30/05/2018

Nike e CBF: Investigação aponta lavagem de R$ 97 milhões

 

Autoridades espanholas suspeitam que Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, e Sandro Rosell, ex-executivo da Nike no País, estiveram envolvidos em um esquema de lavagem de dinheiro relacionado aos contratos entre a seleção brasileira e a Nike, empresa norte-americana que passou a patrocinar o time nacional.

O caso foi conduzido pela Unidade de Delinquência Econômica e Fiscal, que concluiu que comissões ilegais avaliadas em US$ 26 milhões (R$ 97 milhões) foram pagas a Rosell por ter mediado o contrato entre a CBF e a empresa americana. Do valor total recebido pelo ex-dirigente catalão, hoje preso, Teixeira teria ficado com US$ 5 milhões (R$ 19 milhões).

Segundo o jornal espanhol El Confidencial, o contrato que gerou a propina seria de 6 de novembro de 2008 e estaria em vigor até 2011. O fim do acordo coincide, segundo a publicação, com a entrada de Rosell na presidência do Barcelona e sua necessidade de se desfazer de contratos anteriores que pudessem representar um conflito de interesse.

Para receber o pagamento, Rosell teria usado a empresa Ailanto Marketing, criada no Brasil e alvo de investigações por parte das autoridades nacionais. Diante da juíza espanhola Carmen Lamela, Rosell explicou na segunda-feira que o envio de US$ 5 milhões (R$ 19 milhões) a Teixeira era uma forma de anular um empréstimo que o brasileiro lhe teria feito.

Mas os investigadores suspeitam que Teixeira tenha usado Rosell como instrumento para lavagem de dinheiro. Um indício disso era que os recursos passaram por vários paraísos fiscais e diversas contas de empresas offshore. Na avaliação dos investigadores, isso seria um sinal de que houve uma tentativa de impedir que o percurso do dinheiro fosse facilmente identificado.

Nos Estados Unidos, o FBI investiga a Nike por suspeitas de suborno em relação ao Brasil e o contrato avaliado em US$ 160 milhões (R$ 600 milhões) com a seleção brasileira. Ricardo Teixeira é suspeito de ter dividido com o empresário José Hawilla uma propina de US$ 30 milhões (R$ 112 milhões) por terem fechado um acordo com a empresa americana em 1996, dando a ela exclusividade para explorar a imagem da seleção.

De acordo com documentos oficiais do Departamento de Justiça dos EUA, a CBF havia fechado um acordo milionário com a empresa americana que previa um pagamento extra em uma conta na Suíça de US$ 40 milhões (R$ 149 milhões) para a Traffic. Depois de fechar o acordo com a Nike, Hawilla emitiria notas por serviços supostamente prestados entre 1996 e 1999 no valor de US$ 30 milhões (R$ 112 milhões) para a Nike que, em troca, o fazia os depósitos.

Para a Justiça americana, esse valor se refere a "propinas e subornos" que o então presidente da CBF e o empresário brasileiro receberam da empresa. Em uma nota à imprensa, a Nike indicou que está "comprometida em cooperar com qualquer investigação governamental relacionada com a Fifa".

Seleção vai fazer nove treinos secretos até estreia na Copa

o contrário de Luiz Felipe Scolari, que abriu à imprensa todos os treinos da Seleção na fase final de preparação da equipe para o Mundial de 2014, o técnico Tite planejou nove atividades secretas de campo com seu grupo até a estreia na Copa da Rússia, dia 17 de junho, contra a Suíça. Acredita que assim o Brasil vai ter mais condições de surpreender seus adversários.

Essa lógica de que treinos dessa natureza são imprescindíveis no futebol atual costumava ser posta em prática pelo técnico Dunga, antes da Copa de 2010. Mas não com essa quantidade toda. Além do mais, não surtiu nenhum efeito.

Como o futebol brasileiro, hoje, parece mais uma competição de atletismo com bola – justiça seja feita, é assim também nos demais países-, difícil imaginar tempos atrás que um treino aberto, com a presença da imprensa do mundo todo, evitaria que Pelé e Garrincha, por exemplo, deixassem de fazer nos jogos o que sabiam.

