06/07/2018

Bahia: Chapa do DEM só será anunciada após cenário nacional

 

O prefeito ACM Neto e presidente nacional do DEM deixou claro que quem decide pela composição da chapa majoritária de oposição na Bahia é o pré-candidato ao governo, ex-prefeito de Feira Zé Ronaldo (DEM). Mas, é sabido que Neto é um dos principais articuladores da chapa. Em entrevista nesta quinta-feira (5), após entrega de uma obra de contenção e encosta em Sete de Abril, Neto afirmou eu cogitaria anunciar a chapa antes do dia 20 de julho, quando será definido o apoio ao candidato a presidência da República. Neto, no entanto, ressaltou que “a é uma decisão que caberá a José Ronaldo”.

“Se eu fosse o candidato, quem iria conduzir as coligações e alianças seria eu. Eu não sou o candidato, então quem responde por isso é ele [Zé Ronaldo]. A responsabilidade principal é dele. Caberá a ele decidir quais partidos vão integrar a sua aliança, eu vou devidamente aceitar e apoiar as suas decisões. Não vejo motivos para a gente anunciar a chapa na Bahia antes da decisão nacional do DEM porque isso pode implicar em ajustes de ultima hora. Primeiro tomar a decisão nacional e depois anunciar a chapa”, disse.

Na chapa de Zé Ronaldo o único já confirmado é o candidato a senador Jutahy Júnior (PSDB), hoje deputado federal. Cogita-se o nome do deputado Irmão Lázaro (PSC) e o vice-prefeito Bruno Reis para a outra vaga ao Senado. As suplências ainda não foram definidas também, assim como o vaga de vice.

‘Se fosse possível ter Bruno Reis na chapa, seria um grande prazer’, diz Zé Ronaldo

O pré-candidato do DEM ao governo da Bahia, José Ronaldo, admitiu que gostaria de ter o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), como integrante da chapa oposicionista. Especula-se que o número 2 do Palácio Thomé de Souza pode ser postulante ao Senado ou a vice-governador.

“Bruno é um nome excelente, porque é uma pessoa que tenho muito respeito e gosto. Bruno é extremamente trabalhador e, não tenho a menor dúvida, que fazendo parte da chapa, vai dar uma grande parcela de contribuição. Não descarto a presença de Bruno, até porque acho e repito que tem grandes qualidades. Se fosse possível realmente a gente ter Bruno na chapa, seria um grande prazer”, afirmou, em entrevista ao Metro1.

O democrata negou que haja conversas para o empresário ACM Júnior – pai do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) – para assumir uma provável suplência. Zé Ronaldo voltou confessar que quer o deputado Irmão Lázaro (PSC) como vice na chapa.

“Seria o meu sonho, mas não sou eu que decido a cabeça do Lázaro, que tem suas próprias opiniões e ideias. Eu tenho o meu sonho. Se vou conseguir realizar, não sei”, pontuou.

Elmar diz que ainda não viu campanha para governo: “Vejo para deputado”

O deputado federal Elmar Nascimento (DEM) está no time dos que acham que campanha para o governo da Bahia, propriamente dita, não está ocorrendo ainda e nem sabe se ocorrerá. “O que tenho visto é campanha para deputado”, afirma o parlamentar, prevendo que, pelo clima, a Bahia pode reproduzir o que aconteceu em eleições recentes no Tocantins, onde 50% não foram às urnas votar.

Segundo Elmar, o impacto de um quadro como esse na Bahia pode ser extremamente significativo, com consequências imprevisíveis para os dois lados – o do governador Rui Costa (PT), candidato à reeleição, e o do pré-candidato do DEM ao governo, José Ronaldo (DEM).

PSC dá ultimato sobre Lázaro na chapa de Ronaldo

O deputado Heber Santana, que sábado vai assumir a presidência do PSC na Bahia, diz que quer chegar ao evento, no Fiesta, com uma definição sobre a situação do deputado Irmão Lázaro: ele será ou não candidato a senador na chapa de Zé Ronaldo?

Até agora continua prevalecendo a posição do deputado Jutahy Júnior (PSDB), que prefere ver Lázaro como vice, com o argumento público de que é melhor uma mulher, mas intramuros por entender que o discurso de Lázaro, ex-Olodum, hoje evangélico e cantor gospel, não bate com o dele, em questões como o aborto, e também por faltar-lhe experiência parlamentar.

Carreira solo

ACM Neto, Zé Ronaldo e outros líderes da oposição, como o deputado José Carlos Aleluia, defendem a união. Ou seja, que Lázaro integre a chapa como candidato ao Senado, discurso que até agora não sensibilizou o tucano.

Lázaro já disse que não é Jutahy quem definirá o seu futuro e, se não o aceitarem, vai disputar o Senado em carreira solo. Ou seja, será candidato só, mesmo apoiando Ronaldo. Perde com isso principalmente tempo de tevê, o que é muito importante para ele como artista.

Nos bastidores, se diz que Jutahy tem medo de Lázaro, que pontua bem em pesquisas feitas para consumo interno (só perde para Jaques Wagner). Mas como Ronaldo, que já perdeu o MDB, não pode perder o PSDB, tudo indica que será como Jutahy quer.

Indicação do PRB para o Senado é chamada de "fraca" por Lázaro

Indicação do PRB à chapa de José Ronaldo (DEM) para uma das vagas ao Senado, a vereadora Ireuda Silva saiu dos seus cuidados, depois de ter sido chamada de "fraca" pelo concorrente do PSC, Irmão Lázaro, outro que pleiteia o mesmo espaço, e resolveu partir para a ironia em relação ao parlamentar.

Disse, por exemplo, que não é candidata a senadora com o objetivo de representar nenhuma corrente suprema, mas o povo sofrido da Bahia.

