28/04/2018

Feira: Biblioteca escolar é reformada com material reciclável

 

Através de intervenções com material reciclável, a biblioteca do Colégio Estadual Teotônio Vilela, em Feira de Santana, ganhou uma nova cara. A revitalização do espaço foi possível graças ao empenho de estudantes, professores e gestores para tornar o lugar mais aconchegante e acolhedor. Com a ação, as paredes ganharam pintura e novos quadros, os livros foram catalogados e a mobília foi recuperada, a exemplo das cadeiras, que ganharam forro de tecido e as mesas, papel decorativo.

A diretora da unidade escolar, Maria Conceição Oliveira, fala sobre a iniciativa. “A biblioteca ficou linda e muito organizada. Realizar estas atividades é muito bom para os estudantes adquirirem a consciência patrimonial, além de valorizar o espaço e reforçar o sentimento de pertencimento da escola. Provamos que, quando todos trabalham, é possível transformar o ambiente e melhorar a qualidade de vida. E eles estão cuidando da escola com muito carinho e aproveitando melhor os espaços”, relata a diretora da unidade escolar, Maria Conceição Oliveira.

Os estudantes declaram que, após a reforma, se sentiram mais estimulados a frequentar a biblioteca. “Antes, passava pelo espaço apenas para pegar algum livro para as atividades da escola. Agora, todo tempo livre que tenho estou na biblioteca, pesquisando novos títulos, lendo ou até conversando”, revela a estudante Renata de Jesus, 13, 9º ano do Ensino Fundamental. A colega Aline Lima, 13, considera que se sente mais inspirada para as leituras. “O ambiente ficou mais motivador para os estudos, para passar o tempo e até para reunir a turma para fazer as atividades que os professores passam”.

Em um ano e meio, UPA de Feira de Santana realiza mais de 350 mil atendimentos e procedimentos

Com um ano e meio completados no mês de março, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Feira de Santana, localizada a cerca de 100 quilômetros de Salvador, já realizou mais de 180 mil atendimentos e mais de 170 mil exames e procedimentos clínicos, ortopédicos e radiológicos, além de pequenas cirurgias.

O paciente José Magno Silva se mostra satisfeito com o acolhimento recebido na UPA. “O atendimento aqui é ótimo. Tive toda a atenção e orientações necessárias. Agora só tenho que agradecer!”, exclama.

Em funcionamento nas 24 horas por dia, nos sete dias da semana, a UPA dispõe de 24 leitos de observação – sendo quatro para atendimento de pacientes em estado crítico -, laboratório clínico e equipamentos como oftalmoscópio. Também dispõe de eletrocardiografia por telemedicina, raio-X e laringoscópio. A unidade tem capacidade de atender, diariamente, cerca de 450 pacientes.

“Após todos esses atendimentos, é notória a consolidação da unidade como referência para a população feirense”, afirma o diretor médico da UPA de Feira, José Luiz de Jesus.

Para Isis Silva, filha do paciente Ivo Manoel da Silva, a UPA oferece um atendimento diferenciado e ainda conta com um excelente quadro médico e de enfermagem. “A equipe trabalha em conjunto e sabe lidar muito bem com os pacientes”, garante.

A Unidade

Classificada como porte III, a UPA dispõe de equipe multidisciplinar e tem a finalidade de absorver casos de urgência e emergência de baixa e média complexidade. São atendidos, na unidade, casos como febre e pressão alta, cortes, derrames e infartos, além de estabilização de pacientes mais graves.

Classificação por Risco

Ao chegar à Unidade de Pronto Atendimento, o paciente passa, inicialmente, pela recepção. Em seguida, é encaminhado para a sala de classificação de risco, momento em que será acolhido por um enfermeiro. Este profissional irá coletar os dados vitais do paciente e adotará o sistema de Classificação de Risco, cujo objetivo é identificar os pacientes prioritários conforme as queixas e sintomas.

