31/05/2018

Liga do Samba Junino promove ensaios abertos

 

O mês de junho ainda não começou, mas a Liga do Samba Junino já está a todo vapor com os ensaios abertos dos grupos de Samba Junino de Salvador.

"O nosso movimento cultural acontece o ano todo. Só que agora mais perto do São João, do Festival da Liga do Samba Junino e do desfile da Liga do Samba Junino, os grupos reforçaram ainda mais os ensaios abertos à população", afirmou Nonato Sanskey, Coordenador de Relações Institucionais da Liga do Samba Junino.

As quintas-feiras, o Jorge Junino realiza seus ensaios abertos a partir de oito horas da noite no final de linha do Alto das Pombas. Já as sexta-feiras, os ensaios ficam por conta do Zumbaê na Vila Viver Melhor, Ogunjá e com o Samba Duro VS na ladeira do Sapoti, Engenho Velho de Brotas. Todos os ensaios de sexta-feira começam a partir de sete horas da noite.

A maratona de ensaios continua no sábado com a apresentação do Mucum'G em frente ao Colégio Edgard Santos, Garcia; do grupo Os Mulatos na Polêmica de Brotas ao lado da Comercial Ramos e Balão de Ouro na Federação em frente a TVE a partir de sete horas da noite e do Samba do Morro a partir de oito horas da noite ao lado do Baratão da Vasco da Gama.

Encerrando a programação de ensaios, aos domingos os turistas e soteropolitanos podem se divertir com o Bicho da Cana na primeira etapa de Canabrava; Sambalança em Frente ao Colégio Edgard Santos, Garcia; Samba Neguinho no Dique Pequeno e Comendo Água na Rua Boa Vista, Uruguai. No domingo, todos os ensaios acontecem a partir de sete horas da noite.

"O samba junino é um movimento cultural que existe há mais de quarenta anos em alguns bairros populares de Salvador. Nosso objetivo é fortalecer cada vez mais esta cultura e, todos os ensaios são abertos e gratuitos", concluiu Nonato Sanskey.

Sobre o Samba Junino:

O samba junino representa uma expressão cultural genuinamente soteropolitana, marcado pela rítmica do samba duro, disseminada há pelo menos 40 anos em diversos bairros de Salvador. Os bairros tradicionais que realizam os festejos são Engenho Velho de Brotas, Engenho Velho da Federação, Federação, Fazenda Garcia, Tororó e Nordeste de Amaralina.

Sobre a Liga do Samba Junino:

A Liga do Samba Junino é uma associação que foi criada em 2013 com o objetivo de fortalecer os grupos de Samba Junino em nosso estado e, incentivar o reconhecimento desta manifestação cultural. A Liga é composta pelos grupos Jorge Junino, Samba do Morro, Mucum'g, Os Mulatos, Zumbaê, Samba Neguinho, Samba Duro VS, Balão de Ouro, Sambalança, Bicho da Cana e Comendo Água.

Olodum apresenta ‘Forródum’ neste domingo

O conjunto de samba-reggae Olodum vai acrescentar mais um ingrediente a seu eclético repertório. Neste domingo (3), o grupo apresente o projeto “Forródum” no Largo Quincas Berro D’água, a partir das 14h, no Pelourinho.

O evento ainda conta com a participação do forrozeiro Zelito Miranda, que promete colocar os fãs para dançarem ao som de clássicos do gênero. O ingresso custa R$ 50.

  • SERVIÇO:

O quê: Forródum

Onde: Largo Quincas Berro D’água

Quando: Domingo, 03 de junho

Horário: 14h

Ingressos: R$50

Projeto Culinária Musical tem forró na Praça Tereza Baptista, Pelô

Neste domingo (3), das 13h às 17h, o projeto Culinária Musical faz sua primeira edição junina com o mais autêntico forró pé de serra na festa que reúne gastronomia, música e diversas expressões artísticas. Desta vez, o evento cultural intinerante acontece na Praça Tereza Batista, no Pelourinho, e a tarde será embalada pelas bandas Zé de Tonha, Fejão Fradinho, além da participação do forrozeiro Cicinho de Assis.

Para deixar o corpo com disposição durante horas de boa música, o afrochef Jorge Whashington, idealizador do evento, caprichou na escolha dos pratos: arrumadinho e sarapatel. A entrada custa R$20 (inteira) e R$10 (meia). A Secretaria de Cultura do Estado (Secult), por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), apoia esta edição do evento.

No palco, a estreia do Culinária Musical no universo junino não poderia ser melhor. A banda Zé de Tonha, criada em 2002, tem o compromisso de propagar o ritmo típico do São João com clássicos do gênero, além de seu repertório autoral. No repertório, também tem sucessos da MPB, pop-rock ou reggae na levada do xote, baião e xaxado. Sem contar o diferencial do grupo, que abre espaço para o humor nas apresentações com a personagem Zé de Tonha contando seus causos.

