06/06/2018

São João de Quijingue mantém Arraiá do Triunfo com anarriê

 

Este ano, quem procura um destino para viver a emoção de um São João tradicional tem o município de Quijingue como opção. A programação repleta de forró conta com bandas já conhecidas do público e sanfoneiros que valorizam no repertório canções de grandes nomes como Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Trio Nordestino.

Apostando mais uma vez na qualidade dos artistas da casa, a Prefeitura de Quijingue quer repetir o sucesso do último ano e traz no Arraiá do Triunfo 2018 nomes como o sanfoneiro Ze de Loura, já conhecido e admirado do público local e regional.

Quem também vai sacudir o São João quijinguense com muito forró autêntico, pé de serra, é o sanfoneiro Arnaldo Farias, sucesso em todo o Brasil e presença marcante nas festas juninas do Recôncavo baiano há 27 anos. Descoberto no Rio Grande do Norte por Roberto do Acordeon, ele já tocou com grandes nomes do forró como Luiz Gonzaga (o público diz que as duas vozes são idênticas), e, além de cantor, é compositor, instrumentista e repentista

Querida do público do Arraiá do Triunfo e sucesso em todo o país e exterior desde 1995, a maior banda de forró do planeta, Calcinha Preta, está confirmadíssima este ano em Quijingue. E quem também promete mexer com os corações é a cantora Bethy, artista de voz firme, envolvente e carismática, e que trará para o palco uma dose essencial de sertanejo.

Novidade também em Quijingue, Forró do Tico reúne canções de Gonzagão, passando por hits do estilo vaquejada, até chegar ao forró mais moderno. Fazendo sucesso atualmente com a música de sua autoria, "Desce com o Som do Fole”, o cantor e sanfoneiro Tico já tocou em bandas de grande circulação no cenário musical baiano, como Danniel Vieira, Tio Barnabé, Cangaia de Jegue, Forrozão, Colher de Pau e Kart Love.

Como já é tradição no município, a programação oficial inclui, ainda, concurso de quadrilha junina e, no dia 24 de junho, festa católica. Este ano, a decoração valoriza elementos do verdadeiro forró, como Luiz Gonzaga, e homenageia a Seleção Brasileira, que está em busca do hexacampeonato na Copa do Mundo. O tema da festa este ano (O São João que contagia o Brasil), inclusive, faz referência ao incomparável clima da festa e a emoção que será vivida pela torcida quijinguense, apaixonado por futebol.

  • PROGRAMAÇÃO COMPLETA

21junho (quinta-feira)

Concurso de Quadrilhas

22 junho (sexta-feira)

Gatinha Manhosa

Forró do Tico

Ze de Loura

Forrozão Mistura Musical

Zezinho da Ema

23 junho (sábado)

Calcinha Preta

Arregaço

Arnaldo Farias

Bethy

Trem do Forró

24 junho (domingo)

Festa Católica

Banda Recomeçar

Sai a programação do São João de Serrinha

A prefeitura de Serrinha, por meio da Secretaria de Comunicação, divulgou nesta segunda-feira (4), a programação do São João 2018. Neste ano, a festa será realizada no Estádio Municipal Mariano Santana e as apresentações serão realizadas entre os dias 21 (quinta-feira) e 24 (domingo) de junho.

Entre as atrações confirmadas  estão nomes como Solange Almeida, Maiara & Maraisa, Mastruz com Leite, Pablo, Olivan Monteiro, Caciques do Nordeste e Bandana.

