17/04/2018

Dr. Google: Como pesquisar sobre doenças de forma confiável?

 

"Não pesquise sobre seus sintomas na internet, você sempre vai achar que está morrendo". Frases desse tipo são predominantes quando o assunto é caçar questões médicas pela web. Mas, não tem jeito. Impacientemente, todo paciente vai dar uma ‘googlada’ aqui e outra acolá.

  • "Descobri que a médica passou um remédio perigoso para o meu filho apenas porque pesquisei", afirma Caroline Trindade, que conferiu, na internet, que a composição de um remédio iria fazer mal ao seu bebê de um ano.

A mamãe de primeira viagem, Caroline Trindade, 23, ficou ‘fissurada’ em pesquisar sobre doenças na internet após ter o pequeno Guilherme, que hoje está com um ano. “Qualquer coisinha, vou logo sondar para ter uma base ao chegar no pediatra. Todos os médicos demonstram uma clara chateação com as minhas muitas indagações”, conta Caroline, que afirma já ter tido muitos desesperos em vão. “Meu filho estava com umas bolinhas na pele logo que nasceu, pareciam espinhas, mas pelas imagens e indicações na internet, uma das opções era herpes. Fiquei desesperada. Levei pro hospital e, chegando lá, descobri que eram só espinhas por conta dos meus hormônios - que passavam pelo leite”, conta.

Mas Caroline lembra, ainda, de situações em que as pesquisas pela web foram a salvação. “Nesta semana mesmo a médica passou um remédio que meu filho não pode tomar, porque ele tem tem APLV (Alergia a Proteína do Leite da Vaca). Na composição do remédio havia derivados. Eu, que sempre procuro na internet as bulas antes de comprar, descobri e falei com a médica. Ele se desculpou e trocou a receita, porque o alerta estava certo”, pontua a baiana, ainda finalizando: “Melhor questionar e aprender mais do que correr o risco de algo pior estar acontecendo ou acontecer”.

Diferente de Carol, a paulista Leslie Leite afirma que as pesquisas na web pioram a sua ansiedade e estresse, então, ela as evita. “Parei de caçar causas de sintomas na internet, isso tira o meu sono, porque sempre vai ter algo mais grave relacionado às possibilidades e eu entro em desespero. Para os ansiosos, acho melhor ir no médico ‘na cara e a coragem’”, exclama, mas sem deixar de escapar a declaração: “No máximo, faço uma pesquisa depois de já ter ido, para tirar eventuais possibilidades da cabeça”.

Rita de Cássia, 43, passou pelo oposto do que aconteceu com Carol. O alerta acabou sendo tão apequenado pelas pesquisas no Google, que a soteropolitana acabou ignorando a ida ao médico e, aí, ‘o bicho pegou’. “Apareceram umas manchinhas avermelhadas na minha pele e achei que era apenas uma alegria a algum alimento. Pesquisei na internet e, como na maior parte dos casos, as imagens semelhantes indicavam apenas consequências de estresses e alergias, deixei quieto para ‘passar sozinho’”.

Depois, as manchas de Rita passaram a aumentar de quantidade e, algumas, chegaram a ficar com uma cor mais próxima do roxo. “Era uma bactéria que estava na minha garganta e passou a ir para o sangue. Nunca iria imaginar que a garganta inflamada poderia levar a isso. Mas confesso que não quis pesquisar muitas opções pela internet, justamente pra ficar mais tranquila”. Tranquila demais, a empresária acabou precisando se preocupar densamente e fazer um tratamento mais longo. “Hoje, marco logo uma consulta”, finaliza, lembrando da importância do equilíbrio e do alerta médico, que a alarmou sobre o fato de uma alergia levar ao edema de glote.

