11/05/2018

Feira: "Reinações de Narizinho" é atração no Domingo Tem Teatro!

 

O Domingo Tem Teatro traz como atração inédita para o dia das mães o espetáculo ‘Reinações de Narizinho’, da obra de Monteiro Lobato. O espetáculo do Grupo Stripulia de Salvador faz única apresentação no domingo (13), às 10h30, no teatro do Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA), em Feira de Santana.

Livremente inspirado no clássico de Monteiro Lobato, ‘Reinações de Narizinho – Uma Aventura no Sítio’ traz mais uma grande aventura da turma do Sítio, vivida a partir do desejo de Emília casar-se para tornar-se Condessa e, quiçá, Marquesa! A Turma terá que enfrentar a Cuca, que cria um plano mirabolante para acabar com a aventura de Pedrinho, Narizinho, Emília e Visconde.

Além da atração principal no teatro, na programação especial do dia das Mães do Domingo Tem Teatro, a partir das 9h30, será realizada a Oficina “Confecção de Dedoches das personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo" com a arte Educadora Neide Kocca da Cia. Cuca de Teatro, que será oferecida gratuitamente para as crianças acompanhadas do adulto.

A programação completa de maio e junho do Domingo Tem Teatro também pode ser acessada através do site: www.ciacucadeteatro.com.br.

O Domingo Tem Teatro é um Projeto realizado pela Cia. Cuca de Teatro desde 2005 em Feira de Santana e nessa temporada conta com o patrocínio das empresas Pererê, Atacadão São Roque, BN Mascarenhas, Vipal e do Governo do Estado da Bahia, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. O Projeto acontece de março a dezembro sempre às 10h30 no Teatro do CUCA.

  • SERVIÇO

DOMINGO TEM TEATRO!

QUANDO: 13 de maio de 2018 - ESPECIAL DIA DAS MÃES

ESPETÁCULO: “Reinações de Narizinho” (ÚNICA APRESENTAÇÃO)

DURAÇÃO: 50 minutos | CLASSIFICAÇÃO: Livre

GRUPO: Stripulia- Salvador - BA

HORÁRIO DO ESPETÁCULO: Às 10h30

INGRESSOS: R$ 16,00 (Meia Promocional para adultos) – R$ 14,00 (Para sócios) - Ingressos a venda na bilheteria do teatro aos domingos a partir das 09h.

BILHETERIA, PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO E LAZER: A partir das 9h.

Quinta, 10 de Maio de 2018 - 07:00

Santana diz que Colbert fez ‘escolha horrível’ por Ronaldo: ‘Vai ser um traidor do MDB’

Após o prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (MDB), bater pé firme, desobedecer a direção nacional da legenda e manter apoio à pré-candidatura a governador de José Ronaldo (DEM), o pré-candidato ao Palácio de Ondina pelo MDB, João Santana, disse que “foi uma escolha partidária horrível”. “Chega a ser traição. Não estou com raiva, estou com pena. Ele vai ser um traidor do MDB”, disparou.

Santana ainda disse que Colbert declarou apoio a ele em frente ao ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun. “Ele foi para lá pedir coisas para Feira. Aí Marun tocou no assunto.Tem testemunhas. Além de Marun, o chefe de gabinete [Carlos Henrique Menezes Sobral] me disse: ‘ele falou claramente que está com o senhor’”, contou. No entanto, Colbert nega que tenha discutido isso com o ministro.

Com índice 1,6 de infestação, Feira está em alerta quanto a focos do aedes aegypti

O município de Feira de Santana está em situação de alerta quanto a focos do mosquito aedes aegypti. A medida leva em consideração os dados do mais recente Levantamento Rápido de Infestação do Aedes Aegypti (LIRAa), feito entre 23 e 27 de abril, que apontou um índice de infestação predial de 1,6. O número é considerado de médio risco para o Ministério da Saúde.

Os principais focos de proliferação foram encontrados dentro das residências, sendo destaque o conjunto Sérgio Carneiro com 7,87%. Em seguida aparecem os bairros: Sítio Matias com 6,48%, Parque Ipê apontando 4,48% e Aviário 3,50%. Segundo o coordenador de endemias, Edilson Miranda, nessas localidades os cuidados devem ser redobrados.

“Estamos diariamente trabalhando com bloqueios e visitas as residências, porém a população precisa ajudar, evitando ambientes propícios para a proliferação do mosquito. Pedimos a colaboração das pessoas neste período chuvoso com objetos que possam acumular água parada. É importante que haja este trabalho conjunto”, ressalta.

Devido o número de arboviroses, o LIRAa será feito quatro vezes este ano. Além de fevereiro e abril, o levantamento deve acontecer também nos meses de julho e outubro.

Unidades Básicas de Saúde voltam a contar com vacina pentavalente, em Feira

A partir desta quinta-feira, 10, a Secretaria Municipal de Saúde começou a distribuir 2 mil doses da vacina pentavelente para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Cassa (situada no bairro Capuchinhos), Caseb I, Jardim Cruzeiro, Serraria Brasil e CSU (no bairro Cidade Nova). O imunizante que estava em falta devido um desabastecimento no laboratório do Ministério da Saúde, chegou ao município no final da tarde desta quarta-feira, 9.