Mas a europeização do futebol passou a ditar suas regras e Tite prefere segui-las. Desde o início do trabalho, em 21 de maio, em Teresópolis, passando pelas atividades em curso, em Londres, até a semana final em Sochi, na Rússia, os nove treinos secretos da Seleção devem ser traduzidos na apresentação de alguma coisa diferente na primeira fase da Copa.

Pelo menos, é o que o torcedor espera.

Thiago Silva minimiza lado emotivo e garante estar pronto para a Copa

Titular e capitão da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2014, o zagueiro Thiago Silva até hoje convive com críticas por causa de sua instabilidade emocional. Ele não concorda que seja instável. Garante estar preparado para disputar sua terceira Copa, pois "aos 33 anos, me sinto como um garoto" e procura conviver com os comentários com tranquilidade.

"Encaro naturalmente. Sou assim (emotivo) e o mais importante é que isso nunca me atrapalhou dentro de campo. Em todos os jogos, eu me concentro ao máximo.

Se a gente tem sentimento, quando tem uma perda grande, deixa a emoção chegar. Todo mundo é assim", disse o zagueiro do Paris Saint-Germain na tarde desta terça-feira, em Londres, em entrevista após o treino da seleção brasileira no CT do Tottenham.

Thiago Silva se considera em um dos melhores momentos da carreira e pronto para ser titular da seleção, se o técnico Tite assim o decidir - ele briga por posição com Marquinhos. "Temos uma briga sadia, que faz elevar o nível de concentração. O importante é que a seleção tem quatro jogadores que podem dar conta do recado. Até mesmo o Geromel, que joga no Brasil, é um grande zagueiro. Tem totais condições de jogar."

O zagueiro assegura que não só ele como toda a seleção está forte mentalmente e, com isso, a equipe vai chegar à Copa do Mundo preparada para lutar pelo título. "Nos últimos jogos, temos demonstrado força, principalmente contra a Alemanha. Depois do 7 a 1 (da Copa de 2014), jogar novamente e ter bom resultado, mostra que nos preparamos muito bem para o jogo. Estamos nos preparando da melhor maneira possível", afirmou.

Suspenso, Thiago Silva não jogou contra a Alemanha naquela partida no Mineirão e recordou ter sido muito difícil ficar vendo a equipe e seus companheiros serem goleados. "Você estando fora, por mais que tente passar forças positivas, não pode ajudar diretamente o grupo. De fora, você vê muita coisa que poderia ter sido diferente, mas não pode nem gritar porque não te escutam", disse, explicando que no intervalo foi ao vestiário tentar dar apoio aos colegas.

Ao comentar a evolução da seleção nos últimos quatro anos, ele disse que é inevitável a melhora, à medida que o tempo passa e a experiência aumenta.

"Acredito que o grupo esteja muito bem preparado pelo que fizemos com o Tite, mesmo nos dois anos com o Dunga, apesar das dificuldades que encontramos. Tivemos um aprendizado muito grande, por isso estamos numa Copa do Mundo, que é o auge. Temos a possibilidade de reescrever a nossa história. Não temos que prometer título, mas sim boas atuações porque estamos nos preparando da maneira que tem que ser. O Tite fala: 'Podem ficar tranquilos, que para a estreia, para o próximo jogo domingo, vocês vão estar bem'."

Thiago Silva diz que greve no Brasil motiva busca pelo hexa

Nem mesmo os jogadores da Seleção Brasileira se safaram dos reflexos da paralisação dos caminhoneiros, que nesta terça-feira completa nove dias. Após o treinamento comandado por Tite no CT do Tottenham, em Londres, na Inglaterra , o zagueiro Thiago Silva concedeu entrevista coletiva e garantiu que o caos instaurado no Brasil serve de motivação extra para o elenco conquistar a Copa do Mundo , já que até ele próprio teve de deixar o carro na garagem em seu dia de folga antes de viajar à Europa.

Sem combustível em grande parte do território nacional, filas quilométricas vem se formando nas redondezas dos postos de gasolina. A interrupção no escoamento de produtos também afeta diretamente outros setores da economia, esvaziando as prateleiras de mercados e causando impacto considerável na área da saúde.

