18/04/2018

Jaguarari: Denunciante acusa vice de ter pago para mentir em processo

 

O país vivencia um momento político complicado, onde os noticiários estampam diversas denuncias de corrupção e todo tipo de “maracutaia” que possibilite a manutenção do poder na mão de pessoas que pensam apenas em se locupletar, se perpetuando no poder e deixando a população entregue a própria sorte.

O município de Jaguarari vem se destacando negativamente nas mídias local e estadual graças à guerra política instalada desde o ano passado entre o legislativo e executivo. A política jaguarariense ganhou os noticiários com as inúmeras tentativas da câmara de vereadores em cassar o mandado do prefeito Everton Rocha.

Porém no dia 29 de março deste ano a Câmara de Vereadores afastou o prefeito Everton Rocha de seu mandato por 10 votos contra 3, sob a acusação de improbidade administrativa em uma licitação de um software para o setor de tributos. Após a conclusão da CPP que afastou o prefeito acreditava-se que a justiça havia sido feita e o gestor teria pagado pelo erro cometido. Contudo vale ressaltar que tal licitação havia sido extinta, antes mesmo que a mesma fosse homologada e qualquer pagamento fosse efetuado. Esse já seria um motivo para que o denunciado recorresse a fim de recuperar seu mandato.

Durante o processo que foi realizado de maneira acelerada, o denunciante mesmo após protocolar a denuncia não foi ouvido como testemunha de acusação. Certo de ter cometido um erro solicitou o arquivamento “A denúncia por mim apresentada perante a Câmara de Vereadores em face do então prefeito Everton Rocha e a empresa improcedente por inteiro, já que ficou comprovado a inexistência da irregularidade. Dessa forma, a fim de evitar uma possível responsabilização contra minha pessoa em relação à difamação e calúnia em face do Prefeito e da empresa Volutare, solicito a desistência e requeiro o imediato arquivamento”, reconhece Klyton Marcel no requerimento que apresentou a Comissão Parlamentar Processante da Câmara no dia 02 de março.

A equipe de jornalismo do Portal de Noticias Minuto Bahia conversou com o denunciante Klyton Marceu que revelou em entrevista exclusiva toda a suposta farsa montada pelo Presidente da Câmara de Vereadores Marcio Gomes, pelo vereador Zé Galego e pelo ex-vice-prefeito Fabrício D’ Agostino que culminou com a cassação do então prefeito de Jaguarari Everton Rocha.

Com base no material entregue a reportagem durante a entrevista com Klyton Marceu foram apresentados áudios e conversas no aplicativo de mensagens Watsapp que revelam a forma como o processo foi conduzido.

Conversa com o vereador Zé Galego

Em conversa ocorrida no dia 17 de fevereiro entre o Klyton e o vereador Zé Galego fica evidente a montagem do processo. Logo no inicio o vereador que também foi relator da Comissão Parlamentar Processante – CPP solicita que o denunciante formule perguntas a serem feitas as testemunhas.

Foi entregue também durante a entrevista uma outra conversa em que o denunciante relata ao vereador Zé Galego a saudade que está sentindo da família, o afastamento do ex-vice prefeito Fabrício D’Agostino e pede que o mesmo não pise na bola com ele.

Conversa com Fabrício D’Agostino

Na conversa com o então vice-prefeito Fabrício D’Agostino o denunciante envia uma conta para que seja feito um deposito no valor de R$ 1.250,00 que segundo ele seria parte do combinado pela participação no processo de cassação.

Em outra conversa o denunciante mostra sua insatisfação com o afastamento do então vice-prefeito Fabrício D’Agostino e cobra o que havia sido prometido a ele para fazer a denuncia.

Conversa com o advogado Sergio Cardoso

No print entregue durante a entrevista o denunciante mostra a conversa que teve com o advogado responsável pela assessoria jurídica da Câmara de vereadores no processo que cassou o prefeito Everton Rocha.

Em outra conversa o denunciante indica ao advogado pessoas a serem convocadas pela Câmara de Vereadores para prestar depoimento. No final da conversa o denunciante fala do medo de perder o emprego e é tranquilizado pelo advogado que informa que o prefeito Everton Rocha cairia antes.

Consultas

Os advogados consultados pelo Portal de Noticias Minuto Bahia, após realizar analise minuciosa nos áudios, entrevista e print´s das conversas realizadas através de aplicativo de mensagens Watsapp concluíram que os fatos descritos são gravíssimos e que devem ser apurados e se comprovados podem e devem gerar no mínimo procedimentos administrativos, atos de improbidade administrativa, bem como consequente perda do mandato.

