08/06/2018

Salvador ganha jardim etnobotânico com árvores do candomblé

 

Será criado nesta sexta-feira, 8, um jardim etnobotânico no Parque em Rede Pedra de Xangô, localizado em Cajazeiras. No local, serão plantadas sete árvores de espécies sagradas do candomblé.

As mudas foram doadas pelo povo de santo da região. Entre as variedades, Peregun, Akoko, Sangue lavou, Espada de Iansã, Tapororoca, Kabiciele e Aroeira.

Além desta ação, no local haverá um mutirão de limpeza em frente à Pedra Xangô, que foi tombada pela prefeitura em 2017. As ações iniciarão, às 9h, em Cajazeiras X.

O objetivo de plantar árvores de espécies sagradas tem como foco promover fins religiosos, medicinais e alimentares, para a comunidade próxima ao Parque em Rede Pedra de Xangô.

O jardim etnobotânico faz parte de ações da Semana do Meio Ambiente, onde até este domingo, 10, 183 árvores serão plantadas em Salvador.

Grafiteiros realizam intervenção artística em terreiro de Candomblé

O terreiro Ilê Axé Obá Pá ErãnOlodôEpejá (Arco de Ouro), em Cajazeiras XI, irá receber no sábado, 16, uma intervenção artística, às 9h30. A iniciativa surgiu através do escritor José Paranaguá, que também é grafiteiro. Para realizar a ação, Paranaguá contará com o apoio dos grafiteiros Bigod, Júlio, Lee27, MAO, Eder Muniz, Fumax, Questão, Wit, Will, Mônica, Prisk, Sr.as, Markuza, Sagaz, Marcos Costa, Sisma Costa, Baga, Drico, Bigu, Scanf, Bonomo (SP), Olukemi, SistaK e Fábio Barata.

As imagens feitas pelos grafiteiros estarão relacionadas à natureza e elementos destinados a cultuar o candomblé. Temas como preconceito, empoderamento, mulher negra e heróis negros também serão representados nas pinturas.

O escritor José Paranaguá também lançará seu livro, "A Arte na Rua", no mesmo local da intervenção artística. A publicação fala sobre Salvador, focando no universo artístico e também documenta de forma histórica, estas intervenções.

FGM abre processo de tombamento de 16 painéis de Carybé em Salvador

Dezesseis painéis do artista plástico Carybé, dispostos em diversos locais de Salvador, podem ser tombados como patrimônio cultural do município.

O Presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM), Fernando Guerreiro, notificou os responsáveis legais e proprietários dos imóveis onde estão as obras, através do Diário Oficial do Município publicado nesta quinta-feira (7).

Com a medida, a partir de agora os painéis entram em regime de tombamento provisório, até que haja o arquivamento do processo, caso haja um parecer desfavorável, ou a publicação da homologação do Decreto de Tombamento, se o parecer for favorável.

As obras em questão são: os painéis “Tupinambá”, situado no Edifício Tupinambá, em Brotas; “As Mulheres e os Pássaros”, no Centro Empresarial Iguatemi, na Av. Tancredo Neves; “Catharina Paraguaçu”, no Edifício Catharina Paraguaçu, na Graça; “Índios Guerreiros”, integrado ao Edifício Campo Grande, na Av. Sete de Setembro; “Orixás”, no Museu Afro-Brasileiro, no Pelourinho; “Fundação da Cidade do Salvador”, no Foyer do Teatro Castro Alves; “Panorama de Salvador”, no Centro Educacional Carneiro Ribeiro, no Pero Vaz; “As Três Raças”, na fachada da Fundação Casa de Jorge Amado, no Pelourinho; “A Colonização do Brasil”, na fachada do Edifício Desembargador Bráulio Xavier, situado na Rua Chile; “Os Pescadores”, integrado ao Edifício Barão de Itapuã, em Itapuã; “Quetzalcoatl”, no Edifício Cidade de Ilhéus, na Avenida Estados Unidos; “Progresso” e “Fundação de Salvador”, integrados ao Edifício Cidade de Salvador, no Comércio; “Espécies Marinhas”, no Edifício Labrás, na mesma região; “A Colonização do Brasil”, integrado à Agência CPA 10 ANBIMA, na Rua Chile e “Bahia”, no Edifício Guilhermina, situado no Largo do Campo Grande.