"A gente fica triste, porque somos brasileiros e temos familiares no Brasil. Em um dia de folga antes de vir para Londres, você procura postos para colocar gasolina e meu carro ficou na garagem. A tristeza bate, porque somos todos brasileiros e queremos um Brasil melhor", afirmou Thiago Silva.

Embora tenha sido reserva em grande parte da campanha da Seleção Brasileira nas sob o comando do técnico Tite, Thiago Silva é um dos cotados para formar a dupla de zaga verde e amarela no Mundial da Rússia. No entanto, independentemente de seu status na Copa, ele garante que a grave crise pela qual o País atravessa inspira o grupo a amenizar o sofrimento da população com a conquista do hexacampeonato.

"[A situação] Não afeta diretamente a Seleção, mas nos dá motivação para nos prepararmos da melhor maneira possível e tentar levar essa Copa para o Brasil para dar um pouco mais de alegria para o povo", completou o zagueiro capitão do Brasil na Copa do Mundo de 2014.

O Brasil volta a trabalhar nesta quarta-feira, dia em que Marcelo e Casemiro se apresentam à Seleção. Roberto Firmino, outro convocado que disputou a final da Liga dos Campeões no último sábado, também tinha chegada prevista no mesmo dia que a dupla do Real Madrid, porém, decidiu antecipar sua apresentação e já treinou com os demais companheiros nesta terça.

Flamengo recebe R$ 21 milhões por Hernane após quatro anos

Depois de entrar em todas as instâncias na Fifa e vencer, o Flamengo finalmente recebeu o dinheiro do Al Nassr, da Arábia Saudita, referente à venda do atacante Hernane Brocador em 2014. O montante pago pelos árabes é de 5 milhões de euros, equivalentes a R$ 21,6 milhões.

O Flamengo derrotou o clube saudita em primeira e segunda instância na Fifa, mas o veredito veio com decisão homologada na Corte Arbitral do Esporte (CAS), que é considerada a última instância. Se não fosse feito o pagamento, os árabes seriam punidos com execução de penalidades desportivas.

O Al Nassr já havia sido excluído da Liga dos Campeões da Ásia e estava na iminência da perda de pontos no Campeonato Saudita. Com isso, o clube procurou o Flamengo para propor o pagamento da dívida além dos honorários advocatícios.

Fla comemora vitória na justiça

O vice-jurídico e Procurador Geral do Flamengo, Flávio Willeman, comentou sobre a decisão ao site oficial do Rubro-Negro. "O Flamengo, por confiar nas bases jurídicas que sustentaram a transação, não tinha dúvidas que receberia na integralidade os valores devidos", comentou.

A passagem de Hernane pelo Flamengo foi vitoriosa. Ele conquistou a Copa do Brasil em 2013 e marcou 45 gols em 78 jogos. Atualmente, o atacante defende o Grêmio.

Vender Wembley não seria uma “traição”, afirma Federação Inglesa

Estudar a possibilidade da venda do estádio de Wembley, em Londres, não constitui uma “traição”, afirmou nesta terça-feira o diretor-geral da Federação Inglesa de futebol (FA), Martin Glenn, uma tentativa de acalmar os ânimos diante das críticas recebidas.

O bilionário americano Shahid Khan, dono do Jacksonville Jaguars (NFL) e do Fulham (Premier League), teria oferecido 685 milhões de euros pela compra do mítico estádio londrino, com capacidade para 90.000 lugares.

“Receber uma proposta por Wembley não constitui uma traição”, declarou Glenn durante reunião do conselho da FA.

“Não se trata de vender a alma de nosso esporte ou uma atitude desesperada de uma entidade desesperada. Não temos a necessidade de vender (Wembley). Não precisam se assustar”, completou.

“O que temos é simplesmente a oportunidade de nos beneficiar de uma soma importante para reinvestir no futebol amador”, insistiu.

Nem todos os membros do conselho da FA estão na mesma página: “Temos que seguir sendo proprietários do estádio. Podemos continuar encontrando dinheiro para futebol mantendo Wembley”, declarou por exemplo Brian Adshead, ao ser questionado pela emissora Sky Sports News.

 

Fonte: Agencia Estado/Gazeta Esportiva/Terra/Lance!/AFP/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!