18/04/2018

Grupo de rap RZO se apresenta pela primeira vez em Salvador

 

Um dos nomes de peso do rap nacional, o grupo RZO desembarca em Salvador neste sábado, 21, para apresentar o show do seu novo disco, "Quem tá no jogo". O show faz parte da edição especial da festa "Ugangue Apresenta" e acontece no Largo Tereza Batista (Pelourinho), a partir das 20h.

Os ingressos custam R$ 30 (antecipado), R$ 40 (no local) e a R$ 50 (casadinha) e estão à venda no Sympla.

Formado por Helião, Sandrão e Dj Cia, o RZO traz para a capital baiana um repertório com seus principais sucessos, além das músicas novas. A programação conta ainda com os shows do grupo baiano Nova Era e do rapper Correria.

•        PROGRAME-SE

Ugangue Apresenta: RZO, Rap Nova Era e MC Correria

Onde: Largo Tereza Batista, Pelourinho

Quando: sábado, 21 de abril

Horário: 20h

Ingressos: R$ 30 (antecipado) e R$ 40 (no local) | Casadinha R$ 50 (ingresso duplo)

Vendas: Sympla

Cantora Mãeana se apresenta no Lálá no Pague Minha Pauta

A cantora e compositora Mãeana se apresenta nos dias 20 e 21 de abril (sexta e sábado), às 21h, no Lálá Multiespaço. Os shows fazem parte do LáláB – Pague Minha Pauta, e os ingressos custam R$10 e R$5 (meia). Além das duas apresentações, ela também participa de um bate-papo como público na sexta, após o show, às 22h.

Segundo a cantora, o repertório é pautado na “busca da nova Terra”. “Canções para embalar os filhos deste planeta na busca da nova visão”, explica. Acompanhada de Bem Gil na guitarra e de seus objetos psicomágicos, cantará músicas antigas e inéditas num clima intimista.

As apresentações fazem parte do projeto LáláB – Pague Minha Pauta, que realizará 40 shows e quatro oficinas entre os meses de janeiro e abril, no espaço cultural no Rio Vermelho. Com o apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo de fomento das secretarias da Fazenda e de Cultura do Estado da Bahia, por meio do Edital de Dinamização de Espaços Culturais, executado pela Diretoria de Espaços Culturais (DEC), as ações têm realização do Lálá com produção da Maré Produções Culturais.

  • SERVIÇO – SHOWS

LÁLÁB – PAGUE MINHA PAUTA

Mãeana

Quando: 20 e 21 de abril, 21h

Quanto: R$10 e R$5 (meia)

Local: Lálá Multiespaço - Rua da Paciência, 329, Rio Vermelho.

Osba leva repertório francês ao Pelourinho neste domingo

A Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) retoma a Série Manuel Inácio da Costa, que tem como proposta percorrer as igrejas da capital baiana, em concerto neste domingo (22), às 17h, na Igreja de São Francisco, no Pelourinho. O público terá a oportunidade de conferir um repertório que apresenta como destaque obras de compositores franceses como Maurice Ravel e Ernest Chausson, além da pérola ‘Clair de Lune’, composição consagrada de Claude Debussy, usada em muitas em trilhas de filmes e novelas.

A apresentação terá a regência de Eduardo Torres, maestro e pianista da Osba, e solos dos violinista chileno Francisco Roa, atual chefe de naipe dos segundos violinos da orquestra. A entrada é gratuita, até a lotação do espaço.

Série Myriam Fraga II

No dia 27 desde mês, a Osba encerra a programação artística de abril inovando em suas propostas artísticas e explorando a diversidade musical para além do repertório sinfônico, ao reeditar o ‘Bach Eterno’ para provar a universalidade e atemporalidade do legado musical do mestre Johann Sebastian Bach presente em obras de compositores como Webern, Arvo Part, Villa-Lobos, Paulo Costa Lima até chegar ao funk “Bumbum Tam Tam”, de MC Fióti.