  • "É preciso lembrar que existem relatos pela internet cabíveis apenas para casos raros", alerta a Dra. Sabrine Vilán, ginecologista especializada em tratamentos para casos de infertilidade

A VOZ DO ESPECIALISTA

A ginecologista Sabrine Vilán, 31, especializada em infertilidade, afirma que o raro, atualmente, é receber uma paciente que não tenha feito pesquisas prévias. “A grande maioria já leu alguma coisa antes. Isso tem um lado positivo, porque elas acabam esclarecendo melhor os sintomas, frisando alguma coisa que poderiam deixar de lado, mas que já não passa batido por terem percebido a importância em uma pesquisa dessas”, pondera a médica.

  • "Tem um lado positivo, porque os pacientes acabam esclarecendo melhor os sintomas", pondera Dra. Sabrine

Vilán, porém, não deixa de pontuar os lados negativos da situação. “As pessoas precisam lembrar que, na internet, existem muitos leigos dando pareceres, assim como existem muitas impressões pessoais que não são cabíveis para todos os casos – ou, às vezes, são para casos raros”, alerta. A doutora, que afirma receber muitas pacientes já impondo os exames que querem fazer ou solicitando tratamentos específicos antes da consulta, diz que, no entanto, o médico é quem deve saber conduzir a situação, sem estresses. “Não me irrito. Sei que isso é natural hoje em dia, e nosso papel é o de acalmar o paciente e esclarecer. Uma profissão com indagações alheias pode ser ainda mais saudável, se você lembrar que tudo é uma troca evolutiva”, diz Dra. Sabrine, que frisa que a infertilidade, na maior parte dos casos, tem sim, tratamento, e isso depende do histórico de cada paciente.

O cirurgião buco-maxilo-facial Dr. Pedro Berenguer, 36, afirma que é crescente a quantidade de pacientes que precisam de um tratamento específico e que começam negando o que o profissional indica por acharem que o caso próprio é semelhante a algum relato visto nas redes. O cirurgião, que faz extração de sisos, alerta para o fato de que cada recuperação é diferente da outra. “Existem sisos que nem precisam ser extraídos, enquanto outras bocas podem receber a retirada dos quatro de vez. Depende do histórico de cada paciente”, diz, concordando com a Dra. Sabrine.

“Não me irrito, porque nosso papel é educar, e aquele paciente pode disseminar a informação correta para outras pessoas depois - ou pode nos fazer ter um bom insight no tratamento por algo que questionou. O que incomoda é quando ele quer impor um conhecimento ‘internetês’”, conclui.

Em meio a tantas situações, imagine se fosse possível chegar com informações mais certeiras no consultório. E se desse para fazer uma pesquisa ouvindo outro especialista sem precisar largar o sofá às pressas? O CORREIO selecionou canais do YouTube, sites e aplicativos confiáveis para você tirar suas dúvidas através das visões de outros profissionais. Não esquecendo, obviamente, que a consulta na internet pode ser um suporte, mas não deve substituir a visita ao seu médico, como alerta o Dr. Pedro Berenguer. 

  • Confira as dicas:
  • CANAIS DO YOUTUBE

DR. DRAUZIO VARELLA

Ele é médico oncologista, cientista e escritor brasileiro, formado pela Universidade de São Paulo (USP), na qual foi aprovado em 2° lugar. Conhecido por popularizar a informação médica no país, através de aparições em programas de rádio e na TV Globo, o doutor Drauzio Varella também alimenta o próprio canal de produções audiovisuais, que vai de temáticas como um resfriado até questões sociais, como aborto. Atento aos comentários dos espectadores, o médico responde dúvidas através de uma linguagem simples, faz entrevistas com outros especialistas e explica sobre causas de sintomas diversos. Também contém site.

TUA SAÚDE

Dietas, saúde e bem-estar são os enfoques do canal Tua Saúde. Nele, são reunidos especialistas de diversas áreas, como Nutrição, Fisioterapia, Ginecologia, Cardiologia e Odontologia. É possível ler sobre cada um dos profissionais na aba ‘Quem Somos’ do site ligado ao canal. Nos vídeos, assim como no endereço da web, os médicos explicam causas de doenças e indicam tratamentos, convencionais ou alternativos, para quem está buscando uma profundidade nos assuntos. Também contém o site.