Foi uma dura resposta ao deputado Lázaro, que resolveu afirmar que é candidato para cumprir um desígnio do senador Magno Malta (PR-ES), para quem é preciso construir uma rede pela qual determinado segmento evangélico conquiste simplesmente um terço das 51 vagas disponíveis no Senado nestas eleições.

Pré-candidato do MDB chama Neto de “ingrato”

Neto diz que entre 17 e 20 de julho anuncia apoio ao candidato à presidência

O prefeito ACM Neto e presidente nacional do Democratas estipulou prazo para anunciar o apoio do partido ao candidato a presidência da República. Neto tem tido reuniões com três pré-candidatos, Álvaro Dias (PODEMOS), Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT). Durante a inauguração da encosta no bairro Sete de Abril, na manhã desta quinta-feira (5), o prefeito afirmou que entre o dia 17 e 20 de julho fará o anúncio oficial do apoio nacional.

“Estamos encerrando esse processo de conversa, ontem tivemos um jantar com o ex-governador Alckimin, assim concluímos as conversas com os pré-candidatos [...] Próxima semana vamos dar seguimento a esse trabalho conjunto. A ideia é que entre o dia 17 e 20 de Julho a gente possa anunciar nossa posição de apoio nacional, quem será o candidato a presidência da República”.

Questionado sobre as divergências de opiniões entre integrantes do Democratas, em relação aos candidatos, Neto pontuou que “cabe ao presidente do partido mediar as opiniões”.  “Vou traduzir o desejo da maioria dos partidos. Entendo que temos três candidatos que podem tranquilamente receber nosso apoio. A gente está avaliando cada situação”, disse.

Conforme o prefeito, o único nome que é consenso no grupo é do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). “Para onde nos formos, isso vai dar uma competitividade muito maior para o candidato.  A única unanimidade é o Rodrigo Maia (DEM), ele não sendo candidato não existe unanimidade. Vou procurar extrair o sentimento da maioria do partido, porém vamos respeitar opiniões contrárias. Eventualmente um estado que queira tomar outra posição [...] é a democracia. Caberá a mim como presidente saber extrair o desejo da maioria do partido”, ressaltou.

Em 'flerte' com Ciro, Neto revela voto em ex-ministro: 'Fiz campanha para ele em 2002'

Em um “flerte” com o candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, o prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, revelou que já votou no ex-ministro, quando o pedetista tentou ser presidente da República pela primeira vez.

“Militamos em campos opostos durante muito tempo, mas já fiz campanha para ele em 2002. É natural, ao longo desse caminho, ter havido atritos, mas não faço política olhando pelo retrovisor. A gente vive um momento delicado, precisamos olhar para frente”, disse, nesta quinta-feira (5), durante entrega de obra de contenção de encosta, na Rua da França, no bairro de Sete de Abril.

O prefeito ainda estimou "entre 17 e 20 de julho" para definir como o DEM vai se comportar na eleição presidencial e, além disso, se confirmar a retirada de candidatura de Rodrigo Maia ao Palácio do Planalto, a sigla até este dia vai anunciar quem vai apoiar.  Além de Ciro, Geraldo Alckmin (PSDB) e Alvaro Dias (Podemos) podem ganhar o apoio da legenda

Neto afunila opções para apoiar pré-candidatos a presidente: Alvaro Dias, Ciro e Alckmin

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), disse nesta quinta-feira (5) que está encerrando o processo de conversas do DEM com os pré-candidatos a presidente da República. Para o presidente nacional da legenda, as opções se resumem a Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB). Oficialmente, a sigla ainda considera a pré-candidatura própria do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

“Temos três pré-candidatos que podem receber nosso apoio. Estão aptos a construir um projeto comum. Avaliando proposta de cada um, pontos fortes e fracos”, afirmou, durante entrega de obra de contenção de encosta, na Rua da França, no bairro de Sete de Abril.

Questionado como faria para apaziguar os ânimos entre os correligionários, caso o partido decida apoiar Ciro – já que vereadores do DEM opinaram publicamente contra e favor do presidenciável –, o presidente nacional da sigla disse que “esse é meu papel”.

“Cabe o presidente intermediar as opiniões. O que eu vou fazer? Vou traduzir o desejo da maioria do partido. A gente não está brigando. Estamos tratando do futuro do Brasil. Para onde nós formos hoje concretiza que dará muito mais competividade ao candidato. A gente tem noção do nosso tamanho, da nossa responsabilidade. É natural que exista opinião internar diferentes. Eu vou procurar extrair o sentimento da maioria”, completou.

DEM vai ‘respeitar’ estados contrários a candidato apoiado pelo partido, diz ACM Neto

Presidente nacional do Democratas, o prefeito de Salvador, ACM Neto, disse hoje (5) que o partido vai “respeitar” os estados que queiram apoiar outro candidato ao Palácio do Planalto que não seja o escolhido pela sigla.

O democrata reafirmou que a legenda está dividida entre Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT) e Álvaro Dias (Podemos).

“Nós vamos respeitar eventuais opiniões contrárias. Eventualmente, [vamos respeitar] um estado que queria tomar uma posição [diferente], um pré-candidato que queria seguir outro caminho. No meu partido, não tem essa coisa de todo mundo pensar da mesma forma”, afirmou, em entrevista à imprensa após a inauguração de uma obra de encosta no bairro Sete de Abril, em Salvador.

O democrata soteropolitano disse que a agremiação deve decidir entre 17 e 20 de julho sobre quem apoiar nas eleições presidenciais. Ressaltou, ainda, que tem analisado os “pontos fortes e pontos fracos” de cada pré-candidato ao Planalto.

 

Fonte: A Tarde/Metro 1/Tribuna/BNews/BN/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!