As sessões acontecem às 18h e às 20h, no Teatro Eva Herz Salvador, no Salvador Shopping, com as apresentações sob regência do maestro Carlos Prazeres. Participam os músicos e irmãos Lucas Robatto (flauta) e Pedro Robatto (clarinete) como solistas. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e já podem ser adquiridos no site da Ingresso Rápido.

Espetáculo “Tombé” leva "stand up dance comedy" a Santo Amaro

Santo Amaro recebe nova temporada de circulação na Bahia do espetáculo de dança “Tombé”, dirigido por Jorge Alencar. A apresentação será na quarta-feira (18), às 19h, no Teatro Dona Canô, com ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). A peça, com mais de 15 anos de atividade, se assume como um ‘stand up dance comedy’, estabelecendo diálogos efetivos entre o ambiente da arte e o público, especialmente pessoas que nunca tiveram contato com as artes contemporâneas, o que gera uma experiência introdutória ao universo artístico com humor e senso crítico.

Esta circulação comemorativa na Bahia foi contemplada pelo Edital Setorial de Dança 2016, tendo apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria de Cultura da Bahia. Além de Santo Amaro, o roteiro inclui Feira de Santana, Itacaré, Vitória da Conquista, Jacobina e Salvador. Na programação em cada cidade, haverá também apresentações “delivery”, encenadas em ambientes alternativos ao teatro, levando a peça para o encontro de públicos em formação artística. Para completar, a “Oficina de Honestidade Artística” será ministrada para artistas dos diversos campos que desejem penetrar nas suas próprias fantasias e motivações criativas.

SINOPSE – Você já tentou entender o sentido das coisas? Você já teve que inventar alguma teoria? Você já teve longas DRs com colegas de trabalho? Você já teve um chefe? Você já participou de dinâmicas de grupo? Você já perdeu o controle? “Tombé” é um espetáculo para você. Uma espécie de ‘stand up dance comedy’, um sitcom coreográfico, uma sessão de terapia coletiva que faz jogos de espelho entre ficção e realidade, riso e desespero, artista e público. Numa companhia de dança ficcional (e hiperreal), a cena se constrói entre diversos vocabulários corporais, teorias cabeludas, desabafos de Facebook, citações de obras de autores variados. “Tombé” coreografa movimentos, discursos e absurdos da arte e da vida. E ri de si.

  • Serviço:

TOMBÉ

Direção coreográfica: Jorge Alencar

Criação e performance: Eduardo Gomes, Fábio Osório Monteiro, Jorge Alencar, Neto Machado e Rúbia Romani

Duração: 50 minutos

Classificação: Livre

SANTO AMARO | BAHIA

APRESENTAÇÃO PÚBLICA DE “TOMBÉ”

Quando: 18 de abril (quarta-feira), 19h

Onde: Teatro Dona Canô

Quanto: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

APRESENTAÇÃO ‘DELIVERY’

Quando: 18 de abril (quarta-feira), 14h

Onde: Colégio Estadual Teodoro Sampaio (para alunos da instituição)

MAB apresenta Miguel Cordeiro na exposição "Primavera Burlesque"

O Museu de Arte da Bahia (MAB) inaugura na sexta-feira (20), às 19h, a exposição das mais recentes criações do artista visual Miguel Cordeiro. A mostra reúne 50 obras que através de cores quentes, puras e vivas, celebram a Primavera Burlesque, uma metáfora sobre o contínuo renascer artístico e a ironia do olhar. A exposição faz parte da celebração, em julho deste ano, do centenário do MAB, e fica exposta no salão principal até 30 de maio, com visitação gratuita.

Miguel Cordeiro despontou na cena cultural em 1979 através dos grafites urbanos de Faustino, inesquecível personagem que povoou os muros de Salvador e outras cidades do Brasil, ironizando aspectos do comportamento humano nas situações do cotidiano. Nesta exposição do MAB o público poderá conferir a série Gauguin Delicatessen; a adaptação ilustrada de O Corvo, de Edgar Allan Poe; e objetos-esculturas que flertam com o inusitado. São trabalhos em variadas técnicas e dimensões, que transitam entre a pintura, o desenho, a colagem e a construção de objetos, num convite para o deleite estético e a reflexão sobre as certezas e as incertezas da nossa evolução e o nosso permanente desnorteio.

