16/05/2018

Aplicativo "Detector de Corrupção" flagra Gualberto e Ronaldo

 

Dois pré-candidatos ao governo da Bahia não passaram pelo filtro do aplicativo "Detector de Corrupção". A ferramenta foi lançada pelo site Reclame Aqui e usa reconhecimento facial para identificar os políticos e fornecer informações completas sobre quais crimes foram praticados por eles.

Dentre os aspirantes ao cargo de governador da Bahia, apenas três estão cadastrados no aplicativo. Os pré-candidatos José Ronaldo (DEM), ex-prefeito de Feira de Santana, e o deputado federal João Gualberto (PSDB) respondem a processos e foram "pegos" no detector.

Ronaldo, conforme mostra o aplicativo, é alvo de uma ação por contratar terceirizados para uma unidade de saúde de forma irregular. Gualberto, por sua vez, responde a um inquérito por suposto crime de lei de licitações.

O outro pré-candidato ao governo é o atual governador da Bahia, Rui Costa (PT), que não possui processo relacionado no aplicativo.

Os pré-candidatos Marcos Mendes (Psol), João Santana (MDB), João Henrique (PRTB), Celia Sacramento (Rede), Marcos Mauricio (PSDC) e Valdir Santos (PV) não constam na ferramenta.

Zé Ronaldo foca em articulação com vereadores para tentar crescer em Salvador

O maior colégio eleitoral da Bahia e reduto do principal articulador das oposições no Estado, o município de Salvador está no foco do pré-candidato a governador da Bahia e ex-prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM). De acordo com fontes ouvidas pelo BNews desde o fim de semana, o desempenho eleitoral do democrata ainda não está como o previsto e os números que balizam esse entendimento são percebidos em pesquisas de consumo interno recentes.

A articulação, com a bênção total do Palácio Thomé de Souza, é a de se aproximar, principalmente, dos vereadores que compõe a base do prefeito ACM Neto (DEM) com o intuito de os tornarem protagonistas na cruzada eleitoral de Salvador.

Os edis, conforme informações de bastidores, seriam os “caçadores” de votos nos rincões soteropolitanos ainda poucos desbravados pelo núcleo opositor do governador Rui Costa (PT). E esse é o motivador do jantar do postulante ao Palácio de Ondina com os netistas na casa do presidente da Câmara, vereador Léo Prates (DEM), pré-candidato a deputado estadual e um esconjurador nato de ter seu nome emplacado na chapa majoritária para vaga de vice ou senador.

A partir deste start, Zé Ronaldo começaria uma agenda mais pulverizada nos bairros da capital para passar a ser mais conhecido e isso colado, principalmente, na figura do prefeito, cujo desempenho do pleito de 2016 foi de 73,99% dos votos válidos depositados nas urnas. Ronaldo ainda não chega nem perto da metade deste patamar.

Garantido, Jutahy articula para composição de chapa Zé Ronaldo-Gualberto

Enquanto o DEM, de ACM Neto e José Ronaldo, e o PSDB, de João Gualberto, não definem se a oposição ao governador Rui Costa (PT) terá duas ou uma só candidatura nas eleições de outubro, um nome tem trânsito livre entre tucanos e democratas: o deputado federal Jutahy Magalhães (PSDB).

Atualmente, o parlamentar que defende abertamente a união entre os pré-candidatos oposicionistas José Ronaldo (DEM) e João Gualberto (PSDB) numa chapa única, vem funcionado como uma espécie de ponte entre os partidos, articulando a favor de uma só chapa. Em situação confortável, o tucano que é tido como “queridinho” de deputados estaduais e federais,  tem candidatura ao Senado garantida nas duas chapas e vem angariando apoios importantes, a exemplo do presidente da Câmara de Vereadores de Salvador e pré-candidato a deputado estadual, Leo Prates (DEM).

Em entrevista ao bahia.ba, na semana passada, Jutahy afirmou que seja qual for a decisão dos oposicionistas, “não pode haver um ambiente de disputa com melindre”. “Nossa primeira decisão tem que ser interna, o PSDB deve tomar logo essa posição. Não há divergências, agora é a avaliação do que é mais útil para a população. Tem gente que acha que a estratégia melhor é ter uma candidatura, tem gente que acha que é melhor ter uma só, vamos ter que entrar em um acordo”.

SD só não firma apoio a Zé Ronaldo 'se houver imposição' à chapinha, diz Luciano Araújo

Atualmente na base do prefeito ACM Neto, o Solidariedade (SD) é um apoio quase garantido à candidatura de Zé Ronaldo (DEM) ao governo do Estado.

O presidente da sigla na Bahia, Luciano Araújo, explica que essa é a tendência, já que as siglas são coligadas. "A única possibilidade da gente não ficar com Zé Ronaldo é se houver alguma imposição pra não aceitarem a nossa chapinha com os partidos menores", frisa Araújo.

Pré-candidato a deputado federal, o postulante explica que a chapinha será formada por partidos sem políticos com mandato. "A nossa tendência é essa, pegar aqueles partidos que faziam escada pra fazer os deputados de mandatos e nós indicarmos juntos pra eleger dois ou três [deputados] federais e cinco ou seis [deputados] estaduais", pontua.

Esse grupo é composto por partidos como PV, PPS, PTC, PSDC, PHS e SD. Quanto à conjuntura nacional, Araújo ressalta que o partido vai dar prosseguimento à candidatura do ex-ministro Aldo Rebelo à Presidência da República.

A imprensa nacional tem noticiado a existência de um acordo entre Solidariedade, PP, PRB e DEM em prol de único nome, mas o parlamentar desconhece essa conjuntura.

