Se nós formos procurados para conversar... até porque, sou daquela tese de que quem quer apoio tem que estar disposto a apoiar. Nós não temos problema nenhum com o DEM, com nada. Agora, a partir do momento que Neto, que era o candidato natural, retirou sua candidatura, então todos os partidos têm o direito de pleitear a candidatura ao governo. Vamos conversar à exaustão. Se não chegarmos em um acordo, nós marcharemos com o nosso candidato”.

Rui faz críticas à Justiça na AL-BA: 'Não pode ter uma lei para o Lula e uma lei para o PSDB'

Durante discurso na sessão especial em solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, realizada na manhã desta sexta-feira (13) na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o governador Rui Costa criticou duramente a Justiça brasileira no resultado do encarceramento do ex-presidente.

"Não pode ter uma lei para o Lula e uma lei para o PSDB", bradou. O governador ainda lembrou do caso do senador Aécio Neves e de Rocha Loures. "Aqueles que foram pegos com cocaína no helicóptero estão no Senado. Aqueles pegos com mala física de dinheiro estão no Senado e no Palácio do Planalto. Não é Lula que eles estão perseguindo. São os nordestinos, os pobres, os negros. A ideia de que o Brasil seja um país de todos os brasileiros", disse Rui durante a sessão.

O petista ainda criticou o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo pedido de encarceramento do ex-presidente: "Mesmo apanhando tanto, hoje Lula está na cadeia, não porque ele cometeu crime. Não importa a lei, importa apenas o convencimento dele (Moro). 'Rasgue-se a lei, você vai ser condenado a 12 anos de prisão'. Então para que 5 anos estudando direito? De que vale um advogado nessa situação?". Após o discurso de Rui, o presidente da AL-BA, Angelo Coronel (PSD) encerrou a sessão em homenagem a Lula.

Brasil vive ‘ditadura camuflada’, afirma Rui ao falar sobre prisão de Lula

O governador Rui Costa (PT) fez um discurso inflamado em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nesta sexta-feira (13), e falou em “ditadura camuflada” no Brasil durante a sessão especial convocada em homenagem ao petista, preso em Curitiba, convocada pelo presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD).

“O nosso país tem um lugar muito especial entre todos os país do mundo. Nossa luta foi para construir e é para construir esse país. Hoje, a tarefa nossa é mais complexa. Se é uma ditadura militar, basta todos denunciarem, é muito explícito. Hoje, ela é mais camuflada”, bradou.

O governador ainda fez uma avaliação do estilo de gestão do ex-presidente. “Lula nunca foi um comunista, um revolucionário, um radical. Na essência, ele governou por oito anos, sendo um conciliador, buscando unir o Brasil”, afirmou.

Coordenador do MBL vai a homenagem a Lula como 'observador': 'Não deveria acontecer'

Entre os presentes na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) para a sessão em solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, uma presença inusitada foi registrada pelo Bahia Notícias: o coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL) na Bahia, Siqueira Costa Jr.

Conhecido pelo posicionamento anti-PT e anti-Lula, o MBL garante que não fará manifestação no ato desta sexta-feira (13). “Só vim acompanhar, estou simplesmente como observador, nada mais do que isso. Respeitando o direito dos manifestantes”, assegurou o represente do movimento.

“O MBL como boa parte da população brasileira é contra esse tipo de homenagem, porque no transcorrer do processo foram diversas instâncias judiciais que condenaram o ex-presidente Lula e a gente não concorda”, criticou Costa Jr, ressaltando que a presença dele ali não precisa ser percebida: “É um espaço aberto ao povo, é uma casa do povo”.

No entanto, ele não pouca críticas ao ato tratado por aliados como solidariedade.  “A gente acha que, apesar de ser um ato democrático, a Assembleia Legislativa da Bahia não deveria estar rendendo homenagens a condenados ou presidiários, no caso. Nós vamos acompanhar a sessão, eu tenho que ver e depois tecer comentários nas redes sociais sobre o que eu vi e presenciei”, avisa.

'Não há nenhuma hipótese' de Rodrigo Maia não se candidatar à Presidência, diz ACM Neto

Para o prefeito ACM Neto (DEM), presidente nacional da sigla, "não há nenhuma hipótese" do presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) não se candidatar à Presidência da República. O gestor municipal disse que já até fechou uma estrutura de comunicação digital para a campanha.

"Estamos organizando uma agenda de eventos para o pré-candidato Rodrigo. Pelo menos seis grandes eventos nesses próximos três meses", ressalta Neto, em coletiva de imprensa na sede da prefeitura, na manhã desta sexta-feira (13).

De acordo com o democrata baiano, já existe uma data para a passagem do deputado federal pela Bahia. "Me parece dia 27 de abril, um evento em Camaçari. Tenho que confirmar com o prefeito Elinaldo, mas eu acho que é isso e talvez seja uma oportunidade que Rodrigo esteja aqui na Bahia", adianta o prefeito.

 

Fonte: BN/Tribuna/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!