DOUTOR AJUDA

O Doutor Ajuda é um canal criado por um grupo de médicos formados pela Faculdade de Medicina (FMUSP). Assim como o canal do Dr. Drauzio Varella, o objetivo é orientar pacientes sobre sintomas e doenças variadas. De acordo o urologista Fábio Ortega, um dos criadores do canal, a ideia é responder questionamentos de forma qualificada, esclarecendo sobre sintomas e sobre quais os caminhos possíveis após a ocorrência deles. Também contém o site.

Dr. JULIANO PIMENTEL

Fisioterapeuta e também sou coach de pessoas que desejam chegar ao peso ideal, o Dr. Juliano Pimentel apresenta dicas sobre alimentação saudável, mas não fica preso às temáticas principais abordadas por canais que focam em ‘uma vida mais fitness’. No quadro Dores e Doenças do seu canal, o médico aborda questões como hérnia, labirintite, tireoidite e anemia.

Dr. IGOR PADOVESI

Ginecologista e obstetra, formado e pós-graduado pela USP e pelo Hospital Sirio Libanês, o médico tem especialização em Endometriose e Cirurgia Ginecológica Minimamente Invasiva, além de atuação em Obstetrícia (ênfase em Parto Humanizado Hospitalar). Atualmente trabalha em seu consultório e no Hospital Albert Einstein. No seu canal, o especialista responde dúvidas variadas para as futuras e atuais mamães. Temas como anticoncepcionais e parto recebem esclarecimentos.

  • OUTRAS DICAS

MINUTOS PSÍQUICOS

O Minutos é idelizado e alimentado por três estudantes da Ciência que, unidos pela vontade de espalhar o conhecimento, apresentam vídeos curtos sobre Psicologia. Nas produções, estão temáticas como depressão, ansiedade e curiosidades sobre o funcionamento do cerébro.

UNIMED FORTALEZA 

A Unimed Fortaleza é uma cooperativa de trabalho médico com atuação no mercado cearense. Fundada por um grupo de 23 médicos, ela a maior rede de assistência médica do Brasil: o Sistema Unimed. Esses especialistas tiram dúvidas de pacientes no canal da iniciativa.

CANAL SAÚDE

O Canal Saúde é uma emissora de televisão pública, sediada na Fundação Oswaldo Cruz, cuja missão é produzir conteúdo sobre saúde que contribua para a construção da cidadania da população brasileira. Com o canal de YouTube, o projeto fica no ar diariamente com programação diversificada, de 7h até meia-noite. Além dos seus programas, instituições parceiras e produtores independentes estão contemplados na grade.

  • OUTROS SITES

DR. SINTOMAS

Um médico virtual. O Dr. Sintomas proporciona uma consulta ‘via site’ para o usuário. Com diversas indagações, que vão desde idade até o que o paciente está sentindo no momento, o portal busca promover um primeiro direcionamento sobre as dúvidas do leitor. Mas, como ele consegue fazer isso? O site é baseada em um algoritimo de inteligência artificial, utilizando um banco de dados alimentado por médicos e especialistas. A promessa do site é fazer com que os pacientes possam ter uma base mais firme de perguntas e respostas para debater, de forma saudável, com o próprio médico.

MINHA VIDA

Feito por uma equipe de jornalistas, o site tem  parceria com mais de 700 especialistas e profissionais de saúde. De acordo com o mídia kit do site, no ano de 2017, o portal foi visitado por mais de 72 milhões de brasileiros. Nele, é possível encontrar esclarecimentos sobre diversas doenças, além de dicas alimentares e informações sobre quesitos estéticos. O portal ainda reúne matérias factuais, com novos metódos cientifícos e outros aspectos. Além de tudo isso, o melhor: é possível enviar suas perguntas para que especialistas respondam no próprio endereço. Na aba de questionamentos, é possível encontrar diversas respostas abertas para o público. Um site semelhante é o Médico Responde.

