13/06/2018

Ituaçu: Festejos juninos contam com 2 palcos para atrações

 

O município de Ituaçu, na Chapada Diamantina, já está na expectativa para a festa de São João deste ano. Serão dois palcos, um principal e um alternativo, com atrações musicais para fazer todo mundo dançar. O ‘Arraiá do Brejo Grande’ apresenta esse ano o ‘Trem do Forró’, tema da festa, entre os dias 22 e 24 deste mês.

Entre os artistas confirmados estão Maike José, Forró do Tico, Israel Novaes, Edigar Mão Branca e a participação de Matheus Boa Sorte. Se apresentarão também Pica-Pau e Banda Farra do Brasil, Xamego do Brejo, Alex Ribeiro, Banda Soft Music, Luiz Bento, Pablo Moraes, Régis Lima, Banda Coladinho A2, Grazy Lima, Robson Aguiar, Leo Ribeiro e Pirany.

  • Programação por dia

22 de junho

Maike José

Pica-Pau e Banda Farra do Brasil

Alex Ribeiro

Xamego do Brejo

Banda Soft Music

23 de junho

Luiz Bento

Israel Novaes

Pablo Moraes

Régis Lima

Banda Coladinho A2

24 de junho

Matheus Boa Sorte

Edigar Mão Branca

Forró do Tico

Grazy Lima

Robson Aguiar

Leo Ribeiro

Utinga: Prefeitura divulga grade de atrações do São João e promete muito forró de 22 a 24 de junho

O município de Utinga é outro da região da Chapada Diamantina que promete muita animação na edição de 2018 dos festejos em homenagem ao São João. Esse ano, a administração ‘Utinga de Todos’, do prefeito Joyuson Viera (PSL), segue com a promessa de fazer uma festa tradicional, priorizando a arte e a cultura popular com muito forró. Serão três dias de festas, do dia 22 a 24 de junho.

Pelo grande palco do circuito, passam, no dia 22, Sialison Melo, Capitão do Forró e Thiaguinho Brasil. Já no dia 23, a animação fica por conta de Caçulas do Forró, Ricardo Rodrigues e Bete Nascimento. No dia 24, noite de São João, anima a festa Kelvin Diniz, Marlus Viana e Flor do Nordeste. Ainda vão passar pelo grande palco Beto Silva, Rubens Lima, Desejo de Vaqueiros, Leguinho Sanfoneiro e os artistas da cidade.

A festa junina em Utinga estimula a criatividade e a participação da comunidade e região com o segundo Concurso Regional de Quadrilha, que contará com apresentações das agremiações inscritas no Grupo 1, no dia 22 de junho, e do Grupo 2, no dia 23.

São João em Ibicoara será de 22 a 24 de junho

A grade das atrações que farão parte do São Bento Arraiá, em Ibicoara, município da Chapada Diamantina, foi divulgada. Serão três dias de festa, de 22 a 24 de junho. Entre as atrações estão confirmados Canários do Reino, Calango Aceso, Mala Sem Alça, Edigar Mão Branca, Kaviar com Rapadura. Se apresentam ainda Thaís Nogueira, Lázaro Jacarini, Erivaldo de Carira, Allan Júnior, André Romero, Rony Barbosa, Alex Ribeiro, Marli Brasil, Ed Rossi, Tropa de Xote e Xamego da Chapada.

Foi divulgado também que nos dias 29 e 30 de junho acontecerá o São Pedro de Cascavel. O município de Ibicoara tem muitos lugares belos para se conhecer, como a Cachoeira do Buracão e os encantos do Rio Jiboia, por exemplo, que está localizado entre o Baixão de Ibicoara e o Buracão. Esse rio é um dos mais importantes da região e abastece também o Rio Paraguaçu.

Em uma travessia de cerca de 14 quilômetros é possível cruzar três tipos de bioma, cerrado a caatinga e mata atlântica. Vale o destaque para o Poço Redondo, Poço do Merquido, Passagem do Norato, a Travessia do Cupim e o Poço da Traíra. No local é possível apreciar as belezas da fauna e da flora da Chapada Diamantina. Não é raro encontrar pegadas de onça e de raposa durante o trajeto. Por ser uma área extremamente selvagem é obrigatória a contratação de guias para a trilha.

