31/05/2018

Juazeiro: Agricultores têm perda de até 50% de safra com greve

 

Agricultores que produzem frutas na região do Vale do São Francisco, no norte da Bahia, afirmam já ter perdido cerca de 50% da safra com a greve dos caminhoneiros, que chegou ao 9º dia nesta terça-feira (29). Somente uma fazenda do município de Juazeiro que exporta uvas e mangas já contabiliza mais de R$ 2 milhões em prejuízo.

Com a falta de caminhões para escoar a produção, os produtores precisam reduzir a colheita e muitas frutas acabam apodrecendo ainda no pé.

Do Distrito Irrigado de Maniçoba, em Juazeiro, saem cerca de 300 toneladas de manga por dia para todo o país, mas parte da produção está sendo perdida. O agricultor Valdimiro Pereira, que a cada safra colhe 30 toneladas da fruta, não esconde a preocupação. Ele já perdeu 50% da plantação e fala em prejuízo de R$ 30 mil.

"Há preocupação para a gente vender, porque não tem caminhão, não tem comprador, não tem ninguém. Aí como vamos fazer para vender essa manga? O jeito é esperar a greve acabar", destaca.

Outro problema enfrentado pelos produtores é com relação à distribuição da água que chega às plantações através de um canal construído pela Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf) para irrigar as plantações. Isso porque, para que a água seja distribuída, caneleiros precisam abrir comportas, mas eles não estão tendo transporte para poder trabalhar por falta de combustível.

"Já temos informação de que o distrito pode até para por conta desse combustível. Não tem como abastecer as motos para que os canaleiros possam trabalhar", destacou o técnico agrícola Saulo Mota.

Exportação

Uma fazenda de Juazeiro especializada em exportação de uvas e mangas teve a colheita reduzida em 70% e o prejuízo já passa dos R$ 2 milhões.

Parte das frutas, que deveriam ser levadas para diversos estados do Brasil e até para outros países, estão chegando, no máximo, somente até o Mercado do Produtor, um dos maiores entrepostos de hortifruti do Norte e Nordeste do Brasil, que também está com desabastecimento.

"Já era para ter colhido, aproximadamente, algo em torno de 10 hectares de uva, mas devido a essa paralisação dos caminhoneiros a colheita dessa fruta foi adiada. As frutas que não tinham mais condições de adiar, por não poder viajar, a gente tentou comercializar no Mercado do Produtor, e acaba não pegando uma remuneração satisfatória", afirma o gerente comercial da fazenda, Roberto Carvalho.

Na fazenda, as frutas já colhidas são armazenadas em um galpão, onde 120 trabalhadores atuam na embalagem e armazenamento da mercadoria. A maioria já foi vendida, mas não tem como ser levada para os compradores por falta de transporte.

"Muitos funcionários estão parados e o ritmo de funcionamento bem lento. A capacidade nossa de embalar de três a quatro contêineres por dia e, atualmente, estamos embalando um só. Estamos ainda tentando frear a colheita porque não tem onde armazenar", diz o gerente do setor.

Juazeiro, Casa Nova, Sobradinho, Sento-Sé e Canudos serão contemplados com mais uma etapa do Projeto Cisternas

O Consórcio Sustentável do Território do São Francisco (Constesf) está iniciando mais uma etapa do Projeto Cisternas, através de convênio com o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS). Os municípios de Juazeiro, Casa Nova, Sobradinho, Sento-Sé e Canudos serão beneficiados com mais cisternas para consumo humano, tecnologia capaz de captar e armazenar até 16 mil litros de água. A meta é construir 640 cisternas nesses municípios, garantindo que famílias das áreas rurais possam armazenar água de forma adequada para beber e cozinhar durante os meses de seca.

Em todo o Território do Sertão do São Francisco já são 2.500 famílias beneficiadas com as tecnologias do Projeto Cisternas. De acordo com o presidente do Constesf e Prefeito de Canudos, Genário Rabelo (Geo), essa nova etapa vem para somar às outras tecnologias já implantadas nesses municípios cumprindo o objetivo de universalizar o acesso à água.

“Os cinco municípios que receberão novamente o Projeto Cisternas já foram beneficiados com cisternas de consumo humano, cisternas e produção e barreiros em outras etapas. São mais de 1.200 tecnologias que já estão sendo utilizadas e transformando vidas nesses municípios. Nessa nova etapa, a meta é implantar mais 640, alcançando mais famílias e garantindo dignidade a mais homens e mulheres do campo.”, informou.

As famílias beneficiadas com as cisternas estão sendo capacitadas, através de curso de gerenciamento de recursos hídricos, com objetivo de discutir a importância da tecnologia como ferramenta de convivência com o semiárido, além de preparar os beneficiários para o uso correto da tecnologia. “Nós que trabalhamos com essas tecnologias de convivência com o semiárido, entendemos que, acima de tudo, as cisternas e barreiros levam cidadania para nosso povo, porque ter acesso à água, a informações e ter o direito à segurança alimentar é o que é mais importante”, explicou o coordenador geral do projeto, Mauro Macêdo.

Iniciativa do IRPAA estimula Caprinovinocultura durante a Fenagri 2018

A Caprinovinocultura será um dos temas da Feira Nacional da Agricultura Irrigada – Fenagri 2018, que vai movimentar o município de Juazeiro – BA, entre os dias 11 e 14 de julho próximo.

 Considerado um dos mais importantes sistemas produtivos do Semiárido brasileiro, a Caprinovinocultura estará presente no maior evento de fruticultura irrigada da América Latina como tema principal da Feira de Economia Solidária e de um seminário.

