11/05/2018

IPAC traz programação especial para a 16ª Semana Nacional de Museus

 

Entre os dias 14 e 20 de maio, os museus administrados pelo Instituto do Patrimônio Cultural da Bahia (IPAC), autarquia vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), participarão da 16ª Semana Nacional de Museus, temporada cultural promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em comemoração ao Dia Internacional de Museus, celebrado oficialmente em 18 de maio. Com o tema ‘Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos’, a proposta deste ano é que museus e instituições participantes busquem amplificar suas relações com a comunidade e seu entorno.

De acordo com o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araujo, “a Semana Nacional de Museus é um momento privilegiado de divulgação, reflexão e visibilidade para os museus brasileiros. Ela chega à sua 16ª edição como uma iniciativa consagrada que reúne milhares de instituições em todos os estados do nosso país, contribuindo para o reconhecimento pela sociedade brasileira da importância e do papel dos museus na contemporaneidade”, esclarece.

Para o diretor do IPAC, João Oliveira, a Semana Nacional de Museus aumenta significativamente o número de visitantes aos centros culturais e é de extrema relevância por ser uma ação de promoção e valorização dos museus brasileiros, assim como de ampliação do acesso da população à cultura.

“Será uma semana especial, onde desenvolveremos, gratuitamente, atividades lúdicas, visitas mediadas, palestras, oficinas e exibição de filmes. Temos que compreender que uma nova geração de usuários, uma nova geração de pessoas, precisa ser formada numa perspectiva de que o museu é um equipamento para além daquele conceito de um espaço estático, mas sim de uma relação muito dinâmica, direta, na formação de um padrão cultural da sociedade baiana”, destaca João.

Alguns museus gerenciados pela Diretoria de Museus do Estado da Bahia (DIMUS/ IPAC) farão o link do tema proposto pela Semana Nacional de Museus com os “110 anos da Imigração Japonesa no Brasil”. A ação, uma parceria com o Consulado Geral do Japão no Recife e com a Associação Cultural Nippo-Brasileira de Salvador (ANISA), contará com a exposição de objetos, apresentações artísticas de tambores da cultura japonesa e diversas outras atividades. As unidades DIMUS/IPAC participantes são Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, o Museu Tempostal, o Centro Cultural Solar Ferrão e o Laboratório de Educação Digital (LabDimus).

O Palacete das Artes receberá a exposição “Diego e Frida: um sorriso no meio do caminho”. A mostra, realizada em parceria com a Fundação Cultural do Estado da Bahia e o Consulado do México, é composta por aproximadamente 40 fotos do acervo pessoal de amigos e familiares dos artistas mexicanos Diego Rivera e Frida Kahlo, coletadas ao longo de 25 anos, desde o casamento, em 1929, até a morte de Frida, em 1954. Já o Museu de Arte da Bahia promoverá uma roda de conversa sobre "Os desafios da transição agroecológica em Cuba", com a pesquisadora cubana Leidy Casimiro.

A Semana Nacional de Museus em Salvador também receberá o projeto de arte-educação museal “Renascer das Artes: Musealizando”, nos dias 17 e 18 de maio, com entrada gratuita, das 14h às 18h, na Praça das Artes e no Teatro Casa de Rua da Bahia, ambos localizados no pelourinho.

“A temática ‘Museus Hiperconectados’ escolhida para esta 16º edição da Semana Nacional de Museus não trata literalmente de um programa digital para o público e, por isso, tem tudo a ver com as abordagens escolhidas pela DIMUS e pelo Palacete das Artes, por exemplo, pois ambos trarão para os baianos uma hiperconectividade com outras culturas. A Semana Nacional de Museus incentiva a visitação do público em função das diversas atividades promovidas nesse período, seja por curiosidade ou interesse, pois na maioria das vezes o tema chama atenção. O público conhece o espaço, quem não conhece passa a conhecer e passa a frequentar os museus. Não estamos em busca de um público volante, mas sim de um público frequentador”, explica a Coordenadora de Museus IPAC, Ana Liberato.

  • PROGRAMAÇÃO DE ABERTURA

Data: 14 de maio de 2018

Horário: 14h

MUSEU DE CERÂMICA E AZULEJARIA UDO KNOFF

•        Exposição Temporária de Peças de Cerâmica Fria da Cultura Pop Japonesa (personagens de Animês e Mangá);

•        Exposição de Poesias Haikai em Vasos de Cerâmica e Azulejos (participação do Colégio Azevedo Fernandes).

MUSEU TEMPOSTAL

•        Exposição Temporária: O Japão na Coleção do Museu Tempostal e o Acervo do Consulado Geral do Japão no Recife.

CENTRO CULTURAL SOLAR FERRÃO

•        Exposição Temporária: Instrumentos Musicais Japoneses na Coleção de Emília Biancardi;

•        Mediação Especial da Etnomusicóloga Emília Biancardi;

•        Mostra da Oficina de Mangá – LabDIMUS;

•        Apresentação musical do Grupo Cultural Wado;

•        Abertura Oficial da 16ª Semana de Museus – 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil.