Festa de São Pedro movimenta região de Abaíra entre 29 de junho e 1º de julho

O município de Abaíra, localizado no Circuito do Ouro da Chapada Diamantina, receberá a tradicional festa junina em homenagem a São Pedro entre os dias 29 de junho e 1º de julho. Entre as atrações confirmadas pela organização do evento estão Xamego Bom, Anderson Nunes, Zé Roberto, no dia 29, Renan Moreira e Manu França, no dia 30, e Orlando Nascimento, Forrozão das Antigas e Fogueira Elétrica, no dia 1º de julho.

Além dessa festa tipicamente nordestina, Abaíra tem belezas naturais, como a cachoeira subterrânea do Zulego e do Antônio João, mas pode mesmo é se gabar da cachaça produzida por lá. A Cachaça de Abaíra, já popularmente conhecida em todo o estado, tem o selo de Indicação Geográfica (IG), o primeiro na Bahia, junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Indo participar do São Pedro não deixe de degustar.

Programação dos festejos juninos em Barra da Estiva tem quatro dias de shows

O 30º São João de Barra da Estiva, município da Chapada Diamantina, terá quatro dias de festa e sua programação foi divulgada. De 21 a 24 deste mês atrações nacionais se unem à tradições juninas, como quebra-pote, corrida de jegue, pau de sebo, e um encontro de sanfoneiros.

No palco Gonzagão se apresentam Coração Cigano, Sadol, Adriano e Luba do sax, na quinta-feira (21), Paula Fernandes, Kasaca de Kouro e Marlus, na sexta-feira (22), Pica-pau e Farra do Brasil, Rogerinho e Rock do Sertão, no sábado (23), e Matheus Boa Sorte, Gilvan da Paraíba e Rick Franco, no domingo (24).

Já no palco Dominguinhos se apresentam Estrela Ideal, Grasy Lima, Bahia Express, Ricardo e Banda Brilho da Barra, Wesley Barbosa e banda, Alex Ribeiro, Autonomia, Forró Chapada, Cláudio Costa, João Medeiros, Swing do Balanço, Gêncio do Acordeon, Daniel Rabelo e Marcas de Batom. É bom lembrar que as barracas juninas já serão inauguradas na próxima quinta-feira (14) e que o Concurso Regional de Quadrilhas começa dia 20 deste mês.

Produção orgânica cresce no município de Morro do Chapéu com certificação participativa

A produção orgânica do município de Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina, cresce ano a ano. Para conseguir o selo orgânico, que ajuda nas vendas, muitos agricultores estão adotando a certificação participativa. O agrônomo Érico Sampaio cultiva oito hectares de morango e se diz um apaixonado pela produção sem agrotóxicos. Para tocar o cultivo, ele conta com a ajuda dos filhos, que são estudantes da área de agrárias. Hoje são 20 mil pés, mas a ideia é chegar a 35 mil. Érico vende a caixa de morango por R$ 12, mas o valor poderia ser mais alto se ele já tivesse o selo de conformidade orgânica do Ministério da Agricultura – uma garantia oficial de que o alimento foi produzido de acordo com as regras orgânicas.

O problema é que o método de certificação mais comum, feito por auditoria, é caro para os pequenos produtores: cerca de R$ 15 mil por propriedade. É aí que entra a certificação participativa. Nesse modelo, que vem ganhando força no Brasil, o selo orgânico continua sendo concedido pelo Ministério da Agricultura. A diferença é que o trabalho anterior à certificação é feito pelos agricultores e não por uma empresa contratada, o que reduz, e muito, os custos do processo. No sistema participativo, os próprios agricultores se fiscalizam, fazendo inspeções rotineiras. O Globo Rural acompanhou essa inspeção nas terras de Alberto Martins. Ele cultiva milho, cebola, cenoura e está na fase final para receber a certificação participativa.

Um grupo de 12 pessoas, formado por agricultores vizinhos de Alberto (que também buscam a certificação), deve fiscalizar todas as propriedades do grupo pelo menos uma vez por ano. É a chamada visita de pares. “A gente verifica todo o contexto da propriedade pra gente ver se ela está dentro das conformidades orgânicas. A questão de diversificação de culturas, o trato cultural, a adubação que ele usou se tem materiais orgânicos. A gente avalia todas as questões”, explica o agricultor Lindomar de Andrade.

Quando uma falha é encontrada na propriedade, o agricultor recebe um prazo para corrigir o problema, como explica a agricultora Paula Ferreira. “Quando um agricultor é identificado algum problema na propriedade dele e no roteiro de verificação de pares isso é apontado e deu-se o tempo para que o agricultor cumprisse, resolvesse aquele problema na propriedade e ele não cumpre, com certeza ele vai sair”. Quem quer o selo orgânico recebe ainda uma segunda vistoria, feita por produtores de uma associação credenciada pelo Ministério da Agricultura.