Na esfera penal devem os envolvidos responderem por diversos crimes. Entre eles:

Estelionato – 171 -Pena – reclusão, de um a cinco anos, e multa.

Associação Criminosa – 288. Pena – reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos.

Concussão – 316 – Pena – reclusão, de dois a oito anos, e multa.

Prevaricação – 319 -Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

Advocacia administrativa – 321 – Pena – detenção, de um a três meses, ou multa.

Tráfico de Influência – 332 – Pena – reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.

Corrupção ativa – 333 – Pena – reclusão, de 2 (dois) a 12 (doze) anos, e multa.

Falso testemunho ou falsa perícia- 343 Pena – reclusão, de três a quatro anos, e multa. e Art. 342. Pena – reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa.

Coação no curso do processo 344 – Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa, além da pena correspondente à violência.

Fraude processual 347 – Pena – detenção, de três meses a dois anos, e multa.

Denunciação caluniosa 339. Pena – reclusão, de dois a oito anos, e multa.

Comunicação falsa de crime ou de contravenção 340 – Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

Em caso de condenação, os envolvidos podem alcançar o patamar de mais de 20 anos de reclusão, além de multa que pode chegar há mais de 1 milhão de reais.

O material, áudios e conversas no aplicativo de mensagens Watsapp transcritas encontram-se publicados no Portal de Noticias Minuto Bahia cuja reportagem deixa em aberto espaço para todos os envolvidos se manifestarem.

CASO BEATRIZ: DOIS ANOS E QUATRO MESES DO ASSASSINATO E POLÍCIA VOLTA A OUVIR TESTEMUNHAS

Na manhã desta terça-feira (17), a delegada Poliana Neri, responsável pela investigação do assassinato da menina Beatriz, morta no dia 10 de março de 2015, no Colégio Auxiliadora de Petrolina, ouviu testemunhas que estavam no local do crime. A delegada não informou o nome das pessoas ouvidas, pois as investigações correm em sigilo. Já são dois anos e quatro meses do assassinato da menina Beatriz.

No início das investigações, em 2016,  a Policia declarou que existiam cinco nomes suspeitos de envolvimento no assassinato de Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, assassinada a facadas durante a festa de formatura do  Colégio. Segundo reportagens da época estes funcionários foram demitidos da escola em 2016.

Até o momento, segundo a polícia, as investigações apontam que pelo menos cinco pessoas tenham envolvimento na morte de Beatriz. Sendo quatro homens e uma mulher. Um dos homens aparece nas imagens da cobertura oficial do evento, visivelmente nervoso, perto do horário do crime. Outro negou ter estado dentro da quadra, mas imagens da festa mostram o contrário. Um outro caso chama a atenção: as imagens gravadas no circuíto interno do Colégio foram apagadas.

O terceiro suspeito pediu para não trabalhar dentro da quadra no dia da formatura e disse à polícia que não esteve em momento algum no local, mas testemunhas o viram na festa. O quinto suspeito, um vigilante, foi visto entrando em uma sala vazia, onde ficou cerca de 1h40, quando deveria estar em outro setor.

Imagens mostram que Beatriz saiu de perto dos familiares, por volta das 22h08 do dia 10 de dezembro, noite em que ocorreu a festa de formatura do colégio, quando pediu para ir até o bebedouro, localizado na parte inferior da arquibancada e não retornou mais. O corpo da menina foi encontrado por volta das 22h50, em uma sala de material esportivo que estava desativada. Dois anos e 4 meses a Polícia ainda não prendeu ninguém.

Ainda no início das investigações o então delegado de Polícia Civil da seccional de Petrolina, Marceone Ferreira, concedeu entrevista coletiva e declarou que as provas testemunhais são praticamente inexistentes e "por isso tinha que trabalhar com outras provas técnicas e outros meios de investigação”.

Quem tiver informações pode ligar para o Disque-Denúncia através do telefone (81) 3719-4545, no Interior do Estado, ou na Região Metropolitana do Recife e Zona da Mata Norte pelo telefone (81) 3421-9595. As informações também podem ser repassadas pelo site www.disquedenunciape.com.br ou pelo WhatsApp (81) 99119-3015. O anonimato é garantido.

Começa a campanha eleitoral para prefeito e vice em Jeremoabo

Seguindo o cronograma de ações voltadas para as eleições suplementares que serão realizadas em Jeremoabo no próximo dia 03 de junho para os cargos de prefeito e vice-prefeito, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) informa que, desde ontem, domingo (15/4), passou a ser permitida a propaganda eleitoral, inclusive por meio da internet (Lei nº 9.504/97, artigos 36, caput e 57-A).