O Protocolo

O Protocolo Estadual de Classificação de Risco tem como objetivo diminuir o risco de mortes evitáveis com detecção de casos graves em tempo hábil, desafogar os centros de urgência/emergência, além de promover o acolhimento com celeridade e eficácia.

Roteiro turístico étnico-afro será comercializado a partir do próximo verão

O roteiro turístico étnico-afro do município está previsto para ser comercializado a partir do verão de 2019. Dando continuidade ao processo de implantação, a Secretaria Municipal de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, através do Departamento de Turismo, realizou uma oficina, na tarde desta quinta-feira, 26, com o tema “Rede de Turismo Étnico – Afro”.

O encontro foi ministrado pela técnica da Setur, Emília Couto, que transcorreu sobre a definição de cidadania, inclusão social, sobre direitos humanos e ética.  Participaram representantes de terreiros, mestres de capoeira, de grupos afros, além de vendedores de acarajé.

“Desde de 2016 demos início ao programa de qualificação, em parceria com a Secretaria de Turismo do Estado, visando preparar os representantes da cultura afro para acolher o turista e divulgar de forma positiva a cidade”, afirma a diretora do Departamento de Turismo, Graça Cordeiro.

De acordo com ela, no próximo dia 4, o Departamento de Turismo vai dar início à visitação aos terreiros situados nos bairros Tomba, Aviário, distrito de Jaíba, Campo Limpo e no distrito de Bonfim de Feira, com o objetivo de levantar informações para serem encaminhadas à Setur.

“Posteriormente, o órgão estadual fará a visita técnica para identificar e avaliar quais terreiros estão enquadrados no padrão para visitação turística”, explica Graça Cordeiro observando que “esse é mais um passo que o município dá no processo de implantação e fomento ao turismo étnico afro”.

Competição de portadores de necessidades especiais encerra neste sábado

A maior competição esportiva de portadores de necessidades especiais do estado, a X Olimpíadas Especiais das Apaes da Bahia está reunindo atletas de 14 cidades em Feira de Santana. O evento, promovido pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais com apoio do Governo Municipal, teve início nesta quinta-feira (26) à noite e prossegue até este sábado (28), no Complexo Poliesportivo Oyama Pinto.

Durante o evento, 375 atletas das delegações de Feira de Santana, Salvador, Jequié, Vitória da Conquista, Juazeiro, Camaçari, Irecê, Canavieiras, Santo Estêvão, Ilhéus, Itapetinga, Paulo Afonso, São Francisco do Conde e Una estarão reunidos, disputando provas de atletismo, futsal, capoeira, handebol, ginástica rítmica, bocha e natação.

Oficialmente, o evento foi aberto à noite, mas já no período da tarde os atletas deram início às competições nas modalidades de handebol e futsal. E retornam às disputas nesta sexta-feira, 27, com atletismo e natação pela manhã e futsal e handebol à tarte. Já no sábado, 28, serão realizadas partidas de futsal, handebol ginástica rítmica e bocha pela manhã e, no período da tarde, encerramento, com partidas de futsal e capoeira.

 Somos vencedores só de estarmos aqui, diz atleta

Enquanto isso, o presidente da Federação das Apaes do Estado da Bahia, Narciso José Batista, destacou a importância do apoio da Apae local e do Governo Municipal de Feira de Santana.

Representando os atletas, o auto defensor Ronaldo Araújo Rodrigues [foto] agradeceu pela promoção do evento. “Sem a permissão de Deus, ninguém estaria aqui. E todos nós somos vencedores só de estarmos aqui”, frisou.

Já a presidente da Apae de Feira, Edna Maria Amorim de Queiroz, deu as boas vindas aos atletas e destacou a honra de estarmos recebendo as delegações de diversas cidades baianas. “É uma grande honra estarmos sediando estes jogos do estado da Bahia”, afirmou.

Estádio "Joia da Princesa" aprovado sem restrições

Após vistorias realizadas pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Vigilância Sanitária e Engenheiros da Secretaria de Planejamento, o Estádio Alberto Oliveira, o “Joia da Princesa”, de Feira de Santana, teve todos os seus laudos aprovados sem qualquer restrição.