  • PROGRAMAÇÃO - SEMANA DOS MUSEUS

Exposições e Mostras

Período: de 15 a 19 de maio de 2018.

MUSEU DE CERÂMICA E AZULEJARIA UDO KNOFF

•        Exposição Temporária de Peças de Cerâmica Fria da Cultura Pop Japonesa (personagens de Animês e Mangá);

•        Exposição de Poesias Haikai em Vasos de Cerâmica e Azulejos (participação do Colégio Azevedo Fernandes).

MUSEU TEMPOSTAL

•        Exposição Temporária: O Japão na Coleção do Museu Tempostal.

CENTRO CULTURAL SOLAR FERRÃO

•        Exposição Temporária: Instrumentos Musicais Japoneses na Coleção de Emília Biancardi;

•        Mostra da Oficina de Mangá – LabDIMUS.

PALACETE DAS ARTES

•        Exposição “Diego e Frida: um sorriso no meio do caminho”;

•        Exposição "A vastidão dos mapas - coleção Santander Brasil";

•        Projeto Trocando Palavras.

  • Oficinas e Diálogos

Data: 16 a 20 de maio de 2018 (quarta-feira)

CENTRO CULTURAL SOLAR FERRÃO

•          Oficina de Artes Marciais

Quando: 16 de maio

Horário: 10h às 11h30

•          Oficina de Origami

Quando: 17 de maio

Horário: 15h às 17h30

•          Oficina de Escultura em biscuit

Quando: 18 de maior

Horário: 15h às 17h30

MUSEU DE CERÂMICA E AZULEJARIA UDO KNOFF

•        Oficina de Mosaico – estampas da cultura japonesa.

Quando: 16 de maio

Horário: 15h às 17h

•          Oficina de Estamparia – com estampas da cultura japonesa na técnica de xilogravura

Quando: 17 de maio

Horário: 9h às 11h30

•        Bate-Papo com Cosplayers sobre a estamparia Pop Japonesa;

•        “Desfile” apresentação dos Cosplayers;

•        Apresentação dos temas musicais dos animes com o Grupo POEMUSIK.

Quando: 18 de maio

Horário: 14h30 às 17h.

MUSEU DE ARTE DA BAHIA

•        Roda de Conversa com a pesquisadora cubana Leidy Casimiro Rodrigués sobre "Os desafios da transição agroecológica em Cuba"

Quando: 17 de maio

Horário: 18h30

•        Debate e lançamento dos livros do escritor Jorge Nóvoa: "Olhares Sensíveis. As belezas das Cidades e suas Barbáries" e "Viver sem adoecer? A memória que se desvela no corpo”.

Quando: 18 de maio

Horário: 17h30

•        Sábados Musicais no MAB apresentando o concerto de violão por Diego Esteves.

Quando: 19 de maio

Horário: 15h

•        Espetáculo “Ponto e Vírgula”

Quando: 20 de maio

Horário: 17h

PALACETE DAS ARTES

•        “Encontro com o Yoga” com Carla Dantas

Quando: 20 de maio

Horário: 8h30 às 9h30

•        Tango no Palacete

Quando: 20 de maio

Horário: 17h

MGB traz hiperconectividade à Semana de Museus

Filmes, exposições, peças teatrais e bate-papo com os blogueiros mais conectados de Salvador prometem uma temporada recheada de novidades na 16ª Semana Nacional de Museus, que ocorre de 14 a 20 de maio no Museu Geológico da Bahia (MGB), no Corredor da Vitória.

Tanto crianças quanto adultos podem se divertir, de graça, aprendendo sobre turismo, publicidade e gênero com os influenciadores digitais mais antenados da cidade. A temporada cultural é promovida pelo Ibram em comemoração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio).

“Esta importante semana de atividades vai aproximar mais a população baiana com a vivência destes centros culturais. Além disso, ajudará na ampliação de debates sobre assédio, vulnerabilidade feminina e desigualdade de gênero”, destaca Luiza Maia, secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado.

  • Programação Museu Geológico:

14 de maio (2ªfeira)

Horário 14h às 16h

Roda de conversa: Usando as Redes Sociais para Desbravar o Mundo, com os blogueiros: Caio Costa (@blogcitario), Cristal Bitencourt (@asmelhorescoisasdesalvador), Jeniffer Geraldine (@jeniffergeraldine) e Iuri Barreto (@soteropobretano).

15 de maio (3ªfeira)

Horário 08h30 às 11h

Filme que retrata a dura realidade de menores na pobreza de Salvador e a vulnerabilidade a que estão expostos.

16 de maio (4ªfeira)

Horário 08h30 às 11h

Filme  sobre assédio e vulnerabilidade feminina. 