Neste primeiro momento, aqueles que precisam atualizar a caderneta vacinal da criança devem se dirigir a uma dessas UBS de segunda a sexta-feira. Os locais foram definidos a partir de uma estratégia elaborada pela Secretaria de Saúde para atender a demanda diante da redução do fornecimento da vacina.

“Estamos dinamizando a distribuição da vacina até a situação ser totalmente normalizada”, informa o enfermeiro e referência técnica da Rede de Frio, Carlos Henrique Valverde.

Parte do calendário de vacinação da criança, a pentavalente protege contra tétano, difteria, meningite, coqueluche, hepatite B e doenças causadas por Haemophilus influenza e tipo b. O imunizante deve ser aplicado aos dois, quatro e seis meses de vida.

Associação de Proteção de Animais terá R$ 216 mil para campanha de castração de cão e gato

O repasse financeiro feito pela Prefeitura de Feira de Santana à APA (Associação de Proteção dos Animais), de R$ 216 mil, através de parceria, será destinado às campanhas de castração de cães e gatos que são realizadas ao longo deste ano.

Os recursos são aplicados no pagamento do veterinário e equipe, bem como na aquisição de produtos usados durante as intervenções cirúrgicas. No ano passado, segundo a APA, 1.350 destes animais foram esterilizados.

A iniciativa é destinada a cães e gatos criados nas ruas, os chamados errantes, ou de propriedade de famílias que não tem condições de sustentar as sucessivas ninhadas destes animais, que os levam ao abandono ou maus tratos devido a falta de alimento.

A esterilização, diz a presidente da APA, Graça Peixinho, evita a procriação indesejada, bem como a proliferação de doenças que podem contaminar humanos, como a leishimaniose e a raiva – esta última letal, quando não tratada.

“Parte destes animais é levada para a APA”, diz a presidente. “Como se sabe, cães e gatos retirados das ruas, bem como o controle populacional, é proteção para as pessoas”, afirma Graça Peixinho. Afirma que os nascimentos são em progressão geométrica.

O controle destas populações, por meio de esterilização, é prevista em lei municipal. Apenas um casal pode gerar, anualmente, mais dez filhotes, que passarão a gerar novos filhos, no mesmo ano. O resultado podem ser o nascimento de dezenas de novos animais.

Dival Pitombo relata progresso de Feira a partir da década de 40. Por Adilson Simas

No início da década de 40, na Revista Serpentina de abril de 1941, o professor Dival Pitombo, conta o avanço que a Feira de Santana já experimentava há 77 anos. E chega a dizer no seu texto com o título Matamorfoses: “E’ como se uma fada a tocasse com a sua varinha magica e de um momento para outro tudo o que estava parado começasse a mover-se, crescer, colorir-se de uma vitalidade nova e verdadeiramente miraculosa”. Vale a pena ler de novo 

METAMORFOSES

Ha qualquer coisa de maravilhoso e surpreendente no surto de progresso porque vai atravessando a Feira.

Ela já não é a cidade-garota dos bairros líricos onde violões boêmios enchiam de harmonias as noites de luar na mais adorável simplicidade provinciana.

Já não encontramos aqui, aquele cunho de cidade sertaneja que a caracterizava.

Cresce e civiliza-se.

E, como se uma fada a tocasse com a sua varinha magica e de um momento para outro tudo o que estava parado começasse a mover-se, crescer, colorir-se de uma vitalidade nova e verdadeiramente miraculosa.

Rasgaram-se avenidas, abriram-se escolas, estradas inúmeras como longas «serpentes de jaspe» levaram aos quatro ventos, a lama de uma hospitalidade que já se ia tornando tradicional.

E a cidade foi perdendo rapidamente tudo o que ainda lhe restava do antigo povoado de D. Ana Brandôa.

As suas longas avenidas nada têm de provinciano, os seus parques outrora sombrios e melancólicos, estão inundados de luz; e a alegria radiosa da juventude das escolas forma como que uma aureola cintilante de Vida e de Graça.

Uma verdadeira febre de construção vai possuindo a população; e os bairros novos vão surgindo numa verdadeira sinfonia de cores tecendo uma moldura rica e graciosa na paisagem.

Ha os bairros operários onde habita modestamente a classe pobre: - casinhas enfileiradas como um longo rosário colorido. Todas as manhãs, o cortejo processional da gente para o trabalho.

Movimento. O bom humor sadio do povo passando nas ruas embandeiradas de roupas secando ao sol. A noitinha sob a paz das estrelas, as serenatas tradicionais num lírico ambiente de aldeia.

O bairro comercial em movimento constante reflete o dinamismo do povo. Pratico, movimentado, ele é sempre a parte que concentra toda a vida ativa da cidade.

E por fim os bairros aristocráticos. As longas avenidas senhoriais marginadas de construções elegantes onde vive gente abastada.

Mudou muito a minha Feira.

Não mais cidade adolescente e romântica sonhando diante dos crepúsculos maravilhosos.

Não mais simplicidade encantadora de sertaneja nova e inconsciente de sua beleza.

Cresceu. Estudou. Encheu-se de adornos e de ciência. Ficou mais bonita talvez.

Mas o teu poeta ó minha bela terra, já não poderia hoje chamar-te de “Cidade do Silencio e da Melancolia”.

 

Fonte: SecultBa/BN/Secom PMFS/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!