19/04/2018

Com Leão na vice, chapa do governo está escalada

 

O governador Rui Costa (PT) se reuniu com João Leão e a cúpula do PP na segunda-feira (16). Na terça (17) apresentou o programa “Papo Correria” ao lado do senador Otto Alencar (PSD). Na última sexta-feira (13), o presidente da Assembleia Legislativa, Angelo Coronel (PSD) afirmou que era importante se ter, tão logo fosse possível, a definição dos partidos que vão compor a chapa majoritária.

Na mesma segunda em que Rui se reuniu com os pepistas, a Executiva estadual do PSB promoveu um encontro para reiterar o apoio à candidatura de Lídice da Mata ao Senado. A socialista deseja, e ganhou o apoio dos correligionários, se manter no páreo até que a decisão seja sacramentada e anunciada pelo governador Rui Costa. O prazo para isso é o das convenções partidárias.

Na próxima quinta-feira (19) está programada uma conversa do conselho político. Pouco utilizado em tempos de “paz”, durante os anos de governo Rui houve pouquíssimas reuniões, o colegiado composto pelos partidos aliados deve “bater o martelo” em torno da tríade PT, PSD e PP para compor a chapa majoritária.

Tendo o PT a cabeça, com Rui Costa e uma vaga do Senado com Jaques Wagner. O PP permanece com a vice. Leão declarou que Dona Tereza “não me quer longe” – Dona Tereza é a esposa do vice-governador -. Embora o tom seja de brincadeira, o fato é que o próprio Rui quer Leão como vice. Apenas não o faria se existe uma vontade grande do grupo pepista para disputar o Senado, o que não aconteceu.

Já o PSD indicará seu representante para a outra vaga na disputa pela Casa Alta, provavelmente, o presidente da Assembleia Legislativa, Angelo Coronel. Este é o único nome ainda não confirmado na composição. No entanto, avança a passos largos a indicação.

Este arranjo está feito, mas não será oficializado até que sejam esgotadas todas as possiblidades de convencer o PSB a permanecer no bloco, sem fissuras, não tendo direito a indicar Lídice da Mata.

O PSB argumenta que Lídice tem o direito a disputar a reeleição. Por ser mulher, estar melhor nas pesquisas, ter o apoio de segmento importante da esquerda baiana e ter sido fiel durante todo o tempo em que esteve no Senado.

À exceção da fidelidade é uma das justificativas para que os partidários de Otto Alencar defendam que a vaga seja do PSD. Lídice foi candidata em 2014 contra Rui Costa quando o petista aparecia com baixos percentuais nas pesquisas e precisou do apoio dos pessedistas e pepistas, além de outros aliados.

Para além, o PSD é atualmente o partido com maior capilaridade política no que se refere a número de prefeitos, vices, vereadores, banda b. O voto político é dominado pelo partido de Otto e o voto de esquerda tende a acompanhar o PT que terá Wagner na outra ponta.

Neste sentido, dificilmente o confronto de critérios trará a Lídice, que tem uma história indiscutível no campo político, êxito no pleito. A essa altura, o time já está escalado e a senadora não está entre os titulares.

Nuvens

Se pelos critérios, principalmente força política, Lídice estará fora, por outro, existem razões para a socialista manter a pré-candidatura. Ninguém sabe a extensão da Lava Jato.

Não há quem arrisque palpite, sem correr risco de errar, de que todos os escalados estão livres de processo ou de eventuais impugnações num futuro próximo.

Outro caminho possível, menos provável, é o de Wagner ser candidato a presidente da República. Não está nos planos do ex-governador, mas sendo ele soldado do PT, como já afirmou diversas vezes, pode ser convocado à missão e atender ao pedido.

Solo

O voo solo de Lídice que já foi colocado na lista de possibilidades, não mais é discutido internamente, sobretudo, por causa dos candidatos aos parlamentos federal e estadual. Nas contas de quem projeta a viabilidade eleitoral, linha de corte, consciente necessário para eleger, é preciso sair em composição no chamado chapão. Sendo assim é necessário manter a tensão controlada para não estourar a corda do lado mais frágil: o PSB.

A candidatura à presidência do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa é um ingrediente ainda não inserido neste caldeirão político.

Rui deve se reunir com Lídice até o fim desta semana para definição na majoritária

A indefinição da composição da chapa majoritária do governador Rui Costa (PT) é um alimentador da esperança da senadora Lídice da Mata (PSB) de conseguir se viabilizar na reeleição ao Senado. A vaga, em questão, está, extraoficialmente, como PSD, pois o PP já confirmou o interesse do vice-governador João Leão (PP) em continuar onde está.

