05/07/2018

Nome de mulher negra ganha força para vice de José Ronaldo

 

Com a negativa da ex-ministra Eliana Calmon para ser vice na chapa majoritária, encabeçada pelo ex-prefeito de Feira de Santana José Ronaldo (DEM), a ideia de ter uma mulher negra ao lado do democrata vem ganhando a cada dia mais adeptos entre os oposicionistas.

Um deputado ouvido pelo bahia.ba voltou a dizer que esse pode ser um diferencial em relação à chapa do governador Rui Costa (PT), que excluiu a senadora Lídice da Mata da disputa pelo Senado em detrimento do nome de Angelo Coronel (PSD), e agora só tem homens em sua composição.

No cortejo do 2 de Julho, o presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Leo Prates (DEM), também defendeu a ideia em conversa com o bahia.ba. Com o discurso de ‘não devemos replicar modelos de uma política tradicional e ultrapassada’, o democrata deixou nas entrelinhas sua preferência pela colega de Casa Ireuda Silva (PRB).

Em recente entrevista ao bahia.ba, o prefeito de Salvador, ACM Neto, já havia sinalizado que simpatiza com a possibilidade de ter uma mulher na composição da chapa. Também ao bahia.ba, Ireuda Silva (PRB), ressaltou que está no páreo pela vaga e que se considera “um projeto de credibilidade”.

Candidato do DEM confirma pressão de grupos da base para definir chapa majoritária

Pré-candidato ao governo do Estado pelo DEM, José Ronaldo admitiu a pressão feita por parte dos partidos que integram essa base oposicionista para que ele defina a composição da chapa majoritária. Até então, apenas o deputado federal Jutahy Magalhães (PSDB) foi confirmado como o primeiro pré-candidato ao Senado. Fora eles, PSC, PRB, PTB e o próprio DEM são cogitados para ocupar as vagas restantes de vice-governador e de senador. "Existe. Não vou dizer que seja, assim, tamanha, mas existem preocupações sim. Em algum momento, as pessoas já estão demonstrando esta vontade de que seja acelerado", confirma o democrata, em entrevista ao Bahia Notícias.

Ronaldo acredita, no entanto, que esse entrave está mais perto de ser resolvido do que a questão nacional, uma vez que o Democratas tem se reunido com os presidenciáveis Geraldo Alckmin (PSDB), Álvaro Dias (Podemos) e Ciro Gomes (PDT). Com voz ativa em ambas as discussões, o prefeito ACM Neto, que é também presidente nacional da sigla, disse que é provável que eles sigam a estratégia de definir primeiro a posição no âmbito da eleição presidencial para depois anunciar os acertos a nível de Bahia (veja aqui). Mas, mesmo que essa estratégia se confirme, José Ronaldo acredita que as negociações devem ser apressadas. "Eu acho que a nossa talvez esteja mais perto que a outra porque lá é uma coisa mais complexa. (...) São vários nomes que são citados, nomes até que às vezes alguém nem imagina ou até surgir um novo", avalia, acrescentando que o cenário ainda "está muito aberto".

Bruno Reis entra na chapa?

Durante sua participação no quadro “BN na Tela Entrevista”, transmitido na fanpage do site, o pré-candidato revelou que os nomes para sua chapa majoritária já foram escolhidos (saiba mais aqui). Além de Irmão Lázaro (PSC), que briga por uma vaga ao Senado, outros cotados são a vereadora Ireuda Silva (PRB), a ex-secretária de Salvador Taíssa Gama (PTB) e o vice-prefeito da capital baiana Bruno Reis (DEM).

No caso deste último, a oposição nos bastidores da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) defende que ele seria uma forma de “colar” a imagem do prefeito ACM Neto e, assim, impulsionar a candidatura da chapa. Sem confirmar se existe a possibilidade de Reis arriscar a eleição ao governo estadual, José Ronaldo avaliou o correligionário como um "grande nome". "Bruno é um nome que é um jovem político com grandes virtudes, futuro promissor na política. É um nome que pode ocupar qualquer missão. Se evoluir esse processo de chapa com a presença de Bruno, eu não vou negar, não, seria um grande prazer tê-lo como companheiro", exalta. Com o registro das candidaturas previsto para 15 de agosto, o ex-prefeito de Feira de Santana espera até, no máximo, 20 de julho ter seu grupo pronto para disputar a eleição.

Zé Ronaldo confirma articulações por Lázaro na vice; Heber descreve pressões do grupo

O pré-candidato ao governo do Estado, Zé Ronaldo (DEM), admitiu nesta terça-feira (3) que tem tentado convencer o deputado federal Irmão Lázaro (PSC) a ser vice na sua chapa.

A articulação, no entanto, vai contra a vontade do próprio Lázaro, que deseja ter uma vaga para o Senado na majoritária. Atualmente, o único confirmado na composição é o deputado federal Jutahy Magalhães Jr. (PSDB), que vai disputar o Senado.

Ao Bahia Notícias, o presidente estadual do PSC, deputado estadual Heber Santana, declarou que, em uma última rodada de conversas com Zé Ronaldo e seu grupo, a alternativa apresentada foi colocar Lázaro na vice. No entanto, o partido declinou.

