07/06/2018

Bahia: José Ronaldo mira em votos dos evangélicos

 

A chapa do pré-candidato do DEM, José Ronaldo, continua indefinida e sem previsão para ser fechada. Por enquanto, apenas o nome dele e o do deputado federal Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) estão confirmados na majoritária – o primeiro na corrida ao Palácio de Ondina e o segundo, à senatoria. Resta saber agora quem será o vice e quem ficará com a segunda vaga à Câmara Alta. Segundo fontes da Tribuna, os tucanos não devem mais ocupar a posição de vice dos democratas. O deputado federal João Gualberto (PSDB) já anunciou que vai tentar a reeleição. Imbassahy (PSDB) não sabe o que quer, mas deve ir para a reeleição também. Ronaldo, então, vai ter de acomodar o ávido PRB (prometido na majoritária carlista desde a última eleição municipal, em Salvador) e o PSC.

O nome mais forte especulado até agora é o do deputado federal Irmão Lázaro (PSC), que dá sinais de que não quer abrir mão do páreo (cogita, inclusive, lançar uma candidatura avulsa). Nos últimos dias, inclusive, circulou a informação de que ele poderia ser vice na campanha de oposição ao governador Rui Costa (PT). A ideia serviria para dar peso ao candidato junto ao eleitorado evangélico. Entretanto, a possibilidade foi descartada pelo pré-candidato. Na última segunda-feira, Imbassahy (PSDB) defendeu abertamente que o colega de Câmara fique com o posto de vice ou seja candidato ao Senado. Os coordenadores da campanha de Zé Ronaldo, no entanto, descartam a ideia. A questão é que ele está procurando um nome conhecido na capital baiana para se viabilizar, uma vez que a maior parte do eleitorado dele está concentrado em Feira de Santana.  Lázaro, por sua vez, quer continuar dando expediente em Brasília. 

Para afagar o PRB, o nome mais forte até agora é o da vereadora de Salvador, Ireuda Silva. Ela poderia ser alçada a vice e Irmão Lázaro ficar com o Senado, apesar da resistência de Jutahy Magalhães Júnior (PSDB) em ter o músico na disputa por uma cadeira na Câmara Alta. Nos bastidores, comenta-se que o tucano não gostaria de ter o evangélico com receio de perder votos. Em recente entrevista à Tribuna, Ireuda confirmou que foi “convidada” para conversar e que a decisão está nas mãos do partido. Ela declarou ainda que tem consideração por todos os candidatos e que não há nenhuma definição sobre o futuro político. Zé Ronaldo, também indagado pelo jornal sobre Lázaro e Ireuda, disse que nada foi definido e que as teorias não passam de especulação da imprensa. Aguardemos.

Lazaro gastou mais de R$ 200 mil com agência representada por filiada do PSC em Feira

O deputado federal Irmão Lazaro (PSC) gastou R$ 203.280,00 durante seu mandato parlamentar – de 2015 até maio de 2018 – para a empresa Imagine Publicidade.

A empresa é representada por Geyse Bonfim Araújo, filiada ao PSC de Feira de Santana e casada com o tesoureiro da sigla na cidade baiana, onde o pré-candidato ao Senado tem base eleitoral.

Conforme levantamento feito pelo Bahia Notícias, em 2016 a empresa faturou R$ 54,6 mil, já em 2017 o faturamento saltou para R$ 118,8 mil e até maio de 2018 abocanhou R$ 29,88 mil.

A Imagine presta “serviços profissionais na web” para o deputado nas redes sociais. Vale lembrar que Irmão Lazaro foi empossado secretário de Relações Institucionais da prefeitura de Salvador em abril de 2016 e saiu seis meses depois.

PRB não vai criar dificuldade para ceder vaga em chapa majoritária, afirma João Roma

Pré-candidato a deputado federal e ex-chefe de gabinete do prefeito ACM Neto, João Roma aponta que o PRB não vai fazer um grande esforço para tentar garantir um espaço na chapa majoritária liderada por José Ronaldo (DEM) na eleição deste ano.

Em entrevista ao Bahia Notícias nesta terça-feira (5), ele declarou que até mesmo o presidente nacional da legenda, Marcos Pereira, não trata a questão como prioridade. "Ele colocou que o PRB dispunha de quadros que podem participar da majoritária, que podem estar à disposição da majoritária, mas também não criará nenhuma dificuldade caso surjam nomes que possam agregar mais", relatou Roma.

Segundo ele, a promessa de Marcos Pereira aconteceu em uma reunião realizada há cerca de um mês com participação inclusive do prefeito ACM Neto. "Ele colocou que a participação do PRB na majoritária não era necessária para a união dos partidos", completou Roma.

"A presença do PRB na chapa é legítima, mas não é condição para nossa coligação. A prioridade do PRB é eleger deputados federais: João Roma, Tia Eron e Márcio Marinho", disse.

O posicionamento do ex-chefe de gabinete da prefeitura de Salvador vai de encontro com o do posicionamento de Márcio Marinho, que já declarou que o PRB deve ser o único representante evangélico na chapa.

A postura criou um clima de disputa com o PSC - também evangélico -, que tem no deputado federal Irmão Lázaro um interessado em ser candidato ao Senado na chapa de José Ronaldo.

Por outro lado, Roma afirma que vê o nome de Lázaro é visto "com bons olhos". "Teria total agrado que viesse Irmão Lázaro para a chapa", comentou, ressaltando que há outros candidatos na disputa por um lugar. Até o momento foram confirmados na principal chapa de oposição ao governador Rui Costa apenas José Ronaldo como pré-candidato ao governo e de Jutahy Magalhães (PSDB) como pré-candidato ao Senado.