Os candidatos também poderão fazer uso de alto-falantes ou amplificadores de som, nas suas sedes ou em veículos, sempre respeitando o horário das 8h às 22h.

Além das propagandas na internet, amplificadores de som, nas sedes e em veículos, a partir da mesma data os candidatos, os partidos políticos e as coligações poderão realizar comícios e utilizar aparelhagem de sonorização fixa, das 8 (oito) às 24 (vinte e quatro) horas (Lei nº 9.504/97, art.39, § 4º).

No dia 2 de junho (um dia antes das eleições) deverá ser encerrada a propaganda eleitoral mediante alto-falantes ou amplificadores de som, além disso, os candidatos têm até às 22 horas para a distribuição de material gráfico e a promoção de caminhada, carreata, passeata ou carro de som que transite pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidatos.

Entenda o caso

As eleições municipais em Jeremoabo ficaram indefinidas. Isso porque a candidata à prefeita mais votada, Anabel de Tista (PSD), teve seu registro indeferido e os votos não foram validados. Ela disputou o pleito de 2016 com recursos na Justiça Eleitoral.

Após julgamento de recurso interposto pela candidata, a Corte eleitoral do TRE-BA decidiu, à unanimidade, manter o indeferimento do registro de candidatura e excluir multa aplicada a candidata. Conforme a Resolução Administrativa – Nº 5/2018, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve a decisão do TRE-BA.

Paulo Afonso: Governo se fragiliza na Câmara

A coisa, por ora corre a boca miúda. Os vereadores apenas trocam olhares sinuosos quando eu toco no assunto. Mas o certo é que a presidência da Casa cujo orçamento mensal já ultrapassa 1 milhão de reais, corre discretamente para os braços de Jean Roubert (PTB), o ‘preferido’ e candidatíssimo a prefeito de Paulo Afonso em 2020.

Com um racha profundo e, vale dizer, muita mágoa guardada e mal disfarçada na bancada governista, a hora do bote se dará justamente no fim deste ano e começo do próximo, quando vir a ordem para colocar Leco (PHS), na cadeira do meio da Mesa Diretora, hoje ocupada por Marcondes Francisco (PSD).

Sim, Leco, o líder da bancada governista, e não o Bero do Jardim Bahia (PT), como dizem, fora acordado ainda no governo Anilton Bastos (Podemos), e que espera há muitos anos pela oportunidade.  A vingança dos calados virá à tona. Tão certo como dois mais dois são quatro.

Zezinho do INSS é a única incerteza, para variar um pouco

A oposição tem seis votos. Antes que alguém diga que pode haver ‘traição’ também nesta bancada, convém não apostar. Seria um grande estrago eleitoral virar-se contra os companheiros na hora de a onça beber água. E o fator Zezinho que na última eleição fora decisivo?, bom ele naturalmente não comenta o assunto, o que se diz na Câmara é que anda desgostoso e que desta vez nadará contra a corrente.

Leco tem rejeição?

Não consta que Leco tenha a rejeição que teve, por exemplo, Marconi Daniel (PHS), então o vereador mais votado da história da Câmara, e aqui não vamos comentar os ‘entretantos’, passemos aos finalmentes. O problema está no governo mesmo.

“Governo de muitos governantes”, dizem os críticos, em referência à cúpula do gabinete do prefeito. Um secretário que pediu anonimato, não disfarça a tristeza, “a influência do governo é péssima, as decisões que estão sendo tomadas me surpreende, porque nunca foram do feitio de Luiz de Deus.”

Com o passar dos meses, Jean esfrega as mãos, articula-se. As reuniões são constantes. Olhos nos olhos, o ombro amigo, o companheiro, tudo correndo como está será a maior derrota nunca imaginada por Luiz de Deus.

Volume do Lago de Sobradinho deve passar dos 37% até o final de abril, diz Chesf

A capacidade do Lago de Sobradinho (BA) continua aumentando progressivamente, após as intensas chuvas na Região Sudeste. Segundo previsões da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), o volume para o dia 21/04 é de 37,39%. Até o dia 27/04, a barragem deverá atingir um volume de 37,76%.

A defluência do lago se mantém em 650 metros cúbicos por segundo (m³/s).

 

Fonte: Minuto Bahia/BlogdoGeraldoJosé/PA4/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!