DR. GOOGLE

Pode parecer óbvio fazer uma pesquisa no Dr. Google’, mas, você já viu uma caixa azul-esverdeada ao lado da sua pesquisa no site após digitar o nome de alguma doença? Trata-se de uma iniciativa  que, com fontes renomadas, como o Hospital Israelita A. Einstein, reúne e ordena as informações acerca de sintomas e doenças nacionais e internacionais. É possível verificar sintomas, tratamentos e condições médicas através da iniciativa, que filtra detalhes confiáveis.

O AbcMed, G1 Bem Estar e o Mãe de Cachorro são outras indicações para quem busca informações confiáveis.

  • APLICATIVOS

DR. DRAUZIO PRIMEIROS SOCORROS

Olha ele aqui novamente! Com um conteúdo desenvolvido e supervisionado pelo Dr. Drauzio Varella, o aplicativo oferece orientações básicas sobre primeiros socorros, mas não substitui o atendimento profissional, assim como todas as indicações aqui pontuadas. A partir de um menu simplificado, o usuário tem acesso a procedimentos para dezenas de situações de emergência, onde a pronta ação pode fazer a diferença. Em casos graves, ou quando estiver com alguma dúvida, procure o serviço de emergência ligando para 192. Gratuito. Disponível para iOS e Android.

CUCO

O CUCO é um assistente de saúde digital que nasceu para ajudar pacientes a acompanhar o histórico de saúde e tomar os medicamentos no horário correto. Mas, atualmente, o app está se encaminhando para objetivos ainda maiores. Além das mensagens e dicas sobre tratamentos e doenças que o Cuco disponibiliza, o aplicativo está prometendo uma atualização, ainda em 2018, com para espaço direto para tirar dúvidas de saúde, para monitoramento de pressão arterial, peso, glicemia e também para agendar e armazenar exames. Gratuito. Disponível para iOS e Android.

GENÉRICOS BR

O remédio que seu médico recomendou está disponível em forma líquida, comprimido ou creme? Qual o princípio ativo da medicação e como ela atua em seu organismo? O aplicativo permite que qualquer paciente faça buscas por esses dados ao informar o nome de marca ou genérico do medicamento que vai consumir. O app ainda permite que o consumidor encontre a medicação com menor preço, descobrindo quais são os genéricos disponíveis nas farmácias.  Gratuito. Disponível para iOS. Semelhantes para Android: ProDoctor Medicamentos / e-Med Medicamentos. Semelhante focado em pediatria: Manual de Medicamentos.

DOCWAY

Docway é um aplicativo que facilita o dia a dia de milhares de pacientes de forma segura, rápida e fácil. Seja um atendimento médico, exame ou vacina, com o Docway é possível entrar em contato com um profissional de confiança no local de sua preferência. Além de ter um histórico de todas as suas consultas e atendimentos, é possível fazer um sub-perfil para cada integrante da família. Antes de solicitar o médico, existe a opção de escolher a especialidade e ler a biografia desse profissional. Gratuito. Disponível para iOS e Android.

MEU DIGISUS

O Meu digiSUS é a plataforma móvel e de serviços digitais oficial do Ministério da Saúde, onde o cidadão pode ter acesso às suas principais informações de saúde, É possível visualizar os agendamentos de consultas e procedimentos realizados pelo cidadão na atenção básica, média e de alta complexidade (SISREG). O aplicativo permite que os atendimentos sejam avaliados ou, ainda, que o Ministério da Saúde seja informado quando o atendimento não for realizado. O app ainda mostra as informações gerais do cidadão, como lista de medicamentos que foram recebidos pelo programa Aqui tem Farmácia Popular. Além disso, contém Serviços de Saúde, área que permite consultar estabelecimentos de saúde fisicamente próximos, além de permitir adicionar aos favoritos os mais relevantes. Gratuito. Para iOS e Android.

O app Dieta Tecnonutri é outra indicação: para utilizar antes e depois de ir ao nutricionista.

 

Fonte: Correio/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!