 Os eventos serão realizados pelo IRPAA – Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada, que também é responsável pela oferta do minicurso sobre ‘A Captação da Água de Chuva’ e da palestra ‘Terra e Territorialidade’.

De acordo com a gestora ambiental e colaboradora do IRPAA, Gizeli de Oliveira, o instituto (Organização Não Governamental), já participa da Fenagri há mais de 10 anos e nesta edição vai reunir na parte externa do Juá Garden Shopping 30 empreendimentos de agricultores familiares. “A Feira de Economia Solidária vai apresentar e comercializar, seguindo a linha do preço justo, artigos em couro, alimentos e bebidas de representantes de cinco territórios, vindos de mais de 30 municípios da região”, adiantou.

Lembrando que os empreendimentos vão expor principalmente os produtos da Caprinovinocultura, Gizeli destacou a participação dos grupos organizados pela Central da Caatinga, uma organização responsável pela comercialização de cooperativas e associações do Território Sertão do São Francisco.

O seminário de ‘Caprinovinocultura no Semiárido Baiano’ está agendado para os dias 12 e 13 de julho, também no Juá Garden Shopping. Começando às 8h até às 17h, o encontro vai debater avanços e entraves da atividade no território Sertão do São Francisco.

Ainda de acordo com a técnica do IRPAA, o minicurso sobre ‘Manejo e Captação de Àgua de Chuva’ irá acontecer também no shopping no dia 14 durante toda a manhã e será ministrado pelo zootecnista, André Azevedo. E à tarde no mesmo local, o agrônomo Judenilton Oliveira ministrará a palestra ‘Terra e Territorialidade’.

“O IRPAA foi criado em Juazeiro – BA há aproximadamente 30 anos objetivando a convivência com o Semiárido – uma região de muitos recursos e possibilidades. Durante a Fenagri 2018 apresentaremos muitas dos projetos e soluções eficazes que vem ajudando a manter o povo do Semiárido nesta terra prometida”, concluiu Gizeli de Oliveira.

São destaques ainda da programação técnico-científica da Fenagri 2018, o Seminário ‘Mangicultura no Vale do São Francisco: desafios e oportunidades’, além de uma série de seminários, palestras, minicursos, visitas técnicas e uma rodada de negócios.

A 27ª edição da Feira Nacional da Agricultura Irrigada terá como tema ‘Cultivando Sabores e Valores do Vale’. A previsão da Prefeitura de Juazeiro e Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Juazeiro (ACIAJ) organizadores do evento, é que sejam realizados negócios na ordem de R$ 5 milhões e o evento receba a visita, nos quatro dias, de 40 mil pessoas.

INSCRIÇÕES DAS QUADRILHAS JUNINAS SÃO PRORROGADAS ATÉ DIA 08 DE JUNHO

A Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes informa que o prazo de inscrição para o Concurso de Quadrilhas Juninas será prorrogado. Os interessados podem se inscrever até o dia 08 de Junho das 08h às 12h e das 14h às 18h, na sede da SECULTE - Praça da Bandeira, nº 20, Centro. A inscrição é gratuita e o investimento na premiação será de mais de R$15 mil.

Quem for participar deve preencher formulário de inscrição, que pode ser encontrado no edital no endereço eletrônico www.juazeiro.ba.gov.br e indicar nominalmente o marcador e a rainha da quadrilha. A não participação dos indicados nas apresentações implicará na sumária perda de pontos ou até mesmo na desclassificação, ficando a cargo da comissão julgadora deliberar sobre tais temas.

Ressalta-se que servidores municipais e membros da Comissão do corpo de jurados, bem como de seus respectivos cônjuges, companheiros ou parentes em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, não podem participar do concurso de quadrilhas.

Paulo Afonso: Vereador denuncia prefeito ao MP

A sessão da Câmara Municipal de Vereadores desta última segunda-feira, dia 27 de maio de 2018 foi marcada por ânimos alterados diante de mais uma das fortes denúncias, trazidas em plenário pelo vereador Mário Galinho (SD), que entrou com uma ação no Ministério Público do Estado da Bahia contra a prefeitura de Paulo Afonso pela renovação do convênio do Sr. Luiz Humberto Barreto Faria (Luizinho da Embasa), genro do prefeito Luiz Barbosa de Deus (PSD).

Na denúncia protocolada na sede do MP de Paulo Afonso, o parlamentar informa que só neste mês de maio, Luizinho de Deus o nomeado em 17 de maio de 2017 como Secretário Administrador do Bairro Tancredo Neves.

Pelos cálculos de Galinho, esse salário exorbitante representa, ao final de apenas dois anos, uma conta que ultrapassa o valor de 1 MILHÃO DE REAIS para o município.

“Esta nomeação além de imoral, pela clara e repudiável prática de NEPOTISMO, pois o secretário é GENRO do prefeito fere o Artigo 37, XI da Constituição Federal/88 que limita o teto salarial do funcionalismo público”, disse o vereador.

Mário Galinho também ressaltou: “ É inadmissível permitir que o poder executivo municipal, diante do tamanho desemprego que nos assola e, Paulo Afonso sendo um grande polo formador de administradores, não ofereça oportunidade a esses profissionais adentrarem no mercado de trabalho por causa de práticas revoltantes como essas”.

 

 

Fonte: G1/Ascom Constesf/Clas Comunicação/BlogdoGeraldoJosé/PA4/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!