“Nos laudos são exigidos o cumprimento de critérios exigidos pela Federação Baiana de Futebol (FBF) e pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Providenciamos tudo com bastante antecedência, para que não ocorram imprevistos para os clubes feirenses”, destaca o Diretor de Esportes da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Emerson Brito.

Os laudos estão sendo encaminhados à Federação Baiana de Futebol, na sede, em Salvador, por Emerson Brito e pelo chefe de Praças Esportivas da Secel, José Fernando. 

"Há muito empenho para que o Joia tenha manutenção, durante todo o ano, para que não tenhamos problemas no momento das vistorias. Tivemos aquela intercorrência na questão da iluminação externa, por causa do vandalismo, mas tudo foi resolvido a tempo”, destaca o secretário Edson Felloni Borges.

Bairro receberá ações intensivas de combate a leishmaniose nos próximos dois anos

Nos próximos dois anos, o bairro Campo Limpo será alvo de ações intensivas em combate a vetores como a leishmaniose. No último dia 10 foi registrado o óbito de uma pessoa que havia contraído a doença. Nesta quinta-feira, 26, foi iniciado o trabalho intensivo pela equipe da Vigilância Epidemiológica.   

Neste primeiro dia, os agentes de endemias realizaram a borrifação em cerca de 30 imóveis. O veneno é aplicado nas paredes das casas, lugar onde o flebótomo (mosquito transmissor da leishmaniose) costuma se esconder.

Segundo o supervisor de endemias, Ronaldo Lima, esses insetos se aproveitam do local, principalmente se tiverem buracos ou brechas. “O veneno vai proteger durante 90 dias e se o mosquito retornar a parede ele vai morrer”, explica.

Vítima demorou a procurar atendimento

A pessoa que foi a óbito no bairro Campo Limpo possuía a doença há seis meses, além de outras patologias como anemia e doença no fígado, o que pode ter agravado o caso. A procura por atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Hospital Geral Clériston Andrade só se deu um mês antes do óbito, onde não foi diagnosticado. No dia 9, ele foi levado por familiares a UPA da Mangabeira, com estágio avançado, mas teve o pedido de regulação estadual negado. Ele faleceu no dia seguinte.

Abalada pela perda, a irmã Lílian Cerqueira informa que a vítima não procurou atendimento antes por não suspeitar da doença. “Sentimos muita falta dele. Os primeiros sintomas foram muita febre, mesmo no calor ele sentia frio. Nós não suspeitávamos que fosse essa doença, não sabíamos o que era a leishmaniose”, relata.

Febre persistente por mais de sete dias é um dos sintomas

A referência técnica em leishmaniose, Taís Peixoto, ressalta que a comunidade deve ficar atenta aos sintomas de febre imune a remédios e persistente por mais de sete dias, sangramento e barriga d’água, procurando de imediato atendimento numa unidade de saúde. “Tivemos cinco casos confirmados durante esse ano, desses, os dois que evoluíram a óbito tiveram diagnóstico tardio. Quanto mais cedo a pessoa procura atendimento médico, maiores são as chances de cura”, informa.

Segundo Taís Peixoto, o vetor da leishmaniose é muito parecido com a dengue, porém com uma letalidade maior. “O mosquito pode picar qualquer pessoa, mas as chances maiores do desenvolvimento da doença estão naquelas com a imunidade baixa”, afirma.

Dicas para prevenir a doença

A transmissão da leishmaniose acontece através do flebótomo (também conhecido como mosquito palha). Tanto homens, como animais estão suscetíveis a doença. Para afastar o mosquito transmissor da sua residência, mantenha seu quintal limpo: remova materiais orgânicos como folhas, restos de comida, frutos e fezes de animais. Também mantenha a vacina dos seus cães em dia.

 

 

Fonte: A Tarde/Ascom UPA FS/Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!