28/06/2018

Festival da Liga do Samba Junino anima os largos do Pelourinho

 

O dia de São João já passou, mas o ciclo de festejos juninos continua animando o Centro Histórico de Salvador. Os principais Largos e Ruas do Pelourinho serão tomados pelo 3º Festival da Liga do Samba Junino. O evento acontece neste sábado (30) às 19h com arrastões e diversos shows gratuitos realizados nos Largos Tereza Batista, Pedro Archanjo e Quincas Berro D’Água.

Realizado em 2017, no bairro do Garcia, o Festival volta em 2018 ao Centro Histórico de Salvador e traz na programação os tradicionais arrastões de samba. O primeiro arrastão sairá às 19h do Largo do Pelourinho, em frente à Igreja do Rosário dos Pretos, com o grupo Comendo Água. No mesmo horário, sai o segundo arrastão do Cruzeiro de São Francisco com o Samba do Morro e o terceiro sai do Terreiro de Jesus com o Zumbaê. Os arrastões irão percorrer as ruas e largos do Centro Histórico em direção ao Largo Pedro Archanjo, onde acontecerá a apresentação do grupo Os Mulatos, a partir de 20h.

Mas os festejos pelo Samba Junino não param por aí. A partir de 21h, outros três arrastões irão sair dos mesmos locais com os grupos Sambalança, Samba Salamá e Samba Duro VS e Balão de Ouro, respectivamente. Após percorrer as ruas do Pelourinho, estes novos arrastões seguirão para o Largo Tereza Batista e Largo Quincas Berro D'Água com shows da Roda de Samba Mucum'G e Bicho da Cana respectivamente.

"Além do fortalecimento da cultura, nós da Liga do Samba Junino temos uma grande preocupação com ações de responsabilidade social e, estamos pedindo a doação de dois quilos de alimentos não perecíveis pela troca das camisas. Os alimentos poderão ser trocados na sede da Liga que fica na Rua Prediliano Pita, 30, Garcia, em frente ao Colégio Edgard Santos. Os alimentos arrecadados, serão doados para as Voluntárias Sociais que irão repassar para instituições carentes", afirma o diretor de relações institucionais da Liga do Samba Junino, Nonato Sanskey.

O Samba Duro

De origem e cultura ancestral herdada dos povos de matrizes africanas que vem resistindo ao tempo e com base na unidade da população periférica de Salvador, proporcionando às novas gerações o conhecimento histórico do seu povo.

O Samba Junino

O estilo musical representa uma expressão cultural genuinamente soteropolitana, marcado pela rítmica do samba duro, disseminada há pelo menos 40 anos em diversos bairros de Salvador. Os bairros tradicionais que realizam os festejos são Engenho Velho de Brotas, Engenho Velho da Federação, Federação, Fazenda Garcia, Tororó, Nordeste de Amaralina, Canabrava, Uruguai, Liberdade, dentre outros. Com instrumentos musicais de uso obrigatório como tamborim, marcação e timbal, o samba junino traz características como vestimentas e a personalidade de cada grupo que se apresenta acompanhando o ritmo dado pelo tamborim, à cadência do timbal e o balanço da marcação. Em fevereiro deste ano o Samba Junino foi reconhecido como Patrimônio Imaterial de Salvador.

A Liga do Samba Junino

Criada no ano de 2013, a Liga tem como objetivo preservar e valorizar a cultura do Samba Duro em Salvador. Nestes cinco anos de criação a Liga vem promovendo festivais, debates, palestras e encontros, bem como reativando grupos antigos de samba com objetivo de reconstruir a história do Samba Junino.

Após o festival que acontece neste dia 30, a Liga do Samba Junino continua a festa participando do desfile do 2 de Julho, durante o cortejo em celebração a Independência da Bahia, o Sambão da Liga irá apresentar a importância da valorização da cultura do Samba Junino para o público presente.

O 3º Festival de Samba Junino da Liga do Samba Junino conta com o apoio do Governo do Estado através da Bahiatursa e terá uma ação solidária. A programação tem apoio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac).

  • Serviço

Festival da Liga do Samba Junino

Samba Os Mulatos

Largo Pedro Archanjo às 20h

Gratuito

Largo Tereza Batista às 21h30

Roda de Samba Mucum’G

Gratuito

Largo Quincas Berro D’Água às 21h30

Samba Bicho de Cana

Gratuito

Largo Tereza Batista às 23h

Sambão da Liga do Samba Junino

Gratuito

Programação

Arrastões:

Local de saída: Igreja do Rosário dos Pretos

Das 19h às 20h - Samba do Neguinho

Das 21h às 22h - Sambalança

Local de saída: Cruzeiro de São Francisco

Das 19h às 20h - Samba do Morro

Das 21h às 22h - Comendo Água e Samba VS

Local de saída: Terreiro de Jesus

Das 19h às 20h – Samba Zumbaê

Das 21h às 22h – Samba Balão de Ouro

Grupo Massaranduba participa do projeto Circuito Varanda do Sesi

O grupo Massaranduba faz show no dia 4 de julho, quarta-feira, na Varanda do Teatro Sesi, no Rio Vermelho, a partir das 22h. Os ingressos custam R$ 20, e R$ 15 na lista amiga.