“Apresentaram essa alternativa [Irmão Lázaro para vice], mas nossa prioridade é a candidatura de Lázaro ao Senado. Esperamos que essa semana, em novas conversas, possamos avançar”, reforçou.

Em conversa com o portal, Zé Ronaldo assinou embaixo no que disse Heber e falou no seu desejo de ter Lázaro na vice. “O que Heber disse é verdadeiro. Realmente, existem conversas e existem desejos de que isso aconteça. Mas, como essas coisas não são da cabeça de um nem de outro, são várias cabeças que pensam, que opinam, a gente tem que esperar essa conclusão”, ponderou.

Lázaro para Senado não está descartado

Apesar das articulações para ter o pastor como vice-governador, Zé Ronaldo não fechou as portas para ele na Câmara Alta. Mas disse que não pode garantir uma acomodação tranquila para o parlamentar na chapa, porque isso não depende só do desejo dele. “Eu acho que Lázaro é um bom nome, tanto pra Senado quanto pra vice-governadoria. Ele preenche qualquer uma dessas vagas aí muito bem. Mas, sobre a acomodação, aí eu não sei. Aí não depende só da minha cabeça, só do meu desejo”, ponderou.

Namoro de Neto com Ciro visa a tirar PT do jogo sucessório para enfraquecer Rui

O prefeito ACM Neto, presidente nacional do DEM, trocou apenas um cumprimento, na abertura do desfile do 2 de Julho, ontem, com o presidenciável Ciro Gomes, do PDT, mas o aceno foi suficiente para reacender as suspeitas de que os dois podem entabular conversas visando o apoio do DEM ao pedetista ao Palácio do Planalto.

O plano do prefeito é colocar em discusão na executiva nacional do partido na próxima semana a definição do nome que a legenda pretende apoiar à sucessão presidencial. Entre os democratas, a avaliação é de que a agremiação hoje está completamente dividida, com três caminhos à frente.

Um deles é manifestar apoio, e logo, a Ciro. Estão neste time aqueles que não querem, sob hipótese alguma, que o candidato do PDT se aproxime do PT, tirando o partido do ex-presidente Lula de uma vez por todas do jogo sucessório.

Há vários defensores da tese no DEM baiano, para os quais esta seria uma forma de enfraquecer, por exemplo, o governador Rui Costa (PT) não só para esta eleição, mas, principalmente, para a sucessão municipal de 2020, quando se espera que, no caso de ser reeleito agora, o petista vai tentar fazer, a qualquer custo, o sucessor de ACM Neto.

O outro grupo no democratas, aparentemente mais numeroso, continua apostando na candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência. O problema é que o ex-governador de São Paulo pesa feito chumbo, situação que só piora com o desgaste que seu partido enfrenta hoje.

Este é o motivo porque cresce o time de simpáticos à candidatura do senador Álvaro Dias, do Podemos, que também patina, segundo as pesquisas, mas teria alguma chance de projeção, caso estabeleça uma eventual aproximação com o Centrão que já está sendo costurada.

Joceval Rodrigues diz que PPS da Bahia não caminha com Ciro Gomes

Ao ser indagado sobre a possibilidade do Partido Popular Socialista (PPS) na Bahia apoiar à candidatura de Ciro Gomes (PDT) na corrida presidencial, o vereador licenciado e presidente da sigla no estado, Joceval Rodrigues, descartou a possibilidade da agremiação marchar em parceria com o pedetista no estado.

Segundo Joceval, a decisão está em consonância com a posição da direção nacional do PPS, que também já garantiu que não subirá no mesmo palanque de Ciro Gomes. “PPS da Bahia não caminha com Ciro Gomes em hipótese alguma. Não há possibilidade de nos aliarmos com um projeto que tenta ser herdeiro do patrimônio da era Lula, que deixou mais de 14 milhões de brasileiros desempregados”, disparou Rodrigues, afirmando ainda que o posicionamento não compromete em momento nenhum o apoio do PPS para José Ronaldo na eleição ao governo do estado.

Ainda de acordo com Joceval, o PPS baiano segue em negociações para viabilizar apoio no candidato que apresentar, na ótica do partido, o melhor projeto de governabilidade para o país para os próximos anos.

‘Não pretendo fazer ataques a José Ronaldo’, admite pré-candidato do MDB

Aspirante ao governo pelo MDB, o ex-ministro João Santana sinalizou que quer um “pacto de não agressão” com o pré-candidato ao Palácio de Ondina, José Ronaldo (DEM).

“Não pretendo fazer ou produzir ataques a José Ronaldo. Mas espero que ele faça o papel de oposição, de fato. Estou procurando ser governador. Então, tenho que denunciar os erros que o governador atual [Rui Costa] está fazendo”, afirmou, em entrevista ao Metro1.

Perguntado se espera não ser atacado pelo democrata, Santana disse que “aí fica por conta dele”. Nos bastidores, os emedebistas reclamam que o democrata tem viajado para o interior, se apresentado como candidato, mas não tem feito críticas a Rui.

 

 

Fonte: BN/Politica Livre/Metro 1/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!