18/04/2018

Feira: Vereador critica secretariado e obras da antiga gestão

 

O vereador Zé Filé (PROS), em pronunciamento na sessão ordinária na Câmara Municipal de Feira de Santana, voltou a criticar a permanência do quadro de secretários municipais e diretores da gestão antiga na atual gestão do prefeito Colbert Martins Filho. Para o edil, novas nomeações já deveriam ter acontecido, garantindo mudanças significativas para a administração da cidade.

Ainda no uso da tribuna, o edil teceu duras criticas sobre obras recentes de pavimentação na cidade. Filé afirmou que os serviços já apresentam defeitos e caracterizou as obras como eleitoreiras. “Não vejo vantagem nessas obras. O dinheiro para fazer essas pavimentações não saiu do bolso do ex-prefeito José Ronaldo. Esse dinheiro saiu do nosso bolso, são fruto dos impostos pagos por nós. Quando eles resolvem consertar o serviço mal feito, gasta  novamente o dinheiro do povo e isso não é justo”, desabafou.

Para o líder do governo, vereador Luiz Augusto de Jesus- Lulinha (DEM), o vereador Zé Filé deveria usar seu tempo para trazer mais emendas para beneficio do município. “Vossa excelência deveria buscar emendas para ajudar na nossa Micareta. Quanto à equipe de José Ronaldo, aquela é uma equipe unida e nunca se envolveu com corrupção”, afirmou.

O presidente do Legislativo feirense, vereador José Carneiro Rocha (PSDB), também rebateu as criticas do colega Zé Filé. “O nosso ex-prefeito José Ronaldo obteve mais de 80% de aprovação popular, dessa forma o senhor está indo de encontro à opinião pública”, finalizou.

Curuca defende emancipação política de Humildes

No uso da tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, na sessão ordinária desta terça- feira (17), o vereador Zé Curuca (DEM) revelou o empenho para conquista da emancipação política do distrito de Humildes. De acordo com o edil, já foi dado início ao projeto para desmembrar Humildes, além da realização de reuniões com lideranças comunitárias e eclesiásticas da comunidade. Curuca destacou, ainda, a participação do Encontro de Distritos, no último sábado (14), em Camaçari.

“Humildes já tem capacidade de ser uma cidade, já chega de receber migalhas de Feira de Santana. Nosso movimento só tem crescido. Humildes será uma cidade grande e desenvolvida”, defendeu o vereador, afirmando que, no próximo dia 20 de abril estará reunido com o deputado federal José Nunes, em Brasília, em busca de apoio.

Em aparte, o vereador Edvaldo Lima (PP) disse acreditar na capacidade do distrito se tornar município. “Humildes já pode resolver seus problemas, mas discordo aquando o nobre colega afirma que o distrito recebe migalhas de Feira de Santana. Caso o distrito se torne cidade eu morarei lá”, finalizou.

Vereador reivindica fiscalização do comércio de água mineral, em Feira

Durante pronunciamento na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Isaias de Diogo (PSC), repercutindo um vídeo que circula nas redes sociais mostrando uma comerciante enchendo garrafas de água mineral com água não tratada,  solicitou que a secretária municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, disponibilize agentes da Vigilância Sanitária para fazer a fiscalização nos pontos de vendas e exija dos comerciantes a apresentação de notas fiscais.

“A nossa saúde pública já vai de mal a pior, imagine o que pode acontecer com a população consumindo água não tratada? Estamos próximo à Micareta e muitas pessoas poderão consumir água contaminada, causando mais doenças na população”, concluiu.

Vida Melhor: 240 microempreendedores são beneficiados em Feira de Santana

Cerca de 240 microempreendedores individuais de Feira de Santana serão beneficiados com as entregas de certificados de formação e equipamentos do programa Vida Melhor. O evento acontece no Centro Social Urbano (CSU) do município, nesta quarta-feira (18), às 10 horas. Enquanto 130 beneficiários do programa receberão certificados em cursos específicos nas áreas de beleza e alimentos, por exemplo, outros 110 receberão fogões industriais, máquinas de costura e kits de cabeleireiro, entre outros.

O investimento do Governo do Estado, por meio das secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Trabalho, Emprego e Renda (Setre), é da ordem de R$ 348,6 mil. Os cursos de capacitação ofertados pelo programa foram de corte e costura; beleza e estética; alimentos; e técnica de vendas. O objetivo é apoiar os microempreendedores, além da doação dos equipamentos, para que eles atuem de maneira sustentável financeiramente.

O programa Vida Melhor foi criado em 2015 com o objetivo de ofertar cursos e doação de equipamentos para microempreendimentos da economia popular e solidária. O programa é voltado para pessoas prioritariamente inscritas no Cadúnico, entre 18 e 60 anos. Cerca de 80% do público do programa é feminino.

Turma especial de Direito da Uefs debate regularização fundiária de quilombos

A regularização fundiária dos remanescentes de quilombos é um tema de grande relevância social. Apesar de existirem na Bahia 736 comunidades quilombolas certificadas pela Fundação Palmares, muitas não tiveram a regularização fundiária e titulação garantidas, como prevê a Constituição Federal de 1988. Nesse sentido, a discussão no âmbito acadêmico, sobretudo pelos estudantes de Direito torna-se imperiosa.