Para resolver esse imbróglio, o BNews apurou que o chefe do Palácio de Ondina deve se reunir com a socialista até o fim de semana. Pelo visto, só falta a conversa com Lídice para o petista oficializar quais serão seus companheiros de chapa.

Conforme antecipou o BNews, Rui se reúne nesta quinta-feira (19) com seu Conselho Político. A expectativa é de que a prosa com Lídice aconteça antes.

Uma oferta dos partidos aliados foi o de auxiliar Lídice numa eventual eleição por uma cadeira de deputada federal, caso desistisse a tempo de promover esse auxílio, sem a tensão até os 45 do segundo tempo.

Outra alternativa não descartada é a da socialista concorrer por conta própria em uma candidatura independente, o que não seria uma novidade, visto que a ex-prefeita de Salvador se lançou candidata a governadora em 2014 em detrimento ao nome de Rui Costa posto no pleito.

Coronel é o indicado do PSD para concorrer ao Senado

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD), vai ser candidato a senador na chapa de Rui Costa (PT).

O deputado estadual desbancou o deputado federal Antonio Brito em uma disputa interna na sigla e foi indicado pelo partido à chapa majoritária.

Até o final da semana, o governador deve anunciar oficialmente os nomes. Ainda falta definir a segunda vaga à Câmara Alta, que deve ser de Jaques Wagner (PT). A senadora Lídice da Mata (PSB) pode tentar a reeleição em uma chapa independente.

Coronel nega disputa interna no PSD com Antonio Brito por vaga ao Senado

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel, procurou o Bahia Notícias nesta quarta-feira (18) para negar que tenha "desbancado" o deputado federal Antonio Brito em uma possível disputa interna pela indicação do PSD ao Senado.

“Ele é um quadro qualificadíssimos para disputar qualquer vaga na majoritária”, amenizou. Coronel afirmou também que o presidente da legenda, senador Otto Alencar, vai se reunir com os membros da sigla para anunciar oficialmente o indicado e, posteriormente, o governador Rui Costa (PT), até o final da semana, irá divulgar os nomes da sua chapa majoritária.

PDT anuncia apoio à candidatura de Angelo Coronel a Senador

O líder do PDT na Bahia, deputado federal Félix Junior, declarou apoio à candidatura do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel, a senador, integrando a chapa do atual governador Rui Costa, candidato à reeleição. "Nós ficamos muito satisfeitos. O partido fica muito contente com a candidatura de Coronel. Ele é um ótimo candidato", declarou.

PR só vai discutir apoio a Coronel após conversa com Rui, afirma Araújo

O presidente estadual do PR, deputado federal José Carlos Araújo, afirmou nesta quarta-feira (18) que só vai apoiar o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD), após o social-democrata buscar o partido para selar a aliança.

Coronel foi indicado pelo partido para uma vaga ao Senado na chapa majoritária do governador Rui Costa à reeleição. “Coronel é um bom nome, mas não me pediu apoio. Vai ter uma reunião com o governador e vamos conversar. Quem quer apoio tem que pedir apoio”, declarou Araújo.

No entanto, de acordo com o parlamentar, isso não indica que o PR desistiu de indicar um nome para a majoritária. Mas o dirigente estadual republicano adotou um tom de cautela ao falar sobre o assunto. “De querer a vaga, a gente quer. Se não pode ter, vamos conversar com o governador”, ponderou.

“Ainda não teve oficialização”, afirma Coronel sobre composição no Senado

Apesar de 10 entre 10 políticos governistas ouvidos garantirem o nome do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Angelo Coronel (PSD), na vaga do Senado na chapa do governador Rui Costa (PT), o martelo ainda não foi batido oficialmente. A informação parte do próprio Coronel, na tarde desta quarta-feira (18), em conversa com a equipe do BNews.

“Apesar de existir a especulação e o clima de que a vaga é do PSD, ainda não houve nada oficializado por parte do governador Rui Costa que é o condutor de todo o processo. Ainda estou no aguardo da convocação. Se for escolhido, já estou preparado”, disse.

Questionado se o fator Lídice da Mata é o principal impedimento da definição, visto que a senadora tenta ainda se viabilizar para compor a chapa, Coronel discorda. “Acho que tudo será conversado. Lídice é um grande nome que tem muita a contribuir com o nosso grupo”, afirmou.

Indagado se há concorrentes diretos no partido com olhos no Senado, o presidente do Legislativo baiano disse desconhecer. “Acho que não há. Se tivesse algum outro quadro, acho que já teria se posicionado. Sempre demonstrei meu interesse pelo Senado e se algum outro filiado do PSD também quiser, vamos sentar e conversar”, garantiu.

 

Fonte: BN/BNews/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!