O show é mais uma realização do projeto Circuito Varanda do Sesi de Música, e traz no repertório clássicos do chorinho, acompanhados do baião, ritmos genuinamente brasileiros, interpretados com arranjos próprios. Compositores renomados como Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Sivuca, Hermeto Pascoal, Altamiro Carrilho, Waldir Azevedo, entre outros, serão relembrados ao longo da noite.

O grupo Massaranduba é formado pelos músicos baianos Indira Dourado (clarinete), Peu Souza (bandolim), Tadeu Maciel (pandeiro) e Duca Vasconcelos (violão 7 cordas).

  • Serviço

Show na Varanda do Teatro Sesi, no Rio Vermelho.

4 de julho, quarta-feira, às 22h

Ingressos: R$ 20 e R$ 15 (lista amiga)

Teatro Solar Boa Vista recebe nova edição de Batekoo em Salvador

A quarta edição da 4ª temporada da Batekoo em Salvador irá ocorrer no sábado, 7 de julho, no Cine Teatro Solar Boa Vista, às 23h.

O projeto da Batekoo tem como objetivo movimentar a cena musical produzida por negros nas periferias do país, convidando artistas e conectando diferentes culturas que nascem nas periferias do Brasil e do mundo.

A festa contará no line com Tia Carol, Bruxa Braba, Rafael Balera, Carolina Neves com participação de Yan Cloud, e Adrielle Coutinho. A festa será animada ao som do hip-hop, rap, funk carioca, R&B, trap, twerk, bahia bass, ragga, dancehall, kuduro, e suas vertentes. Os ingressos custam R$ 10 com nome na lista até às 00h ou pelo Sympla, R$ 20 (sem lista), R$ 15 (após as 00h) e R$ 25 (após 1h). A classificação é de 18 anos.

SERVIÇO

O QUÊ: Festa BATEKOO

QUANDO: Sábado, 7 de julho, às 23h

ONDE: Cine Teatro Solar Boa Vista, Engenho Velho de Brotas, Salvador - BA

VALOR: R$ 10 com nome na lista até às 00h ou pelo Sympla, R$ 20 (sem lista), R$ 15 (após as 00h) e R$ 25 (após 1h).

Escritora Elizandra Souza participa de encontros promovidos pelo UNEB

O Grupo de Estudos e Literatura e Periferias - GELPs recebe, entre os dias 04 e 05 de julho, em Itaberaba, a escritora, jornalista e editora paulista Elizandra Souza. No dia 07 de julho, a escritora participará do Sarau Enegrescência na Casa de Angola e no dia 09 de julho fará palestra no Cepaia – UNEB e no Instituto de Letras da UFBA, atividades estas realizadas em Salvador.

No dia 04/07,quarta-feira, às 18 horas, a autora estará fazendo o lançamento de seu livro Águas da cabaça na livraria da Discultura; e no dia 05/07, quinta-feira, fará uma participação no Simpósio de Letras: um encontro com o público no auditório na UNEB às 19:00 horas. Participe e convide seus amigos!

Elizandra é autora do livro de poesias Águas da cabaça (2012); coautora, juntamente com o poeta Akins Kintê, do livro Punga (2007); organizadora das antologias Pretexto de mulheres negras (2013) e Terra fértil, de Jenyffer Nascimento (2014). Além disso, a autora também foi editora responsável pela Agenda Cultural da Periferia e fundadora do coletivo Mjiba – Jovem Mulher Revolucionária. Atualmente, também se apresenta com o coletivo Sarau das Pretas. Entre os temas recorrentes em sua obra estão: periferia, negritude e feminismo.

O GELPs é desenvolvido na UNEB, Campus XIII e é coordenado pela professora Dra. Luciana Moreno. O grupo existe desde 2014 e recebe, a cada semestre, um escritor contemporâneo que atua no campo da literatura periférica. O objetivo do encontro é realizar um bate-papo com o escritor convidado sobre sua obra e trajetória literária, além de socializar as pesquisas e leituras feitas sobre o artista convidado. Elizandra Souza é a sexta autora a participar dos encontros promovidos pelo GELPs; antes dela já vieram Sérgio Vaz, Fábio Mandingo, Marcelino Freire, Cidinha da Silva e Sacolinha.

Fonte: Ascom SecultBa/Bahia Já/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!