Restam, portanto, mais uma vaga como pré-candidato ao Senado e uma como pré-candidato a vice-governador.

Rocha diz que Marcos Mendes deveria ser preso por ‘calúnia’ a Neto

O presidente municipal do Democratas, Heraldo Rocha, saiu em defesa do prefeito de Salvador ACM Neto após o pré-candidato ao governo baiano Marcos Mendes (Psol) dizer ao bahia.ba que o gestor soteropolitano desistiu das eleição de 2018 por “medo de ser preso”.

Em nota enviada à redação nesta quarta-feira (6), o presidente do diretório local afirmou que “se tem alguém que merece ser preso é o psolista Marcos Mendes pelos reincidentes crimes de calúnia, injúria e difamação”.

O democrata questionou a credibilidade do candidato do Psol, afirmando que o político “só aparece em período eleitoral, de quatro em quatro anos, para tentar arranjar uma boquinha na política”.

Mendes afirmou nesta terça (5) que ACM Neto teve receio de perder “o foro privilegiado” ao renunciar ao cargo de prefeito por ser investigado pelo suposto superfaturamento das obras de requalificação da Barra e pela relação com o ex-ministro Geddel Vieira Lima, alvo da operação Lava Jato, preso no Complexo Penal da Papuda, em Brasília.

ACM Neto afirma que candidatura de Maia ‘jamais será do governo’

O prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, afirmou que a candidatura de Rodrigo Maia à Presidência da República está mantida. Contudo, ele ressaltou que o nome do presidente da Câmara dos Deputados não está ligado ao governo Michel Temer.

“A candidatura dele jamais será de governo, como também não será de oposição. E isso eu deixei muito claro no dia 8 de março, na nossa convenção, quando a pré-candidatura dele foi lançada. Nós estamos tranquilos para defender e sustentar a participação que o Democratas teve (no governo Temer) nesse momento tão difícil para o País. Estamos prontos para defender e sustentar a contribuição que demos. O que não nos obriga a defender o que eventualmente tenha acontecido de errado, defender o que eventualmente o partido tenha tido qualquer participação”, disse.

Ainda durante a entrevista, Neto garantiu que está viabilizando a candidatura de Maia em conversas com diferentes partidos. “Estamos conversando com muita gente. É impossível deixar de avaliar todos os cenários. Temos conversado com Solidariedade, PP, PRB, PR, PSC, de alguma forma conversado com o PSDB, temos conversado com o Podemos, e isso não exclui outras conversas que podem ocorrer. Veja que eu lhe citei partidos que têm pré-candidatos e outros que não têm”, completou.

Deputados defendem união do centro na eleição presidencial

Os deputados federais Benito Gama e José Carlos Aleluia, que presidem o PTB e o DEM na Bahia, respectivamente, assinaram um manifesto em defesa da união do chamado centro político na eleição presidencial deste ano. “A nossa ideia é aglutinar pessoas e não partidos. O centro está muito disperso, enquanto [Jair] Bolsonaro e o PT estão muito concentrados. Nossos candidatos [de centro] têm dois, três, quatro por cento [nas pesquisas] e precisamos nos organizar. Estamos nos organizando para fazer o confronto no debate. Nosso objetivo é chegar ao segundo turno e vencer a eleição”, pontuou Benito, em entrevista à Tribuna.

O documento será apresentado a pré-candidatos ao Planalto e aponta o risco de, em caso de fragmentação do chamado centro político, o grupo ficar sem representantes no segundo turno da disputa e deixar a Presidência para os extremos do espectro político. "Existem ameaças e oportunidades, interrogações e expectativas, perplexidades e exigências da realidade povoando o ambiente pré-eleitoral. Tudo que o Brasil não precisa, para a construção de seu futuro, é de mais intolerância, radicalismo e instabilidade. Para nos libertarmos dos fantasmas do passado, superarmos definitivamente a presente crise e descortinarmos novos horizontes é central a construção de um novo ambiente político que privilegie o diálogo", diz trecho do manifestado.

Nos bastidores, o comentário é que o manifesto é para favorecer o pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, que, entre os postulantes do centro, é o que aparece em melhor posição nas pesquisas mais recentes. “O boato aqui [em Brasília] é esse. Mas pode [ser o candidato] qualquer um do centro. Pode ser Rodrigo Maia, Geraldo Alckmin... O que a gente quer é ficar unido”, ressaltou Benito Gama.

O documento será levado aos pré-candidatos Geraldo Alckmin, Marina Silva (Rede), Flávio Rocha (PRB), João Amoedo (Novo), Rodrigo Maia (DEM), Henrique Meireles (MDB), Álvaro Dias (Podemos) e Paulo Rabelo de Castro (PSC). O manifesto lista 17 pontos que devem alimentar o debate entre as siglas do centro, entre eles, o equilíbrio fiscal; a proposta de mudança na estrutura do sistema tributário; e a reforma do sistema previdenciário classificado como "injusto e insustentável".

Maia diz que "discussão sobre candidatura única de centro parece meio uma conversa de bêbado"

O pré-candidato ao Palácio do Planalto pelo DEM, Rodrigo Maia, afirmou nesta quarta-feira (06) que a discussão sobre uma candidatura única de centro parece uma conversa "meio de bêbado". Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, Maia disse que apesar de os partidos discutirem essa opção, a sociedade não enxerga o centro com os políticos.

"O problema é que estamos falando muito de centro e temos que entender que a sociedade não enxerga o centro como enxergamos. Fica uma conversa meio de bêbado. A sociedade não encontra nenhuma candidato como de centro", declarou o democrata ao jornal Correio Braziliense.

 

Fonte: Tribuna/BN/Bahia.ba/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!