Com presença certa nos principais festejos juninos da capital e do interior ao longo de 23 anos de carreira, um dos sanfoneiros mais talentosos do país, Cicinho de Assis faz participação especial no evento. O músico que tem a originalidade com marca, esteve à frente das cinco edições do projeto Um Forró Para Seu Luiz em uma homenagem ao rei do baião, Luiz Gonzaga, e foi uma das atrações do Primeiro Festival Internacional de Sanfona. Integrando a banda de Gilberto Gil, atuou nos projetos Eu, Tu, Eles, São João Ao Vivo, Kaya N’Gandaya e Gilberto Gil Eletroacústico.

Já o grupo Feijão Fradinho, que nasceu em 2001, reforça o time desta edição especial, com a marca de também preservar os valores da cultura nordestina. O grupo é formado por sete músicos e já dividiu o palco referências com  Adelmário Coelho, Flor do Araçá, Laços do Forró, Cavalo Fantástico e Mastruz Com Leite.

Surpresa

Referência de moda afro inspirada em mulheres guerreiras e na tradição matriarcal africana dialogando com as tendências brasileiras, a Candaces irá promover um desfile de moda na edição deste domingo (3) do Culinária Musical. A novidade é que as modelos que irão dar vida ao novo trabalho da marca serão escolhidas entre o público que for prestigiar a festa, reafirmando a proposta de fortalecer a autoestima de mulheres, homens e crianças negras.

Histórico

Ao longo de um ano de existência, o Culinária Musical foi ganhando corpo e se consolida como um evento que movimenta a cena artística na capital. A experiência dessa interação e troca de energia já foi experimentada, entre outros, por Lazzo Matumbi, Alexandre Leão, Jackson Costa, Roberto Mendes, Magary Lord, Carlos Barros, Fábio Santana, Célia França, Denise Correia, Dão, Firmino de Itapuã, Gerônimo, Mário Ulloa, Jack Elesbão, Lívia Natália e Nelson Maca. A iniciativa também já foi palco para intervenções poéticas, desfiles de moda, lançamento de livro e performances de dança.

O veterano e respeitado ator do Bando de Teatro Olodum, Jorge Whashington,  também assina a realização de eventos como o sarau poético-musical Vozes Negras – que une poesia, música, discurso racial que relata o universo feminino –; a festa Yemanjá é Black, que acontece a cada 2 de fevereiro; e o Dance o Baile do Seu Corpo, que reedita os bailes black da década de 80, com a fusão entre o clássico e o moderno.

  • SERVIÇO

O que: Forró do Culinária Musical

Quando:  Domingo (3 de junho)

Horário: 13h às 17h

Onde: LargoTereza Batista - Pelourinho

Quanto: R$20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Atrações: Zé de Tonha, Fejão Fradinho e lançamento de coleção da Candaces

Cardápio: Arrumadinho e Sarapatel

"Digitália" inscreve trabalhos sobre música e cultura digital

Música e cultura digital são os pilares do Congresso, Festival e Observatório Internacional, Digitália, que em 2018 apresenta o tema “Da Tropicália à Digitália: a Cultura no Brasil disruptivo”. O evento tem chamada de trabalhos abertas até 18 de junho nas modalidades de apresentação de artigo científico, mesa temática, workshop, comunicação livre, trabalho técnico, relato de experiência, performance, apresentação artística e encontro de rede.

O evento acontecerá em novembro. A Digitália conta com apoio da Fundação Cultural do Estado (Funceb/SecultBA) através do Edital Setorial de Música do Fundo de Cultura.

A Digitália tem a proposta de ocupar o máximo de espaços conectando pessoas, a cidade e a web. Vão fazer parte desse grande circuito o Goethe Institut (Instituto Cultural Brasil-Alemanha); Praças do Pelourinho e o Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas, CECULT-UFRB em Santo Amaro - e na internet, através do Observatório de Música e Cultura Digital - hospedado no site oficial do evento.

“Tivemos uma grande dúvida existencial: manteríamos a rubrica “Música e Cultura Digital” (o que nos garantiria consolidar uma identidade do festival/congresso) ou deveríamos ‘bandalargar’ nossas mentes e debates para este Brasil em erosão? Então, decidimos pelos dois caminhos: manter a estrutura ancorada na música, cultura digital e suas transversalidades, mas ampliando os debates no âmbito da cultura, das fricções políticas emergentes, sem perder de perspectiva processos históricos que criam relação com este momento, no Brasil e no mundo. Pretensioso? Certamente. Mas igualmente necessário”, avalia o coordenador do Digitália, Messias Bandeira.

  • Serviço

Inscrições abertas – Digitália

Quando: até 18 de junho, no site www.digitalia.com.br

Evento gratuito

Confira mais informações e toda a programação no site!

 

Fonte: Reinaldo Comunicação/Bahia.ba/Bahia Já/SecultBa/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!