O pintor, gravador, desenhista, ilustrador, mosaicista, ceramista, entalhador e muralista Hector Julio Páride Bernabó, mais conhecido como Carybé, nasceu em 1911 em Lanús, na Argentina, mas foi naturalizado brasileiro. 

Ele, que morreu em 1997, em Salvador, vivia no Brasil deste 1949, figurando entre os maiores artistas plásticos do país.

Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio realiza XII Caldeirão Cultural

O XII Caldeirão Cultural - Festival de Artes do Subúrbio Ferroviário vai movimentar a Praça São Braz, o Centro Cultural Plataforma (CCP), o Centro de Referência do Parque São Bartolomeu, no Subúrbio de Salvador, com 12 horas de intensa programação. A edição 2018 será realizada no dia 8 de junho de 2018 e conta com a participação de mais de 20 grupos das diversas vertentes artísticas, além de comemorar o 11º ano da reabertura do CCP, um dos espaços culturais da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). O evento é realizado pelo Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio com entrada franca.

A grade de programação é composta por cinco ações: Caminhada Cultural, Plataforma de Talentos, Piquenique de Argumentos, Varanda Cultural e Ecocult. Com exceção do Piquenique de Argumentos, as demais atividades acontecem na Praça São Braz. O Ecocult acontece no Parque São Bartolomeu e será no dia 9 de junho.

As 12 horas de programação terão inicio às 10h do dia 8. A abertura será com a tradicional caminhada cultural do Largo do Luso à Praça São Braz. Em seguida, pela primeira vez, o Plataforma de Talentos será realizado na praça. Mais de 20 grupos artísticos são esperados para as duas ações.

No Piquenique de Argumentos, através do tema “Troca-troca de Experiências em Gestão Cultural”, modelos de gestão serão debatidos. Farão parte da mesa Chicco Assis - Gerente de Equipamentos Culturais da FGM, DJ Navi - Grupo Elétric Dance (Itaberaba), Emílio Tapioca - Presidente do Conselho de Cultura da Bahia, Helder Bonfim - Fórum de Cultura da Bahia, Lia Robatto - Coreógrafa, Luís Buranga - A Outra Companhia de Teatro, Maria Mariguella - Diretora de Espaços Culturais da Secretaria de Cultura da Bahia, Plínio Rattes - Pesquisador em Gestão Cultural (Cultura e Sociedade /UFBA), Raimilton Carvalho - Movimento de Cultura Popular do Subúrbio.

Para finalizar as atividades, será realizado na frente do CCP um varandão cultural. na programação está previsto final do Show de calouros, Dj Navi e apresentação de bandas locais.

O Ecocult funcionará como uma ressaca do Caldeirão e este ano finalizará a programação. A atividade começa com um café da manhã colaborativo, às 9h, seguida da trilha ecológica saindo do Centro de Referência e adentrando as matas do Parque São Bartolomeu. O objetivo é dar visibilidade ao potencial ecológico, paisagístico e turístico do território através de trilhas e articulação de redes, chamando atenção para a necessidade da revitalização das cachoeiras e dos mananciais do parque.

Históricos

Depois de quase 20 anos fechado, o Centro Cultural Plataforma (CCP) abriu suas portas à comunidade em 08 de junho de 2007. A reabertura foi uma conquista dos artistas e entidades sócio-culturais do Subúrbio Ferroviário de Salvador, que desde o fechamento do antigo Cine-Teatro promoveram uma mobilização permanente, com manifestos, projetos e articulações políticas para recuperar o espaço.

  • SERVIÇO

O quê: XII Caldeirão Cultural - Festival de Artes do Subúrbio Ferroviário

Quando: De 08 de junho de 2018 Onde: Praça São Braz, Centro Cultural Plataforma, Centro de Referência do Parque São Bartolomeu

Quanto: Entrada franca Realização: Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio

  • PROGRAMAÇÃO

Caminhada Cultural

A tradicional Caminhada do Luso à Praça São Braz conta com mais de 20 grupos e artistas da região, além da participação de escolas públicas locais.

Largo do Luso / Praça São Braz

08/06 | 9h

Grátis

Plataforma de Talentos Na Praça São Braz

O projeto Plataforma de Talentos, que já ocorre mensalmente no CCP, em comemoração ao aniversário do Centro Cultural Plataforma, será realizado na praça. A proposta é que diversos grupos mostrem o seu talento.