O diretor do MAB, Pedro Arcanjo revelou que essa exposição de Miguel Cordeiro "impressiona pela sua expressão estética e rebeldia temática que se insere no contexto atual e no desafio de nossa gestão em transformar o MAB em um lugar de inquietação, sobretudo nesse momento, onde as questões de igualdades sociais se impõem contemporaneamente".

Segundo Miguel, “tudo nasce dos desenhos, dos esboços, anotações e observações, pequenos projetos que eventualmente, num futuro próximo, possam ser transformados e elaborados”. O seu processo poético de criação começa com um primeiro traço na folha de papel, na ideia que se materializa ganhando vida no desenvolvimento do discurso e na composição da obra de arte.

O Museu de Arte da Bahia é uma unidade do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural, órgão da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, e fica à Av. Sete de Setembro, 2340, Corredor da Vitória, Salvador (BA). Funciona de terça a sexta, das 13 às 19 horas; e sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h.

Sobre o artista - Miguel Cordeiro nasceu em Salvador (BA) em 1956. Artista autodidata, começou a sua trajetória na primeira metade dos anos 1970 com trabalhos em desenho, colagem e pintura. Suas principais influências foram a Arte Pop, o Rock, as histórias em quadrinhos e os livros de escritores ligados ao movimento da Contracultura.

É reconhecido como um dos pioneiros do Graffiti e Street Art no Brasil, tendo em 1979 criado o personagem Faustino, que retratava aspectos do comportamento humano em um mundo de permanente transformação. Participou de dezenas de exposições e mostras no circuito alternativo, ilustrou capas de discos e livros, e com o advento da Internet, sua arte ganhou destaque também nas mídias eletrônicas, sendo compartilhada e analisada em diversos sites nacionais e internacionais.

Sua última exposição individual foi “Horizonte”, na Sala Contemporânea do Palacete das Artes, em Salvador (BA), entre novembro 2014 e março 2015, teve excelente recepção do público, que compareceu massivamente. Além disso, foi acolhida pela crítica como uma das grandes exposições realizadas em Salvador no período.

O MAB - O Museu de Arte da Bahia é o mais antigo museu do Estado, criado em 1918 no prédio anexo ao Arquivo Público e transferido em 1982 para sua atual sede, no Corredor da Vitória. O seu acervo é constituído por 13.686 peças adquiridas ao longo do tempo, através da compra pelo Estado da Bahia de obras de grandes coleções particulares. Inicialmente no século XIX, a coleção de pintura do Conselheiro Jonatas Abbott, dos séculos XVII e XVIII, de origem italiana, francesa, flamenga, holandesa, onde se destaca o quadro da Escola de Caravaggio “David com a Cabeça de Golias”; e em 1943, a de Francisco Marques de Goés Calmon, que reúne importantes conjuntos de artes decorativas, notadamente as porcelanas orientais e o conjunto de “louça histórica” que pertenceu a vários representantes da aristocracia brasileira.

Os pintores baianos – Presciliano Silva, Alberto Valença e Mendonça Filho estão representados no MAB, através de magníficos trabalhos, que comprovam a beleza, o valor e a evolução de sua arte, como a predileção por determinados temas como as paisagens de Valença, as marinhas de Mendonça Filho e os interiores de Igrejas de Presciliano Silva. No andar térreo encontramos gravuras que remetem a um passeio pela cidade de Salvador no séc. XIX, com mapas e aspectos da cidade do sec. XVII, na época da invasão holandesa em 1624. O Museu de Arte da Bahia integra os espaços administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA).

  • SERVIÇO:

Exposição “Primavera Burlesque”

Onde: MAB - Museu de Arte da Bahia (Av. Sete de Setembro, 2340 – Corredor da Vitória, Salvador/BA)

Abertura: 20 de abril, às 19h

Visitação: 20 de abril a 30 de maio

Horário de visitação: de terça a sexta, das 13 às 19 horas; e sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h

Gratuito

 

Fonte: A Tarde/Ascom Osba/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!