  • Confira a programação completa:

DIA 21 (QUINTA-FEIRA)

JULIANO BARROS

SOLANGE ALMEIDA

ADÚLIO MENDES

CAMILA VITORINO

DIA 22 (SEXTA-FEIRA)

ELINE MARTINS

MASTRUZ COM LEITE

BOM D’LOVE

OLIVAN MONTEIRO

DIA 23 (SÁBADO)

CACIQUES DO NORDESTE

TIO BARNABÉ

MAIARA & MARAISA

BANDANA

DIA 24 (DOMINGO)

LENE MORENO

PABLO

FELIPE PATO

UM XOTA A MAIS

Cansanção: Prefeitura divulga Programação dos Festejos Juninos 2018

A Prefeitura de Cansanção anunciou nesta segunda-feira, 04 de junho, a programação oficial dos Festejos Juninos 2018.

Uma programação especial vai contemplar cinco povoados da zona rural e a sede, que sediará mais uma edição do Arraiá da Aurora.

No total serão 06 dias de festa, com 23 shows musicais. A programação tem o apoio da Câmara de Vereadores e do Comércio Local, que acaba se aquecendo com as festividades, num momento de geração de emprego e renda para a cidade.

Prefeito de Valente punido por remuneração indevida a servidora

Na sessão desta terça-feira (05/06), o Tribunal de Contas dos Municípios julgou procedente a denúncia formulada pelo vereador de Valente, Antônio Cézar Oliveira Rios, contra o prefeito Marcos Adriano Araújo, pelo pagamento indevido de remuneração a servidora afastada de suas funções, no exercício de 2017.

O conselheiro Plínio Carneiro Filho, relator do processo, determinou o ressarcimento aos cofres municipais da quantia de R$6.401,79, com recursos pessoais do gestor, e imputou uma multa de R$500,00.

A relatoria apurou que a servidora Evelyne Santana de Oliveira, mesmo em licença sem direito a remuneração, recebeu durante três meses (março a maio) a importância mensal de R$2.133,93, violando o disposto na Lei Municipal nº 008/06. O pedido de licença para acompanhamento de cônjuge/companheiro foi protocolado no dia 02/03/2017 e, ao que tudo indica, o seu afastamento ocorreu de forma imediata, já que a prefeitura não conseguiu comprovar a prestação dos serviços pela servidora nesses meses.

O Ministério Público de Contas, em seu parecer, opinou pela procedência da denúncia e afirmou que “houve benefício indevido à servidora, pois ela percebeu remuneração sem a devida contraprestação”.

Coité: Fazendeiro mandou construir o próprio cemitério na porta de casa e registrou em cartório

Esta é mais uma história inusitada que o Calila Noticias traz para o seu leitor, do fazendeiro Miguel Arcanjo da Cunha, 81 anos, residente na Fazenda Alagadiço do Meio, distante 12 km da cidade de Barrocas e 12 km do Distrito de Salgadália, município de Conceição do Coité, conforme ele mesmo gosta de tratar, “divide o meio na estrada que liga Salgadália a Barrocas”, comunidades localizadas no território do sisal.

Dono de uma fazenda com aproximadamente 700 tarefas, tendo herdado 250 de seus pais, Miguelzinho disse que vai dividir tudo com os herdeiros, mas  não é possível que no meio de tanta terra ele não fique com pelo menos esse cantinho. Ele é também rezador tradicional e tem como guia “Tupã”.

Segundo Miguelzinho do Alagadiço como é conhecido, já preparou sua ‘morada eterna’ desde 2014 ao construir um cemitério em um terreno na frente da casa que mede aproximadamente 10 x 10 metros . Seo Miguelzinho não se contentou apenas com a construção, queria garantia para que seu plano não dê errado, então procurou um cartório e registrou. O caixão ele disse que também já comprou em uma funerária na cidade de Serrinha e pagou caro.

Sempre alegre e bastante entusiasmado com a vida, ele contou ao CN que não perde enterros e observa tudo com o cuidado, verifica os erros e quer que nada dê errado no seu. “Não tenho pressa para morrer e aqui estou como o administrador de fazenda e quem manda é o dono dela (Deus). Obedeço à vontade do meu dono que é Deus e o dia que ele chamar eu vou”. (Risos)

Como pode ser visto, a área possui muro, cruzeiro, jazigo conhecido no sertão como  “carneira” que está inclusive aberta, protegida apenas por telhas e ao lado um pequeno quarto para onde quer que sejam levadas seus santos.