Praça São Braz

08/06 | 10:30h

Grátis

Piquenique de Argumentos| Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio / CCP

Com o tema “Troca-troca de Experiências em Gestão Cultural”, modelos de gestão serão debatidos. Farão parte da mesa Chicco Assis - Gerente de Equipamentos Culturais da FGM, DJ Navi - Grupo Elétric Dance (Itaberaba), Emílio Tapioca - Presidente do Conselho de Cultura da Bahia, Helder Bonfim - Fórum de Cultura da Bahia, Lia Robatto - Coreógrafa, Luís Buranga - A Outra Companhia de Teatro, Maria Mariguella - Diretora de Espaços Culturais da Secretaria de Cultura da Bahia, Plínio Rattes - Pesquisador em Gestão Cultural (Cultura e Sociedade /UFBA), Raimilton Carvalho - Movimento de Cultura Popular do Subúrbio

Centro Cultural Plataforma

08/06 | 15h

Grátis

Varanda Cultural

Um espaço alternativo destinado à atividades artístico-culturais, com destaque para apresentações musicais na frente do Centro Cultural Plataforma.

Centro Cultural Plataforma

08/06 | 18h

Grátis

ECOCULT | Ressaca do Caldeirão

O ECOCULT tem como perspectiva potencializar e dar visibilidade as riquezas do território, aliando a reflexão sobre as manifestações artístico-culturais. A trilha ecológica inicia-se do Centro de Referência e adentra as matas do Parque São Bartolomeu, a escolha se deu por causa do dia 5 de Junho, data que se comemora o dia do meio ambiente. O objetivo será visibilizar o potencial ecológico, paisagístico e turístico do território através de trilhas e articulação de redes, promovendo visibilidade para a necessidade da revitalização das cachoeiras e dos mananciais do parque.

Centro de Referência – Parque São Bartolomeu

10/06 | 8h

Grátis

"Quarteto" faz curtíssima temporada no Teatro do Goethe Institut

O espetáculo Quarteto, de Heiner Müller, com direção de Gil Vicente Tavares, faz curta temporada no Teatro do Goethe-Institut (ICBA), de 7 a 16 de junho, quinta a sábado, às 20h. Serão somente seis apresentações para o público conferir a performance dos atores Bertrand Duarte e Marcelo Praddo, e se envolver com a trama das personagens. Os ingressos estão com venda antecipada na plataforma Sympla (www.sympla.com.br/teatronu), a R$ 30,00 a inteira e R$ 15,00 a meia entrada. Vendas na bilheteria do teatro, em espécie, nos dias de espetáculo, a partir das 18 horas.

O retorno de Quarteto faz parte do projeto do Teatro NU 2018, selecionado no Edital Setorial do Governo do Estado na categoria “Apoio a Grupos e Coletivos Culturais”, e tem apoio financeiro do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Realização do Teatro NU, com produção de Selma Santos.

Depois de ser aplaudido de pé em festivais internacionais de Brasília e Porto Alegre, Quarteto, peça de Heiner Müller inspirada no romance "As Ligações Perigosas", volta a cartaz em curtíssima temporada. O espetáculo, que comemorou os 15 anos de teatro do diretor Gil Vicente Tavares em 2014, foi premiado nacionalmente com cinco Prêmios Cenym: “Melhor Grupo de Teatro”, “Melhor Qualidade Artística”, “Melhor Iluminação”, “Melhor Maquiagem” e “Melhor Cartaz”, além de ter sido indicado na categoria “Melhor Espetáculo”. A peça também representou o Brasil na Quadrienal de Praga, evento mais importante das visualidades do teatro no mundo, e participou do Filte - Festival Latino Americano de Teatro da Bahia.

A montagem marcou o retorno do ator Bertrand Duarte aos palcos baianos, depois de 28 anos dedicados ao cinema e à televisão. Bertrand divide a cena com Marcelo Praddo, ator integrante do Teatro NU, duplamente indicado ao Prêmio Braskem de Teatro 2017 por sua atuação em ‘Os Pássaros de Copacabana’ e em ‘Um Vânia, de Tchekhov’. Quarteto tem cenário e iluminação de Eduardo Tudella, figurino de Rino Carvalho e coreografias de Bárbara Barbará e Jorge Silva.

 

 

Fonte: A Tarde/BN/SecultBa//Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!