Oficialmente, PRB e DEM trabalham seus próprios candidatos, o empresário Flávio Rocha e o presidente da Câmara Rodrigo Maia, respectivamente.

ACM Jr. descarta disputar a próxima eleição

O empresário e ex-senador Antonio Carlos Magalhães Júnior não quer saber de voltar para o mundo político. O pai do prefeito ACM Neto (DEM) descarta totalmente a possibilidade de integrar uma eventual chapa do ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), seja na vice ou no Senado. "Absolutamente sem fundamento", diz ACM Jr. à Tribuna.  A possibilidade já vinha sendo ventilada há alguns dias, mais precisamente, desde que o prefeito desistiu de entrar na disputa pelo governo do Estado. A ideia seria colocar o ex-senador para acalmar os ânimos na base oposicionista e garantir o envolvimento direto do prefeito da capital na disputa. "Não há nenhuma possibilidade de eu voltar para a política, nem assumir posição na chapa", declarou, ao ser indagado pela Tribuna. "Não há nem essa possibilidade", enfatizou.

As especulações indicaram que ACM Jr. poderia entrar para fortalecer a majoritária, sobretudo, por ser um empresário de sucesso e ser herdeiro do ex-senador Antonio Carlos Magalhães. "Esse assunto nunca foi aventado com o prefeito em hora nenhuma. Em nenhum momento", reafirmou. ACM Jr, no entanto, não descartou a possibilidade de a oposição lançar uma chapa única e com fôlego. "Eu acho que é possível. As coisas não estão resolvidas. Ainda tem muito chão para se andar", pontuou ele, que evitou tecer comentários políticos sobre a conjuntura do momento. "Eu não vou opinar. Acho que as coisas vão se resolver bem", finalizou.

Procurado pela Tribuna para comentar as especulações, o presidente estadual do DEM, deputado José Carlos Aleluia, também negou a possibilidade: “Isso é só especulação. Não há dúvidas de que o ex-senador ACM Jr. foi um grande senador. A Bahia merece um senador do nível dele, mas isso é só especulação”, arrematou.

PRB rejeita apoio a Ciro em negociação para aliança eleitoral do centrão

O PRB rejeitou qualquer possibilidade de a legenda apoiar o ex-ministro Ciro Gomes (PDT). O partido está em negociação com outras siglas do centrão para uma possível aliança nas eleições presidenciais de outubro.

Por enquanto, o ex-ministro já tem a adesão declarada por integrantes das cúpulas do DEM, PP e Solidariedade, partidos que discutem junto ao PRB a possibilidade de apoiarem o mesmo candidato no pleito.

"Já avisei que com Ciro não vamos. O PRB não caminha com a esquerda. Ele não é de esquerda, mas o partido dele é e o debate que ele tem feito é de esquerda", declarou o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, ao Estadão/Broadcast.

Segundo ele, o partido só aceitaria desistir da candidatura do empresário Flávio Rocha, proprietário das lojas Riachuelo, para apoiar alguém de centro-direita.

STF remete inquérito de Benito Gama para TRE-BA

O Supremo Tribunal Federal (STF) remeteu o inquérito contra o deputado federal Benito Gama (PTB) para a primeira instância da Justiça Eleitoral nesta segunda-feira (14).

Por conta das alterações sobre o entendimento do foro privilegiado, Benito agora será investigado em primeira instância, em vez de na terceira, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA). A competência de julgamento da ação foi declinada pelo ministro Roberto Barroso, relator da ação.

O inquérito contra Benito investiga o crime de falsidade ideológica eleitoral. A Procuradoria-Geral da República sustenta que o deputado teria feito três depósitos de R$ 50 mil em uma conta em 2014 para arrecadar recursos e custear despesas relacionadas às eleições de 2014 e não prestou conta do valor à Justiça Eleitoral.

“Deste modo, foram omitidas de documento público informações que dele deveriam constar, configurando indícios da prática do crime de falsidade ideológica eleitoral”, sustenta a PGE.

Suspeito de receber propina de R$ 30 mil, Cacá Leão tem processo enviado do STF para TRE

O deputado federal baiano Cacá Leão (PP) teve um processo contra ele encaminhado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello para o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia.

O encaminhamento ocorre após a decisão que restringiu o foro privilegiado para deputados e senadores.

O parlamentar é suspeito de ter recebido R$ 30 mil irregularmente para a campanha eleitoral de 2014, por meio do departamento de propinas da Odebrecht.

De acordo com o ministro, o STF não teria competência para julgar o caso porque, no momento em que teria recebido a suposta quantia, Cacá era deputado estadual.

Presidente do PTB reafirma apoio a Alckmin: ‘Não adianta ACM Neto me procurar’

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, disse que a aliança de seu partido com o pré-candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin, é assunto definido e que a sigla não está aberta a discutir qualquer outro caminho na disputa ao Planalto.

“O acordo com Alckmin é irrevogável”, afirmou à coluna Painel, do Jornal Folha de S. Paulo. Jefferson contou que ainda que não foi procurado pelos dirigentes do DEM. “Tenho o maior respeito pelo ACM Neto, mas nem adianta me procurar. O melhor candidato é o Alckmin”, diz.

De acordo com a própria coluna, dirigentes do DEM, do PRB, do PP e do Solidariedade decidiram procurar o PTB e o PR para propor que se somassem ao bloco que tenta articular uma candidatura alternativa. A decisão foi tomada após reunião na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

 

 

Fonte: BNews/BN/Bahia.ba/Tribuna/Metro 1/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!