Horário 14h às 16h

Filme sobre desigualdade de gênero. 

17 de maio (5ªfeira)

Horário 08h30 às 11h

Filme  sobre assédio e vulnerabilidade feminina.

Horário 14h às 15h30

Teatro, DesCONECTE: Um olhar sobre as atuais formas de conexão e o que pode acontecer   quando essas conexões faltam. Velhas soluções ainda funcionam num mundo de novos hábitos? Grupo Reticências - Arte em Construção

Horário 19h às 21h15

Palestra: O Olhar Humano sobre o Universo,  com o prof. Arno Brichta.

 18 de maio (6ªfeira)

Horário 08h30 às 11h

Filme  sobre assédio e vulnerabilidade feminina. 

Horário 14h às 16h

Filme sobre desigualdade de gênero.

Memórias Contemporâneas pauta o tema “Identidades diaspóricas”

Em mais uma edição do “Memórias Contemporâneas”, realização conjunta da Fundação Pedro Calmon (FPC), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), e o Goethe-Institut Salvador-Bahia, o projeto apresenta o tema “Identidades diaspóricas”. Para o debate, estarão presentes a princesa e sacerdotisa Iya Adedoyin Talabi Faniyi, da Nigéria, e a artista visual Ana Hupe, brasileira radicada na Alemanha – ambas atuais residentes do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut. Elas serão mediadas por Ricardo Aragão, doutorando em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), pesquisador do candomblé baiano e Taata dya Mukixi do Terreiro Tumbanse. O evento será no dia 14 de maio (segunda-feira), às 19h, na Biblioteca do Goethe-Institut, com entrada franca.

Instituído pelo Centro de Memória da Bahia da FPC, o “Memórias Contemporâneas” é um projeto nas áreas de história e memória que objetiva a constituição de um banco de dados audiovisual acerca da cultura e seus agentes, a partir da década de 1950. Os encontros, que se atentam à relação de organizações e movimentos sociais com o campo da cultura e o protagonismo das linguagens artísticas nas disputas identitárias, são registrados em vídeo. Pondo em diálogo agentes convidados e o público, o pensamento calcado na memória é difundido, gerando, assim, outra fonte de conhecimento que não apenas os documentos escritos. A parceria entre a FPC e o Goethe-Institut atribui ao projeto o compromisso de desenrolar temas de reflexão a partir de experiências globais, perpassando as relações de poder na contemporaneidade na discussão de pautas urgentes.

AS CONVIDADAS

Vinda de uma tradicional família real nigeriana, Adedoyin Talabi Faniyi cresceu sendo treinada por diferentes sacerdotes, sacerdotisas e vários novos artistas sagrados para desenvolver atividades tradicionais, incluindo têxteis e pinturas. É certificada em Literatura Oral Yoruba pelo Departamento de Línguas e Literaturas Africanas na Universidade Obafemi Awolowo Ile-Ife. É bacharel em Artes (Yoruba) pela Universidade de Ilorin (2001) e mestre em Estudos Africanos pela Universidade de Ibadan (2005). Já participou de atividades artísticas, culturais, tradicionais e acadêmicas em Portugal, França, Alemanha, Áustria, Reino Unido, Estados Unidos e Brasil. Na Nigéria, recebeu diversos títulos e prêmios, civis e acadêmicos, que reconhecem a sua contribuição para a promoção e preservação da ancestralidade da religião e da cultura do país e da Diáspora.

Doutora em Artes pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e atualmente radicada em Berlim, a artista visual Ana Hupe dedica-se a construir uma contramemória dos arquivos coloniais, abordando constantemente os movimentos imigratórios e exercitando práticas de descolonização. Seus dois mais recentes projetos são “A lot of future for one single memory”, solo-performance apresentado na Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ), em Recife; e “Malungas”, exposição que aconteceu simultaneamente na Mario Kreuzberg Gallery, em Berlim, e no Paço das Artes – Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. A base de pesquisa de ambos os projetos questiona os traços da história colonial nas sociedades de hoje e lida com o sentido de comunidade. Entre diversas exposições coletivas, residências e incentivos em vários lugares do mundo, foi agraciada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) com o “Prêmio Honra ao Mérito Arte e Patrimônio” (2014). Durante sua residência em Salvador, ela investiga a história dos retornados, brasileiros e africanos que foram da Bahia para Lagos no final do século XIX.

  • Serviço:

Memórias Contemporâneas: “Identidades diaspóricas”

Com: Iya Adedoyin Talabi Faniyi (Nigéria) e Ana Hupe (Brasil/Alemanha)

Mediação: Ricardo Aragão

Quando: 14 de maio (segunda-feira), 19h

Onde: Biblioteca do Goethe-Institut Salvador-Bahia

(Av. Sete de Setembro, 1809 – Corredor da Vitória)

Entrada franca

 

Fonte: SecultBa/Ascom SDE/Ascom Ipac/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!