O objetivo da Oficina Regularização Fundiária de Quilombos é promover uma discussão interdisciplinar sobre a regularização fundiária dos quilombos, e está inserida no Ciclo de Debates sobre a questão agrária promovido pela Turma Elisabeth Teixeira (Pronera), no âmbito do convênio da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA).

A oficina será ministrada pelo Defensor Público Gilmar Bittencourt e a antropóloga do INCRA, Elisa Cunha, no dia 18 de abril (quarta-feira), a partir das 13h30, no módulo 4 - NT 47, campus universitário. As vagas são limitadas e as inscrições feitas através do e-mail pronera@uefs.br.

Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente promove formação para professores

Com o tema: “Meio ambiente e ciência: reduzir, reutilizar e reciclar - os 3 Rs no meu dia a dia”, será realizado em 2018 mais uma edição do Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente (PAMMA). Os professores que desejam participar terão uma formação voltada para orientação no dia 27 de abril. Os interessados devem se inscrever através do e-mail: ana.ca.cruz@belgobekaert.com.br.

O encontro será realizado das 8h às 11h40 no auditório da indústria Belgo Bekaert Arames de Feira de Santana, localizado na Avenida Sudene, 180, CIS. O PAMMA é desenvolvido pela Belgo em colaboração com a Fundação ArcerlorMittal Brasil e a Secretaria Municipal de Educação. O prêmio tem como objetivo promover a conscientização ambiental, visando contribuir para que as novas gerações atinjam sua maturidade melhor preparadas para preservar e valorizar o meio ambiente.

Após a formação, os professores terão entre quatro e cinco meses para orientarem o desenvolvimento dos trabalhos nas escolas. Serão contemplados alunos do 1º ao 9º e a avaliação dos produtos será feita pelos representantes da Belgo Bekaert Arames.

Jovens feirenses, amantes da astronomia, idealizaram o Observatório Antares na década de 70. Por Adilson Simas

  • Comerciante, empresário, publicitário, produtor cultural, José Olímpio Mascarenhas tem uma intensa presença nos mais diversos segmentos de Feira de Santana. Na comunicação, por exemplo, foi um dos diretores do “Feira Hoje” quando o tradicional jornal passou a circular diariammente, e na imprensa falada a ele se deve a primeira emissora de Rádio FM, hoje a Princesa FM. Em artigo publicado em 2002, José Olímpio fala da sua luta com César Orrico e outros amantes da astronomia, que culminou com a criação, nos anos 70, do Observatório Antares, o primeiro do Norte e Nordeste do Brasil. Vale a pena a leitura (Adilson Simas).

OBSERVATÓRIO ANTARES

Alberto Oliveira, a pedido nosso e de César Orrico, doara seiscentos metros quadrados de área em loteamento de sua propriedade, no fim da Getúlio Vargas, para que fosse construído o Observatório Antares.

Everaldo Cerqueira, arquiteto e também astrônomo amador, fizera a planta e havíamos adquirido um telescópio em Manaus, um pouco mais potente do que o de César Orrico.

Estávamos na residência de Beto Oliveira e de Áureo Filho, vizinhos, tratamos dos primeiros passos do Antares quando Beto, entusiasmado, mostra o projeto e comunica ao pai, Deputado Áureo Filho, a boa nova:

- “Zé Olímpio, César Orrico e um grupo entusiasta vão construir um observatório astronômico em nossa cidade. Doamos o terreno e o projeto está aqui”.

Mostra ao deputado a planta de Everaldo Cerqueira, Áureo Filho, balança a cabeça, encara Beto, eu e César e, com uma frase seca e gutural nos choca de início:

- “Feira de Santana não merece isso”.

Ficamos sem entender, e Alberto Oliveira, meio sem jeito com a reação do pai deputado, tenta consertar e amenizar a decepção:

- “Que é isso, meu pai, os jovens querem fazer algo por Feira, construir um observatório, despertar o interesse pela astronomia, etc etc e o senhor desanima, que tem de errado”.

O nosso deputado, visionário, idealista, sonhador, mente aberta, olhos de águia, ensaia um discurso:

- “É isso mesmo, Feira de Santana não merece isso, temos que trazer para nossa cidade o que tiver de maior. Na Universidade de Salvador, as aulas de Astrofísica não são ministradas por falta de um observatório na Bahia e está na hora de instalarem um em nossa cidade, um observatório digno desta juventude estudiosa e sadia” e continuava o seu discurso inflamado como se estivesse falando na tribuna da Câmara, defendendo o projeto, com todo entusiasmo e eloquência.

Eu, César e Beto nos entreolhando.

Quando fez uma pausa, virou-se para mim e César:

-“Vou ter uma audiência com o governador Antônio Carlos daqui a pouco, se vocês quiserem vão comigo e prometo que o governador será simpático à ideia”.

César Orrico e eu pegamos em casa um paletó e seguimos com o deputado para falar com o governador da Bahia. Nascera naquele momento, o grande Observatório Antares, construído em área mais adequada, doada pela Imobiliária de Milton Falcão de Carvalho, Bubu, e projeto de Raimundo Torres, conhecer dos observatórios mais modernos do mundo naquela época.

 

Fonte: Ascom CMFS/Ascom SJDHDS/Ascom UEFS/Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!