Ideia de construir o próprio cemitério

Miguelzinho disse em entrevista exclusiva ao CN que a ideia da construção do cemitério foi por causa da situação incomoda que ele presencia sempre que vai em enterro no cemitério de Barrocas que não tem mais espaço e que muitas vezes se desenterra um corpo com pouco tempo de enterrado para botar outro. “É um mal cheiro danado, tem vez que junta até urubu. O cemitério tá vencido! Daí resolvi

Disse ter feito pacto com o ex-prefeito de Barrocas e amigo pessoal Edilson Lima

Edilson da Serraria é como ele trata o ex-prefeito de Barrocas, José Edilson de Lima Ferreira, considerado seu melhor amigo. Ele contou ao CN que já combinou com Edilson quem morrer primeiro vai despreocupado que um ou outro vai cuidar do funeral e no seu caso,  seu filhos estão sabendo que Edilson irá fazer todas as despesas e depois levar a conta para família pagar e garantiu que não é uma conta pequena.

“Não tem coisa pior que ir a sepultamento e o mesmo atrasar e o povo ficar com fome. Comigo mesmo já aconteceu isso. O enterro estava marcado para ás dez horas e um filho do falecido atrasou, pois morava em São Paulo e o sepultamento foi realizado às 15h e não nenhum lugar para comprar se quer um merenda. Não quero que aconteça no meu velório.Como não vou poder ver essas coisas, fiz o trato com meu amigo Edilson da Serraria. E se ele morrer primeiro do que eu faço a mesma coisa com ele”, garante.

Além dos preparativos do funeral (cemitério e caixão) Miguelzinho disse que tem comprado também um freezer para encher de comida e refrigerante, e que os filhos já estão sabendo também que é para matar a melhor novilha e a ovelha mais gorda que tiver no pasto. “O povo tem que comer e beber a vontade no meu velório e  botar um carro de som anunciando o horário do enterro nas cidades da região, onde tenho muitos compadres e comadres e  não quero que ninguém tenha queixa por não ter sido avisado”.

Tem 60 anos de rezador, mas de terreiro apenas 18

Ainda sobre sua vida ele contou que tem 60 anos que reza as pessoas e “o povo se dar bem”, garantiu. Sobre o terreiro, são apenas 18 anos, e iniciou após a morte do “seu pai de santo”. Ao convidar a equipe do CN para conhecer o quarto do santo, ele pediu que os repórteres entrassem pela porta da frente, mas ele entraria pelo porta do lado, pois, “tem 18 anos que sou intrigado desta porta e não passo por ela”, afirmou. Ele não disse qual a “intriga” com a porta.

Miguelezinho está no terceiro casamento

“Seo Miguelzinho” está convivendo com a terceira mulher,  segundo ele começou por Dona Erotides (falecida), que era 15 anos mais velha do que ele e com teve apenas um filho. Depois viveu 41 anos com Dona Antônia e agora está com Dona Creusa. Foram 32 filhos, sendo que 22 estão vivos, e demonstrando que tem boa memória, o CN perguntou se ele lembrava do nome de todos e de forma decrescente. A resposta veio logo e sem pensar: “Mil, Zé Raimundo, Marcos, Perdiz, Maria, Netuca, Clarice, Severo, Cesar, Maria Irene, Luzia, João, Marcinho e Amaro (Diferença de 20 dias do nascimento de um pro outro), Orlando, Antônia, Tereza e Marcinha (Também diferença de 20 dias), Diu, Malinha, Edmilson e Batata. O mais velho, Miu tem 59 anos e Batata, o mais novo, 30”, falou.

 

Fonte: Bahia Já/TCM Bahia/Calila Notícias/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!