Eles repassam tudo o que foi anotado na visita de pares e só no final vem o resultado. De tempos em tempos, as propriedades também podem ser fiscalizadas pelo Ministério da Agricultura. A certificação orgânica pelo processo participativo existe há oito anos e já regularizou mais de cinco mil produtores em todo o país. Com o selo, os agricultores ganham também uma espécie de passaporte para vender seus produtos em todo o país. O cultivo orgânico dá mais trabalho. Por outro lado, o agricultor consegue vender os produtos por um preço um pouco melhor. Na Chapada, os agricultores alcançam uma margem de lucro de cerca de 30%.

População de Nova Redenção recebe revitalização de mercado municipal

A prefeitura de Nova Redenção, administrada pela prefeita Guilma Soares (PT), entregou a revitalização do Mercado Municipal José Alves dos Santos e uma caminhonete Amarok nova para a população. Conforme informações, a revitalização do mercado foi realizada com recursos próprios. Já a caminhonete foi uma emenda do deputado federal Ronaldo Carleto (PP). O veículo servirá ao gabinete da prefeita e economizará R$6 mil, já que o carro que tinha era locado. “Quando assumimos a prefeitura não encontramos nenhum carro, e até o mês que vem, já com mais duas ambulâncias, uma caçamba, e um micro-ônibus para a Saúde, a frota municipal será de 20 carros adquiridos em um ano e meio de nossa gestão”, informa Guilma Soares.

Essas entregas dos dois equipamentos públicos aconteceram na última sexta-feira (8), na Praça do Comércio, com a presença de feirantes, comerciantes, funcionários públicos e o povo em geral. Compôs a mesa dos trabalhos, a prefeita municipal, o líder político Ivan Soares, além do secretário municipal de Infraestrutura, Wiscley Ferreira Santos (Kêu de Rael), os vereadores da bancada, representante dos feirantes locais e da família do saudoso José Alves dos Santos (Zeca de Manezim), homenageado com o nome do Mercado Municipal. “A revitalização do mercado, além de beneficiar comerciantes e consumidores que trabalham e frequentam o local, representa o resgate histórico e cultural de um comércio que há gerações contribui para o desenvolvimento econômico do município”, salienta Ivan Soares.

Durante a solenidade, a prefeita de Nova Redenção falou sobre a importância do equipamento público para a população. “É gratificante poder entregar a revitalização do Mercado Municipal. A última vez que ele passou por uma reforma, foi no governo do ex-prefeito Ivan Soares. O mercado é muito importante para a população, pois é local onde se vende alimento e, por isso, deve estar limpo e bem cuidado. E nossa administração tem a obrigação de zelar desse espaço, pois assim estaremos também zelando pela saúde do povo”, disse em discurso a prefeita Guilma Soares, que também agradeceu ao secretário e equipe da infraestrutura e a todos os envolvidos na restauração do mercado.

Ao se pronunciar, Ivan Soares destacou o esforço que a administração tem feito para reconstruir e aparelhar o município. “Trabalhamos para ver o município com mais estrutura, mais zelo, como ele merece. Dessa vez foi a revitalização do mercado, e a próxima será a reforma da delegacia, apesar de não ser uma obrigação nossa, e sim do Estado, não nos conformamos ao ver o prédio naquele estado em que se encontra. Não oferece condições de trabalhos para os profissionais que ali atuam, além de ser minúscula e depredada. Nossa gestão tem compromisso também com a segurança pública, pois é ela quem dá ao município a garantia de viver em paz. Quem está na gestão tem que administrar para todos. Tem que ter o compromisso e o discernimento de que a gestão é para melhorar a vida daqueles que mais precisam dos poderes públicos”.

Durante o evento, foram feitas outras abordagens de interesse da população, como por exemplo, a entrega da Ponte do Ajôjo que deveria ter acontecido no domingo (10), mas precisou ser adiada por causa do nível de água do Rio Paraguaçu que subiu, o que poderia comprometer a instalação da mesma, embora já esteja totalmente pronta para instalação. “Adiamos pensando também na segurança das pessoas que estariam no local, por isso achamos melhor adiar para uma próxima data”, conclui a prefeita Guilma Soares.

 

Fonte: Jornal da Chapada/Globo Rural/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!